B3 vê lucro aumentar quase 40% no 3º tri e anuncia compra de companhia de algoritmo

Por: SentiLecto

– A B3 teve crescimento robusto do lucro do terceiro trimestre, na esteira da expansão de dos dígitos nas receitas de suas principais linhas de negócios em um fase de grande volatilidade do mercado financeiro no país. Faz 4 meses, a empresa, que opera bolsa de valores, mercado de balcão e mercado de derivativos, anunciou em esta que seu lucro líquido de julho a setembro aumentou 38,4 por cento ante mesma etapa de 2017, para 465,4 milhões de reais. Em bases recorrentes, o lucro subiu 37,8 por cento, a 613,4 milhões. Se divulgou o resultado pouco antes de a B3 anunciar que assinou proposta vinculante para adquiri 75 por cento de a BLK Sistemas Financeiros, especializada em telas e algoritmos de negociação para corretoras e investidores institucionais. A companhia não informou o valor da operação. A receita líquida da B3 no terceiro trimestre adicionou de 1,15 bilhão de reais, alta de 9 por cento contra um ano antes, apoiada na expansão de 15,1 por cento do segmento BM&F, de 12,3 por cento no de Bovespa, de 12,8 por cento no de Cetip UTVM e de 29,2 por cento no de gravames de veículos. No relatório o vice-presidente financeiro e de relações com investidores da B3, Daniel Sonder. declarou: “A volatilidade foi diretamente impactado a performance de os mercados em que atuamos”. Se o marcou o fase por altos e baixos em os mercados de ações e de derivativos, em a esteira de a ição para Presidência da República, com crescentes volumes de negócios. O resultado operacional da empresa medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização recorrente adicionou 779,4 milhões de reais, uma progressão de 16,7 por cento ano a ano. A margem Ebitda recorrente 0,8 ponto percentual, para 67,4 por cento. Também na comparação ano a ano, as despesas da companhia subiram 8,2 por cento, para 642 milhões de reais. Na base adaptada, a ampliação foi de 9,5 por cento. A B3 conservou as verbas e projeções para 2018 e 2019.

