Lucro líquido da Natura mais que dobra para R$132,8 mi no 3º tri

Por: SentiLecto

– A fabricante de Brasil de cosméticos Natura teve lucro líquido consolidado de 132,8 milhões de reais no terceiro trimestre, mais que dobro do resultado apurada um ano antes, impulsionada por despesas financeiras menores e firme resultado operacional. Faz 2 meses, a geração de caixa medida por o lucro, impostos, depreciação e amortização progrediu 7,2 por cento entre julho e setembro, para 478,8 milhões de reais. Ignorando os conseqüência da hiperinflação na Argentina e outros conseqüência no Brasil, incluindo preços de mudanças do marca The Boody Shop, o Ebitda adaptado pró-forma foi de 496,6 milhões de reais, alta de 33,7 por cento ano a ano. A Natura ainda apurou receita líquida consolidada de 3,24 bilhões de reais no terceiro trimestre, alta de 37,1 por cento ano a ano, e a margem bruta ampliou 240 pontos base, para 73,3 por cento. Só no Brasil, a empresa registrou um crescimento de 9,4 por cento nas vendas e margem bruta de 70,3 por cento. Ao mesmo tempo, os gastos totais com vendas, marketing e logística ampliaram 55,8 por cento na mesma comparação, para 1,534 bilhão de reais, enquanto a despesa financeira líquida caiu 40,5 por cento, para 163,9 milhões de reais. Faz 2 meses, a o fim a Natura acumulava uma dívida líquida de 5,76 bilhões de reais, 3,8 por cento maior em relação a o terceiro trimestre de 2017. Contudo, a alavancagem medida pela relação dívida líquida sobre Ebitda caiu a 3,27 vezes, de 3,52 vezes um ano atrás.

