Draghi adverte para recuperação mais lenta da inflação com ‘incertezas’ sobre crescimento

Por: SentiLecto

O Banco Central Europeu ainda planeja diminuir os estímulos no final do ano, mas a inflação pode subir mais lentamente do que o esperado, declarou o presidente do BCE, Mario Draghi, nesta sexta-feira.

Mario Draghi reafirmou nesta sexta-feira os planos de diminuir o estímulo no final do ano mas também mostrou precaução com as perspectivas para o crescimento, advertindo que a aceleração da inflação pode ser mais lenta do que o esperado antes. Mario Draghi é o presidente do Banco Central Europeu.

Na uma vez que o bloco enfrentava riscos das políticas econômicas dos Estados Unidos, quinta-feira 08 de novembro o crescimento da zona do euro devia retardar nos próximos anos , os termos da separação pouco claros do Reino Unido com a União Europeia e os planos de gastos aumentados em países membros com grandes dívidas, como a Itália, havia declarado a Comissão Europeia.

A economia da zona do euro desacelerou nos últimos meses em meio a uma demanda mais fraca da China, taxas de juros mais altas para os empréstimos em dólar em todo o mundo e preocupações com os mercados de títulos da Itália, onde o novo governo quer aumentar os gastos.

Draghi declara não ver “nenhuma razão” para esperar que a economia da zona do euro pare de se expandir e diminua o crescimento dos custos com isso. Mas ele advertiu para a ampliação da incerteza em torno das perspectivas.

Draghi, numa conferência bancária declarou: “Se as companhias começarem a ficar mais incertas sobre as perspectivas de crescimento e inflação, a pressão sobre as margens vai poder se tornar mais persistente”.

“Isso afetaria a velocidade de inflação subjacente e, portanto, a trajetória de inflação que esperamos ver nos próximos trimestres”, adicionou. “Incertezas que cercam as perspectivas de médio prazo ampliaram.”

O BCE ainda considera os riscos para as perspectivas de crescimento amplamente equilibrados, declarou Draghi, mas reavaliará a situação em dezembro, quando novas previsões de crescimento e inflação serão disponibilizadas.

Ele adicionou que as repercussões negativas do mercado sobre a recente disputa orçamentária italiana foram até agora restringidas e argumentou que o principal problema de Roma não era o alto gasto, mas o crescimento fraco, que só pode ser resolvido por meio de reformas estruturais de longo prazo.O núcleo da inflação, que exclui energia e alimentos, foi revisada para baixo.

O banco central planeja concluir seu programa de compra de 2,6 trilhões de euros em títulos no final deste ano e tem orientado os investidores a esperar o primeiro ampliação das taxas de juros desde 2011 em algum momento no final do próximo ano.

O BCE alegou há tempos que planeja concluir seu esquema de compra de títulos de 2,6 trilhões de euros até o final do ano e deseja conservar os juros em mínimas recordes ao menos até o próximo verão .

Draghi conservou esses planos em seu discurso, mas informou que uma ampliação indevida nos preços de empréstimos da zona do euro mudaria o percurso para as taxas de juros, insinuando uma repercussão dos Estados Unidos ou os conseqüência em cachoeira italiana como possíveis razões.

Draghi declarou: “Se ou de liquidez as condições financeiras forem endurecidas indevidamente ou se as perspectivas de inflação forem degeneradas, nossa função de reação está bem definida”. “Isso, por sua vez, deve se refletir em um ajuste na trajetória esperada das taxas de juros futuras.”

Draghi não indicou a Itália em seu discurso, mas advertiu sobre o risco de um aumento dos spreads soberanos, uma medida de confiança dos investidores nas finanças públicas de um país.

Ele declarou: “Até agora, a ampliação dos spreads soberanos tem sido principalmente restrito ao primeiro caso e o contágio entre os países tem sido restringido”.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: United States, Italy

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Draghi adverte para recuperação mais lenta da inflação com ‘incertezas’ sobre crescimento
>>>>>Draghi, do BCE, levanta perspectiva de aceleração mais lenta da inflação em meio a ‘incertezas’ – November 16, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Desaceleração do crescimento na zona do euro é um retorno aos níveis normais, diz BCE – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Inflação da zona do euro é confirmada em máxima de 6 anos em outubro – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Mario Draghi 50 120 PERSON 15 Mario_Draghi: 1, Draghi: 6, Mario_Draghi (apposition: O presidente de o Banco_Central_Europeu): 1, (tacit) ele/ela (referent: Draghi): 6, ele (referent: Draghi): 1
2 BCE 70 50 ORGANIZATION 7 Ele (referent: O BCE): 1, O BCE: 3, (tacit) ele/ela (referent: O BCE): 3
3 crescimento 2 280 NONE 3 o crescimento fraco: 2, o crescimento: 1
4 incertezas 0 200 NONE 2 Incertezas: 2
5 o núcleo de a inflação 0 0 NONE 2 O núcleo de a inflação: 2
6 a Itália 0 0 PLACE 2 a Itália: 2
7 a trajetória de inflação 0 0 NONE 2 a trajetória de inflação: 2
8 discurso 0 0 NONE 2 seu discurso: 2
9 esta 0 0 NONE 2 esta: 2
10 países 0 0 NONE 2 os países: 1, países membros: 1