Economia do Brasil encolhe 0,74% em março e fecha 1º tri com contração de 0,13%, assinala BC

Por: SentiLecto

– Faz 2 meses, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central, espécie de sinalizador de o Produto Interno Bruto, encolheu 0,74 por cento, fechando o primeiro trimestre de 2018 com queda de 0,13 por cento em relação a os três últimos meses de o ano passado, informou o BC nesta quarta-feira. Faz 3 meses, o resultado ante fevereiro veio bem pior que a expectativa de analistas em pesquisa de a Reuters de queda de 0,10 por cento,.

– O lucro líquido da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo recuou 13,9 por cento no primeiro trimestre na comparação anual para 580,4 milhões de reais, em meio a uma forte piora do resultado financeiro, informou a companhia nesta sexta-feira. O resultado financeiro ficou negativo 193,9 milhões de reais nos primeiros três meses do ano, ante resultado positivo de 3,8 milhões de reais no mesmo fase do ano anterior. O resultado padeceu um efeito líquido negativo da variação cambial, principalmente sobre a dívida, de 126,7 milhões de reais, declarou a companhia. O resultado operacional, contudo, medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização adaptado, subiu 3,4 por cento na comparação anual para 1,399 bilhão de reais entre janeiro e março. A margem Ebitda adaptada recuou levemente para 37,8 por cento ante 38 por cento no primeiro trimestre do ano passado. A receita operacional líquida da Sabesp, que considera a receita de construção, subiu 4 por cento ano a ano, para 3,7 bilhões de reais, enquanto os preços e despesas, incluindo construção, totalizaram 2,6 bilhões de reais, alta de 3,6 por cento na mesma comparação. Ignorando os preços de construção, as despesas subiram 9,1 por cento. Faz 6 meses, a receita refletiu a ampliação de o volume faturado total de 2,1 por cento e o reajuste tarifário de 7,9 por cento. Já a receita de construção reduziu 76 milhões de reais. As despesas gerais subiram 17,3 por cento, com pessoal progrediram 7,1 por cento e com serviços 33 por cento. Nos primeiros três meses do ano, a companhia investiu 689,2 milhões de reais. JANEIRO/SÃO PAULO – As vendas no varejo do Brasil registraram melhor resultado para março em cinco anos, concluindo o primeiro trimestre com ganhos, mas ainda mencionando oscilações na performance da economia no começo do ano. Faz 2 meses, as vendas varejistas subiram 0,3 por cento sobre o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em esta sexta-feira, primeiro resultado positivo para o mês desde 2013. Quando houve estabilidade, com isso, o varejo concluiu o primeiro trimestre de 2018 com ampliação de 0,7 por cento nas vendas sobre o quarto trimestre de 2017. Faz 4 meses, entretanto, anormalidade marcou o começo de o ano, após queda mensal de 0,2 por cento e progressão de 0,9 por cento em janeiro. “O varejo conserva um processo de volatilidade e isso tem a ver com o ritmo lento e gradual da atividade econômica. O comércio está no mesma velocidade da economia geralmente”, explicou a economista do IBGE Isabella Nunes. Na comparação anual, houve alta de 6,5 por cento nas vendas, melhor resultado desde abril de 2014 mas impulsionado pelo fato de este ano a Páscoa ter caído em março, contra abril em 2017. As expectativas em pesquisa da Reuters eram de altas de 0,30 por cento na comparação mensal e de 5,50 por cento sobre um ano antes. O destaque no mês ficou por conta das vendas de combustíveis e lubrificantes, que aumentaram 1,4 por cento após quatro meses de quedas. Também registraram ampliação nas vendas artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos ; tecidos, vestuário e calçados e outros artigos de utilização pessoal e doméstica ; e móveis e eletrodomésticos . O varejo aumentado, que inclui veículos e material de construção, mostrou alta de 1,1 por cento nas vendas, resultado que se deveu aa ampliação de 2,9 por cento em veículos e motos, partes e peças. O movimento de sobe e desce do varejo uma vez que o desemprego segue alto, está em linha com uma economia que vem mostrando obstáculos de mostrar performance regular mesmo com inflação e juros baixos e restringe o consumo num ano eleitoral carregado de incertezas. “O cenário para o consumo privado e as vendas varejistas continua positivo, mas não exuberante. À frente, o setor de varejo deve ser sustentado pela queda nos custos de alimentos e na inflação, melhora do emprego e condições de crédito ao consumidor gradualmente menos exigentes”, avaliou o diretor de pesquisa econômica do Goldman Sachs para América Latina, Alberto Ramos. O resultado adiciona-se ao da indústria, que concluiu o primeiro trimestre estagnada. Os dados mais fracos que o esperado e a confiança abalada já levaram os economistas consultados na pesquisa Focus do Banco Central a diminuírem suas expectativas de crescimento econômico neste ano a 2,70 por cento, sobre 3 por cento antes mais no começo do ano.- O principal índice de ações da B3 fechou em queda nesta sexta-feira, em sessão marcada por uma bateria de resultados corporativos, com as ações da Kroton KROT3.SA> desabando 16,6 por cento após balanço trimestral e previsão de resultado consolidado mais fraco este ano em relação a 2017. De acordo com dados preliminares, o Ibovespa .BVSP> caiu 0,67 por cento, a 85.283 pontos. O volume financeiro do pregão adicionava 12,3 bilhões de reais. Na semana, contudo, o índice de referência do mercado acionário de Brasil progrediu 2,6 por cento.

