Ibovespa tem sessão volátil com Vale contrabalançando exterior favorável

Por: SentiLecto

– Enquanto o viés benigno do exterior e a alta de papéis da Petrobras e de consumo contribuíam positivamente para a trajetória do Ibovespa, a bolsa paulista mostrava alguma volatilidade nesta segunda-feira, em sessão com vencimento de alternativas, com a queda das ações da Vale pressionando negativamente. Às 12:32, o Ibovespa caía 0,38 por cento, a 82.765 pontos. O volume financeiro adicionava 10,7 bilhões de reais. Se vai conhecer o resultado de o vencimento de os contratos de alternativas sobre ações a partir de 13h. No exterior, Estados Unidos e China colocaram “em modo espera” um potencial combate comercial. As duas maiores economias do mundo consentiram no fim de semana em abandonar suas ameaças de imposição de tarifas enquanto trabalham em um acordo de comércio mais extenso. Em Nova York, o índice acionário S&P 500 subia 0,5 por cento. No Brasil, respingava na Bovespa atuação mais contundente do Banco Central no mercado de cotação. No final da última sexta-feira, a autoridade monetária anunciou maior intervenção e advertiu que poderia atuar de maneira “discricionária” se necessário após a moeda se aproximar de 3,80 reais na semana passada. Por volta de 12:30, a moeda norte-americana caía 0,79 por cento, a 3,7100 reais, no mercado à vista. DESTAQUES – VALE caía 2,2 por cento, em sessão negativa para os custos do minério de ferro na China, pesando no Ibovespa dada a pertinente fatia que detém do índice. O custos do minério caíram por vendas técnicas e preocupações crescentes de que usinas siderúrgicas de China possam atrasar pedidos em meio à incerteza sobre a dprocurapor metais. – PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiam 1,4 e 0,7 por cento, respectivamente, aliviando as perdas do Ibovespa, em meio ao cenário positivo para os custos do petróleo. A empresa anunciou nesta segunda-feira que deu começo a uma oferta de recompra de títulos mundiais até o limite de 4 bilhões de dólares, com expiração calculada para 18 de junho, de acordo com comunicado ao mercado. – ITAÚ UNIBANCO PN caía 0,8 por cento, também tirando alento do índice. Analistas do UBS cortaram a recomendação para bancos de Brasil de ‘overweight’ para ‘neutra’, em um contexto de mercados emergentes/América Latina, mencionando ampliação de incertezas externas e desapontamentos recente com o crescimento entre os fatores. BRADESCO PN tinha perda de 0,5 por cento. – MAGAZINE LUIZA progredia 4,9 por cento, recuperando-se de queda de mais de 6 por cento nos últimos dois pregões. B2W BTOW3.SA> também tinha uma sessão de recuperação e progredia 2,9 por cento, depois de cair quase 7 por cento nos dois pregões anteriores. – CEMIG PN subia 2,2 por cento, entre as maiores altas do índice. O UBS aumentou a recomendação das ações da elétrica mineira para ‘compra’, mencionando uma revisão tarifária potencialmente mais forte do que a esperada que não estaria no custo dos papéis.

