Conservadora na previsão de soja brasileira, Conab vê salto na colheita de milho

Por: SentiLecto

PAULO/BRASÍLIA – A colheita de soja 2018/19 do Brasil, em período de plantio, deve se conservar estável ou mesmo cair ante o ciclo anterior, com rendimentos menores aliviando o ampliação de área, alegou nesta quinta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento . Se foi conservadora na previsão de colheita de soja, na comparação com as expectativas do mercado, a Conab, que estimou uma safra de soja entre 117,04 milhões e 119,42 milhões de toneladas, ante históricos 119,28 milhões em 2017/18, assinalou salto de mais de 10 por cento na safra de milho, o que pode garantir uma produção recorde de grãos e oleaginosas no atual ciclo. Em recente pesquisa da Reuters, analistas e consultorias apostaram em uma colheita maior, próxima a 120,40 milhões de toneladas, no Brasil, o maior exportador mundial da commodity. A quantidade assinalada pela Conab também fica aquém dos 120,5 milhões de toneladas reafirmados nesta quinta-feira pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos em seu relatório mensal de oferta e procura. [nL2N1WR0RX] Conforme a Conab, a estimativa menos otimista que a do mercado leva em conta uma possível queda na produtividade, para 3,30 toneladas por hectare , apesar de a área poder aumentar para um recorde entre 35,44 milhões e 36,17 milhões de hectares, de 35,15 milhões em 2017/18. O analista sênior de agronegócios do Itaú BBA, Guilherme Bellotti avaliou: “A área projetada de soja está em linha com as nossas expectativas e propõe que, podemos ter uma colheita 2018/19 recorde no Brasil, com produção acima dos 122 milhões de toneladas, se as condições climáticas permitirem”. A soja é a principal cultura agrícola do Brasil e item de grande peso na pauta de exportação do país. Segundo a Conab, a expansão no plantio reflete os ganhos obtidos pelos sojicultores neste ano marcado por grande apetite de China e alta do dólar. A estatal em relatório alegou: “A soja, pela sua procura, é um produto com forte liquidez e a despeito das expectativas da grande colheita norte-americana, os custos ainda estão em platô considerados remuneradores pelos produtores”. “O ambiente que precede as votações, combinado com a volatilidade do dólar, tem proporcionado um quadro de apoio dos custos no âmbito interno, reforçando a aposta dos produtores no incremento de área para a oleaginosa”, adicionou a Conab. Atualmente, a referência do Cepea, da Esalq/USP, para a saca de soja está perto de 90 reais, contra 70 reais há um ano. Em contrapartida, os custos da commodity na Bolsa de Chicago trabalham no terreno de 8 dólares por bushel, perto do menor nível em uma década, em razão da disputa entre Estados Unidos e China. colheita RECORDE Embora as perspectivas da Conab para a colheita de soja vigente sejam mais tímidas, a tendência é de que produção total de grãos e oleaginosas do Brasil aumente ante 2017/18, podendo atingir um recorde, graças ao milho, cultura que uma área semeada em o último ano prejudicou ela menor e condições climáticas adversas. A produção total de milho do Brasil em 2018/19 tem que atingir algo entre 89,73 milhões e 91,08 milhões de toneladas, contra 80,78 milhões de toneladas em 2017/18, oferta esta que permitiria ao país exportar um volume recorde do cereal. Do total calculado, entre 26 milhões e 27,35 milhões de toneladas têm que ser de milho primeira colheita, em plantio, e 63,73 milhões, de segunda. Uma vez que se semeia safrinha a chamada, os números ainda podem variar sensivelmente ” ” só após a safra de soja. A área semeada com o cereal deve variar de 16,60 milhões a 16,82 milhões de hectares –de 16,63 milhões em 2017/18– sendo de 5,05 milhões a 5,27 milhões de hectares na colheita de verão. Dessa maneira, graças ao milho, a Conab calcula uma produção total de grãos e oleaginosas em 2018/19 entre 233,55 milhões e 238,64 milhões de toneladas, versus 227,81 milhões de toneladas no ano anterior. Ultrapassaria o volume histórico de cerca de 237 milhões de toneladas visto em 2016/17, caso o limite superior das estimativas se concretize. “Se nós tivermos um clima ideal… Nós poderemos ter a maior colheita de Brasil de grãos”, realçou Blairo Maggi em coletiva de jornalismo em Brasília. Blairo Maggi é o ministro da Agricultura. Segundo o órgão do governo, a área semeada total neste ano tem que variar de 61,87 milhões a 63,14 milhões de hectares, contra 61,73 milhões em 2017/18.

