Arábia Saudita prefere mercado de petróleo apertado a fim precoce de convênio

Por: SentiLecto

A Opep faria melhor em deixar o mercado de petróleo um pouco desabastecido em vez de concluir precocemente um acordo sobre corte de produção, disse o ministro saudita de Energia, Khalid al-Falih, nesta quarta-feira.

Os custos do petróleo caíram quase 15 por cento nas últimas três semanas, juntamente com um declínio mais extenso no mercado de ações, devido aos temores sobre a inflação mundial e a ampliação da produção de petróleo nos Estados Unidos.

A procura por petróleo subiu a uma taxa de 1,6 milhão de barris por dia em 2017, declarou a AIE, em relatório mensal. Entretanto, o rápido crescimento da produção pode superar qualquer progressão na procura e começar a aumentar os estoques da commodity.Faz 2 meses, os estoques de petróleo em as nações mais ricas de o mundo caíram 55,6 milhões de barris, para 2,851 bilhões de barris, a queda mensal mais acentuada desde fevereiro de 2011, alegou a AIE.

Na segunda-feira 05 de fevereiro as refinarias europeias ameaçavam cortar as compras de petróleo da Rússia em razão da piora na característica do produto após Moscou reencaminhar grandes volumes da commodity para a China como parte de sua luta contra a Opep e os Estados Unidos por participação em mercados asiáticos.

O declínio acontece em um momento ruim para a Arábia Saudita, que precisa de custos de petróleo altos e estáveis para levar adiante a oferta pública de ações da gigante Saudi Aramco, a qual tem potencial para ser a maior listagem de ações do mundo.

“Se tivermos de errar um pouco sobre o equilíbrio do mercado, que seja assim”, disse Falih depois de se encontrar com o ministro russo de Energia, Alexander Novak, em Riad.

Também Novak e outras autoridades russas foram reunidos com o rei saudita Salman em a capital de o país, em esta quarta-feira.

“Em vez de desistirmos bastante cedo e descobrir que estávamos lidando com informações pouco confiáveis​​… conservar o curso e certificar-se de que os estoques estão nos níveis necessários à indústria”, ddeclarouFalih.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo, da qual a Arábia Saudita é líder de facto, consentiu em estender os cortes de oferta de petróleo com a Rússia e outros produtores até o final de 2018.

Moscou, no entanto, sinalizou que uma saída gradual pode ser necessária a partir do segundo semestre deste ano.

Falih insistiu que os cortes vão continuar em todo o ano de 2018 e, para evitar efeitos ao mercado, qualquer saída depois seria bastante gradual.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Saudi Arabia, Russian Federation

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Arábia Saudita prefere mercado de petróleo apertado a fim precoce de convênio
>>>>>Alta em oferta global de petróleo pode superar demanda em 2018, diz AIE – February 13, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Opep projeta maior demanda por petróleo em 2018 – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 barris 0 0 NONE 3 barris: 3
2 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 3
3 declínio 0 90 NONE 2 O declínio: 1, um declínio: 1
4 saída 6 0 NONE 2 uma saída gradual: 1, qualquer saída: 1
5 AIE 0 0 ORGANIZATION 2 a AIE: 2
6 Falih 0 0 PERSON 2 Falih: 2
7 Moscou 0 0 PLACE 2 Moscou: 1, (tacit) ele/ela (referent: Moscou): 1
8 a Arábia_Saudita 0 0 PLACE 2 a Arábia_Saudita: 2
9 demanda 0 0 NONE 2 A demanda: 1, a demanda: 1
10 nós 0 0 NONE 2 (tacit) nós: 2