– A bolsa de Brasilde Brasil fechou em alta nesta quarta-feira, com o Ibovespa acima dos 86 mil pontos, seguindo o viés positivo de praças acionárias no exterior, com as ações de Vale e Petrobras entre as maiores contribuições positivas. Faz 2 meses, o principal índice de o mercado acionário doméstico concluiu o pregão com elevação de 1,65 por cento, a 86.536 pontos, maior platô desde meados. O volume financeiro do pregão adicionou 11,9 bilhões de reais. O vencimento mensal em a bolsa também marcou a sessão de os contratos de alternativas sobre o Ibovespa. A equipe da a Guide Investimentos, em nota a clientes, realçando a performance das bolsas nos Estados Unidos e na Europa. realçou: “No exterior, o cenário ainda é mais positivo para os ativos de risco”. O índice MSCI para ações de mercados emergentes tinha alta de 0,5 por cento no final da tarde. Roberto Indech também realçou a performance das ações de companhias de varejo na bolsa local, atrelando o movimento a expectativas relacionadas na resolução de juros dRoberto Indech também realçou a performance das ações de companhias de varejo na bolsa local, atrelando o movimento a expectativas relacionadas na resolução de juros do Banco Central ainda nesta quarta-feira. Roberto Indech é o analista-chefe da Rico Investimentos. Roberto Indech é o analista-chefe da Rico Investimentos.O Comitê de Política Monetária anuncia sua resolução sobre a Selic a partir das 18h. A expectativa majoritária é de que a equipe de Ilan Goldfajn diminua a taxa para 6,25 por cento ao ano. Indech declarou que o mercado chegou a ter dúvida sobre mais um corte, mas após a divulgação do IBC-Br o mercado voltou a apostar mais na diminuição de 0,25 ponto percentual. DESTAQUES – PETROBRAS ON e PETROBRAS PN subiram 2,33 e 2,24 por cento, em meio à alta dos pcustosdo petróleo e expectativas relacionadas ao acordo sobre a cessão onerosa. – VALE progrediu 2,29 por cento, favorecida pela alta do custo do minério de ferro à vista na China. – ITAÚ UNIBANCO PN subiu 1,74 por cento, em sessão positiva para o setor bancário como um todo após perdas na véspera. BRADESCO PN, que também tem peso pertinente no Ibovespa, valorizou-se 1,62 por cento. – ESTÁCIO saltou 10 por cento, em movimento de correção após fortes perdas recentes. Faz 1 mês, desde a divulgação de o balanço em o final até a véspera, a ação acumulava recuo de quase 30 por cento. – VIA VAREJO UNIT subiu 7,07 por cento e MAGAZINE LUIZA progrediu 5,39 por cento, tendo de pano de fundo expectativa de nova diminuição na taxa básica de juros no país ainda nesta quarta-feira. – CEMIG PN subiu 2,94 por cento, tendo no radar redundado do primeiro trimestre da estatal mineira de eletricidade, com lucro líquido de 464,6 milhões de reais, alta de 35,6 por cento ante o mesmo fase de 2017. – ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON cederam 2,16 e 0,32 por cento, respectivamente, com balanço do primeiro trimestre também de pano de fundo, que mostrou lucro líquido de 56 milhões de reais, queda de 96 por cento sobre o mesmo fase do ano passado. Ainda, Wilson Ferreira declarou que o projeto de lei sobre privatização da Eletrobras pode ser aprovado em 75 dias. Wilson Ferreira é o presidente da empresa.