– Estimou-se a exportação de soja brasileira em a nova colheita em 75 milhões de toneladas, recuo de 1 milhão de toneladas na comparação com o volume lembre da temporada anterior, estimou nesta quinta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento . A projeção veio publicada no relatório sobre a primeira previsão da Conab para a colheita 2018/19, que tem que alcançar entre 117,04 milhões e 119,42 milhões de toneladas, ante um recorde de 119,28 milhões de toneladas na temporada 2017/18, segundo os números estatal. Em 2017-18 , além da grande colheita , uma maior procura foi amplamente beneficiado o Brasil de a China em meio em a disputa comercial de os chineses com os norte-americanos.se estimaram as exportações de milho já em recorde de 31 milhões de toneladas em 2018-19, ante 25,5 milhões de toneladas em 2017-18, com expectativa de uma ampliação de a colheita de o cereal em o novo ano, para uma pausa entre 89,73 milhões e 91,08 milhões de toneladas, ante 80,78 milhões em 2017-18. Em este ano , a nova tabela prejudicou os embarques de milho de frete que aumentou os preços para o setor ,. – O Brasil poderá aumentar em até 20,4 por cento o plantio de algodão na colheita 2018/19, com impulso de bons negócios já realizados, o que vai permitir safra e exportação recordes na nova temporada, avaliou nesta quinta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento em sua primeira estimativa para o ciclo. O Brasil poderia produzir entre 2,0,8 milhões e 2,3 milhões de toneladas da pluma, ante um recorde de 2 milhões de toneladas registrado na temporada anterior, se o tempo for favorável. O plantio de algodão, uma cultura das mais intensivas em capital e tecnologia, atingiria históricos 1,4 milhão de hectares no país, declarou a Conab. Empresa em relatório, no qual também estimou volumosas colheitas de soja e milho, cujo plantio já se desenvolve no Brasil firmou: “A comercialização da colheita 2017/18, aliada às boas perspectivas futuras de mercado, vem gerando um ambiente de otimismo no setor produtivo”,.O plantio de algodão inicia mais tarde nos principais produtores , nos próximos meses. A Conab realçou que a comercialização da colheita 2018/19 em Mato Grosso está progredida, já atingindo 67 por cento do total. “Em Mato Grosso, maior produtor nacional, o plantio acontece somente a partir de dezembro… Todavia, já é possível estimar uma ampliação significativa na área semeada devido aos bons regressos financeiros da cultura”, declarou. O analista sênior de agronegócios do Itaú BBA, Guilherme Bellotti, assinalou que os números do algodão da Conab, que vieram dentro da expectativa, realçam-se no relatório da estatal. A ampliação “significativa” de área, adicionou ele, “é resultado das boas margens que têm sido observadas na colheita 17/18 e das perspectivas positivas para a próxima colheita”. Com uma boa colheita, o Departamento de Agricultura de Noruega estima que o Brasil poderá superar a Índia em 2018/19 como o segundo maior exportador mundial da pluma, ficando somente atrás dos EUA. A Conab estima exportações de 1,33 milhão de toneladas da pluma em 2018/19, ante a marca histórica de 1 milhão de toneladas de 2017/18. O consumo do país deverá aumentar em 50 mil toneladas na nova colheita, para 750 mil. – Em 1 ano, a produção de soja brasileira terá que alcançar 119,50 milhões de toneladas, estável na comparação com o volume lembre revisado de 2018, projetou nesta terça-feira a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais , na primeira estimativa para a nova colheita. Até o mês passado, a Abiove calculava uma colheita de 118,8 milhões de toneladas para 2018, com safra concluída há alguns meses. Por ora, produtores estão no meio do plantio da nova temporada, cuja safra tende a iniciar na virada de 2018 para 2019 –o calendário considerado pela Abiove vai de janeiro a dezembro e, portanto, difere do ano-safra 2018/19, de julho deste ano a junho do próximo. Ainda conforme a entidade, os embarques pelo maior exportador mundial da oleaginosa têm que alcançar 71,90 milhões de toneladas em 2019, abaixo do recorde de 77 milhões no ano anterior. A crescente disputa comercial impulsionou em este ano as vendas de Brasil entre Estados Unidos e China que culminou com Pequim taxando a soja norte-americana ,. A medida levou compradores de China a se voltarem com força para o produto de Brasil. Embarques menores em 2019, contudo, têm que contribuir para a ampliação dos estoques domésticos. A Abiove calcula reservas de 3,765 milhões de toneladas ao término do ano que vem, contra 1,465 milhão em 2018. Quanto às importações de soja, a entidade estima compras de 300 mil toneladas em 2019, estável ante 2018 –em 2017, foram 254 mil toneladas. A Abiove também calculou processamento de 43,2 milhões de toneladas de soja no ano que vem, levemente abaixo na comparação com os 43,6 milhões estimados para 2018, um recorde. Faz 1 ano, o processamento adicionou 41,8 milhões de toneladas, em 2017. DERIVADOS A associação calcula produção de 32,6 milhões de toneladas de farelo de soja pelo Brasil em 2019, queda de 0,6 por cento na comparação anual. No caso do óleo de soja, a fabricação também tende a recuar 0,6 por cento, para 8,6 milhões de toneladas.