– A Marfrig teve perda líquida de 126 milhões de reais no terceiro trimestre, refletindo o efeito cambial sobre a dívida, além de despesas não recorrentes, embora a perda tenha sido 28 por cento menor do que um ano antes. Faz 2 meses, a performance operacional de a empresa medido por o lucro, impostos, depreciação e amortização aumentou quase cinco vezes em a comparação anual, adicionando 1,055 bilhão de reais de julho a setembro. Em termos adaptados, o Ebitda atingiu recorde de 1,08 bilhão de reais, superando em 23 por cento a soma apurada um ano atrás, com margem de 9,7 por cento. Considerando o resultado ao acionista controlador, a Marfrig teve uma perda líquida de 80 milhões de reais. No fim de setembro, a dívida bruta da Marfrig, quase toda em moeda estrangeira, era de 4,83 bilhões de dólares. Em reais, adicionava 19,34 bilhões. A alavancagem medida pela relação dívida líquida adaptada e Ebitda adaptado , era de 2,57 vezes em reais, e 2,3 vezes em dólar. A Marfrig teve receita líquida lembre de 11 bilhões de reais no trimestre, alta de 21 por cento em relação ao número proforma do mesmo fase de 2017. O maior volume beneficiou o faturamento de vendas em a América do Sul , além do efeito positivo de 2,045 bilhões de reais proveniente de a depreciação de o real que compensou o custo médio de vendas mais baixo e o menor número de semanas em a operação de a América do Norte ,. Os gastos com vendas, gerais e administrativas subiram 30 por cento na comparação ano a ano, para 608 milhões de reais, com conseqüência da cotação nas operações internacionais. As despesas financeiras subiram 49,35 por cento por cento, a 572 milhões de reais, progressão atribuída pela companhia a despesas provisória de 90 milhões de reais ligadas ao empréstimo para compra da National Beef. Faz 3 meses, mais cedo, a Marfrig informou que o órgão regulador chino aprovou a venda de sua unidade Keystone Foods para a norte-americana Tyson Foods.- A administradora de shopping centers Iguatemi teve lucro líquido de 65,6 milhões de reais no terceiro trimestre, superando em 23,6 por cento o resultado apurado um ano antes, apoiada no avanço das receitas em meio à redução dos descontos sobre aluguel cobrado de lojistas e ao fortalecimento das vendas nos empreendimentos, além de menos despesas. “O cenário já está melhorando e o terceiro trimestre mostrou Cristina Betts adicionando que os esforços dos últimos anos para melhorar o mix de lojas dos empreendimentos já repercutem nos resultados. Cristina Betts é a diretora financeira do grupo. Cristina Betts é a diretora financeira do grupo.Entre julho e setembro, as vendas aumentaram 4,8 por cento na concepção mesmas áreas, e 2,9 por cento em mesmas lojas sobre um ano antes. Já os aluguéis tiveram altas de 5,3 e 1,8 por cento, respectivamente, com a diminuição dos descontos aos lojistas. Com isso, a receita líquida ampliou 4,6 por cento ante o terceiro trimestre do ano passado, para 177,6 milhões de reais. A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização subiu 5,5 por cento, para 141,2 milhões de reais, com margem de 79,5 por cento. Betts realçou que a Iguatemi tem que continuar reajustando os custos de locação de lojas nos próximos meses, provavelmente zerando os descontos até o fim de 2019. “Ainda estamos um pouco longe de zerar os descontos, mas vendas mesmas lojas vieram bastante boas e mostram espaço para pensar nessas diminuições”, declarou. Para o quarto trimestre, a executiva cita uma perspectiva positiva, com melhores índices de confiança e menos incertezas após o desfecho eleitoral favorecendo o fluxo de visitas e vendas em shopping, em um período já marcado por duas das datas mais importantes para o varejo. “A Black Friday iniciou no ecommerce e se disseminou para o varejo como um todo e nossos lojistas estão aprendendo a utilizar data de maneira mais inteligente, com promoções que não canibalizam o Natal e maximizam as vendas do trimestre”, alegou Betts. Questionada sobre o lançamento de novos empreendimentos, a diretora financeira realçou que a empresa vai estar focada no próximo ano em melhorar a lucratividade de ativos existentes, mas não descarta expansões ou aquisição de mais participação em shoppings em que é minoritária. Um dos mais recentes projetos do grupo, o I Fashion Outlet Santa Catarina, tem inauguração calculada para dezembro. Ainda segundo Betts, a Iguatemi não tem planos de internacionalização dos negócios no médio prazo e vê a nova plataforma de comércio eletrônico como importante avenida de crescimento nos próximos anos. Faz 2 meses, a o fim a empresa acumulava dívida total de 2,16 bilhões de reais, com prazo médio de 4,5 anos. A alavancagem medida pela relação dívida líquida sobre Ebitda era de 2,84 vezes, estável sobre o segundo trimestre. Em 2018, as ações da Iguatemi acumulam baixa de pouco mais de 2 por cento.- Apesar de forte geração de caixa e receita lembre para o fase, a MRV teve lucro líquido menor no terceiro trimestre sobre um ano antes, mas está confiante que concluirá o ano com resultados mais fortes, atingindo a meta de 50 mil unidades arremessadas. “Faz 1 mês, as vendas foram bastante fortes, principalmente em os 10 últimos dias, e historicamente o quarto trimestre é bom, então estamos otimistas de que vai ser melhor que o terceiro”, declarou à Reuters o copresidente da maior construtora de imóveis econômicos da América Latina, Rafael Menin. Faz 2 meses, em 30 de setembro, a MRV teve lucro líquido de 174 milhões de reais, 13,8 por cento inferior a o apurado um ano atrás e abaixo da estimativa média de 176,2 milhões de reais apurada por a Refinitiv, em o trimestre concluído. A performance operacional medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização caiu 12,7 por cento na mesma comparação, para 238 milhões de reais, também inferior à expectativa de 253,9 milhões de reais em levantamento da Refinitiv. De acordo com Menin, ambos os números teriam sido melhores não fosse pelo ganho não recorrente de 46,5 milhões de reais oriundo da capitalização da subsidiária de galpões logísticos Log Commercial Properties e Participações no terceiro trimestre do ano passado. “Foi um ajuste contábil… A única explicação é essa para a queda de lucro e Ebitda”, comentou o executivo. Na semana passada, a MRV informou que começou preparativos para listar a controlada Log no Novo Mercado, o segmento com as mais estritas pré-requisito de governança da B3. Perguntado sobre as expectativas para o governo de Jair Bolsonaro, Menin declarou que a construtora aposta no prosseguimento do programa Minha Casa Minha Vida , apesar dos atuais esforços da União para diminuir o déficit fiscal. “Pode ser que haja mudança, mas nenhuma expressiva. Não acreditamos em ruptura no novo governo”, afirmou o copresidente da MRV, destacando que a empresa opera principalmente nas faixas 2 e 3 do programa, que consomem menos subsídios. “Enquanto o imposto arrecadado é de 4 por cento, sob a ótica fiscal, estamos super confortáveis porque a subvenção é de 0,7 por cento sobre o valor do imóvel”, adicionou.Entre julho e setembro, a MRV gerou uma receita operacional líquida total de 1,35 bilhão de reais, atingindo um recorde para o terceiro trimestre e superando em 8,6 por cento a soma observada um ano atrás. Já a geração de caixa mais que dobrou para 242 milhões de reais, favorecida pelo recebimento de vendas anteriores. Faz 1 mês, em a prévia operacional a companhia reportou queda de 6,6 por cento em vendas contratadas de o terceiro trimestre ante igual pausa de 2017, para 1,445 bilhão de reais, devido a instabilidades em financiamentos por o FGTS em o Estado de São Paulo. As ações da MRV concluíram em baixa nesta quarta-feira, acumulando queda de pouco mais de 13 por cento este ano.

