Perfuradoras dos EUA somam maior número de sondas desde fevereiro, dia Baker Hughes

Por: SentiLecto

– Faz 3 meses, as empresas de energia de as Estados Unidos somaram o maior número de sondas de petróleo tanto quanto em o mês desde fevereiro, já que as perfuradoras continuam a regressar a os poços com os custos de o petróleo em máximas desde o fim de 2014. A contagem total de sondas de petróleo subiu em 15, para 859, na semana que conclui em 25 de maio, o maior nível desde março de 2015, declarou a companhia de serviços de energia Baker Hughes em seu relatório semanal nesta sexta-feira. Faz 1 mês, a contagem aumentou em 34 sondas, a segunda ampliação mensal consecutiva, após subir 28 em abril, em o mês. A contagem de sondas dos EUA, um indicador prévio da produção futura, está bastante maior do que um ano atrás, na medida em que as companhias de energia estão ampliando sua produção em conjunto com os esforços da Opep de cortar a produção mundial em uma tentativa de tirar benefício da alta dos custos, quando 722 sondas estavam ativas. Nesta sexta-feira, no entanto, os futuros do petróleo dos EUA caíam quase 3 por cento, para cerca de 68 dólares o barril, depois que a Opep e a Rússia declararam que estavam considerando ampliar a produção. Faz 4 anos, 72 dólares negociaram por mais de 72 dólares, sua máxima desde novembro de 2014, em o início de a semana.

