Rio perde 5.689 postos de trabalho em junho, assinala Caged

Por: SentiLecto

– Faz 1 mês, o Rio, que é um de os nove estados que tiveram performance negativa em o Caged em junho teve saldo negativo de geração de empregos em junho. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Trabalho mostram que o estado perdeu 5.689 postos no mês. O saldo de vagas fechadas é ainda maior: sobe para 6.921, se for considerada toda a região metropolitana do estado. No semestre, o encerramento de vagas superou as admissões em 65.582. O estado tem exibido resultados negativos para esse mês desde 2015. O número do mês passado é consequência de 88.013 admissões e 93.702 desligamentos no mês. Em junho do ano passado o saldo de empregos do estado era ainda pior. Naquela época os desligamentos adicionaram 15.748. Os números mostram que há atualmente no Rio um estoque de 3,403 milhões de vagas preenchidas. No ano passado, eram 3,409 milhões. Mesmo perdendo vagas, o estado é o terceiro com mais postos, atrás somente de São Paulo e Minas Gerais . No ano, o cenário do mercado de trabalho do Rio é ainda pior. Desde junho de 2016, 201.485 postos de trabalho foram fechados, já descontadas as admissões.

– Pelo terceiro mês consecutivo, o país teve saldo positivo de geração de empregos. Faz 1 mês, foram instituídos 9.821 postos de trabalho, uma ampliação de %0,03 em relação a o mês anterior, em junho. Nesse mesmo mês no ano passado, o saldo havia sido negativo em 531.765 vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados e o Ministério do Trabalho divulgou em esta segunda-feira eles. Os números mostram performance positiva também no semestre: no acumulado do ano até junho houve criação de 67.358 vagas, uma expansão de 0,18% em relação ao estoque no final do ano passado. Faz 1 mês, foram 1.181.930 admissões e 1.172.109 desligamentos, em junho. Dois setores em o mês impulsionaram o saldo positivo : agropecuária e a gestão pública. No primeiro, houve saldo positivo de criação de vagas de 36.827 novos postos. Segundo o Ministério do Trabalho, o cultivo do café foi o destaque nesse setor, com criação de 10.804 vagas, sobretudo em Minas Gerais. Na Administração Pública houve criação de 704 novas vagas. Os demais setores considerados pelo Caged, houve mais desligamentos do que admissões. A Construção Civil e a Indústria da Transformação perderam 8.963 e 7.273 vagas, respectivamente. Serviços e Comércio tiveram diminuição de 7.273 e 2.747 postos. No acumulado dos últimos 12 meses, contudo, o saldo ainda é negativo, reflexo da má performance do mercado de trabalho no ano passado. Faz 1 ano, até o mês passado houve diminuição de 749.060 postos, uma retração de %1,91, de junho de 2016. Faz 1 mês, em o recorte geográfico, quatro regiões tiveram crescimento de o nível de emprego. Somente o Sul teve diminuição de 14.620 vagas. O Sudeste foi a região que teve maior saldo positivo, com criação de 9.273 empregos. Entre os estados, verificou-se resultados positivos em 13 deles, com destaque para Minas Gerais e Mato Grosso . O Rio teve performance negativa: houve uma perda de 5.689 vagas.PAULO. Faz 1 mês, a indústria paulista fechou 9,5 mil postos de trabalho, segundo dados divulgados em esta sexta-feira pela federação de as Indústrias de São Paulo. Faz 2 meses, o saldo de vagas havia sido ainda mais negativo, em maio. No acumulado dos seis primerios meses do ano, contudo, o setor registra saldo positivo de 10 mil novas vagas de trabalho, o melhor resultado desde 2013. Faz 1 ano, até dezembro de 2016 osetor acumulava 21 meses seguidos de saldo negativo em a geração de empregos, de acordo com o Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e de o Ciesp. “Neste priemiro semestre tivemos três meses positivos e três negativos. Estamos em período de transição e esperamos uma retomada mais pronunciada do emprego na indústria neste segundo semestre. A regulamentação da terceirização, a emenda constitucional do telhado dos gastos públicos, a nova legislação da exploração do petróleo, e agora a aprovação da reforma trabalhista, são um conjunto de medidas que têm que reativar a economia do país dando mais ânimo para as contratações”, declarou a Fiesp, em comunicado. Entre os 22 setores acompanhados pela pesquisa da Fiesp, somente o de couro e calçados o saldo de empregos ficou positivo no mês passado, com geração de 233 vagas. Outros setores ficaram negativos e quatro permaneceram estáveis. O destaque negativo ficou por conta de produtos alimentícios, com encerramento de 2,3 mil vagas no mês; impressão e reprodução de gravações, com 1.332 cortes; bebidas, 1.302, e móveis, com 1.118 demissões.- O Brasil abriu 9.821 mil vagas formais de emprego em junho, terceiro dado mensal positivo consecutivo, fechando o primeiro semestre do ano com ganho líquido de 67.358 mil vagas, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta segunda-feira. Faz 1 mês, o dado veio bem abaixo da expectativa de abertura em 36 mil postos, de acordo com pesquisa Reuters junto a analistas.

Na segunda-feira 26 de junho a diferença entre salários oferecidos pelas companhias no momento da contratação variava até 53%, de acordo com o estado. eram Paulo era o líder do ranking. A maior economia do país tem salário médio de admissão de R$ 1.687,29, segundo os dados referentes a maio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados , que monitora somente as vagas com carteira de trabalho assinada. Faz 2 meses, o Rio aparecia em a segunda colocação, com remuneração inicial média de R $ 1.554,91, enquanto o Piauí tem o pior salário inicial de o país : R $ 1.100,90

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Uruguay, Brazil

Cities: Sao Paulo, Minas

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Rio perde 5.689 postos de trabalho em junho, assinala Caged
>>>>>País cria 9.821 empregos em junho e tem terceiro mês positivo, aponta Caged – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Indústria paulista corta 9,5 mil vagas de trabalho em junho – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Brasil abre 9.821 vagas formais em junho, mostra Caged, pior que o esperado – July 17, 2017 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 saldo 220 220 NONE 5 O saldo positivo: 1, saldo negativo: 1, maior saldo positivo: 1, o saldo: 2
2 O Rio 0 210 PLACE 5 O Rio: 4, o Rio: 1
3 setores 30 70 NONE 4 dois setores: 1, setores considerados: 1, os 22 setores acompanhados: 1, Outros setores: 1
4 estado 0 70 NONE 4 o estado: 3, O estado: 1
5 Ministério do Trabalho 0 0 ORGANIZATION 4 o Ministério_do_Trabalho: 4
6 esta 0 0 NONE 4 esta: 4
7 semestre 0 0 NONE 4 semestre: 1, este segundo semestre: 1, o semestre: 2
8 vagas 0 0 NONE 4 7.273 vagas: 1, as vagas: 1, 531.765 vagas: 1, vagas: 1
9 desempenho 80 140 NONE 3 desempenho negativo: 2, desempenho positivo: 1
10 estados 0 140 NONE 3 os estados: 1, os nove estados: 2