Ibovespa recua com dados da economia, mas acumula alta na semana

Por: SentiLecto

– O Ibovespa, que caiu 1,11%, a 114.380,71 pontos, teve a segunda queda seguida nesta sexta-feira, com agentes do mercado reagindo a dados da atividade econômica brasileiros , e conservando a precaução diante do surto do coronavírus. Mas na semana, o índice ainda teve alta acumulada de 0,54%. O volume financeiro da sessão foi de 19,75 bilhões de reais. Faz 1 ano, a atividade econômica brasileira perdeu força, segundo o IBC-Br, considerado sinalizador de o Produto Interno Bruto, com ampliação de %0,89 em o ano, dado abaixo do consenso de o mercado para o PIB, de %1,12 em 2019. Para Pablo Spyer, diretor de operações da Mirae Asset, o dado mostra que a recuperação da economia do país está mais lenta do que o esperado. Spyer, adicionando que diante do cenário, uma execução de lucros é natural declarou: “Pelo fato de estar próximo das máximas, não está se sustentando, a retomada econômica desapontou, os dados não assombraram positivamente e o mercado está revisando a projeção do PIB para baixo”. Alegou: “Mas seguimos otimistas, os juros devem se conservar baixos, atraindo mais investidores, as reformas estão caminhando e o risco país continua caindo”. Em Wall Street, as bolsas concluíram a semana com tendências mistas, antes do feriado de segunda-feira nos Estados Unidos. No âmbito internacional, o surto do coronavírus continua se propagando, com o número de contagiados chegando a 63.851 pessoas e o Egito confirmando o primeiro caso da enfermidade no país. Roberto Campos Neto declarou que o efeito no cenário doméstico ainda é difícil de ser calculado. Roberto Campos Neto é o presidente do BC. “Efeitos econômicos ainda incertos, mas caso a epidemia se conserve por um tempo estendido, podem ser expressivos “, alegou. DESTAQUES – RUMO recuou 3,28%. A companhia teve lucro líquido de 202 milhões de reais no quarto trimestre, acima da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 183,5 milhões de reais, com performance operacionalmente fraco. – USIMINAS perdeu 4,35%, após divulgar balanço. A siderúrgica também informou que não tem perspectiva de recomeçar a produção na usina de Cubatão antes de 2024. No setor, GERDAU PN caiu 3,2%. – BTG PACTUAL recuou 4,24%, mesmo após divulgar alta de 42% no lucro líquido do quarto trimestre, em linha com as expectativas de analistas. Os papéis do banco acumularam alta de mais de 10% nos últimos três pregões. – VALE ON perdeu 2,19%, invalidando a alta acumulada m uma semana. – IRB BRASIL disparou 5,64%. Faz 11 dias, a companhia envolvida em uma disputa com a gestora carioca Squadra havia acumulado queda de %26,83, desde o começo de a polêmica até véspera. – PETROBRAS ON caiu 0,97%, e PETROBRAS PN cedeu 1,01%. O presidente-executivo da empre alegou nesta sexta-feira que “Nenhuma gota de petróleo deixou de ser produzida “. No exterior, os contratos futuros do petróleo tiveram forte alta. -ITAÚ UNIBANCO PN recuou 1,69%, na quarta queda consecutiva. BRADESCO PN desvalorizou-se 2,25% e SANTANDER BR UNT caiu 2,7%.