- A bolsa de Brasilde Brasil fechou em baixa nesta sexta-feira, tendo como pano de fundo um quadro desfavorável a mercados emergentes, mas o Ibovespa concluiu longe das mínimas em meio à busca por barganhas após quedas mais fortes na primeira etapa do pregão. O índice de referência do mercado acionário brasileiro caiu 0,65 por cento, a 83.081 pontos. No pior momento, contudo, tocou 2,67 pontos, em queda de 81.390 por cento. O volume financeiro no pregão foi novamente forte e adicionou 17,7 bilhões de reais, contra uma média diária de 13 bilhões de reais em maio e 11 bilhões de reais em 2018. Na semana, o Ibovespa acumulou queda de 2,5 por cento, aumentando as perdas no mês para 3,5 por cento e diminuindo a alta no ano para 8,7 por cento. M gestor, realçando que vários papéis diminuíram as perdas vários passaram para o território positivo. firmou: “Fizeram uma pescaria nessa bolsa agora à tarde”,.”Foi um dia bem volátil”, adicionou. As operações domésticas também foram influídas pelo movimento na cotação, com o dólar chegando a disparar 2 por cento para 3,7774 reais, auxiliando empresas como Suzano, que liderou as altas do Ibovespa. No exterior, o índice MSCI para ações de mercados emergentes cedeu 0,62 por cento. Estrategistas do UBS avaliam que o recente clima negativo nas ações de mercados emergentes decorre de uma rodada de alta de rendimentos de títulos e do dólar, que está tirando dinheiro de ativos arriscados, não uma crise, segundo nota a clientes. DESTAQUES – ITAÚ UNIBANCO PN caiu 0,7 por cento infectado pelo viés negativo com emergentes geralmente, enquanto BRADESCO PN subiu 0,45 por cento, recuperando-se no final após cair mais de 4 por cento na mínima da sessão. Itaú caiu 3,4 por cento no pior momento. No ano, Itaú ainda sobe 10,95 por cento e Bradesco progride 2,6 por cento. – PETROBRAS PN caiu 1,16 por cento e PETROBRAS ON mbora o contrato Brent siga perto de 80 dólares o barril, concluiu com variação negativa de 0,2 por cento, com noticiário relacionado a negociações da cessão onerosa no radar, bem como à queda do petróleo, e.- GOL fechou em alta de 0,42 por cento, após cair mais de 6 por cento no início da sessão, pressionada pelo fortalecimento do dólar e pela manutenção do brent ao redor de 80 dólares, variáveis que afetam os preços das companhias aéreas. – MAGAZINE LUIZA caiu 3,9 por cento, com o setor de varejo e consumo padecendo ainda em razão da resolução do Banco Central de suspender o ciclo de corte na taxa básica de juros, instrumento que vinha sendo visto como apoio para o segmento, dada a retomada ainda lenta da atividade econômica. No ano, a negociante ainda contabiliza alta de mais de 30 por cento. – Uma vez que a alta a receita de a fabricante de papel e celulose favorece ela de o dólar ante o real, sUZANO subiu 3,98 por cento, liderando os ganhos do Ibovespa. – JBS ganhou 1,72 por cento, também beneficiada pelo movimento na cotação e pela resolução da Fitch de conservar o rating da empresa em ‘BB-‘ e retirar o comentário negativo para a nota de crédito, com perspectiva estável. – A alta do Ibovespa em 2018 está mais ligada a movimentos mundiais e não a perspectivas otimistas para a economia de Brasil, com menos de um terço das ações que compõem a carteira exibindo performance melhor do que o índice, grande parte delas de empresas de setores ligados a commodities. Até o encerramento desta quarta-feira, o índice de referência do mercado acionário de Brasil acumula alta de 13,3 por cento. Das 67 ações que compõem o Ibovespa, contudo, somente 21 tinham valorização superior a do indicador, com Petrobras, a fabricante de papel e celulose Suzano e a mineradora Vale entre os destaques. Os estrategistas do BTG Pactual Carlos Sequeira e Bernardo Teixeira realçaram que, desde a máxima em 26 de fevereiro até o encerramento da véspera, o Ibovespa acumulava queda de 2,9 por cento. Em relatório a clientes escreveram: “Se excluirmos o forte desempenho das ações com peso expressivo no índice da Petrobras e da Vale, o índice da bolsa de Brasil caiu 7,7 por cento”. No ano até a véspera, as ações ordinárias da Petrobras acumulam elevação de 87 por cento e os papéis preferenciais sobem 70 por cento. Vale progride 40 por cento. Suzano lidera a ponta positiva , com elevação de quase 140 por cento. De acordo com gestores e estrategistas escutados pela Reuters, esse