EXCLUSIVO-Agência de aviação dos EUA identifica novo potencial risco no Boeing 737 MAX

Por: SentiLecto

A agência norte-americana de aviação FAA identificou um novo potencial risco que antes que o aviãozinho possa voltar, a Boeing precisa resolver no jato 737 MAX a serviço, alegou o órgão à Reuters nesta quarta-feira.

Descobriu-se o risco durante um teste em simulador em a semana passada declararam fontes com conhecimento de o tema em a Reuters.O equívoco encontrado significa que a Boeing não poderá governar um voo de certificação do aviãozinho até 8 de julho, declararam as fontes, e a FAA passará pelo menos duas a três semanas revendo os resultados antes de decidir se a aeronave pode voltar a voar.

No mês passado, representantes da FAA alegaram a membros da indústria da aviação que a aprovação do 737 MAX poderia acontecer em junho. Quando pilotos perderam um cabo de combate com o programa da aeronave que repetidamente fez o nariz do jato assinalar para baixo, a Boeing, que alegou que está “trabalhando de perto com a FAA para um regresso seguro do MAX ao serviço”, tem trabalhado em uma atualização para o sistema de prevenção de stoll conhecido como MCAS desde a queda de 737 MAX operado pela Lion Air na Indonésia em outubro. Faz 3 meses, o 737 MAX saiu de operação em o mundo todo, acontecida em março, em a Etiópia. A calamidade também envolveu o sistema MCAS. As duas quedas mataram 346 pessoas.

Na enquanto as empresas aéreas lidam com o efeito financeiro da suspensão mundial de quase 400 jatos 737 MAX que já dura três meses, sua vez coordenada pela Associação Internacional de Transporte Aéreo , ocorre. Sua vez é a reunião.Uma vez que os reguladores aprovem o retorno do 737 MAX, as companhias aéreas deverão implementar novos treinamentos para pilotos, um processo que será diferente para cada companhia aérea, mas que as transportadoras norte-americanas declararam que levará pelo menos um mês.

No domingo 16 de junho – O presidente da Boeing declarou que a fabricante norte-americana de aeronaves cometeu um erro ao implementar um sistema defeituoso de aviso de cabine no aviãozinho 737 MAX e calculou que levará tempo para reconstruir a confiança dos clientes na sequência de dois acidentes letais. Dennis Muilenburg havia declarado que a Boeing havia falhado na comunicação com os reguladores e clientes Dennis Muilenburg é o presidente-executivo da companhia., mas havia defendido engenharia e design de programa que estavam no centro dos inquéritos sobre os acidentes que haviam levado crise à cempresaaérea multinacional. Muilenburg havia reconhecido que a companhia havia cometido um erro ao não revelar o sistema de alerta defeituoso do cockpit de seu 737 MAX para reguladores e clientes, e havia declarado que essa equívoco tem sido objeto de análise dos reguladores mundiais. Quando o aviãozinho devia regressar ao serviço, muilenburg, que estava sob duras críticas a respeito do projeto do 737 MAX e da maneira como a Boeing havia lidado com a crise, havia declarado que ” estávamo vendo ao longo do tempo cada vez mais convergência entre os reguladores” sobre. A Boeing declarava que havia seguido procedimentos de engenharia ao projetar o 737 MAX. Questionado sobre como os procedimentos haviam falhado na captura de equívocos aparentes no programa de controle do MCAS e na arquitetura de sensores, Muilenburg havia declarado: “Claramente, podíamo fazer aprimoramentos, e compreendíamo isso e faríamos esses aprimoramentos”.

“Na se projeta o processo de a Faa mais recente questão, para descobrir e evidenciar potenciais riscos. A FAA recentemente encontrou um risco potencial que a Boeing precisa mitigar”, alegou a agência em comunicado à Reuters.

Se a situação pode ser resolvida com uma atualização de softarwe, não ficou claro ou se trata-se de uma questão de microprocessador. A Boeing alegou à FAA que acredita que o problema poderia ser resolvido com uma atualização do sprograma

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Ethiopia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>EXCLUSIVO-Agência de aviação dos EUA identifica novo potencial risco no Boeing 737 MAX
>>>>>Companhias aéreas e reguladores se reúnem para discutir retorno de Boeing 737 MAX – June 26, 2019 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Boeing 0 0 ORGANIZATION 9 a Boeing: 5, A Boeing: 4
2 FAA 0 0 ORGANIZATION 8 a FAA: 3, (tacit) ele/ela (referent: a FAA): 1, (tacit) ele/ela (referent: A FAA): 3, A FAA: 1
3 MAX 0 0 ORGANIZATION 6 O 737 MAX: 1, 737 MAX: 2, 737 MAX operado: 1, (tacit) eles/elas (referent: 737 MAX): 2
4 risco 280 125 NONE 5 O risco: 1, um novo potencial risco: 2, um risco potencial: 2
5 nós 20 0 NONE 5 (tacit) nós: 5
6 Dennis Muilenburg 0 0 PERSON 5 Dennis_Muilenburg (apposition: O presidente-executivo de a empresa): 1, Muilenburg: 4
7 Reuters 0 0 ORGANIZATION 3 a Reuters: 3
8 erro 0 180 NONE 2 um erro: 2
9 companhias 0 80 NONE 2 a empresa: 1, as companhias aéreas: 1
10 melhorias 200 0 NONE 2 melhorias: 1, essas melhorias: 1