– Uma procura mundial forte auxiliou a amortecer o efeito das tarifas de importação dos Estados Unidos na Nippon Steel, mas o principal siderúrgico japonês continua inquietado que os obstáculos comerciais dos EUA podem levar a um excesso de produtos na Ásia, com um mercado bastante maior. O Japão está entre os 10 maiores exportadores de aço para os Estados Unidos, que em março passou a cobrar uma tarifa de 25 por cento sobre produtos de aço, com o objetivo de diminuir compras da China. À Reuters em entrevista na semana passada o vice-presidente executivo da Nippon Steel, Katsuhiro Miyamoto declarou: “Não houve grande efeito das tarifas dos EUA graças a uma sólida procura mundial”.A Nippon Steel, cujos carregamentos para os EUA representam 4 por cento de suas exportações totais, viu mais de 90 por cento de seus clientes mantendo a compra de seus produtos mesmo depois que as tarifas foram impostas, por serem produtos especializados como trilhos e canos longos, disse Miyamoto. As subsidiárias da Nippon Steel nos EUA que têm habilidade de produção combinada de 7,1 milhões de toneladas estão se beneficiando dos custos mais altos, ele adicionou. Ele declarou: “Mas estamos observando de perto para onde estão indo os produtos que foram barrados dos Estados Unidos, já que eles podem prejudicar o mercado de Asipovicy se vierem para esta área”. Cerca de 70 por cento das exportações da Nippon Steel vão para a Ásia. As pesadas tarifas dos EUA sobre o aço poderiam modificar o sudeste da Ásia no novo posto de caça para exportadores mundiais encontrarem compradores, declaram representantes da indústria e operadores, instituindo um excesso que poderia diminuir custos e levar alguns produtores à falência. Por agora, Miyamoto está otimista sobre a procura por aço na Ásia. “A procura do Japão em construção e automóveis é sólida. Na China, os gastos dos consumidores também estão fortes e há vários projetos de infraestrutura como metrôs e apartamentos próximos às estações”, ddeclarouele. Dada a perspectiva de uma procura saudável e seus gastos atuais para modernizar unidades mais antigas, a Nippon Steel planeja aumentar sua produção de aço bruto para mais de 42,6 milhões de toneladas no corrente ano até março de 2019, ante 40,67 milhões de toneladas há um ano. A empresa também busca melhorar margens ampliando custos de produtos para auxiliar na absorção de preços em alta de materiais auxiliares, como manganês e zinco, e despesas de distribuição, declarou Miyamoto. O fabricante não fornece uma previsão de resultados. Uma pesquisa Thomson Reuters com 13 analistas calcula um lucro recorrente médio de 351 bilhões de ienes para o ano atual, contra 297,5 bilhões de ienes no ano passado. REUTERS ID- Uma procura mundial forte auxiliou a amortecer o efeito das tarifas de importação dos Estados Unidos na Nippon Steel, mas o principal siderúrgico japonês continua inquietado que os obstáculos comerciais dos EUA podem levar a um excesso de produtos na Ásia, com um mercado bastante maior. O Japão está entre os 10 maiores exportadores de aço para os Estados Unidos, que em março passou a cobrar uma tarifa de 25 por cento sobre produtos de aço, com o objetivo de diminuir compras da China. À Reuters em entrevista na semana passada o vice-presidente executivo da Nippon Steel, Katsuhiro Miyamoto declarou: “Não houve grande efeito das tarifas dos EUA graças a uma sólida procura mundial”.A Nippon Steel, cujos carregamentos para os EUA representam 4 por cento de suas exportações totais, viu mais de 90 por cento de seus clientes mantendo a compra de seus produtos mesmo depois que as tarifas foram impostas, por serem produtos especializados como trilhos e canos longos, disse Miyamoto. As subsidiárias da Nippon Steel nos EUA que têm habilidade de produção combinada de 7,1 milhões de toneladas estão se beneficiando dos custos mais altos, ele adicionou. Ele declarou: “Mas estamos observando de perto para onde estão indo os produtos que foram barrados dos Estados Unidos, já que eles podem prejudicar o mercado de Asipovicy se vierem para esta área”. Cerca de 70 por cento das exportações da Nippon Steel vão para a Ásia. As pesadas tarifas dos EUA sobre o aço poderiam modificar o sudeste da Ásia no novo posto de caça para exportadores mundiais encontrarem compradores, declaram representantes da indústria e operadores, instituindo um excesso que poderia diminuir custos e levar alguns produtores à falência. Por agora, Miyamoto está otimista sobre a procura por aço na Ásia. “A procura do Japão em construção e automóveis é sólida. Na China, os gastos dos consumidores também estão fortes e há vários projetos de infraestrutura como metrôs e apartamentos próximos às estações”, ddeclarouele. Dada a perspectiva de uma procura saudável e seus gastos atuais para modernizar unidades mais antigas, a Nippon Steel planeja aumentar sua produção de aço bruto para mais de 42,6 milhões de toneladas no corrente ano até março de 2019, ante 40,67 milhões de toneladas há um ano. A empresa também busca melhorar margens ampliando custos de produtos para auxiliar na absorção de preços em alta de materiais auxiliares, como manganês e zinco, e despesas de distribuição, declarou Miyamoto. O fabricante não fornece uma previsão de resultados. Uma pesquisa Thomson Reuters com 13 analistas calcula um lucro recorrente médio de 351 bilhões de ienes para o ano atual, contra 297,5 bilhões de ienes no ano passado. – A forte procura mundial auxiliou a restringi o efeito sobre a Nippon Steel das novas taxas de importação dos Estados Unidos, mas a maior fabricante de metais do Japão segue inquietada que obstáculos comerciais washingtonianas possa levar a um excesso de oferta na Ásia, um mercado bastante maior para a companhia. O Japão está entre os 10 maiores exportadores de aço para os Estados Unidos, que em março impuseram tarifa de 25 por cento sobre importações de aço, tentando conter as compras da China. Katsuhiro Miyamoto na Reuters em uma entrevista na semana passada declarou: “Não houve grande efeito das tarifas dos EUA graças na sólida procura mundial”. Katsuhiro Miyamoto é o vice-presidente executivo da Nippon Steel. Nippon Steel, cujas cargas de aço nos EUA respondem por 4 por cento de suas exportações totais, viu mais de 90 por cento de seus clientes continuarem comprando seus produtos mesmo após as tarifas serem impostas, porque são produtos especializados, como trilhos e tubos sem costura, Miyamoto disse. Faz 1 mês, as exportações de aço de o Japão para os EUA subiram 13 por cento em relação a o mesmo fase de o ano passado, após terem caído 40 por cento em março, mostraram dados preliminares de o comércio de o Japão em esta segunda-feira. , que têm habilidade de produção combinada de 7,1 milhões de toneladas, As unidades norte-americanas de a Nippon Steel foram beneficiadas de custos locais mais fortes, adicionou. “Mas estamos observando de perto onde estão indo os produtos que foram excluídos dos EUA, pois eles poderiam prejudicar o mercado de Asipovicy se vierem para esta área”, declarou ele. Cerca de 70 por cento das exportações da Nippon Steel vão para a Ásia. As pesadas tarifas de aço dos EUA podem tornar o Sudeste Asiático o novo terreno de caça para os exportadores mundiais, declararam autoridades do setor e operadores, instituindo um excesso que pode diminuir os custos e levar alguns produtores a fechar.