– Enquanto Itaú Unibanco progrediu antes do balanço calculado, o Ibovespa fechou em queda nesta segunda-feira, marcada pelo tombo da resseguradora IRB Brasil para após o pregão. Índice de referência do mercado acionário de Brasil, o Ibovespa caiu 1,05%, a 112.570,30 pontos, no menor nível desde 16 de dezembro. O volume financeiro da sessão adicionou 29,1 bilhões de reais. Embora desdobramentos em relação ao surto de coronavírus na China tenham ditado volatilidade aos negócios, a bolsa de Brasil descolou de Wall Street, que encontrou apoio para ganhos em números da economia norte-americana e balanços corporativos. Em Nova York, o S&P 500 fechou em alta de 0,73%. O número de mortes em razão do vírus subiu para 908, todas menos duas na China continental, e o número total de infecções já supera 40 mil pessoas O economista-chefe da Infinity Asset, Jason Vieira, classificou o surto de coronavírus como mais um ‘cisne negro’ a agredi a economia global e gerar preocupações em razão da imponderabilidade dos acontecimentos. De acordo com o gestor Guilherme Foureaux, sócio na Paineiras Investimentos, as alocações para renda mutável continuam ocorrendo, mas a saída ininterrupta de capital externo da bolsa de Brasil, combinada à incerteza gmundialpotencializada pelo coronavírus têm endossado ajustes em carteiras locais. Observou: “Agentes locais estão vendendo smalls caps e adquirindo bancos”. Em 2020, as saídas de capital externo no segmento Bovespa superam as entradas em 23,4 bilhões de reais, conforme dados até o dia 6 de fevereiro. DESTAQUES – IRB BRASIL ON caiu 16,5%, tendo no radar nova correspondência da Squadra Investimentos a gestores reiterando entendimento de que há uma grande disparidade entre custo e valor nas ações da companhia de resseguros, “principalmente por uma percepção de parcela do mercado sobre a sustentabilidade dos seus aumentados níveis de regresso sobre o capital”. Na mínima, as ações chegaram a cair 17,2%. Em teleconferência com o pregão ainda aberto, o IRB declarou que vai contratar uma auditoria extra para o balanço para tentar aliviar investidores. – ITAÚ UNIBANCO PN valorizou-se 1,7%, antes da divulgação do resultado trimestral após o encerramento do pregão desta segunda. BRADESCO PN teve acréscimo de 1,07%. BANCO DO BRASIL ON teve variação negativa de 0,99%. – VALE ON recuou 3,67%, acompanhando a fraqueza do setor de mineração e siderurgia no exterior. CSN concluiu com declínio de 4,4% e GERDAU PN fechou em baixa de 1,58%. USIMINAS PNA perdeu 3,43%. – BB SEGURIDADE ON progrediu 1,3%, após fechar o último trimestre do ano com lucro líquido adaptado de 1,1 bilhão de reais, auxiliado principalmente pelo resultado financeiro. A empresa de resseguros também divulgou estimativas para 2020. Na máxima, mais cedo, a ação subiu mais de 2%. – CVC BRASIL ON perdeu 6,03%, aumentando as perdas em fevereiro, diante de potenciais conseqüência no setor de viagens e turismo em razão do surto de coronavírus, além da forte valorização do dólar ante o real. – Enquanto PETROBRAS PN ganhou 0,69%, pETROBRAS ON subiu 0,38% , mesmo com a queda dos custos do petróleo no exterior.- O Ibovespa recuou nesta quinta-feira, após duas altas seguidas, com notícias sobre o coronavírus voltando a minar o sentimento de investidores. A ação da Suzano foi destaque positivo após resultado trimestral e perspectivas comprazerem investidores. Índice de referência da bolsa de Brasil, o Ibovespa caiu 0,87%, a 115.662,40 pontos. O giro financeiro da sessão adicionou 21,58 bilhões de reais. A queda veio após o Ibovespa acumular ganho de 3,65% nos últimos dois pregões. Uma revisão na técnica de diagnóstico do coronavírus, que fez disparar a contagem de mortes e casos na China, ampliou a aversão a risco, na esteira de fortes perdas também em outras praças acionárias no exterior. “O vírus parece ser bastante mais contao analista Jasper Lawler explicando que a percepção de risco de pandemia, que poderia provocar pânico nos mercados ampliou ligeiramente. O analista Jasper Lawler é chefe de pesquisa londrino. O analista Jasper Lawler é