Omega Geração tem aquisição de fatia em usina solar aprovada sem limitações no Cade

Por: SentiLecto

– A elétrica Omega Geração teve aprovada sem limitações pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica a aquisição de uma fatia de 50 por cento em uma usina solar, negociada junto à canadense Canadian Solar e à frde FranciaDF EN, da EDF, segundo despacho do órgão no Diário Oficial da União desta segunda-feira. A operação, anunciada em agosto pela Omega, envolve um valor total de 1,1 bilhão de reais, incluindo assunção de dívidas de longo prazo do empreendimento, em Pirapora, que tem uma habilidade instalada de 321 megawatts, Minas Gerais. O Cade em seu parecer sobre a transação alegou: “A operação não suscita problemas anticoncorrenciais”. Enquanto a Canadian Solar deixa de ser acionista, após o negócio, a Omega Geração passa a compartilhar o controle do empreendimento com a EDF.

– O Conselho Administrativo de Defesa Econômica decidiu pela aprovação sem limitações de uma eventual aquisição do controle do grupo de Portugal EDP Energias de Portugal pela de China China Three Gorges, segundo despacho no Diário Oficial da União desta segunda-feira. A análise do órgão de defesa da concorrência ocorre após a de China CTG ter anunciado na Europa que prepara uma oferta pública de aquisição pela EDP, controladora da EDP Brasil, que opera distribuidoras de eletricidade no país e ainda tem ativos de geração e transmissão de energia. “A operação…consiste na aquisição, pela CTG Europa, do controle unitário sobre o Grupo EDP, a ser realizada por meio de uma oferta pública voluntária de aquisição…com a aprovação da operação, espera-se que a CTG Europa passe a deter, ao menos, 50 por cento do capital votante do Grupo EDP”, explicou o Cade em seu parecer sobre a transação. A de China CTG já tem uma fatia de cerca de 23,27 por cento no Grupo EDP. A elétrica de Orizaba também atua em separado no Brasil, por meio da subsidiária CTG Brasil, uma das líderes do mercado local de geração. De acordo com o Cade, as companhias declararam que o negócio ofereceria à CTG “ochancede investimento em linha com sua estratégia inserção internacional”. O órgão defendeu a aprovação da transação ao compreender que a operação entre as empresas seria “incapaz de modificar significativamente a estrutura dos mercados de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica em todos os cenários considerados”. Ao comentar a oferta da CTG anteriormente, a EDP declarou que o negócio envolveria o aporte de ativos da elétrica chinesa no Brasil na EDP, o que poderia fazer da EDP Brasil a líder em habilidade instalada de geração entre agentes privados no mercado de energia brasileiro. A liderança atualmente é da de Francia Engie, seguida pela CTG Brasil. Procurada, a EDP Brasil não comentou de imediato o aval do Cade ao negócio envolvendo sua controladora e a CTG. A CTG Brasil também não comentou de imediato.