Na segunda-feira 16 de abril – A economia brasileira ficou praticamente estagnada em fevereiro, performance menor que a esperada por analistas e que realça o obstáculo que o país enfrenta de imprimir ritmo mais consistente de expansão no começo do ano. Faz 3 meses, havia exibido expansão de somente 0,09 por cento em fevereiro em a comparação com o mês anterior, em dado dessazonalizado, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central espécie de sinalizador de o Produto Interno Bruto divulgado em esta segunda-feira. O resultado havia ficado abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters, de crescimento de 0,15 por cento, na mediana das projeções de experts consultados. Faz 4 meses, a o mesmo tempo, o BC havia, para mostrar recuo de 0,65 por cento em a comparação mensal, após informar queda de 0,56 por cento anteriormente. Faz 3 meses, os diferentes setores de a economia de Brasil haviam, mostrando a anormalidade e inconsistência de a atividade para voltar a aumentar com forcita após profunda recessão. Faz 3 meses, a produção industrial de Brasil havia aumentar 0,2 por cento, com perdas em a fabricação de bens intermediários e de consumo semiduráveis e não duráveis. Em um ambiente de inflação e juros baixos, mas Faz 3 meses, enquanto o setor de serviços havia tido crescimento inesperadamente fraco de 0,1 por cento, com desemprego em alta e mercado de trabalho ainda baseado em a informalidade, as vendas varejistas haviam. Na comparação com fevereiro de 2017, o IBC-Br, que incorporava projeções para a produção nos setores de serviços, indústria e agropecuária, bem como o efeito dos impostos sobre os produtos, havia tido alta de 0,66 por cento, enquanto que no acumulado em 12 meses havia exibido expansão de 1,32 por cento, segundo dados observados. A pesquisa Focus realizada pelo BC semanalmente com uma centena de economistas havia mostrado que a expectativa para o PIB este ano era de expansão de 2,76 por cento, cenário que vinha perdendo força há algumas semanas. Para 2019, a estimativa era de alta de 3 por cento do PIB.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Economia do Brasil encolhe 0,74% em março e fecha 1º tri com contração de 0,13%, assinala BC
>>>>>Lucro líquido da Sabesp cai para R$580,4 mi no 1º tri com piora em resultado financeiro – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Varejo do Brasil cresce no 1º tri, mas mostra irregularidade no início do ano – May 11, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Produção de veículos no Brasil tem alta anual de 40,4% em abril, mas fica estável ante março – May 07, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Venda de veículos novos no Brasil sobe 38,5% em abril sobre um ano antes, diz fonte – May 02, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Venda de veículos novos no Brasil sobre 38,5% em abril sobre um ano antes, diz fonte – May 02, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Vendas reais do setor supermercadista no Brasil sobem mais de 12% em março, diz Abras – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Smiles tem leve queda no lucro do 1º trimestre, despesas sobem e receita financeira cai – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Lucro do Magazine Luiza salta no 1º tri, a R$147,5 mi – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Ibovespa fecha em queda com noticiário corporativo intenso, mas sobe na semana – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 25 0 NONE 22 4 por_cento ano: 1, 3,4 por_cento: 1, 7,1 por_cento: 1, 0,3 por_cento: 1, 0,74 por_cento: 1, 9,1 por_cento: 1, 0,30 por_cento: 1, 5,50 por_cento: 1, 37,8 por_cento: 1, 0,09 por_cento: 1, 0,67 por_cento: 1, 3,6 por_cento: 1, 33 por_cento: 1, 2,76 por_cento: 1, 16,6 por_cento: 1, 2,70 por_cento: 1, 2,6 por_cento: 1, 3 por_cento: 1, 17,3 por_cento: 1, 1,4 por_cento: 1, 38 por_cento: 1, 13,9 por_cento: 1
2 resultado 460 220 NONE 11 resultado: 2, O resultado operacional: 1, O resultado: 4, O resultado financeiro: 1, melhor resultado: 1, primeiro resultado positivo: 1, resultado positivo de 3,8_milhões: 1
3 comparação 0 0 NONE 7 comparação: 1, a comparação anual: 3, a comparação mensal: 1, a comparação: 2
4 vendas 0 0 NONE 7 as vendas: 3, As vendas varejistas: 1, as vendas varejistas: 2, as vendas artigos: 1
5 ano 0 0 NONE 5 o ano passado: 2, o ano: 2, o ano anterior: 1
6 esta 0 0 NONE 5 esta: 5
7 varejo 0 0 NONE 5 O varejo: 1, O varejo ampliado: 2, o varejo: 2
8 dados 0 70 NONE 3 dados observados: 1, dados preliminares: 1, Os dados mais fracos a: 1
9 economia 0 60 NONE 3 uma economia: 2, A economia brasileira: 1
10 empresa 210 0 NONE 3 a empresa: 3