– A negociante Magazine Luiza aumentou em 29,3 por cento o lucro líquido do terceiro trimestre na comparação com igual fase do ano passado, com forte performance de vendas, sobretudo no comércio eletrônico, e diluição de despesas, de acordo com balanço divulgado na noite desta segunda-feira. O resultado operacional da empresa medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização aumentou 11,4 por cento na mesma base, para 278,9 milhões de reais, auxiliado por diminuição em despesas financeiras e crescimento nas vendas. Faz 1 ano, mas a margem Ebitda caiu 1,2 ponto percentual, para 7,6 por cento, afetada por investimentos complementares em aprimoramento em o nível de serviço e aquisição de novos clientes. As vendas totais da Magazine Luiza, incluindo lojas físicas, ecommerce próprio e terceiros , adicionaram 4,6 bilhões de reais entre julho e setembro, um valor 33,6 por cento maior ano a ano. Se liderou o crescimento por o comércio eletrônico cujas vendas saltaram 54,6 por cento em relação a o terceiro trimestre de 2017,, para 1,7 bilhão de reais, entendendo 36,2 por cento de o total comercializado por o Magazine Luiza em o fase. Nos pontos físicos, enquanto isso, a negociante vendeu 24 por cento mais e, na concepção mesmas lojas, a alta foi de 16,3 por cento. A companhia no balanço alegou: “Realçamo também a excelente performance das lojas novas que, com resultados acima do esperado, contribuíram com 8 pontos percentuais para o crescimento de vendas”. Faz 1 mês, a adversária Via Varejo, talento de as marcas Casas Bahia e Pontofrio, divulgou em o final vendas mesmas lojas em alta de 4,2 por cento. Faz 2 meses, só em setembro, o Magazine Luiza abriu 29 lojas, com entrada em novas regiões, adicionando 87 inaugurações em os últimos 12 meses. A rede contava com um total de 913 lojas físicas, das quais 22 por cento estavam em amadurecimento. Faz 2 meses, a receita líquida trimestral de a Magazine Luiza ampliou 28,5 por cento, para 3,67 bilhões de reais, aumentando para 10,98 bilhões de reais o faturamento acumulado de janeiro a setembro. Já as despesas operacionais subiram 25,7 por cento ante o terceiro trimestre do ano passado, para 821,1 milhões de reais, enquanto a despesa financeira líquida adaptada encolheu 16,7 por cento, para 69,9 milhões de reais, em meio aos juros mais baixos. Faz 2 meses, a o fim a Magazine Luiza tinha uma posição total de caixa de 1,9 bilhão de reais, incluindo aplicações financeiras de 700 milhões de reais e 1,2 bilhão de reais em recebíveis de cartão de crédito. Os investimentos alcançaram 112,8 milhões de reais entre julho e setembro, mais que o dobro dos 47,6 milhões de reais desembolsados no terceiro trimestre de 2017, com os recursos direcionados a abertura de lojas, reformas, tecnologia e logística. Em 2018, as ações da Magazine Luiza acumulam alta de mais de 116 por cento, superando a performance de adversárias como B2W, que subiu cerca de 60 por cento, e Via Varejo, que perdeu mais de 31 por cento desde o início do ano.- A Marfrig teve perda líquida de 126 milhões de reais no terceiro trimestre, refletindo o efeito cambial sobre a dívida, além de despesas não recorrentes, embora a perda tenha sido 28 por cento menor do que um ano antes. Faz 2 meses, a performance operacional de a empresa medido por o lucro, impostos, depreciação e amortização aumentou quase cinco vezes em a comparação anual, adicionando 1,055 bilhão de reais de julho a setembro. Em termos adaptados, o Ebitda atingiu recorde de 1,08 bilhão de reais, superando em 23 por cento a soma apurada um ano atrás, com margem de 9,7 por cento. Considerando o resultado ao acionista controlador, a Marfrig teve uma perda líquida de 80 milhões de reais. No fim de setembro, a dívida bruta da Marfrig, quase toda em moeda estrangeira, era de 4,83 bilhões de dólares. Em reais, adicionava 19,34 bilhões. A alavancagem medida pela relação dívida líquida adaptada e Ebitda adaptado , era de 2,57 vezes em reais, e 2,3 vezes em dólar. A Marfrig teve receita líquida lembre de 11 bilhões de reais no trimestre, alta de 21 por cento em relação ao número proforma do mesmo fase de 2017. O maior volume beneficiou o faturamento de vendas em a América do Sul , além do efeito positivo de 2,045 bilhões de reais proveniente de a depreciação de o real que compensou o custo médio de vendas mais baixo e o menor número de semanas em a operação de a América do Norte ,. Os gastos com vendas, gerais e administrativas subiram 30 por cento na comparação ano a ano, para 608 milhões de reais, com conseqüência da cotação nas operações internacionais. As despesas financeiras subiram 49,35 por cento por cento, a 572 milhões de reais, progressão atribuída pela companhia a despesas provisória de 90 milhões de reais ligadas ao empréstimo para compra da National Beef. Faz 3 meses, mais cedo, a Marfrig informou que o órgão regulador chino aprovou a venda de sua unidade Keystone Foods para a norte-americana Tyson Foods.- A BR Distribuidora registrou ampliação no lucro líquido de 173,6 por cento no terceiro trimestre, para 1,08 bilhão de reais, segundo comunicado divulgado no final da noite de segunda-feira. A BR Distribuidora é companhia de distribuição de combustíveis controlada pela Petrobras. O incremento no lucro deveu-se principalmente aos acontecimentos extraordinários acontecidos no trimestre, como o efeito positivo da quitação do passivo fiscal com o Estado de Mato Grosso e o recebimento de 463 milhões de reais da Eletrobras, com conseqüência de 294 milhões de reais no lucro líquido. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização adaptado adicionou 631 milhões de reais, queda de 40,2 por cento na comparação anual. Quando a greve afetou o resultado de os caminhoneiros, no entanto, houve uma ampliação de 24,2 por cento no Ebitda adaptado ante o segundo trimestre , além da lenta recuperação de a economia. O volume de vendas da companhia caiu 3 por cento na comparação anual, para 10,97 milhões de metros cúbicos no terceiro trimestre. A BR Distribuidora declarou: “A fraca performance econômico do país ao longo dos últimos nove meses refletido pela baixa desempenho da indústria e do comércio tem afetado o crescimento dos segmentos de Rede de postos e principalmente Mercado de Grandes Consumidores”.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>B3 vê lucro aumentar quase 40% no 3º tri e anuncia compra de companhia de algoritmo
>>>>>Magazine Luiza lucra 29% mais no 3º tri com crescimento de vendas puxado por ecommerce – November 05, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Marfrig tem prejuízo de R$126 mi no 3º tri afetada por câmbio e despesas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Lucro da BR no 3º tri dispara com efeitos extraordinários; mas Ebitda ajustado recua 40% – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 60 NONE 26 38,4 por_cento: 1, 49,35 por_cento por_cento: 1, 16,3 por_cento: 1, 25,7 por_cento: 1, 54,6 por_cento: 1, 60 por_cento: 1, 30 por_cento: 1, 8,2 por_cento: 1, 16,7 por_cento: 1, 11,4 por_cento: 1, 33,6 por_cento: 1, 29,2 por_cento: 1, 22 por_cento: 1, 116 por_cento: 1, 12,3 por_cento: 1, 37,8 por_cento: 1, 7,6 por_cento: 1, 28,5 por_cento: 1, 24 por_cento: 1, 12,8 por_cento: 1, 9 por_cento: 1, 28 por_cento menor: 1, 3 por_cento: 1, 29,3 por_cento: 1, 23 por_cento: 1, 9,5 por_cento: 1
2 lucro 0 0 NONE 7 seu lucro líquido: 1, o lucro: 5, o lucro líquido: 1
3 companhia 0 0 NONE 6 A companhia: 2, A empresa: 1, a empresa: 3
4 comparação 0 0 NONE 6 a comparação anual: 3, a comparação ano: 2, a comparação: 1
5 Marfrig 160 160 ORGANIZATION 5 A Marfrig: 2, a Marfrig: 2, (tacit) ele/ela (referent: a Marfrig): 1
6 reais 400 0 NONE 5 reais: 5
7 despesas 260 0 NONE 5 despesas operacionais: 1, despesas: 3, despesas financeiras: 1
8 lojas 0 0 NONE 5 29 lojas: 1, mesmas lojas: 2, lojas físicas: 1, 913 lojas físicas: 1
9 vendas 0 0 NONE 5 as vendas: 1, vendas: 4
10 eu 320 0 NONE 4 (tacit) eu: 4