quadro reflete principalmente a alta dos custos de commodities, como petróleo, minério de ferro e celulose, mas também a valorização do dólar ante o real, que segue um fortalecimento mundial da moeda norte-americana, na esteira de expectativas sobre os juros dos Estados Unidos. Acontecimentos específicos dessas companhias auxiliaram a impulsionar as ações, como a mudança na política de custos no caso da Petrobras e a fusão da Suzano com a Fibria, que instituiu a maior fabricante de celulose de mercado, declarou o estrategista de renda mutável para o Brasil do Itaú BBA, Luiz Cherman. O setor de commodities ainda tem um peso pertinente na composição do Ibovespa. Na carteira teórica do índice em forcita até agosto, as ações da Vale detêm a maior participação, de 11,36 por cento. Vale, Petrobras e Suzano detêm juntas mais de 20 por cento do Ibovespa. Ações mais sensíveis à economia doméstica, por sua vez, têm em ttidadperformanceabaixo do Ibovespa, diante da retomada mais lenta do que a esperada da atividade para a economia bde Brasil Cherman, realçando que vem ampliando a divergência entre a conduta das ações ligadas a commodities das demais. declarou: “A economia começou a desapontar nos últimos meses”. Segundo ele, a economia ainda vai aumentar e ainda há um “vento favorável” nesse sentido, mas o quadro macro tem piorado. Nesta quarta, outro dado econômico frustrou expectativas. Faz 3 meses, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central, espécie de sinalizador de o Produto Interno Bruto, recuou 0,74 por cento ante fevereiro, segundo dado dessazonalizado. O resultado foi bem pior do que a expectativa em pesquisa da Reuters com analistas, de queda de 0,10 por cento. Na pesquisa Focus mais recente, a mediana das projeções já assinala expansão de 2,51 por cento no PIB este ano, ante expectativa de 3 por cento alguns meses atrás. Na ponta negativa do Ibovespa, figuram ações como as de shopping centers, com BRMalls em queda 18 por cento, e de educação, com KROTON perdendo quase 37 por cento, conforme os dados de empregos ainda não empolgam apostas mais otimistas quanto ao consumo. Entre as exceções, está a negociante Magazine Luiza, que figura entre as empresas com maior valorização das ações no ano, de cerca de 40 por cento. Um gestor que pediu para não ter o nome mencionado. declarou: “A companhia vem entregando bons resultados desde a calamidade econômico do governo anterior”. Os profissionais escutados pela Reuters alegaram ser difícil calcular se essa foto vai permanecer à frente, particularmente em razão da volatilidade dos pcustosde commodities. Mas veem possibilidades reduzidíssimas de uma reviravolta da lado da economia doméstica. E uma piora em vários dados de confiança em abril endossa tal perspectiva para o curto prazo.

Na sexta-feira 11 de maio – O principal índice de ações da B3 fechou em queda nesta sexta-feira, em sessão marcada por uma bateria de resultados corporativos, com as ações da Kroton desabando mais de 15 por cento após balanço trimestral e previsão de resultado consolidado mais fraco este ano em relação a 2017. O Ibovespa havia caído 0,75 por cento, a 85.220 pontos. O volume financeiro do pregão havia adicionado 13 bilhões de reais. Na semana, contudo, o índice de referência do mercado acionário de Brasil havia progredido 2,53 por cento. No mês, o Ibovespa seguia no negativo, com perda de 1,04 por cento. Em 2018, porém, o ganho acumulado era de 11,54 por cento. De acordo com profissionais da área de renda mutável consultados pela Reuters, o noticiário corporativo, notadamente a temporada de resultados, havia dado o tom no pregão de Brasil nesta sessão, mas o movimento do Ibovespa também havia tido influência pertinente do movimento na cotação no Brasil. Após uma trégua na véspera, dólar