chefe de pesquisa londrino. Ele cogitou, contudo, que, se essa nova metodologia significa que as técnicas de detecção melhoraram e se a ampliação no número de casos é um acontecimento único, um movimento maior de venda nos mercados pode ser evitado. Wall Street também mostrou fraqueza, com o Dow Jones em queda de 0,43% e o S&P 500 recuando 0,16%. DESTAQUES – VALE ON caiu 1,75%, infectada pelo viés negativo no exterior, apesar da alta dos custos do minério de ferro na China. No setor de mineração e siderurgia, CSN subiu 0,08% e Gerdau PN recuou 0,47%. – USIMINAS PNA progrediu 4,97%, descolando do setor, com o resultado do quarto trimestre calculado para a sexta-feira, antes da abertura. O Safra, contudo, espera outro trimestre difícil, com compressão de margem na base trimestral. – BANCO DO BRASIL ON recuou 1,55%, após resultado do quarto trimestre, com alta de 20% no lucro recorrente ante mesmo fase de 2018. O presidente do banco declarou que o regresso sobre o patrimônio tem que ficar acima de 18% neste ano. No setor, BRADESCO PN e ITAÚ UNIBANCO PN perderam 1,92% e 1,55%, respectivamente – BTG PACTUAL UNIT subiu 2,58%, destoando dos demais bancos, também tendo no horizonte o balanço do quarto trimestre, na sexta-feira, antes da abertura. O Goldman Sachs estima que o BTG deve conservar a tendência positiva, com números fortes em todos os segmentos de negócios. Investidores, segundo eles, vão estar focados em compreender a perspectiva de crescimento e a estratégia de potencial expansão do BTG digital. – PETROBRAS PN e PETROBRAS ON caíram 1,36% e 1,9%, respectivamente, refletindo maior aversão a risco, descolando da alta do custo do petróleo no exterior. – RUMO ON recuou 2,62%, entre as maiores quedas, antes de balanço calculado para após o encerramento do mercado. – SUZANO progrediu 3,25%, mesmo após divulgar queda no lucro líquido do quarto trimestre, para 1,175 bilhão de reais, resultado em linha com o esperado. A companhia atualizou projeções sobre sinergias com a Fibria e avaliou que o mercado de celulose está perto do ponto em que os custos vão começar a se recuperar. Também declarou que conservará a estratégia de diminuição de estoques de celulose neste ano.- A Squadra Investimentos reiterou em carta a clientes mandada no domingo entendimento de que há uma grande disparidade entre custo e valor nas ações do IRB Brasil Resseguros, “principalmente por uma percepção de parcela do mercado sobre a sustentabilidade dos seus aumentados níveis de regresso sobre o capital”, o que voltava a pressionar as ações da empresa. No início da semana passada, as ações da companhia de resseguros desabaram reagindo a observações da gestora, de que indícios assinalam para lucros normalizados significativamente inferiores aos lucros contábeis reportados nas demonstrações financeiras da empresa. “Essa disparidade entre lucro contábil e lucro normalizado foi crescente durante o fase e atingiu sua maior diferença nos resultados trimestrais mais recentes’, declarou na ocasião, cogitando, contudo, não ver razões legais ou regulatórias para a divulgação de tais lucros de modo diferente. Naquela ocasião, o IRB declarou que seu desempenho financeiro e seu ‘earnings power’ estão fielmente retratado nas referidas demonstrações contábeis que são elaboradas segundo as regras contábeis e atuariais vigentes no Brasil com absoluta exatidão, passando por um estrito processo de governança. Na correspondência aos cotistas no último domingo a Squadra, que tem sede no Rio de Janeiro alegou: “Explicamos somente que houve ganhos que compreendemo como ‘extraordinários’, ‘one-offs’ ou ‘não recorrentes’, bem como expusemos os fundamentos para os classificarmos de tal forma”. A Squadra também questionou no texto da véspera as observações feitas pelo IRB a respeito da análise, mencionando que executivos da empresa reuniram com analistas do ‘sell-side’ para rebater o estudo a gestora. “Compreendemo como apropriado que a empresa exiba suas considerações. Naturalmente, o IRB tem uma grande quantidade de informações e dados não públicos, os quais poderia