Na sexta-feira 26 de outubro – A Usiminas registrou um lucro líquido de 289 milhões de reais no terceiro trimestre, alta de 280 por cento ante o resultado no mesmo fase de 2017, com uma ampliação de 41 por cento na receita líquida puxado por maiores vendas de minério e alta do volume e custos do aço. O resultado operacional medido lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização havia adicionado 686 milhões de reais, alta de 54,5 por cento, com progressão de 2 pontos percentuais na margem para 18 por cento. Com ajustes, o Ebitda subiu 55 por cento para 703 milhões de reais — o melhor Ebitda adaptado em 8 anos, excluindo-se os conseqüência do acordo com o Porto Sudeste no segundo trimestre de 2017, declarou a companhia. Faz 1 ano, a margem Ebitda adaptado havia. haviam contribuído para o resultado os maiores custos e volumes de aço no mercado doméstico e maiores custos na exportação, bem como maiores volumes de minério de ferro no fase, havia declarado a Usiminas. A receita líquida havia adicionado 3,862 bilhões de reais no trimestre, alta de 41 por cento sobre o terceiro trimestre de 2017 e de 21 por cento sobre o segundo trimestre deste ano. A Usiminas havia vendido um total de 1,107 milhão de toneladas de aço no terceiro trimestre, maior volume de vendas desde o quarto trimestre de 2015 e alta de quase 9 por cento ante o mesmo fase de 2017. Desde total, 90 por cento haviam sido destinado ao mercado interno e 10 por cento às exportações. A desvalorização do real frente ao dólar havia auxiliado a garantir um maior custo em reais pelo produto exportado, havia declarado. O volume de vendas de minério havia saltado 95,6 por cento para 1,768 milhão de toneladas na comparação anual, em função do maior volume exportado, maior volume vendido para a planta de Ipatinga e para terceiros no mercado doméstico, havia declarado a companhia. O custo médio do minério de ferro no mercado internacional havia recuado 6 por cento ante um ano antes, para 66,68 dólares a toneladas, segundo a companhia, mas Faz 7 meses, se havia, ” em função de um equilíbrio em o mercado, percebido pela primeira vez em os últimos anos “. O preço dos produtos vendidos havia subido 35 por cento para 3,2 bilhões de reais no terceiro trimestre. RESULTADO FINANCEIRO A Usiminas havia registrado uma piora no resultado financeiro no trimestre, que havia ficado negativo em 134,38 milhões de reais, ante resultado negativo de cerca de 65 milhões de reais no terceiro trimestre de 2017, com perdas de 19,1 milhões de reais devido à variação cambial. O capital de giro havia sido de 3,5 bilhões de reais no fase, ante 3,7 bilhões de reais no segundo trimestre. Faz 5 meses, a dívida líquida consolidada de a Usiminas havia, ante 4,7 bilhões de reais em o fim de junho, fazendo o nível de alavancagem medido por a dívida líquida-Ebitda recuar para 1,8 vez ante 2,3 vezes em o fim de o segundo trimestre.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil, Argentina

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Lucro líquido da Natura mais que dobra para R$132,8 mi no 3º tri
>>>>>Marfrig tem prejuízo de R$126 mi no 3º tri afetada por câmbio e despesas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Iguatemi lucra 23,6% mais no 3º tri, vê espaço para reduzir mais descontos a lojistas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>MRV tem lucro quase 14% menor no 3º tri, mas vê resultados melhores até fim do ano – November 07, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Magazine Luiza lucra 29% mais no 3º tri com crescimento de vendas puxado por ecommerce – November 05, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 140 NONE 26 49,35 por_cento por_cento: 1, 33,7 por_cento ano: 1, 30 por_cento: 1, 1,8 por_cento: 1, 10 por_cento: 1, 3,8 por_cento maior: 1, 5,5 por_cento: 1, 55,8 por_cento: 1, 8,6 por_cento: 1, 40,5 por_cento: 1, 54,5 por_cento: 1, 4,8 por_cento: 1, por_cento: 1, 4 por_cento: 1, 95,6 por_cento: 1, 90 por_cento: 1, 12,7 por_cento: 1, 7,2 por_cento: 1, 18 por_cento: 1, 55 por_cento: 1, 73,3 por_cento: 1, 28 por_cento menor: 1, 4,6 por_cento: 1, 23 por_cento: 1, 13,8 por_cento inferior: 1, 0,7 por_cento: 1
2 MRV 500 20 ORGANIZATION 9 A MRV: 1, (tacit) ele/ela (referent: A MRV): 3, (tacit) ele/ela (referent: a MRV): 2, a MRV: 3
3 lucro 0 20 NONE 9 o lucro: 4, lucro líquido menor: 1, lucro: 1, um lucro líquido de 289_milhões: 1, lucro líquido consolidado de 132,8_milhões: 1, lucro líquido de 174_milhões: 1
4 resultado 120 70 NONE 7 firme resultado operacional: 1, O resultado operacional medido: 1, resultado financeiro: 1, resultado negativo: 1, o resultado: 3
5 companhia 180 0 NONE 7 a companhia: 3, a empresa: 4
6 vendas 130 0 NONE 7 as vendas: 2, As vendas: 1, vendas: 4
7 Marfrig 240 160 ORGANIZATION 6 A Marfrig: 2, a Marfrig: 2, (tacit) ele/ela (referent: a Marfrig): 2
8 receita 100 0 NONE 6 a receita líquida: 2, receita líquida: 2, A receita líquida: 1, uma receita operacional líquida: 1
9 impostos depreciação e amortização 0 400 NONE 5 impostos depreciação e amortização: 5
10 reais 480 0 NONE 5 reais: 5