havia fechado em alta de 1,53 por cento, a 3,6008 reais, com investidores assumindo posições defensivas antes do fim de semana à espera de nova pesquisa eleitoral na segunda-feira. Na semana, a moeda se havia valorizado 5,54 por cento. DESTAQUES – KROTON despencou 15,21 por cento, maior queda no encerramento em quase dez anos, em meio à repercussão do balanço do primeiro trimestre, com lucro líquido recuando 6,6 por cento ante o mesmo pfasedo ano passado, bem como estimativas para o ano abaixo do dperformanceobtido em 2017. “Um difícil início para o ano”, havia escrito o Credit Suisse. A adversária ESTÁCIO havia fechado com um tombo de 9,9 por cento. – B3 havia caído 4,38 por cento, tendo no radar o balanço do primeiro trimestre da operadora da bolsa de valores de São Paulo, com lucro líquido recorrente tendo queda anual de 15 por cento. A companhia também havia divulgado nova previsão sobre despesas e investimentos. – SABESP havia cedido 6,02 por cento, após a empresa de saneamento paulista divulgar queda de 14 por cento no lucro líquido do primeiro trimestre na comparação anual. Para analistas do JPMorgan, os números haviam sido fracos. – CYRELA havia caído 5,42 por cento, após a construtora e incorporadora divulgar perda líquido de 51 milhões de reais no primeiro trimestre, ante lucro de 4 milhões um ano antes. A receita líquida da companhia havia caído 29,4 por cento. Analistas do Bradesco BBI haviam considerado o resultado negativo e executivos da empresa haviam mencionado que a queda dos juros da economia ainda não havia chegado para os compradores de imóveis. – CVC havia recuado 3,59 por cento, em sessão com o balanço da empresa no radar. Para analistas do Itaú BBA, os resultados haviam sido amplamente em linha com o esperado, com a receita líquida acima da expectativa sendo compensada por despesas operacionais mais altas. A CVC Corp havia tido lucro líquido adaptado de 92,2 milhões de reais no primeiro trimestre, alta de 34,6 por cento ante o mesmo fase do ano anterior pró-forma. – BRF ON havia caído 0,42 por cento, após a empresa de alimentos divulgar perda líquido de 114 milhões de reais no primeiro trimestre, ante perda de 286 milhões um ano antes. Analistas haviam realçado que os números haviam ficado em linha com as expectativas, mas haviam mencionado que o prognóstico para os próximos trimestres seguia desafiador. – NATURA havia disparado 14,65 por cento, alta lembre para o encerramento, em meio à repercussão positiva do balanço da fabricante de cosméticos, que, na visão de analistas dbrasileira m havia mostradoresultados sólidos que a ajudariama dreduzireceio sobre a chabilidadeda ecompanhiade melhorar ssuadperformance – EDP Brasil havia saltado 15,56 por cento, maior alta de encerramento da sua história, para 15,60 reais, câmbio recorde, também considerando o encerramento, em meio a notícias de que um consórcio de China com a China Three Gorges preparava uma oferta pública de aquisição pela controladora EDP. – B2W ON havia progredido 8,06 por cento, após resultado do primeiro trimestre, com analistas realçando positivamente a menor queima de caixa, que havia alcançado 477,5 milhões de reais ante consumo de 1,1 bilhão um ano antes. LOJAS AMERICANAS, que controlava a B2W, havia subido 2,83 por cento, com balanço também de pano de fundo. – Enquanto PETROBRAS ON havia subido 0,38 por cento, pETROBRAS PN havia cedido 1,2 por cento, após forte alta nos últimos pregões. Agentes financeiros conservavam o viés benigno para os papéis da petrolífera, diante de um cenário de custos do petróleo mais elevados e apostas positivas sobre a realização operacional da empresa. – valia ON havia fechado em alta de 2,39 por cento, endossada pela progressão dos custos do minério de ferro à vista na China e conforme o dólar v havia voltadoa se valorizar ante o real. – BRADESCO PN e ITAÚ UNIBANCO PN haviam caído 1,79 e 1,6 por cento, respectivamente, pesando no Ibovespa em razão da pertinente participação que ambos têm no índice, tendo como argumento para a execução uma recuperação da atividade econômica doméstica mais lenta do que o esperado.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: China, United States, United Kingdom, Brazil

