Com crise no atendimento, INSS tem 1.078 servidores cedidos para outros órgãos

Por: SentiLecto

O Instituto Nacional do Seguro Social passa por uma das mais agudas crises de atendimentos dos últimos anos e, mesmo diante deste cenário, 1.078 servidores do órgão, que poderiam atuar na linha de frente da Previdência, que é a análise e concessão de vantagens, estão cedidos para 50 órgãos do governo federal. De acordo com levantamento mandado ao EXTRA pelo INSS, o órgão que mais tem servidores cedidos pelo órgão é a Advocacia-Geral da União , com 504 profissionais, seguido pelo Ministério do Desenvolvimento Social , que conta com 290 servidores, e o Ministério da Fazenda, com 136.

Desde que conservem a mesma função, na semana passada, uma portaria publicada pela União, que dá ao Ministério do Planejamento poder de deslocar funcionários que estão subaproveitados sem o aval do órgão de origem do funcionário público, ergueu a chance de que o INSS poderia se aproveitar da medida para tentar reduzi os problemas de atendimento no órgão, em especial no Rio, que tem alto déficit de mão de obra nas agências de atendimento. Porém, conforme uma fonte ligada ao INSS informou ao EXTRA, o órgão não pensa em pedir de volta estes servidores, visto que eles atuariam em áreas estratégicas em outros órgãos, em prol do INSS.

— A maior parte dos servidores cedidos pelo INSS estão na AGU, que defende o órgão em processos na Justiça, no MDS, que tem forte ligação com o INSS, por atuar direta e indiretamente na questão das vantagens, e na Fazenda, onde hoje está alocada a Secretaria de Previdência. Visto isso, não está em estudo pedir a remoção desses servidores, pelo menos em um primeiro momento.

No Rio, foram feitos 65.434 exames . Entre as vantagens reavaliadas, 27.624 auxílios-doença e 7.033 aposentadorias foram cessados. O processo de revisão já gerou uma economia de R$ 1,1 bilhão nas revisões de auxílio-doença.Faz 1 mês, em o Brasil, desde o começo de o processo foram realizadas 791.471 perícias. Entre as vantagens analisadas, 341.746 ajudinhas e 108.512 aposentadorias foram cessados.

Na segunda-feira 02 de julho os obstáculos de atendimento no Instituto Nacional do Seguro Social poderiam ficar ainda piores em 2019. A partir do ano que vinha, dos 33 mil servidores públicos do órgão, 55% já estariam adequados a se aposentar. Se esses profissionais decidirem deixar a ativa, ou seja a autarquia poderia perder 18.150 trabalhadores de uma só vez. Para se ter uma ideia da dimensão do problema, somente na Gerência Executiva Centro , dos mais de 600 funcionários, cerca de 420, isto é, 70%, já poderiam pedir a aposentadoria. Diante do cenário pessimista e sem a confirmação de que haveria a convocação de concursados ou a execução de um novo processo seletivo para reduzi as filas nas agências previdenciárias, o novo presidente Edison Garcia — que havia tomado posse em maio — havia alegado em entrevista ao EXTRA que trabalhava para enfrentar os diversos problemas e otimizar a linha de frente do órgão, que era a liberação de vantagens aos segurados. Além disso, ele informou que estão em estudo algumas medidas para evitar um caos no atendimento no ano que vem.

Ainda de acordo com a fonte, INSS e Ministério do Planejamento avaliam juntos a chance de pedir a cessão de servidores para órgão. Contudo, essa medida, que conta com o aval da portaria que permite o deslocamento de servidores, só pode ser utilizada a partir de janeiro do ano que vem, após o fim do fase eleitoral. De acordo com a legislação eleitoral do país, não é possível, ao longo de três meses antes das votações, até o dia da posse dos eleitos, remover servidores de seus posições. A mudança de órgão só é possível nesse fase se for feita a pedido dos servidores.

Apagão no atendimento

A morosidade em achar uma solução para os problemas de atendimento do órgão pode, em 2019, gerar um apagão no atendimento do INSS. Conforme o EXTRA publicou com exclusividade, a partir do ano que vem, dos 33 mil servidores públicos do órgão, 55% já vão estar adequados a se aposentar. Se esses profissionais decidirem deixar a ativa, ou seja a autarquia poderá perder 18.150 trabalhadores de uma só vez. Para se ter uma ideia da dimensão do problema atual da autarquia, somente na Gerência Executiva Centro , dos mais de 600 funcionários, cerca de 420, isto é, 70%, já poderiam pedir a aposentadoria.

O valor da bonificações que vai ser pago ao servidor vai ser mutável de acordo com a complexidade do requerimento, mas evidencia que a medida está em período de edição, portanto, sem valor definido.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Com crise no atendimento, INSS tem 1.078 servidores cedidos para outros órgãos
>>>>>INSS cancela R$ 9,6 bilhões em aposentadorias e auxílios-doença irregulares – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 órgão 170 0 NONE 7 o órgão: 7
2 INSS 0 0 ORGANIZATION 6 o INSS: 4, (tacit) ele/ela (referent: INSS): 2
3 EXTRA 0 0 ORGANIZATION 5 (tacit) ele/ela (referent: o EXTRA): 1, o EXTRA: 4
4 servidores 25 0 NONE 4 os 33_mil servidores públicos: 2, 290 servidores: 1, servidores cedidos: 1
5 1.078 servidores de o órgão 225 0 NONE 3 1.078 servidores de o órgão: 3
6 medida 0 0 NONE 3 a medida: 1, essa medida: 2
7 possibilidade 0 0 NONE 3 a possibilidade: 3
8 MDS 160 0 ORGANIZATION 2 o MDS: 2
9 o valor de o bônus 150 0 NONE 2 O valor de o bônus: 2
10 profissionais 120 0 NONE 2 esses profissionais: 2