Contribuição previdenciária sobre o seguro-desemprego chegaria a 8,14%, considerando o telhado atual

Por: SentiLecto

O governo federal arremessou na última segunda-feira o Programa Verde Amarelo, com uma série de ações para animar a contratação de jovens sem experiência profissional no mercado de trabalho. Para compensar a desoneração dos empregadores que aderirem ao programa, Rogério Marinho anunciou que vai passar a ser cobrada contribuição previdenciária sobre o seguro-desemprego, que hoje é isento. Rogério Marinho é o secretário de Previdência do Ministério da Economia. que hoje é isento.

— Faz 1 dia, o presidente Jair Bolsonaro arremessou um pacote de medidas para incentivar a criação de empregos com carteira assinada em um momento em que o trabalho informal atinge o maior platô já registrado e 12,5 milhões de pessoas ainda, num momento em que o trabalho informal atinge o maior platô já registrado e 12,5 milhões de pessoas ainda estão à pdemandade uma vaga, segundo o IBGE. A meta é alcançar a marca de quatro milhões de novos postos formais nos próximos anos. A parte mais importante do pacote busca gerar o primeiro emprego para os mais jovens, mas vai ter como maneira de financiamento recursos dos brasileiros que estão sem trabalho, por meio da taxação do seguro-desemprego. Por falta de recursos, o governo retirou na última hora a concessão de vantagens para a contratação de pessoas acima de 55 anos. — O mercado mudou, mas não seremos irresponsáveis. Estamos sugerindo um piloto para os jovens entre 18 e 29 anos, grupo em que o índice de desemprego é o dobro. Eles têm menor qualificação e menos experiência. Estamos assinalando a contrapartida dentro do Orçamento para não haver desequilíbrio fiscal — explicou o secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Chamado pelo governo de Emprego Verde-Amarelo, o programa cria uma nova modalidade de contratação para as companhias que desejarem dar o primeiro emprego para jovens entre 18 e 29 anos. Em troca, elas vão ter diminuição de 30% a 34% nos encargos trabalhistas. Quando conclui o mandato de Bolsonaro, a medida é restrita a contratos com duração de 24 meses, sendo permitida a contratação até dezembro de 2022. A meta é instituir 1,8 milhão de empregos para essa faixa etária. A remuneração não poderá ser superior a 1,5 salário mínimo . De outro, os trabalhadores ganharão menos, se, de um lado, os empregadores terão o preço trabalhista diminuído. A alíquota do FGTS vai cair de 8% para 2%. A multa de 40% sobre o saldo do Fundo nas demissões sem justa causa vai cair à metade — nesse caso, mediante negociação entre ecompanhiae empregado. Leia mais: Companhia poderá ter até 20% dos empregados sob novo contrato Verde e Amarelo O programa custará R$ 10 bilhões em cinco anos, segundo o Ministério da Economia. Para compensar a diminuição de encargos para as companhias, o governo resolveu cobrar imposto de 7,5% sobre o seguro-desemprego. Nos cinco anos, a expectativa é de uma arrecadação de R$ 11 bilhões a R$ 12 bilhões. Como compensação, o tempo que o trabalhador recebe a vantagem passa a contar para o cálculo do INSS. Hoje, quem recebe a ajudinha não paga contribuição previdenciária, o que vai passar a acontecer com a vigência do pacote. Ao ser indagado se os desempregados pagarão a conta do programa Verde-Amarelo, Marinho respondeu que não. O argumento dele é que o beneficiário do seguro-desemprego poderá contar o tempo de recebimento da ajudinha para fins de aposentaria. Atualmente, ele não pode e deve recorrer à Justiça para fazer a ianexação O governo pretendia incluir pessoas com mais de 55 anos na nova modalidade de contratação, mas recuou. Marinho declarou que o programa é piloto e não haveria dinheiro para compensar a inclusão dessa faixa: — Nossa ideia era abranger pessoas com mais de 55 anos. Quando fizemos os cálculos, só que tivemos que fazer uma alternativa. E optamos por aquele grupo da sociedade que é mais fragilizado. Paulo Guedes tem como meta fazer uma extensa diminuição na folha de pagamentos das companhias, com o objetivo de gerar empregos. Paulo Guedes é o ministro da Economia. Ele deseja utilizar esse programa como embrião da desoneração, que ainda precisa de fonte de recursos para compensação. Se o projeto der certo, ele deve ser aumentado. Guedes e Bolsonaro não discursaram durante a cerimônia de lançamento do Emprego Verde-Amarelo, no Palácio do Planalto. Leia também: Contrato de trabalho para jovens calcula pagamento de 13º, férias e multa de FGTS proporcionais junto com salário A maior parte das medidas vai precisar passar pelo Congresso Nacional, por meio de uma medida provisória e de dois projetos de lei. O pacote traz ainda outras medidas para incentivar a geração de vagas formais de trabalho. Uma delas é a proposta do governo de liberar o trabalho aos domingos e feriados. Segundo o Ministério da Economia, 75% da indústria não têm acordos coletivos para abertura nesses dias. O empregado tem direito ao seu repouso semanal remunerado compensatório em qualquer outro dia da mesma semana, quando houver trabalho nesses momentos. A MP inclui a chance de trabalho aos domingos na Consolidação das Leis do Trabalho , com a ressalva de que, para os estabelecimentos do comércio, deverá ser observada a legislação local. O governo pretende, com isso, gerar 500 mil empregos na indústria e varejo até dezembro de 2022. Veja ainda: Robôs ou humanos? Veja os ofícios que devem desaparecer ou estar em alta nas próximas décadas O governo deseja ainda reinserir profissionalmente vítimas de acidente do trabalho, acidentes de qualquer natureza ou pessoas que estejam fora do mercado de trabalho decorrente de incapacidade. E apertará a fiscalização para os empregadores satisfazerem a cota de 5% do quadro de pessoal para pessoas com deficiência. O objetivo, nesse caso, é colocar 1,25 milhão de pessoas no mercado de trabalho. Há também proposta para incentivar microempreendedores da baixa renda terem mais acesso ao crédito. A meta é fechar 10 milhões de contratos, adicionando R$ 40 bilhões em créditos até 2022, com meta de gerar 450 mil empregos. O Ministério da Economia sugeriu também diminuir a correção de ações trabalhistas pela metade. O indicador IPCA-E por uma companhia são hoje atualizados os valores devidos mais %12 a o ano. O governo deseja conservar o índice de inflação, mas modificar o segundo componente para o rendimento da poupança. O governo estima uma economia de R$ 37 bilhões para as estatais em cinco anos, com a nova correção, que vai valer para todas as companhias. As medidas de ontem também incluem um decreto que estabelece a nova política de qualificação profissional do governo, para formar dois milhões de trabalhadores, entre empregados e desempregados. O trabalho será feito por companhias privadas e por entidades do Sistema S. Envie acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra .

