BC diminui obrigatório e libera R$16 bi no sistema financeiro

Por: SentiLecto

– O Banco Central anunciou nesta quarta-feria uma diminuição da alíquota da recolhimento compulsória sobre depósitos a prazo de 33% para 31% e informou que a mudança vai implicar uma diminuição no recolhimento da ordem de 16,1 bilhões de reais. A nova alíquota entra em forcita em 1º de julho, com conseqüência financeiros a partir de 15 de julho. BC, que promoveu mudanças no obrigatório com conseqüência de liberação de 8,2 bilhões de reais ao sistema financeiro, em nota firmou: “A mudança aproxima mais a alíquota dessa modalidade de recolhimento aos níveis históricos praticados nos anos anteriores à crise de 2008″,.A diminuição e a simplificação dos recolhimentos obrigatórios –que no Brasil são aumentados na comparação com outras economias– faz parte da agenda de medidas estruturais do Banco Central. O estoque total de recursos recolhidos compulsoriamente pelos bancos está em 458,6 bilhões de reais, dos quais 249,8 bilhões dizem respeito ao recolhimento sobre recursos a prazo. Roberto Campos Neto tem repetidamente declarado que se aumenta o nível de obrigatório em o Brasil . Roberto Campos Neto é o presidente do BC. No mais recente observação, no fim de maio, Campos Neto alegou que havia espaço para diminuição. Apesar de acarretar esse conseqüência, na ocasião, o presidente do BC também declarou que as mudanças não tinham objetivo de animar a economia. Faz 7 meses, quando o BC reduziu a taxa de %34 para %33, a última mudança em as alíquotas de obrigatório sobre recursos a prazos havia. Na prática, o menor recolhimento de obrigatório dá amparo para que os bancos possam emprestar maior parcela das suas reservas. A simplificação dos obrigatórios também reduz o preço financeiro das instituições. Na manhã desta quarta-feira, o BC informou que estoque total de crédito no Brasil subiu 0,6% em maio sobre abril, com o crescimento do saldo no ano ainda distante da expansão estimada pela autarquia para 2019.

– O Banco Central informou nesta terça-feira que melhorou apuração de pré-requisito de capital de bancos relativos a riscos de mercado, em linha com novas recomendações internacionais do Comitê de Basileia. A autoridade monetária alegou que o efeito estimado do ajuste é de diminuição de 2,4 bilhões de reais no capital solicitado, “o que corresponde a uma ampliação de 10 basis point do Índice de Basileia dos bancos do Sistema Financeiro Nacional”. As mudanças incluem ajustes nos parâmetros de cálculo de capital decorrentes de mudanças estruturais na volatilidade das taxas de juros de longo prazo e ampliação das chances de agradecimento de operações de hedge. Ainda que diminuiu requerimento de capital para empréstimos garantidos por imóveis residenciais, o BC informou. Se diminuiu o fator de ponderação de o requerimento de capital aplicável a empréstimos com garantia imobiliária residencial de %50 para %35, caso o saldo devedor de o empréstimo seja de até %50 de o valor de avaliação de o imóvel. O objetivo do BC com a diminuição da pré-requisito para empréstimos garantidos por imóveis residenciais é contribuir “para o desenvolvimento de uma das modalidades de empréstimos mais seguras e baratas do mercado de crédito”. O BC também promoveu ajustes na metodologia de cálculo do requerimento de capital das operações de crédito rural, tanto na abordagem padronizada quanto nas abordagens de modelos internos . Na abordagem padronizada, segundo o Banco Central, foram promovidas duas mudanças. A primeira está relacionada a operações com garantia reais encarnada por imóveis rurais ou urbanos não residenciais. Tais operações passam a ser elegíveis aos ponderadores preferenciais de 60% ou de 70%. O BC alegou: “Até então, não havia tratamento distinguido benéfico para operações garantidas por essas espécies de imóveis”. A segunda mudanças é sobre exibições de crédito rural tendo por contraparte companhias de médio porte, com faturamento entre 15 milhões e 300 milhões de reais, que passam a contar agora com fator de ponderação de 85% ante fator de 100% anteriormente. A autoridade monetária alegou: “Os ajustes encarnam mais uma etapa no processo de adoção das novas recomendações do Comitê de Basileia para Supervisão Bancária, calculadas para plena implementação até 2022″. – Faz 2 meses, o estoque total de crédito em o Brasil subiu %0,6 sobre abril, para 3,287 trilhões de reais, divulgou o Banco Central nesta quarta-feira, com alta nas concessões, mas o crescimento do saldo no ano permanece distante da expansão estimada pelo BC para 2019. Em percentagem do Produto Interno Bruto , o estoque total de crédito do Sistema Financeiro subiu para 47,2%, de 47,1% no mês anterior. Faz 1 mês, as concessões totais de crédito tiveram alta de %8,2, puxadas por os financiamentos em a pessoa jurídica, com elevação de %11,8.O crédito às pessoas físicas subiu 5,5% ante abril. Considerando somente recursos livres –com taxas de juros livremente acordadas entre as instituições financeiras e o tomador–, o saldo do crédito subiu 1,4%, para 1,811 trilhão de reais. As concessões se aumentaram 7,5%, para 327,6 bilhões de reais, novamente com alta mais significativa nos financiamentos a companhias do que às famílias . No acumulado do ano, o saldo de crédito total subiu 0,9%, com queda de 2,7% para pessoas jurídicas e alta de 3,9% para pessoas físicas. Faz 3 meses, o BC divulgou projeção de crescimento de o estoque de crédito total em este ano de %7,2, acima dos %6 calculados antes, em março. Quando o BC vai divulgar o Relatório Trimestral de Inflação, o número poderá ser revisado já na quinta-feira. Considerando somente recursos livres, o saldo de crédito tem alta de 3,0% em 2019 até maio, com recuo de 0,5% para pessoas jurídicas e alta de 6,0% para as famílias. Faz 2 meses, a inadimplência em o segmento de recursos livres progrediu para %3,9, 0,1 ponto percentual acima da taxa de abril, em maio. Já o spread bancário, também nos recursos livres, caiu 0,3 ponto percentual, para 31,1%. – A Caixa Econômica Federal reportou nesta segunda-feira lucro líquido contábil de 3,92 bilhões de reais para o primeiro trimestre, alta de 22,9% em relação ao mesmo fase de 2018, auxiliada pela queda nas provisões com perdas em empréstimos. Em um comunicado, o banco estatal declarou que sua carteira de crédito encolheu 1,2% nos primeiros três meses do ano, para 685,8 bilhões de reais em razão da queda nos empréstimos corporativos e para pessoas físicas.

