Ibovespa fecha em queda com tombo de 14% nas ações da Petrobras

Por: SentiLecto

– A bolsa paulista fechou em queda nesta quinta-feira, com o Ibovespa pressionado pelo tombo de 14 por cento das ações da Petrobras, em meio à apreensão dos investidores com o risco de interferência política na ecompanhiaapós dresoluçãode rdiminuiro pcustodo diesel por causa dos protestos dos caminhoneiros. O índice de referência do mercado acionário brasileiro caiu 0,92 por cento, a 80.122 pontos. No pior momento, recuou 2,3 por cento, indo abaixo de 80 mil pontos. O volume financeiro da sessão adicionou 16,5 bilhões de reais. Enquanto as medidas do governo para enfrentar a greve somaram preocupações à situação fiscal do país, de acordo com profissionais da área de renda vmutável o movimento da Petrobras reavivou temores de interferência política na cempresaparticularmente em um ano de evotaçãoIvan Kraiser cogitando também que os papéis da estatal vinham mostrando forte valorização no acumulado do ano alegou: “A resolução mostrou que a Petrobras não está blindada de interferências políticas”. Ivan Kraiser é o gestor chefe da Garín Investimentos. Dados sobre a participação de estrangeiros continuaram a mostrar saída no mês de maio, o que também vem pressionando as ações brasileiras, com o saldo negativo de capital externo no mês alcançando 3,5 bilhões de reais, de acordo com números da bolsa até o dia 22. DESTAQUES – PETROBRAS PN e PETROBRAS ON desabaram 13,71 e 14,55 por cento, respectivamente, perdendo 47 bilhões de reais em valor de mercado, após anunciar a diminuição em 10 por cento do custo do diesel nas refinarias para auxiliar na negociação com os caminhoneiros, que entraram no quarto dia de greve nesta quinta-feira. Analistas cortaram a recomendação dos papéis da empresa, entre eles os do Credit Suisse, Morgan Stanley e Itaú BBA. André Hachem, do Itaú BBA realçou: “As normas do jogo mudaram”. No ano, contudo, Petrobras PN ainda sobe 25 por cento e Petrobras ON progride 37 por cento. – ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON caíram 6,51 e 4,51 por cento, respectivamente, ainda pressionadas pela frustração dos investidores com a obstáculo do governo para seguir adiante com a privatização da companhia. – BANCO DO BRASIL recuou 3,06 por cento, liderando as perdas do setor bancário no Ibovespa. A ação do banco estatal tende a padecer mais em momentos de preocupação com riscos políticos no país. ITAÚ UNIBANCO PN, na outra ponta, subiu 1,32 por cento, auxiliando a aliviar a pressão negativa sobre o Ibovespa. BRADESCO PN concluiu com variação positiva de 0,16 por cento. – BRF progrediu 6,40 por cento, com operadores mencionando especulações de que Pedro Parente poderia sair da Petrobras e assumir a presidência-executiva da empresa de alimentos, onde já é presidente do conselho de gestão. Em teleconferência à tarde, Parente, que mas isso não foi suficiente para abrandar o ânimo dos investidores com a ação, que ainda acumula perda de quase 38 por cento em 2018, ddeclarouque não deixaria sua posição na atual situação da Petrobras. – SUZANO valorizou-se 6,02 por cento, encontrando na valorização do dólar ante o real apoio para a recuperação após queda nos três pregões anteriores. O dólar progrediu 0,64 por cento, a 3,6483 reais na venda. – BRASKEM concluiu em alta de 5,57 por cento, apoiada em expectativas relacionadas a aquisição do controle da petroquímica, após o jornal Valor Econômico noticiar que a de Holguín LyondellBasell preparou uma nova proposta à Odebrecht para cadquirio controle da Braskem, avaliando a petroquímica bde Brasilem 41,5 bilhões de reais. A Braskem declarou que a Odebrecht negou ter recebido proposta da LyondellBasell. – VALE fechou com acréscimo de 1 por cento, auxiliando a restringi a queda do Ibovespa, tendo como pano de fundo a alta dos custos do minério de ferro na China.