Cities: York

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Ibovespa tem sessão volátil com Vale contrabalançando exterior favorável
>>>>>Ibovespa fecha em alta seguindo bolsas no exterior e com alta de blue chips – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Ibovespa recua, mas busca por barganhas sustenta patamar de 83 mil pontos – May 18, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Bovespa recua com cenário externo negativo; balanços seguem no radar – May 15, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em queda com balanços, Kroton desaba e Natura salta – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Índice reverte ganhos e recua com fraqueza em NY e alta do dólar; Petrobras limita perdas – May 14, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta liderada por salto em Petrobras, em dia de avanço do petróleo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta liderada por salto em ações da Petrobras – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha em alta novamente guiado por Petrobras, em sessão positiva para emergentes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa fecha em queda com exterior, mas Petrobras limita perdas – May 15, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Índice fecha quase estável ajudado por Vale e Petrobras; bancos pesam – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa recua com exterior, mas Petrobras renova máximas desde 2010 e atenua perda – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Commodities sustentam Ibovespa no azul em 2018 – May 16, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa fecha quase estável com ajuda de Petrobras – May 14, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 30 NONE 53 14,65 por_cento: 1, 8,06 por_cento: 1, 5,42 por_cento: 1, 2,83 por_cento: 1, 11,36 por_cento: 1, 6,02 por_cento: 1, 2,29 por_cento: 1, 5,54 por_cento: 1, 1,2 por_cento: 1, 30 por_cento: 1, 3,4 por_cento: 1, 3,5 por_cento: 1, 1,74 por_cento: 1, 10 por_cento: 1, 3,59 por_cento: 1, 1,72 por_cento: 1, 7,7 por_cento: 1, 40 por_cento: 2, 70 por_cento: 1, 35,6 por_cento: 1, 6,25 por_cento: 1, 29,4 por_cento: 1, 1,6 por_cento: 1, 0,62 por_cento: 1, 0,32 por_cento: 1, por_cento: 3, 0,8 por_cento: 1, 2,94 por_cento: 1, 0,38 por_cento: 1, 0,79 por_cento: 1, 1,62 por_cento: 1, 2,2 por_cento: 1, 4,9 por_cento: 1, 18 por_cento: 1, 5,39 por_cento: 1, 0,5 por_cento: 1, 6 por_cento: 1, 2,53 por_cento: 1, 8,7 por_cento: 1, 2,6 por_cento: 1, 15,56 por_cento: 1, 4,38 por_cento: 1, 2,9 por_cento: 1, 3,9 por_cento: 1, 0,65 por_cento: 1, 0,75 por_cento: 1, 0,42 por_cento: 1, 0,74 por_cento: 1, 3,98 por_cento: 1, 0,7 por_cento: 1
2 Ibovespa 80 50 ORGANIZATION 13 O Ibovespa: 1, o Ibovespa: 10, (tacit) ele/ela (referent: o Ibovespa): 2
3 eu 0 0 NONE 7 (tacit) eu: 7
4 bolsa 0 70 NONE 6 A bolsa paulista: 1, a bolsa local: 1, a bolsa: 1, A bolsa brasileira: 2, essa bolsa: 1
5 alta 144 0 NONE 6 forte alta: 1, alta: 3, a alta: 2
6 sessão 80 0 NONE 6 sessão: 2, sessão marcada: 1, A sessão: 1, sessão positiva: 1, esta sessão: 1
7 dólar 0 0 NONE 6 o dólar: 4, dólar: 1, o dólar v: 1
8 esta 0 0 NONE 6 esta: 6
9 Itaú Unibanco Pn 25 90 PERSON 5 Itaú: 2, (tacit) ele/ela (referent: Itaú): 1, Itaú_Unibanco_Pn: 2
10 On Petrobras 0 70 PERSON 5 Petrobras_On: 1, Petrobras_Pn: 2, (tacit) ele/ela (referent: Petrobras_Pn): 1, Petrobras: 1