Na terça-feira 28 de maio – O Banco Central confirmou que o presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, anunciará projeto de simplificação da legislação cambial. Quando Campos Neto exibiria a nova versão da agenda de medidas estruturais do BC, a assessoria de jornalismo da autoridade monetária havia alegado ainda que os detalhes sobre o projeto serão revelados somente em acontecimento na quarta-feira a BC#. A informação havia sido antecipada pelo site Poder 360.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>BC diminui obrigatório e libera R$16 bi no sistema financeiro
>>>>>BC ajusta regras prudenciais de bancos para risco de variação de taxas de juros – June 25, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Concessões de crédito avançam 8,2% em maio, puxadas por empresas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Caixa Econômica Federal tem lucro líquido de R$3,92 bi no 1º tri – June 24, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Dívida sem garantia da Odebrecht com Banco do Brasil é de cerca de R$4 bi, diz presidente – June 19, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>EXCLUSIVO-Venda de participações do governo e da BB Seguros no IRB pode movimentar R$8 bi – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Governo eleva previsão do valor da produção agropecuária do Brasil para R$600,9 bi – June 17, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>ANÁLISE-Preço firme do milho, apesar de safra recorde, testa setor de carnes do Brasil – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Petrobras recebe R$33,5 bi por TAG em conclusão de negócio com Engie e CDPQ – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>GPA levanta R$2,3 bi em leilão de venda de participação na Via Varejo – June 14, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Conselho do GPA aprova venda de suas ações da Via Varejo por preço mínimo de R$4,75 por papel – June 12, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa busca manter viés positivo com noticiário local; GPA avança – June 12, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Grupo Pão de Açúcar venderá participação acionária na Via Varejo, dona das Casas Bahia e Ponto Frio – June 12, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Odebrecht formaliza pedido de recuperação judicial, com dívidas de R$65,5 bi – June 17, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>JBS antecipa pagamento de R$2,7 bi de dívidas a bancos – June 19, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Com R$65,5 bi em dívidas, Odebrecht pede uma das maiores recuperações judiciais do Brasil – June 17, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Odebrecht Engenharia espera poder voltar a disputar contratos da Petrobras no 2º semestre – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>BNDES pode devolver R$100 bi ao governo em 2019, diz conselheiro – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 BC 340 80 ORGANIZATION 12 o BC: 8, O BC: 2, (tacit) ele/ela (referent: o BC): 1, a BC: 1
2 esta 200 0 NONE 5 esta: 5
3 O Banco_Central 80 0 PLACE 5 o Banco_Central: 2, O Banco_Central: 3
4 empréstimos 70 0 NONE 5 empréstimos garantidos: 2, empréstimos: 2, os empréstimos corporativos: 1
5 alta 0 0 NONE 5 alta de %22,9: 1, alta de %8,2: 1, alta de %3,0: 1, alta: 2
6 pessoas 0 0 NONE 5 pessoas jurídicas: 2, as pessoas físicas: 1, pessoas físicas: 2
7 Roberto Campos 0 20 PERSON 4 Roberto_Campos_Neto (apposition: O presidente de o BC): 1, Roberto_Campos_Neto (apposition: o presidente de a autoridade monetária): 1, Campos_Neto: 2
8 recursos 320 0 NONE 4 recursos: 1, os recursos livres: 1, recursos livres: 2
9 imóveis 25 75 NONE 3 imóveis residenciais: 2, imóveis rurais ou urbanos: 1
10 alterações 0 20 NONE 3 As alterações: 1, as alterações: 1, duas alterações: 1