vir a divulgar com vistas a refutar algum ponto específico erguido em nossa análise”, alegou. A gestora também evidenciou que desde a carta aos cotistas de 2 de fevereiro as comunicações do IRB de que teve conhecimento vêm buscando confrontar a análise de outra maneira, a qual não julga correta. “Nos conference calls e na apresentação disponibilizada, a empresa e seus executivos têm alegado que o estudo da Squadra contém ‘a lot of mistakes’ .” “A Squadra não tem compromisso com o erro. Caso eventual nova informação anulasse algum ponto abordado, não teríamos problema em revisar nosso entendimento… Todavia, com base nas comunicações a que tivemos acesso, não houve apresentação de nova informação que nos fizesse modificar nosso entendimento.” Por volta das 10:40, os papéis do IRB caíam 6,50%, a 36,96 reais, maior queda do Ibovespa, que cedia 0,14%. Desde a última segunda-feira, os papéis já acumulam desvalorização de cerca de 18%. O IRB divulga balanço trimestral e do ano de 2019 em 18 de fevereiro, após o encerramento do mercado. Faz 12 dias, em a carta a Squadra declarou que o investimento vendido em as ações de o IRB se tornou uma de suas maiores posições. Faz 2 anos, a construção de a posição em a empresa teve começo. Assim, os fundos da gestora se beneficiam de uma queda das ações, algo reafirmado na comunicação do domingo.

Na sexta-feira 07 de fevereiro – O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira, zerando a alta da semana, conforme o surto de coronavírus na China seguiu ditando volatilidade e execução de lucros. Índice de referência do mercado acionário de Brasil, o Ibovespa caiu 1,23%, a 113.770,29 pontos. O volume financeiro da sessão adicionou 24,6 bilhões de reais. O índice concluiu estável. Resultados corporativos bem avaliados, como o do Bradesco ou os de Klabin e Lojas Renner, na quinta, foram insuficientes para dar apoio ao performance semanal. Quando a pauta corporativa também admirava precificação das ofertas de ações da Cogna, itaú Unibanco, Suzano, Banco do Brasil e Usiminas estavam entre os que divulgavam seus performances trimestrais na próxima semana. Notícias sobre problemas no abastecimento de produtos de China voltaram a afliçãozinha no humor dos agentes financeiros, em meio a novos casos e mortes relacionados ao coronavírus. A S&P Global Ratings diminuiu a previsão de crescimento para a China em 2020 de 5,7% para 5%, alegando que o surto de coronavírus podia ter um custo alto no curto prazo. A equipe da Ágora Investimentos, em relatório alegou: “O assunto principal a ser monitorado continuava sendo o coronavírus e seus efeitos”. Faz 1 mês, em os Estados Unidos, o tradicional relatório de emprego mostrou agilizado crescimento de empregos, mas incluiu uma revisão para baixo em alguns números anteriores, gerando certo mal-estar. Em Wall Street, o S&P 500 cedeu 0,54%. Agentes financeiros ainda atribuíram a queda nestes últimos dois pregões a ajustes de investidores que não esperavam que o Banco Central seria tão incisivo quanto ao fim do ciclo de corte de juros em sua última resolução, nesta semana. DESTAQUES – VALE ON recuou 2,21%, apesar da alta dos custos do minério de ferro na China, acompanhando o declínio de papéis do setor de mineração e siderurgia também na Europa. Entre as siderúrgicas brasileiras, USIMINAS PNA e GERDAU PN caíram 4,18% e 4,66%, respectivamente. – IRB Brasil ON fechou em queda de 7,32%, pior performance do Ibovespa. No início da semana, uma gestora questionou os resultados da resseguradora, levando a um tombo dos papéis, que acumularam nrecuo de 11,8%. – PETROBRAS ON subiu 0,51%, ainda refletindo ajustes à oferta de ações pelo BNDES precificada na quarta-feira, enquanto PETROBRAS PN caiu 0,86%, mais afetada pelo declínio dos pcustosdo petróleo no mercado externo. – ITAÚ UNIBANCO PN fechou em alta de 1,29%, antes da divulgação do resultado trimestral na próxima segunda-feira, após o encerramento do mercado. BRADESCO PN, que já divulgou balanço e comprouve, progrediu 1,14%. – BB SEGURIDADE ON valorizou-se 1,61%, no último pregão antes do balanço do quarto trimestre, aguardado para antes da abertura do pregão na segunda-feira. – Quando a receita líquida teve alta de 10,7% e as vendas, lOJAS RENNER ON progrediu 0,63%, após crescimento de 17% no lucro líquido do quarto trimestre mesmas loja ampliaram em 6,2%. – MRV ON perdeu 5,07%, no segundo pregão no vermelho, após acumular nos primeiros três pregões dalta de 3,5%. O índice do setor imobiliário recuou 1,8%.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Brazil, United States