A contribuição vai ser a mesma dos trabalhadores que estão empregados, segundo as novas normas calculadas na reforma da Previdência, que foi promulgada nesta terça-feira . Ou seja, alíquotas de 7,5% a 11%, de acordo com a faixa salarial. Porém, como o telhado do seguro-desemprego atualmente é de R$ Caso a norma começasse a valer este ano, 1.735,29, a alíquota máxima ficaria em 8,14%.

Quando possivelmente o telhado do seguro-desemprego vai ter passado por um novo reajuste, a expectativa é que essa contribuição comece a ser aplicada a partir de 1º de março do ano que vem , o que ampliará o percentual da alíquota previdenciária.

Por outro lado, o fase em que o trabalhador receber o seguro-desemprego vai passar a contar como tempo de contribuição para o cálculo da aposentadoria.

Hoje, o valor do seguro-desemprego varia entre R$ 998 e R$ 1.735,29. Se considera a média de os salários de os três meses anteriores para calcular o valor de as parcelas de o trabalhador formal, em a data de a dispensa.Assim, quem tem média de até R$ 1.531,02 tem direito a 80% do salário médio ou ao salário mínimo, prevalecendo o de maior valor.

Para média de R$ 1.531,03 a R$ 2.551,96, o seguro-desemprego corresponde a R$ 1.224,82 mais 50% do que exceder R$ 1.531,02.

Já para quem tem média salarial acima de R$ 2.551,96, a vantagem vai ter um telhado de R$ 1.735,29.

Para um trabalhador que recebia salário de R$ 998 , o valor do seguro-desemprego vai ser de R$ 998. A alíquota previdenciária nesse caso vai ser de 7,5%, ou seja, R$ 74,85 por mês. Com isso, o desempregado vai receber uma vantagem de R$ 923,15.

Se a média dos salários do trabalhado era de R$ 1.500, o seguro-desemprego vai ser de R$ 1.200. Nesse caso, as alíquotas serão aplicadas sobre cada faixa salarial. Sobre a primeira faixa, de um salário mínimo, o desconto vai ser de 7,5%. Se vai aplicar a alíquota de %9 e sobre a segunda faixa, com o valor restante, . Cheque:

Ou seja, a contribuição vai ser de R$ 93,03, que corresponde a um desconto de 7,75%.

Ou seja, a contribuição vai ser de R$ 141,20, que corresponde a um desconto de 8,14%.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Contribuição previdenciária sobre o seguro-desemprego chegaria a 8,14%, considerando o telhado atual
>>>>>Governo decide taxar seguro-desemprego para bancar programa de criação de vagas para jovens – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 R 0 0 OTHER 13 R: 13
2 eu 0 0 NONE 11 (tacit) eu: 11
3 nós 40 100 NONE 8 (tacit) nós: 8
4 governo 112 0 NONE 8 o governo: 2, governo: 1, O governo federal: 1, O governo: 4
5 contribuição 50 0 NONE 5 a contribuição: 2, essa contribuição: 1, contribuição previdenciária: 1, A contribuição: 1
6 programa 0 0 NONE 5 esse programa: 1, o programa: 3, programa: 1
7 empresas 0 50 NONE 4 empresas privadas: 1, empresas: 1, as empresas: 2
8 pessoas 25 8 NONE 4 pessoas: 4
9 Marinho 0 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Marinho): 2, Marinho: 2
10 Paulo Guedes 0 0 PERSON 4 Paulo_Guedes (apposition: O ministro de a Economia): 1, (tacit) ele/ela (referent: Guedes): 1, Ele (referent: Paulo_Guedes): 1, ele (referent: Paulo_Guedes): 1