– Enquanto o viés benigno do exterior e a alta de papéis da Petrobras e de consumo contribuíam positivamente para a trajetória do Ibovespa, a bolsa paulista mostrava alguma volatilidade nesta segunda-feira, em sessão com vencimento de alternativas, com a queda das ações da Vale pressionando negativamente. Às 12:32, o Ibovespa caía 0,38 por cento, a 82.765 pontos. O volume financeiro adicionava 10,7 bilhões de reais. Se vai conhecer o resultado de o vencimento de os contratos de alternativas sobre ações a partir de 13h. No exterior, Estados Unidos e China colocaram “em modo espera” um potencial combate comercial. As duas maiores economias do mundo consentiram no fim de semana em abandonar suas ameaças de imposição de tarifas enquanto trabalham em um acordo de comércio mais extenso. Em Nova York, o índice acionário S&P 500 subia 0,5 por cento. No Brasil, respingava na Bovespa atuação mais contundente do Banco Central no mercado de cotação. No final da última sexta-feira, a autoridade monetária anunciou maior intervenção e advertiu que poderia atuar de maneira “discricionária” se necessário após a moeda se aproximar de 3,80 reais na semana passada. Por volta de 12:30, a moeda norte-americana caía 0,79 por cento, a 3,7100 reais, no mercado à vista. DESTAQUES – VALE caía 2,2 por cento, em sessão negativa para os custos do minério de ferro na China, pesando no Ibovespa dada a pertinente fatia que detém do índice. O custos do minério caíram por vendas técnicas e preocupações crescentes de que usinas siderúrgicas de China possam atrasar pedidos em meio à incerteza sobre a dprocurapor metais. – PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiam 1,4 e 0,7 por cento, respectivamente, aliviando as perdas do Ibovespa, em meio ao cenário positivo para os custos do petróleo. A empresa anunciou nesta segunda-feira que deu começo a uma oferta de recompra de títulos mundiais até o limite de 4 bilhões de dólares, com expiração calculada para 18 de junho, de acordo com comunicado ao mercado. – ITAÚ UNIBANCO PN caía 0,8 por cento, também tirando alento do índice. Analistas do UBS cortaram a recomendação para bancos de Brasil de ‘overweight’ para ‘neutra’, em um contexto de mercados emergentes/América Latina, mencionando ampliação de incertezas externas e desapontamentos recente com o crescimento entre os fatores. BRADESCO PN tinha perda de 0,5 por cento. – MAGAZINE LUIZA progredia 4,9 por cento, recuperando-se de queda de mais de 6 por cento nos últimos dois pregões. B2W BTOW3.SA> também tinha uma sessão de recuperação e progredia 2,9 por cento, depois de cair quase 7 por cento nos dois pregões anteriores. – CEMIG PN subia 2,2 por cento, entre as maiores altas do índice. O UBS aumentou a recomendação das ações da elétrica mineira para ‘compra’, mencionando uma revisão tarifária potencialmente mais forte do que a esperada que não estaria no custo dos papéis. – O principal índice de ações da B3 fechou em em queda na tarde desta segunda-feira, conforme as ações da Petrobras passaram a recuar e os papéis de bancos privados e da Vale aumentaram as perdas, apesar do cenário ainda positivo em Wall Street. O Ibovespa caiu 1,5 por cento, 81.836 pontos. Na primeira etapa da sessão, no melhor momento, subiu quase 1 por cento. O volume financeiro adicionou 20,778 bilhões de reais, inflado pelo vencimento de alternativas sobre ações, que totalizou 8,137 bilhões de reais. – O principal índice de ações da B3 em leve alta nesta terça-feira, tendo como pano de fundo um mais cenário favorável a ativos de risco no exterior, enquanto as ações da Petrobras recuavam em meio a receios no mercado sobre uma eventual interferência do governo na política de custos da empresa. Às 11:24, o Ibovespa subia 0,16 por cento, a 81.943 pontos. O volume financeiro adicionava 3,5 bilhões de reais. Faz 4 meses, o gestor de uma corretora em o Rio declarou : ” Ainda tem muito ruído envolvendo a Petrobras “. “E a mantinha é curto. Não interferir na política de custos da empresa podem optar em modificar tributação, se decidirem e aí piora ainda mais o quadro fiscal, o que também não é bom”, alegou. No exterior, o dólar mostrava alívio na trajetória de alta e Wall Street tinha uma abertura mais positiva, em meio ao arrefecimento no nervosismo comercial entre Estados Unidos e China. O S&P 500 tinha acréscimo de 0,1 por cento. DESTAQUES – BRADESCO PN e ITAÚ UNIBANCO PN subiam 1,35 e 1 por cento, respectivamente, dando apoio ao índice em razão do peso pertinente que detêm na composição. – PETROBRAS ON e PETROBRAS PN recuavam 1,72 e 1,8 por cento, respectivamente, afastando-se das mínimas registradas mais cedo, após o presidente da empresa, Pedro Parente, alegar que não debateu nenhuma mudança na política de custos da empresa em reunião da qual participou nesta terça-feira junto com os ministros da Fazenda e de Minas e Energia. O mercado está receoso sobre eventuais ações do governo envolvendo a empresa, em meio a alta dos custos dos combustíveis no Brasil seguindo o movimento dos custos do petróleo no exterior. Caminhoneiros estão bloqueando várias rodovias no país e o porto de Santos em protesto que pede diminuição da carga tributária sobre o diesel. Mais cedo, a Petrobras anunciou que diminuirá custos de diesel e gasolina nas refinarias a partir de quarta-feira. – VALE tinha queda de 0,9 por cento, em sessão com nova queda nos custos do minério de ferro na China. – VIA VAREJO subia 2 por cento, em sessão positiva para papéis de consumo e varejo. – CEMIG PN progredia 2,7 por cento, tendo no radar aprovação da diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica para elevação média de 23,2 por cento nas tarifas da distribuidora de energia Cemig-D, culpada pelo abastecimento em Minas Gerais. – MARFRIG subia 0,78 por cento, após a empresa divulgar que seu maior acionista e presidente do conselho de gestão, Marcos Molina dos Santos, festejou com o Ministério Público Federal termo de compromisso de conserto de eventuais prejuízos relacionados a operação Cui Bono, da Polícia Federal, que investiga anormalidades na Caixa Econômica Federal. Em comunicado, a empresa de alimentos declarou que as atividades empresariais não serão impactadas. – B3 tinha acréscimo de 1 por cento. O conselho de gestão da operadora de bolsa aprovou na véspera a indicação de Antonio Carlos Quintella como novo presidente do colegiado. Ele trocará Pedro Parente, que abdicou ao posto após ter aceitado convite para presidir o conselho de gestão da BRF. -ELETROBRAS ON subia 0,45 por cento e ELETROBRAS PNB tinha variação positiva de 0,1 por cento, após recuarem mais cedo em meio a noticiário desfavorável sobre a privatização da empresa. O governo retirou a previsão de receitas de 12,2 bilhões de reais com a privatização da estatal. Antes esses recursos haviam sido separados em reserva de contingência.

