Boeing fornecerá peças para aviõezinhos da Airbus da British Airways

Por: SentiLecto

Por Eric M. Johnson e Tim Hepher

LE BOURGET, França – A Boeing BA.N> informou nesta segunda-feira que fornecerá peças para aeronaves A320 feitos pela concorrente Airbus AIR.PA> para a British Airways ICAG.L>, o primeiro acordo da fabricante de aeronaves dos Estados Unidos para uma aviãozinho Airbus. Sob o acordo anunciado no Paris Airshow, a Boeing, que assinou um acordo por meio de sua subsidiária Jeppesen para fornecer à United Airlines serviços analíticos para aauxiliara cempresaa otimizar as operações de planejamento da tripulação em toda a sua frota, irá gadministrare mconservarum estoque gmundialde troca de peças para aosaaviõezinhosA320 e A320neo da Airbus. O acordo reflete o esforço da maior fabricante de aviõezinhos do mundo para o negócio de serviços de maior margem, que inclui peças e análises de aviõezinhos, cujo principal executivo, Dennis Muilenburg, pretende atingir 50 bilhões de dólares em receita em uma década.

Stan Deal a repórteres. declarou: “Ficamos contentes em aceitar o desafio e dar uma escolha na British Airways”. Stan Deal é o presidente-executivo da Boeing Global Services.

– O presidente da Boeing declarou neste domingo que a fabricante norte-americana de aeronaves cometeu um erro ao implementar um sistema defeituoso de aviso de cabine no aviãozinho 737 MAX e calculou que vai levar tempo para reconstruir a confiança dos clientes na sequência de dois acidentes letais. Dennis Muilenburg declarou que a Boeing falhou na comunicação com os reguladores e clientes Dennis Muilenburg é o presidente-executivo da companhia., mas defendeu engenharia e design de programa que estão no centro dos inquéritos sobre os acidentes que levaram crise à cempresaaérea multinacional. Muilenburg reconheceu que a companhia cometeu um erro ao não revelar o sistema de alerta defeituoso do cockpit de seu 737 MAX para reguladores e clientes, e declarou que esse equívoco tem sido objeto de análise dos reguladores mundiais. Quando o aviãozinho deve regressar ao serviço, muilenburg, que está sob duras críticas a respeito do projeto do 737 MAX e da maneira como a Boeing lidou com a crise, declarou que “estamos vendo ao longo do tempo cada vez mais convergência entre os reguladores” sobre. A Boeing declara que seguiu procedimentos de engenharia ao projetar o 737 MAX. Questionado sobre como os procedimentos falharam na captura de equívocos aparentes no programa de controle do MCAS e na arquitetura de sensores, Muilenburg declarou: “Claramente, podemos fazer aprimoramentos, e compreendemo isso e vamo fazer esses aprimoramentos”.

Na quinta-feira 23 de maio – A Boeing BA.N> declarou que, após assumir a unidade de jatos comerciais da Embraer, chamará a divisão de Boeing Brasil – Commercial, dando fim a um dos nomes empresariais mais emblemáticos no Brasil. A mudança de nome acontecia após a Boeing aceitar pagar 4,2 bilhões de dólares para adquiri 80% da operação da Embraer, de jatos de passageiros com menos de 150 assentos. A Embraer teria os 20% restantes. Essa divisão ainda era a mais rentável da Embraer e considerada uma norma ouro da engenharia de Brasil. A Boeing ainda não havia tomado uma resolução sobre a chance de renomear as aeronaves de pequeno e médio portes, que atualmente levavam o nome da Embraer seguido por um código de modelo. O novo nome corporativo ilustra o realinhamento da indústria aeroespacial mundial, em que as duas líderes -Boeing e Airbus- fortaleceram seu duopólio no mercado de jatos de 150 bilhões de dólares, absorvendo concorrentes menores. Depois que a Airbus AIR.PA> havia assumido o controle da divisão CSeries da Bombardier BBDb.TO>, que concorria diretamente com os jatos comerciais da Embraer, ela havia rebatizado os aeronaves como Airbus A220, de acordo com a marca de outras aeronaves da Airbus. As duas aquisições haviam desmantelado pretensões aeroespaciais canadenses e do Brasil e haviam deixado a China como a principal ameaça ao duopólio transatlântico, com Rússia e Japão fazendo incursões mais lentas, haviam declarado analistas. Após o acordo com a Boeing, a Embraer continuaria existindo como uma companhia focada em jatos executivos e defesa. O acordo com a Boeing havia sido aprovado pelos acionistas, mas ainda aguardava aprovação regulatória.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Boeing fornecerá peças para aviõezinhos da Airbus da British Airways
>>>>>Boeing diz que levará tempo até reconquistar confiança – June 16, 2019 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Boeing 0 70 ORGANIZATION 9 a Boeing: 7, A Boeing: 2
2 Dennis Muilenburg 0 0 PERSON 8 Dennis_Muilenburg (apposition: O presidente-executivo de a empresa): 1, (tacit) ele/ela (referent: Dennis_Muilenburg): 1, Dennis_Muilenburg: 1, Muilenburg: 4, (tacit) ele/ela (referent: Muilenburg): 1
3 nós 200 0 NONE 6 (tacit) nós: 6
4 acordo 200 0 NONE 5 o acordo anunciado: 1, um acordo: 1, O acordo: 2, o acordo: 1
5 companhia 0 130 NONE 3 a companhia aérea: 1, uma empresa focada: 1, a empresa: 1
6 Boeing BA 160 0 ORGANIZATION 3 A Boeing_BA: 1, (tacit) ele/ela (referent: A Boeing_BA): 2
7 Boeing e Airbus 0 0 ORGANIZATION 3 Boeing e Airbus: 1, (tacit) eles/elas (referent: Boeing e Airbus): 2
8 PA 0 0 ORGANIZATION 3 PA: 1, PA para a British_Airways_ICAG: 1, ela (referent: PA): 1
9 aviões 0 0 NONE 3 aviões: 1, a aeronave: 1, os aviões: 1
10 erro 0 180 NONE 2 um erro: 2