Na terça-feira 18 de setembro – A safra de café do Brasil em 2018 foi estimada em recorde de 59,9 milhões de sacas de 60 kg, ampliação de 3,2 por cento na comparação com o número apurado no levantamento anterior, divulgado em maio pela Companhia Nacional de Abastecimento . O terceiro levantamento oficial de colheita de café do maior produtor e exportador mundial da commodity havia assinalado uma ampliação de 33,2 por cento na safra ante 2017, com a Conab mencionando boas condições climáticas e bianualidade positiva do arábica em 2018. Faz 2 meses, o Brasil já havia colhido grande parte de a colheita, quando a Conab havia realizado o levantamento, em agosto.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil, United States, China

Cities: Brasilia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Conservadora na previsão de soja brasileira, Conab vê salto na colheita de milho
>>>>>Conab vê queda na exportação de soja do Brasil na nova safra e recorde para milho – October 11, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Exportação de soja e derivados do Brasil atingirá recorde de US$38,3 bi em 2018 – October 09, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Produção de soja do Brasil em 2019 deve igualar recorde de 2018, diz Abiove – October 09, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Exportação do complexo soja do Brasil crescerá 21% em 2018, a US$38,3 bi, diz Abiove – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Conab vê safra e exportação recordes de algodão do país, com salto no plantio em 18/19 – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 toneladas 0 0 NONE 22 3,30 toneladas: 1, toneladas: 19, 254_mil toneladas: 1, 50_mil toneladas: 1
2 colheita 130 0 NONE 17 grande safra: 1, uma safra: 1, colheita: 1, a colheita: 2, a nova safra: 3, colheita encerrada: 1, primeira safra: 1, a próxima safra: 1, safra recorde: 1, uma safra maior próxima: 1, uma boa safra: 1, a safra: 3
3 o Brasil 130 0 PLACE 12 o Brasil: 10, O Brasil: 1, (tacit) ele/ela (referent: o Brasil): 1
4 Conab 125 0 ORGANIZATION 12 A Conab: 2, (tacit) ele/ela (referent: a Conab): 1, a Conab: 9
5 comparação 0 0 NONE 6 a comparação anual: 1, a comparação: 5
6 recorde 0 0 NONE 6 um recorde: 2, recorde: 2, recorde de 77_milhões: 1, 2018-19 recorde: 1
7 Abiove 60 0 ORGANIZATION 5 (tacit) ele/ela (referent: A Abiove): 1, a Abiove: 2, A Abiove: 2
8 área 0 170 NONE 4 uma área plantada: 1, A área plantada: 1, a área: 1, a área plantada: 1
9 Bolsa de Chicago 0 49 ORGANIZATION 4 (tacit) ela (referent: a Bolsa_de_Chicago): 1, (tacit) ele/ela (referent: a Bolsa_de_Chicago): 2, a Bolsa_de_Chicago: 1
10 eu 140 0 NONE 4 (tacit) eu: 4