Lucro da Telefônica Brasil aumenta acima do esperado no 1º tri com queda em preços

Por: SentiLecto

– Faz 1 ano, a queda em os preços operacionais e de dívida auxiliou a Telefônica Brasil que informou em comunicado que seu lucro líquido atingiu 1,342 bilhão de reais em o primeiro trimestre,, ante 1,098 bilhão de reais em o mesmo a exibi um ampliação de 22,2 por cento em o lucro líquido de o primeiro trimestre, superando sua adversária TIM Participações e as expectativas de o mercado. As ações da Telefônica Brasil, a maior operadora de telefonia móvel do país, subiram cerca de 4 por cento este ano, enquanto a TIM, que esta semana divulgou resultado abaixo do esperado, com desaceleração da receita em um mercado de telecomunicações cada vez mais competitivo, viu o valor de seus papéis recuarem mais de 6 por cento. A subsidiária de Brasilde Brasil da espanhola Telefónica registrou uma receita operacional líquida trimestral de 10,975 bilhões de reais, 1,7 por cento maior que um ano atrás, com os preços operacionais caindo 5,4 por cento, para 6,614 bilhões de reais. Excluindo os conseqüência da adoção de novas normas contábeis internacionais conhecidos como IFRS 16, o lucro líquido foi de 1,387 bilhão de reais, também acima do consenso das estimativas compiladas pela Refinitiv, de 1,282 bilhão de reais. As despesas financeiras caíram 48,1 por cento, para 90 milhões de reais, conforme a operadora diminuiu sua dívida líquida em quase 60 por cento ano a ano em um cenário de taxas de juros mais baixas. Enquanto isso, os investimentos subiram 9,6 por cento no primeiro trimestre, atingindo 1,696 bilhão de reais, com os recursos alocados principalmente no desenvolvimento da rede FTTH , assim como nas tecnologias 4G e 4.5G. A performance operacional medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização aumentou 14,9 por cento no fase, para 4,36 bilhões de reais, devido à expansão das receitas de telefonia móvel e banda larga, além do controle de cpreços Analistas esperavam, em média, um Ebitda de 3,9 bilhões de reais, segundo dados da Refinitiv.

– A rede de varejo Magazine Luiza teve lucro líquido de 132,1 milhões de reais no primeiro trimestre, queda de 10,4 por cento sobre o resultado obtido um ano antes, em linha com as estimativas de analistas. Excluindo o conseqüência da adoção de normas internacionais de contabilidade conhecidos como IFRS, o lucro líquido adicionou 138,6 milhões de reais, queda de 6 por cento em relação ao mesmo fase do ano anterior. Analistas esperavam, em média, lucro líquido de 134,55 milhões de reais, segundo dados compilados pela Refinitiv. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização subiu 31,6 por cento na comparação anual, para 395,4 milhões de reais. As vendas totais subiram 28 por cento, para 5,7 bilhões de reais, impulsionadas sobretudo pelo crescimento de 50,1 por cento do comércio eletrônico no fase. Com isso, a receita líquida da Magazine Luiza aumentou 19,8 por cento no primeiro trimestre, para 4,329 bilhões de reais. – A rede de varejo GPA teve lucro líquido consolidado de 164 milhões de reais no primeiro trimestre, uma queda de cerca de 27,4 por cento sobre a performance obtida um ano antes, informou a empresa nesta quarta-feira. Considerando ajustes relacionados à adoção doapnormacontábil IFRS 16, a ecompanhiadtalentodas bandeiras Pão de Açúcar, Extra e Assaí teve lucro de operações continuadas de 149 milhões de reais, uumaaprogressãosobre os 77 milhões de um ano antes. Analistas, em média, esperavam lucro líquido de 222,67 milhões de reais, segundo dados da Refinitiv. Se os números são comparáveis, não ficou imediatamente claro. O GPA apurou um resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização adaptado de 642 milhões de reais no primeiro trimestre, progressão ante os 546 milhões registrados um ano antes. Incluindo os conseqüência do IFRS 16 o Ebitda adaptado pulou para 875 milhões de reais, ante 757 milhões um ano antes. Faz 2 meses, a receita líquida de a empresa em março foi de 12,7 bilhões de reais, alta de 12 por cento em o comparativo anual. A margem bruta, porém, recuou 0,6 ponto percentual, a 21,9 por cento. – A BB Seguridade, que reúne os negócios de seguros e previdência do Banco do Brasil, teve lucro adaptado de 1,01 bilhão de reais, crescimento de 11,7 por cento ante mesma etapa do ano passado. As aplicações em títulos renderam um resultado financeiro 60,8 por cento maior ano a ano, impulsionado pela deflação do IGP-M de atualização das reservas de planos tradicionais, e elevação do IPCA, que afetaram o resultado brasileiro. Isso compensou com sobras na última linha a performance operacional mais fraca, com o volume total de prêmios emitidos de seguros, contribuições de previdência e arrecadação com títulos de capitalização adicionando 11,2 bilhões de reais, queda de 12,1 por cento no comparativo anual. Faz 6 meses, essa queda em as receitas refletiu a finalização de a venda passado, de sua fatia em uma joint venture para a Mapfre que inclui seguros automotivo e de grandes riscos., que inclui seguros automotivo e de grandes riscos. A lucratividade anualizada sobre o patrimônio líquido deu um salto de 18,5 pontos percentuais ano a ano, para 58,9 por cento. O movimento confirma a previsão feita por executivos da empresa no ano passado, de que a venda da fatia em negócios menos rentáveis e que exigiam mais capital, redundariam em melhora da lucratividade.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Lucro da Telefônica Brasil aumenta acima do esperado no 1º tri com queda em preços
>>>>>Magazine Luiza tem lucro de R$132 mi no 1º tri – (Extraoglobo-pt)
>>>>>GPA tem lucro consolidado de R$164 mi no 1º tri – (Extraoglobo-pt)
>>>>>BB Seguridade tem lucro 11,7% maior no 1º tri, rentabilidade dispara – May 06, 2019 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 15 27,4 por_cento: 1, 1,7 por_cento maior: 1, 60,8 por_cento: 1, 28 por_cento: 1, 19,8 por_cento: 1, 48,1 por_cento: 1, 5,4 por_cento: 1, 14,9 por_cento: 1, 58,9 por_cento: 1, 60 por_cento ano: 1, 12 por_cento: 1, 31,6 por_cento: 1, 4 por_cento: 1, 9,6 por_cento: 1, 21,9 por_cento: 1
2 lucro 400 0 NONE 11 o lucro: 2, o lucro líquido: 2, lucro líquido de 134,55_milhões: 1, lucro líquido consolidado de 164_milhões: 1, lucro líquido de 222,67_milhões: 1, seu lucro líquido: 1, lucro líquido de 132,1_milhões: 1, lucro ajustado de 1,01_bilhão: 1, O lucro: 1
3 resultado 20 0 NONE 4 resultado: 1, um resultado operacional medido: 1, um resultado financeiro: 1, o resultado obtido: 1
4 impostos depreciação e amortização 0 240 NONE 3 impostos depreciação e amortização: 3
5 desempenho 120 115 NONE 3 o desempenho obtido: 1, o desempenho operacional mais fraco: 1, O desempenho operacional medido: 1
6 analistas 240 0 NONE 3 Analistas: 3
7 queda 80 0 NONE 3 A queda: 1, Essa queda: 1, uma queda: 1
8 Mapfre 0 0 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: a Mapfre): 1, a Mapfre: 2
9 média 0 0 NONE 3 média: 3
10 BB Seguridade 160 0 ORGANIZATION 2 A BB_Seguridade: 2