Na quarta-feira 29 de agosto – A habilidade instalada em energia solar no Brasil deve fechar o ano perto de 2,5 gigawatts, um salto de cerca de 115 por cento ante a marca de 1,15 gigawatt no final de 2017, projetou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica . O impulso à fonte, que apesar de um enorme potencial r representavaapenas 0,8 por cento na chabilidadedo país, dominada por hidrelétricas e com crescente participação de térmicas e eólicas, d devia virtanto da construção de grandes parques fotovoltaicos quanto de instalações menores, em ttetos Esses sistemas de pequeno porte, conhecidos como geração distribuída, inclusive, devem crescer em ritmo um pouco mais acelerado que a capacidade das grandes usinas em 2018, segundo a Absolar, que vê o país fechar o ano com 410 megawatts em energia solar distribuída, alta de 124 por cento ante 2017. Já as grandes plantas solares deviam adicionar 2,06 gigawatts até o fim do ano, uma expansão de 114 por cento, segundo a associação, que havia exibido suas previsões atualizadas em uma conferência do setor em São Paulo. Os principais fatores que têm puxado o agilizado crescimento das pequenas instalações de energia solar em residências, comércios e indústrias eram a disparada das tarifas de energia nos últimos anos e a expressiva queda nos custos dos equipamentos de geração, a maior parte importada da China. O preço no Brasil de um sistema de até 5 kilowatts-pico havia caído quase 30 por cento entre 2013 e 2017, de acordo com levantamento do Instituto Ideal, da Universidade Federal de Santa Catarina. Segundo o diretor de estudos de energia da estatal Empresa de Pesquisa Energética , Amílcar Guerreiro, a expansão solar tem à sua disposição no país um universo de cerca de 50,7 milhões de residências –em uma projeção conservadora, sem contar econstruções- ou 3,9 bilhões de metros quadrados em ttetosque podem ser cobertos por placas fotovoltaicas. Isso seria suficiente para produzir energia equivalente a duas vezes o consumo residencial atual no país. Ele havia estimado, no entanto, Em 9 anos, que a geração distribuída como um todo em o Brasil, incluindo uma participação menor de outras fontes, tinha que alcançar cerca de 3 por cento de a geração total de energia. Apesar da pequena parcela final, isso encarnaria um crescimento médio de 143 por cento ao ano na tecnologia. O potencial de crescimento da geração solar no Brasil tem atraído grandes provedores internacionais do segmento. Enquanto fabricantes como as chinesas Trina Solar, JA Solar, Yingli Solar e outras haviam abrido escritórios no país para importar equipamentos, a chinesa BYD e a canadense Canadian Solar haviam abrido fábricas locais. demandava atrapalhava Um plano de longo prazo da EPE para o setor de energia a ser divulgado no próximo mês, o chamado Plano Decenal, assinalaria para uma perspectiva de que as usinas solares de grande porte alcancem quase 5 por cento do parque gerador do país em 2027. Segundo Guerreiro, o crescimento poderia ser ainda maior, dado o potencial, mas seria restringido pela performance da economia de Brasilde Brasil, que tem puxado para baixo expectativas de procura por eletricidade. As baixas projeções de procura, inclusive, haviam justificado uma escolha do governo de não autorizar a contratação de mais usinas solares em um leilão para novos projetos agendado para sexta-feira, o chamado A-6, segundo Guerreiro. ” temos mais um ano com o mercado ‘caminhando de lado’… a procura ainda não estava reagindo. A gente esperava que reaja”, havia declarado. Outro fator que impactava o ritmo de expansão da fonte era a necessidade de complementação, uma vez que a geração solar era concentrada durante o dia e variava com o clima. Faz 1 ano, segundo Guerreiro, isso tinha que exigir cerca de 13 gigawatts em opções para auxiliar em o controle de a operação de o sistema elétrico hidrelétricas reversíveis, que podiam guardar energia, como térmicas de partida rápida, hidrelétricas reversíveis, que podiam guardar energia, e até mesmo baterias para armazenamento. “A gente desejava ter penetração de renováveis, era importante, mas a gente tinha que preparar o sistema para recebê-las”, havia afirmadou. A EPE calculava no PDE 2027 que renováveis, incluindo eólicas, solares e à biomassa, d deviam chegara quase 61 gigawatts em chabilidadeem 2027, quase dobrando os atuais 33,4 gigawatts e chegando a 30 por cento da matriz, ante 21 por cento atuais. As hidrelétricas, por sua vez, perderão espaço –embora devam chegar a 110,5 gigawatts, ante 102 gigawatts hoje, a participação cairá de 64,4 por cento para 53,5 por cento.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Uruguay

Cities: Minas

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Omega Geração tem aquisição de fatia em usina solar aprovada sem limitações no Cade
>>>>>Cade dá aval sem restrições a possível aquisição da EDP pela chinesa Three Gorges – September 24, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>EDP Renováveis estreia em energia solar no Brasil com contrato privado de 199 MW – September 21, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 2 0 NONE 8 (tacit) eu: 8
2 gigawatts 0 0 NONE 7 13 gigawatts: 1, gigawatts: 1, 2,5 gigawatts: 1, 2,06 gigawatts: 1, 102 gigawatts: 1, 110,5 gigawatts: 1, 33,4 gigawatts: 1
3 por_cento 0 0 NONE 7 0,8 por_cento: 1, 53,5 por_cento: 1, 115 por_cento: 1, 23,27 por_cento: 1, 64,4 por_cento: 1, 21 por_cento atuais: 1, por_cento: 1
4 o Brasil 0 0 PLACE 6 o Brasil: 5, o Brasil de um sistema: 1
5 CTG 0 0 ORGANIZATION 4 a CTG: 2, a chinesa CTG: 1, A chinesa CTG: 1
6 geração 0 0 NONE 4 a geração distribuída: 1, geração: 1, a geração solar: 2
7 negócio 0 0 NONE 4 o negócio: 4
8 operação 0 0 NONE 4 a operação: 1, A operação: 3
9 energia 120 0 NONE 3 energia: 2, energia solar: 1
10 gente 6 0 NONE 3 A gente: 2, a gente: 1