Cities: Cubatao

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Ibovespa recua com dados da economia, mas acumula alta na semana
>>>>>Ibovespa tem nova mínima em 2020; IRB Brasil desaba – February 10, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa mostra fraqueza com exterior, mas caminha para ganho semanal; Lojas Renner sobe – February 07, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa avança mais de 1% em sessão de recuperação global; IRB Brasil desaba – February 03, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa toca mínima em seis semanas com preocupações sobre coronavírus – January 30, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa recua mais de 2% com temor maior sobre vírus na China; Vale cai mais de 4% – January 27, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa tem maior queda em 10 meses com temor sobre coronavírus – January 27, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa sobe em dia de recuperação global; Azul dispara – January 28, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>No fim, Ibovespa vira e fecha no azul, apoiado em blue chips – January 30, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Wall St fecha em alta puxado por Apple – January 28, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa abre no azul com exterior no radar – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta com Wall St; coronavírus segue no radar – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa avança com viés externo favorável – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa fecha em queda e zera alta na semana com incerteza externa – February 07, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Squadra reitera ver grande disparidade em ação do IRB Brasil; papel recua 6,5% – February 10, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Coronavírus volta a assustar e Ibovespa recua; Suzano sobe – February 13, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa avança com exterior favorável; TIM sobe mais de 3% após balanço – February 12, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa recupera 114 mil pontos com Itaú e Vale; exterior ajuda – February 11, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa recua após três altas seguidas; Petrobras sobe – February 06, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa avança nos primeiros negócios com exterior; Klabin e Petrobras sobem – February 06, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 On Petrobras 75 70 PERSON 19 On: 3, seguridade On: 2, Renner_On: 1, Mrv_On: 1, Petrobras_On: 3, (tacit) ele/ela (referent: On): 2, (tacit) ele/ela (referent: Petrobras_Pn): 1, rumo On: 1, Petrobras_Pn: 3, brasil On: 2
2 IRB 190 0 ORGANIZATION 10 (tacit) ele/ela (referent: o IRB): 4, O IRB: 1, Irb brasil: 1, o IRB: 4
3 nós 110 0 NONE 9 nos: 1, (tacit) nós: 8
4 Ibovespa 0 0 ORGANIZATION 9 o Ibovespa: 4, O Ibovespa: 5
5 queda 0 0 NONE 9 a queda: 1, queda: 2, a segunda queda seguida: 1, queda de %26,83: 1, a quarta queda consecutiva: 1, A queda: 1, queda de %7,32: 1, queda de %0,43: 1
6 alta 80 0 NONE 8 forte alta: 1, alta: 1, alta acumulada de %0,54: 1, a alta acumulada: 1, alta de %20: 1, alta de %0,73: 1, alta de %1,29: 1, a alta: 1
7 Squadra 0 90 ORGANIZATION 7 a gestora carioca Squadra: 1, a Squadra: 3, (tacit) ele/ela (referent: A Squadra): 1, A Squadra: 2
8 companhia 180 70 NONE 6 a companhia: 3, A empresa: 2, A empresa envolvida: 1
9 Bradesco Pn 110 0 PERSON 5 (tacit) ele/ela (referent: Bradesco_Pn e): 1, Bradesco_Pn: 2, Bradesco_Pn e: 2
10 Wall Street 0 0 ORGANIZATION 5 Wall_Street: 5