Elevação de limite de imóvel financiado com FGTS beneficia setor civil

– A resolução de aumentar, pela segunda vez em poucos meses, o limite de custo de imóvel que pode ser comprado com recursos do FGTS do comprador atende à dprocurado setor da construção civil, que viu despencar o número de unidades vendidas e de empreendimentos ciniciadosnos últimos dois anos. O segmento de imóveis para as classes média e alta – diretamente beneficiadas pelo novo telhado de R$ 1,5 milhão – foi o mais prejudicado pela crise, que atingiu de maneira bastante menos intensa o nicho para as classes mais baixas, atendidas especialmente pelo programa Minha Casa Minha Vida. A crise provocou perda forte à renda das famílias e uma piora substancial das condições dos financiamentos, com maior rlimitaçãodos bancos e juros mais eaumentados A carência dos recursos da poupança, uma das principais fontes de financiamento habitacional para a classe média, também auxiliou a frear o mercado imobiliário no segmento. Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário , 2016 fechou com queda de 38,3% nos financiamentos habitacionais com recursos da poupança, na comparação com o ano anterior. A soma caiu de R$ 75,5 bilhões para R$ 46,6 bilhões; o número de unidade contratadas despencou 41,5% no fase. Na tentativa de animar o setor, um dos mais dinâmicos da economia, o governo reajustou no início deste mês os parâmetros do Minha Casa Minha Vida, com elevação do limite de venda dos imóveis para R$ 240 mil e ampliação do programa às famílias com renda de até R$ 9 mil. Se o anunciou só, a ampliação do limite da valor da imóvel a ser financiado com recursos do FGTS para R$ 1,5 milhão fazia parte do pacote de medidas para o setor e em esta quinta-feira. A ideia é permitir que os compradores utilizem o saldo da conta para dar como entrada na compra de um imóvel mais caro. Para o consultor José Urbano Duarte , o conjunto de medidas vai auxiliar a melhorar as condições do mercado como um todo: — Somente a elevação do telhado SFH teria conseqüência num nicho bastante específico e restrito do mercado. O positivo é que é mais uma medida que se adiciona a outras no Minha Casa Minha Vida divulgadas e em implementação, que tem o mesmo foco: melhorar as condições de compra de um imóvel, via financiamento — declarou ele. O mercado agora espera que a equipe econômica e os órgãos de defesa do consumidor cheguem a solução para enfrentar o problema do distrato , que também ampliou com a crise.

“Os novos limites permitirão que a construtora passe a oferecer alternativas em outras regiões”. Fabricio Quesiti Arrivabene, diretor de Ciclo Financeiro da TendaA renda familiar subirá de R$ 3.600 para R$ 4 mil. A subvenção vai ser de R$ 27.500. A taxa continuará variando conforme a renda. Para rendimento de até 2.600, os juros são de 5,5% ao ano. De R$2.600 a R$ 3 mil, de 6%. De R$ 3 mil a R$ 4 mil, de 7%.

Na segunda-feira 06 de fevereiro – Os mutuários da casa própria que estão com as prestações atrasadas ganharam um alento para colocar a dívida em dia, utilizando os recursos da conta do FGTS. Essa chance já existia, mas era restringida a três meses. O prazo agora havia sido aumentado para 12 meses e vigorará durante 2017. Assim, quem estiver inadimplente não perderia o imóvel se tiver saldo na conta vinculada. A medida havia sido aprovada pelo Conselho Curador do FGTS na manhã desta segunda-feira, em reunião extraordinária e abrangeria todas as espécies de empréstimos. O Conselho Curador também havia aprovado mudanças nas normas do Minha Casa Minha Vida encaminhadas pelo governo federal. Entre as principais mudanças está a permissão para que famílias com renda de até R$ 9 mil possam fazer empréstimos habitacionais dentro do programa, em condições um pouco mais facilitadas, com juros de 9,16% ao ano, abaixo do mercado. Neste caso, o valor máximo do imóvel era de R$ 300 mil. As mudanças serão anunciadas pelo presidente Michel Temer ainda em cerimônia palatinas, na tentativa de animar o setor da construção civil e gerar empregos. Os ajustes no Minha Casa Minha Vida permitirão a inclusão de novas famílias no programa, pois os limites de faixa de renda familiar haviam sido corrigidos, bem como o valor de venda dos imóveis. Na faixa intermediária , o limite de renda familiar subiria de R$ 2,3 mil para R$ 2,6 mil; na faixa 2, de R$ 3,6 mil chegaria a R$ 4 mil e a na faixa 3, de R$ 6.500 a R$ 7 mil. O valor máximo do imóvel passaria de R$ 225 mil para R$ 240 mil. Os juros variavam entre 5% e 8,16% ao ano. Entre R$ 7 mil e R$ 9 mil, a taxa seria de 9,16% ao ano, sem subvenção . O valor da subvenção também havia sido corrigido e ficaria entre R$ 27 mil e R$ 47,5 mil, de acordo com a renda familiar .

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Elevação de limite de imóvel financiado com FGTS beneficia setor civil
>>>>>Ajustes no ‘Minha casa, minha vida’: setor imobiliário prevê lançamentos – February 12, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Mudanças no ‘Minha casa minha vida’ visam geração de emprego – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 R 0 0 OTHER 16 R: 16
2 eu 75 30 NONE 6 (tacit) eu: 6
3 R 0 0 ORGANIZATION 4 a R: 4
4 renda 0 0 NONE 4 a renda: 1, renda familiar: 2, a renda familiar: 1
5 crise 0 0 NONE 3 a crise: 3
6 medida 0 0 NONE 3 uma medida: 2, A medida: 1
7 o Minha_Casa_Minha_Vida 0 0 OTHER 3 o programa Minha_Casa_Minha_Vida: 1, o Minha_Casa_Minha_Vida: 2
8 o limite de preço de imóvel 0 50 NONE 2 o limite de preço de imóvel: 2
9 positivo 160 0 NONE 2 O positivo: 2
10 nicho 105 0 NONE 2 um nicho: 1, o nicho: 1