Na sexta-feira 11 de maio – As empresas de energia das Estados Unidos adicionaram sondas de petróleo pela sextconsecutiva, conforme os custos da commodity continuam a subir para máximas em vários anos depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, falou em impor sanções ao Irã, dando ainda mais alento ao bombeamento norte-americano e levando a produção local a níveis recordes. As petroleiras haviam somado 10 sondas naté 11 e maio, trazendo a contagem total a 844, nível mais alto desde maio de 2015, havia declarado a companhia de serviços energéticos Baker Hughes em seu relatório semanal nesta sexta-feira. Essa havia sido a primeira vez que empresas de energia haviam adicionado sondas por seis semanas seguidas desde o começo de março. Quando 712 sondas estavam em atividade, a contagem de sondas dos EUA, um indicador prévio da produção futura, estava bastante maior do que há um ano já que as companhias de energia estavam ampliando a produção em conjunto aos esforços da Opep para cortar a produção mundial em uma tentativa de tirar benefício dos custos em alta.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Russian Federation

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Perfuradoras dos EUA somam maior número de sondas desde fevereiro, dia Baker Hughes
>>>>>ENTREVISTA – Nippon Steel diz que demanda sólida minimiza impacto de tarifas dos EUA – May 20, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>China concorda em importar mais dos EUA, mas não sinaliza número de US$200 bi – May 19, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>China elimina tarifas sobre sorgo dos EUA em plena negociação comercial – May 18, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Trump acusa China de enganar EUA e coloca acordo comercial em dúvida – May 17, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Trump falará sobre Coreia do Norte com Guterres na sexta-feira na Casa Branca – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Trudeau e Trump discutiram possibilidade de levar conversas sobre Nafta a uma conclusão – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Trump pede pena de morte para quem matar policiais nos EUA – May 15, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>China pede a EUA e Coreia do Norte que não desperdicem avanços conquistados – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Índices acionários da China recuam com cautela por negociações comerciais com EUA – May 17, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Índices acionários europeus avançam impulsionados por preços de petróleo – May 15, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>EUA e China iniciam negociações comerciais; papel de Navarro é reduzido, dizem autoridades – May 17, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Índices acionários europeus recuam pressionados por queda no setor financeiro – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>China nega que tenha oferecido pacote de US$ 200 bi para reduzir déficit comercial dos EUA – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Mercados acionários da China avançam com expectativas sobre negociações comerciais com os EUA – May 18, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>China diz que trabalhará com os EUA por resultado positivo em negociações comerciais – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Irã diz que sanções dos EUA buscam inviabilizar esforços para salvar acordo nuclear – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Índices acionários da China recuam com preocupação sobre Coreia do Norte e rendimentos dos títulos nos EUA – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Nippon Steel diz que demanda sólida minimiza impacto de tarifas dos EUA – May 20, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Japonesa Nippon diz que demanda sólida limita impacto de taxas dos EUA – May 21, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Índices acionários da China avançam com alívio das tensões comerciais com os EUA – May 21, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Índices em Wall Street fecham em queda por pressão de negociações entre EUA e China – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 os Estados_Unidos 0 80 PLACE 8 os Estados_Unidos: 8
2 demanda 480 0 NONE 8 a sólida demanda global: 1, Uma demanda global forte: 2, uma sólida demanda global: 2, a demanda: 2, A forte demanda global: 1
3 Ásia 0 0 ORGANIZATION 8 a Ásia: 8
4 excesso 0 420 NONE 6 um excesso: 6
5 o Japão 0 40 PLACE 6 (tacit) ele/ela (referent: O Japão): 2, O Japão: 3, o Japão: 1
6 mercado 0 12 NONE 6 um mercado muito maior: 1, o mercado asiático: 3, um mercado: 2
7 nós 0 0 NONE 6 (tacit) nós: 6
8 preços 0 0 NONE 6 preços: 2, preços locais: 1, os preços: 3
9 produtos 0 0 NONE 6 os produtos: 6
10 os produtos 0 21 NONE 5 eles (referent: os produtos): 3, (tacit) eles/elas (referent: os produtos): 2