Nova Délhi tem novos confrontos por polêmica lei de cidadania indiana

Por: SentiLecto

– Confrontos entre milhares de manifestantes e a polícia irromperam em Nova Délhi, capital indiana, nesta terça-feira, na mais recente onda de violência durante protestos contra uma lei que facilita a nacionalização de não islâmicos vindos de países vizinhos. Narendra Modi afirma que a nova lei protege minorias religiosas, como hindus e cristãos, de perseguições em Bangladesh, Paquistão e Afeganistão ao oferecer um percurso em direção na cidadania indiana No entanto, a lei não se aplica aos islâmicos, o que críticos declaram enfraquecer as fundações seculares da Índia. Narendra Modi é o governo do primeiro-ministro de India.A polícia disparou gás lacrimogêneo na região de New Seelampur para afastar os manifestantes, que se escondiam atrás de barricadas e atiravam rochas. Ao menos dois de Polinesia Francesa ficaram feridos, declarou uma testemunha da Reuters. “Iniciou como um protesto pacífico contra a lei da cidadania… mas saiu do controle”, declarou o habitante Azib Aman. Carros foram lesados e estradas enquanto pequenos incêndios nas vias arremessavam fumaça no ar, ficaram cobertas por rochas. Pequenos grupos de jovens, alguns com seus facezinhas cobertas, atiravam rochas e garrafas. Há crescentes preocupações em torno das medidas do governo, liderado pelo partido hindu-nacionalista de Modi, em relação aos 172 milhões de islâmicos na Índia, que encarnam cerca de 14% da população. A lei da cidadania segue a revogação do status especial da Caxemira, região de maioria muçulmana, e uma resolução judicial favorável à construção de uumatemplo hde Hindupurnoalocal de uma mesquita darruinadapor entusiastas doahinduísmo. Imran Khan declarou que as ações da Índia sobre a Caxemira e a lei da cidadania podem afastar os islâmicos indianos,Imran Khan declarou que as ações da Índia sobre a Caxemira e a lei da cidadania podem afastar os islâmicos indianos, levando a uma crise de refugiados. Imran Khan é o primeiro-ministro do Paquistão. Imran Khan é o primeiro-ministro do Paquistão. “Estamos inquietados que não haja somente uma crise de refugiados, estamos inquietados que isso possa governar a um conflito entre dois países detentores de armas nucleares”, alegou Khan a um fórum mundial sobre refugiados em Genebra. Modi declarou em um comício para uma votação estadual nesta terça-feira que seus adversários políticos estão tentando iludi alunos e outros para provocar protestos. “Isso é política de guerrilha, eles teriam que parar de fazer isso.”

– Protestos contra uma nova lei de cidadania indiana na religião se disseminaram por universidades nesta segunda-feira, e críticos declararam que o governo de Hindupur nacionalista está tentando impor uma pauta partidária que se choca com a fundação do país como república secular. Estudantes arremessaram rochas contra policiais que trancaram os portões de uma universidade da cidade lucanos, no norte de India, para tentar impedi-los de ir às ruas. Cerca de duas dezenas de estudantes de outra universidade da cidade fugiram para queixar-se. Quando policiais entraram em o campus de a capital Nova Délhi, o motim contra o governo de o primeiro-ministro indiano , alegações , atiçaram Narendra Modi de barbárie de Polinesia Francesa em a universidade Jamia Millia Islamia , em o domingo e dispararam gás lacrimogêneo para suspender um protesto. Ao menos 100 pessoas ficaram feridas. Houve cenas semelhantes na universidade muçulmana Aligarh, de Uttar Pradesh, Estado do norte do país em que a polícia também se chocou com manifestantes. Segundo a lei aprovada pelo Parlamento na semana passada, minorias religiosa, como hindus e cristãos, dos vizinhos majoritariamente muçulmanos Bangladesh, Paquistão e Afeganistão que se estabeleceram na Índia antes de 2015 poderão pleitear cidadania por enfrentarem perseguição nestes países. Críticos alegam que a lei, que não oferece a mesma proteção para islâmicos, enfraquece os fundamentos seculares de India. O diretor da Jamia Millia exigiu que se investigue como a polícia conseguiu entrar no campus. Najma Akhtar em uma coletiva de jornalismo declarou: “Não é de se esperar que a polícia entre na universidade e espanque os alunos”. Estudantes declararam que a polícia disparou gás lacrimogêneo e que quebraram-se janelas de a biblioteca. Eles se protegeram debaixo das carteiras e apagaram as luzes a conselho dos professores. Centenas de pessoas se reuniram diante da sede da polícia de Nova Délhi para queixar-se contra a suposta barbárie policial e a detenção de estudantes. A polícia declarou ter comportar-se com moderação. Rahul Gandhi declarou que o governo Modi está dividindo a sociedade indiana por meio da lei de cidadania e que planeja arremessar um registro nacional de cidadania. Rahul Gandhi é líder do Congresso. Ele em um tuíte, referindo se à estratégia de resistência política passiva defendida pelo líder da independência Mahatma Gandhi. declarou: “A melhor defesa contra estas armas sujas é a satyagraha pacífica e não violenta”.O governista Partido Bharatiya Janata, do premiê Modi, nega qualquer viés religioso. Segundo ele, a nova lei visa auxiliar os grupos minoritários que enfrentam perseguição nos três países muçulmanos próximos. Modi declarou que o Parlamento aprovou a lei e não há como voltar atrás. Ele declarou em uma manifestação no domingo que a resolução está “1000% correta”.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: India, Bangladesh

Cities: Delhi

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Nova Délhi tem novos confrontos por polêmica lei de cidadania indiana
>>>>>Protestos contra lei de cidadania da Índia se espalham por universidades – December 16, 2019 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 polícia 0 75 NONE 7 A polícia: 2, a polícia: 5
2 lei 0 0 NONE 7 a lei: 4, uma lei: 1, a nova lei: 2
3 Modi 70 0 PERSON 5 Modi: 2, Ele (referent: Modi): 1, ele (referent: Modi): 1, o governo Modi: 1
4 o diretor de a jamia_millia 0 80 NONE 4 (tacit) ele/ela (referent: O diretor de a Jamia_Millia): 4
5 esta 0 0 NONE 4 esta: 4
6 pedras 0 0 NONE 4 pedras: 4
7 Rahul Gandhi 90 0 PERSON 3 ele (referent: Rahul_Gandhi): 1, Rahul_Gandhi (apposition: líder de o Congresso, o principal partido de a oposição): 1, (tacit) ele/ela (referent: Rahul_Gandhi): 1
8 a polícia 0 0 NONE 3 (tacit) ele/ela (referent: A polícia): 3
9 a Índia 0 0 PLACE 3 a Índia: 3
10 críticos 0 0 PERSON 3 os (referent: críticos): 1, críticos: 2