Na terça-feira 15 de maio – A bolsa brasileira fechou no vermelho nesta terça-feira, contaminada pelo cenário externo desfavorável a ativos de risco, mas a progressão das ações da Petrobras novamente havia aliviado a pressão vendedora sobre o principal índice de ações da B3. As operações também haviam sido influía pela repercussão de resultados corporativos, entre eles o da CSN e da JBS, no último dia da temporada de balanços no país. De acordo com dados preliminares, o Ibovespa havia caído 0,25 por cento, a 85.015 pontos. O volume financeiro adicionava 13 bilhões de reais.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: China

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Ibovespa fecha em queda com tombo de 14% nas ações da Petrobras
>>>>>Ibovespa tem sessão volátil com Vale contrabalançando exterior favorável – May 21, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta seguindo bolsas no exterior e com alta de blue chips – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa recua, mas busca por barganhas sustenta patamar de 83 mil pontos – May 18, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Bovespa recua com cenário externo negativo; balanços seguem no radar – May 15, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em queda com balanços, Kroton desaba e Natura salta – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Índice reverte ganhos e recua com fraqueza em NY e alta do dólar; Petrobras limita perdas – May 14, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta liderada por salto em Petrobras, em dia de avanço do petróleo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta liderada por salto em ações da Petrobras – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta novamente guiado por Petrobras, em sessão positiva para emergentes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em queda com exterior, mas Petrobras limita perdas – May 15, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Índice fecha quase estável ajudado por Vale e Petrobras; bancos pesam – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa recua com exterior, mas Petrobras renova máximas desde 2010 e atenua perda – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Commodities sustentam Ibovespa no azul em 2018 – May 16, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha quase estável com ajuda de Petrobras – May 14, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Índice fecha em queda pressionado por blue chips; Vale cai 3% – May 21, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Índice tem sessão volátil com Vale contrabalançando exterior favorável – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bovespa opera em leve alta acompanhando exterior, mas Petrobras pressiona – May 22, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Índice tem leve alta com exterior – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 24 2,7 por_cento: 1, 0,78 por_cento: 1, 1,8 por_cento: 1, 6,40 por_cento: 1, 0,92 por_cento: 1, 3,06 por_cento: 1, 6 por_cento: 1, 0,8 por_cento: 1, 37 por_cento: 1, 0,79 por_cento: 1, 2,2 por_cento: 1, 4,9 por_cento: 1, 1,5 por_cento: 1, 0,5 por_cento: 1, por_cento: 2, 1,32 por_cento: 1, 2,9 por_cento: 1, 6,02 por_cento: 1, 0,64 por_cento: 1, 2 por_cento: 1, 0,25 por_cento: 1, 0,7 por_cento: 1, 2,3 por_cento: 1
2 eu 160 0 NONE 10 (tacit) eu: 10
3 Petrobras 0 0 ORGANIZATION 9 (tacit) ele/ela (referent: a Petrobras): 4, a Petrobras: 5
4 meio 0 0 NONE 7 meio: 7
5 Braskem 140 0 ORGANIZATION 6 BRASKEM: 1, A Braskem: 1, (tacit) ele/ela (referent: A Braskem): 4
6 esta 50 0 NONE 6 esta: 6
7 mercado 0 50 NONE 5 o mercado acionário: 1, o mercado: 3, O mercado: 1
8 Ibovespa 100 30 ORGANIZATION 5 o Ibovespa pressionado: 1, O Ibovespa: 1, o Ibovespa: 2, (tacit) ele/ela (referent: O Ibovespa): 1
9 companhia 0 0 NONE 5 A companhia: 1, a companhia: 3, a empresa: 1
10 queda 0 0 NONE 5 nova queda: 1, queda: 4