Com gasolina e tomate mais caros, prévia da inflação agiliza 0,58% em outubro

Por: SentiLecto

Expressivas altas dos custos das gasolina, do tomate e de carnes fizeram a prévia da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 , agilizar para 0,58% em outubro, informou nesta terça-feira o IBGE. Quando ficou em 0,66%, foi a maior alta para o mês desde 2015, e uma ampliação bem superior ao registrado em setembro . A tendência é que, no fechado do mês, o resultado fique ainda mais alto, pois os alimentos têm que seguir acelerando até o fim de outubro, avalia o economista do IBRE/FGV, André Braz. A prévia da inflação capta os preços sempre entre os dias 15 de cada mês.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 , considerado a prévia da inflação oficial, subiu 0,58 por cento em outubro, sobre alta de 0,09 por cento no mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística . Pesquisa da Reuters com economistas estimava alta de 0,64 por cento para o fase.

Na segunda-feira 15 de outubro – O mercado voltou a ampliar a projeção para a inflação neste ano, mas diminuiu a expectativa para o dólar, além de deixar inalterados os cenários para a atividade econômica e para taxa básica de juros, na esteira do avanço de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad para o segundo turno da eleição presidencial. A pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central havia mostrado que a expectativa agora era de uma inflação de 4,43 por cento em 2018 e de 4,21 por cento em 2019, sobre 4,40 e 4,20 por cento respectivamente no levantamento anterior. O centro da meta oficial para este ano era de 4,50 por cento e, para 2019, de 4,25 por cento. A margem de tolerância para ambos os anos era de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. A ampliação nas expectativas para a alta do IPCA ocorria apesar da diminuição na conta para o dólar este ano a 3,81 reais, de 3,89 reais antes, e para 3,80 reais em 2019, de 3,83 reais. Entretanto, para este ano a projeção para os custos gerenciar havia sido aumentada a 7,84 por cento, 0,11 ponto percentual a mais do que na pesquisa anterior. Para o crescimento do Produto Interno Bruto , entretanto, permanecia o cálculo de 1,34 por cento neste ano e de 2,50 por cento no próximo. Este era primeiro levantamento realizado semanalmente pelo BC com projeções feitas após o primeiro turno da votação à Presidência da República, em que Bolsonaro c havia conquistadouma veleiçãoesignificativa mas em que Haddad havia sido resgatado pela Região Nordeste para garantir uma nova rodada de eleição em 28 de outubro. Ainda que não havia mudado a perspectiva de que a Selic concluiria este ano a 6,5 por cento e 2019 a 8 por cento, a pesquisa semanal com uma centena de economistas havia mostrado. O Top-5, grupo dos que mais acertavam as previsões, também havia conservado sua projeção para este ano em 6,5 por cento, mas havia ampliado a do ano que vem de 7,88 por cento para 8 por cento.

A alta de a gasolina de a inflação puxou principalmente a subida , de %4,74 que respondeu por 0,21 ponto percentual de o IPCA-15 de outubro ,. Também subiram com força etanol e diesel . Entre os alimentos, que têm forte peso na verba das famílias, houve alta de 16,76% no tomate e de 0,98% nas carnes. Por outro lado, cebola , leite longa vida e ovos permaneceram com queda de custos.

— Com o dólar cedendo , a gasolina deve concluir o mês com um inflação inferior à registrada até agora . Já chuvas acima da média vêm impactando numa menor oferta de alguns alimentos in natura e devem seguir com os custos em alta – avalia Braz, que projeta um IPCA de 0,66% para outubro.

A alta da carne, bovina e passaritos, explica o economista, tem dois conseqüência: uma é a ração mais cara por conta da alta do dólar nos últimos meses, tendo em vista que milho e soja, que compõem a ração animal, têm os custos cotados no mercado externo. A segunda é a sazonalidade. Em geral as carnes ficam mais caras em outubro e novembro por conta das encomendas para as celebrações de fim de ano.

Do mês passado até agora, no entanto, com o dólar cedendo e a maior incidência de chuvas, avalia Braz, volta a expectativa de a inflação ficar dentro do centro da meta estabelecida pelo Banco Central, de 4,5% para este ano.

O IPCA-15 utiliza a mesma metodologia do IPCA, referência para as metas de inflação do governo, porém coleta os preços entre os dias 15 de cada mês. Nos últimos 12 meses, o IPCA-15 acumulou alta de 4,53%, portanto acima do centro da meta de inflação, que é de 4,5%. Faz 9 meses, desde janeiro, a variação foi de %3,83, este ano.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Com gasolina e tomate mais caros, prévia da inflação agiliza 0,58% em outubro
>>>>>IPCA-15 sobe 0,58% em outubro, diz IBGE – October 23, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>IPC-S tem alta de 0,54% na 3ª quadrissemana de outubro pressionado por preços dos alimentos, diz FGV – October 23, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 inflação 0 80 NONE 5 a inflação: 2, inflação inferior: 1, inflação: 1, a inflação oficial: 1
2 André Braz 25 0 PERSON 4 André_Braz: 1, Braz: 3
3 alta 0 0 NONE 4 alta de %16,76: 1, a maior alta: 1, alta: 1, alta de %4,53: 1
4 por_cento 0 0 NONE 4 8 por_cento: 1, 7,84 por_cento: 1, 0,58 por_cento: 1, 4,20 por_cento: 1
5 reais 240 0 NONE 3 3,83 reais: 1, 3,89 reais: 1, 3,80 reais: 1
6 carnes 0 0 NONE 3 carnes: 1, as carnes: 2
7 dólar 0 0 NONE 3 o dólar: 3
8 preços 0 0 NONE 3 os preços: 1, os preços administrados: 1, os preços cotados: 1
9 Índice Nacional de Preços 0 0 ORGANIZATION 3 o Índice_Nacional_de_Preços: 1, (tacit) ele/ela (referent: O Índice_Nacional_de_Preços): 1, O Índice_Nacional_de_Preços: 1
10 ração 0 50 NONE 2 a ração animal: 1, a ração: 1