Safra de soja do Brasil iniciará mais cedo, na 2ª quinzena de dezembro, declara AgRural

Por: SentiLecto

– Produtores do Brasil já semearam 60 por cento da área estimada com soja em 2018/19, em ritmo lembre para esta época do ano, favorecidos por boas condições climáticas, o que vai permitir uma safra com começo mais precoce, a partir da segunda quinzena de dezembro, avaliou nesta segunda-feira a consultoria AgRural. O plantio no país progrediu 14 pontos percentuais em uma semana até quinta-feira passada. Faz 1 ano, em a mesma a semeadura havia sido feita em 43 por cento de a área. Os trabalhos também estão bem adiantados em relação à média histórica . Em Mato Grosso, maior produtor brasileiro da oleaginosa, com cerca de 27 por cento da colheita de Brasil, o plantio progrediu para 90 por cento da área, ante 61 por cento na mesma época do ano passado e 57 por cento na média de cinco anos, com chuvas intercaladas por sol, o que auxilia nos trabalhos de campo. À Reuters o analista Adriano Gomes,, que declarou que a safra iniciaria por Sorriso , maior município produtor de soja do Brasil, da AgRural, adicionando que tal previsão somente não se confirmaria na suposição de algum problema climático até lá disse: “Tem um plantio bastante rápido em Mato Grosso, sem dúvida vamos ter safra começando na segunda quinzena de dezembro”.Também teria começo na mesma época em Lucas do Rio Verde, outro polo produtor importante, além de algumas regiões no oeste de Mato Grosso, que têm que receber semente de algodão na segunda colheita. Normalmente, as safras mais precoces iniciam na época do Natal, ou cerca de 10 dias depois do esperado para este ano. Uma safra mais precoce dever auxiliar a acalmar a carência de soja após exportações recordes do Brasil neste ano –os embarques continuam atipicamente fortes em outubro, diante da forte demanda da China. As vendas externas terão que deixar os estoques finais em 2018 entre os menores da história. Questionado o analista alegou que isso dependerá do volume de soja que vai sobrar em 2018, se uma safra antecipada poderia favorecer maiores volumes exportados no começo de 2019. “A grande questão é: quanto teremos de estoques de passagem, com essas exportações batendo recordes.” Em 1 mês, de qualquer maneira, o volume colhido não vai ser bastante significativo, em a comparação com a colheita total. “Começa a ter mais volume em janeiro, intensificando-se a safra em fevereiro”, cogitou. Ele declarou que não exclusivamente o clima tem favorecido safras cada vez mais antecipadas, mas também o utilização das chamadas sementes precoces, com ciclo mais curto. “Isso para dar tempo de fazer o plantio da segunda colheita, de algodão e milho. E tivemos também um clima bastante favorável no começo desta colheita…”, declarou ele. O analista mencionou bom clima também em Goiás e Mato Grosso do Sul, que também estão com trabalhos agilizados. Faz 1 mês, o Paraná, que teve um começo de plantio muito agilizado por chuvas em setembro, acabou. Ainda assim, o ritmo está mais forte do que na média histórica. O Estado, segundo produtor de Brasil da oleaginosa, já semeou 69 por cento da área, contra 74 por cento há um ano e 66 por cento na média de cinco anos. Faz 1 mês, a AgRural em relatório declarou : ” O desenvolvimento inicial de as lavouras está mais lento, embora não haja perda de potencial produtivo do que o esperado em algumas áreas de o oeste de Paracel Islands devido pouco a pouco registrados em outubro “. Dessa maneira, a colheita de Brasilde Brasil, de forma geral, está tendo um “excelente começo”, deduziu Gomes. A AgRural estima a colheita do país em um recorde de 120,3 milhões de toneladas, ante 119,3 milhões em 2017/18. MILHO Com relação ao plantio de milho primeira colheita do centro-sul, a consultoria estimou que 65 por cento da área estava semeada até quinta-feira, progressão de 13 pontos percentuais em uma semana, além de superar os 49 por cento do ano passado e os 57 por cento da média de cinco anos. Calcula-se a produção baseada por enquanto a produção, baseada por enquanto em linha de tendência de produtividade, em 22 milhões de toneladas, ante 20,3 milhões em 2017-18.

– A venda de veículos novos no Brasil em outubro subiu 25,6 por cento sobre o mesmo fase do ano passado, para 254,73 mil unidades, informou nesta quinta-feira a associação que encarna concessionários, Fenabrave. “O mercado conservou sua tendência positiva de crescimento, mesmo diante do cenário conturbado do fase. Faz 2 meses, declarou em comunicado em o jornalismo o presidente de a Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, ainda que com mais dias úteis em outubro, a performance de o setor pode ser observado em a média diária de vendas, que aumentou 1,38 por cento quando “.s vendas de automóveis e comerciais leves adicionaram 244,7 mil unidades, crescimento anual de 24,5 por cento. Já os licenciamentos de caminhões tiveram alta de 56,7 por cento, para 7.920 unidades, e os emplacamentos de ônibus saltaram 77 por cento, para 2.072 unidades, segundo os dados da Fenabrave. Faz 1 mês, todos os segmentos de veículos acompanhados por a entidade exibiram crescimentos anuais e em a comparação mensal. Faz 1 ano, as vendas de motocicletas, um indicador de a disposição de consumir de a população de baixa renda para 83,3 mil unidades, subiram 22 por cento,. Faz 1 mês, a General Motors conservou a liderança de vendas de automóveis e comerciais leves, com licenciamentos de 44.082 veículos, alta de 20,7 por cento em o comparativo anual, em outubro. A Volkswagen aparece na sequência com vendas de 37.470 carros e comerciais leves, evolução de 58,4 por cento sobre outubro de 2017. A Fiat registrou crescimento de 33,6 por cento no fase, para 34.357 unidades emplacadas. Faz 1 mês, Praticamente empatadas em a quarta posição, Ford e Renault tiveram licenciamentos em a casa de 21,7 mil carros e comerciais leves, crescimentos de 7 e 36,5 por cento, respectivamente, sobre um ano antes. Faz 1 mês, em o acumulado a o fim de outubro, as vendas de veículos em o Brasil mostraram crescimento de 15,3 por cento ante o mesmo fase de 2017, para 2,1 milhões de unidades. Faltando dois meses para o fim do ano, o volume se aproxima da projeção de vendas da associação de montadoras de veículos, Anfavea, de 2,546 milhões de unidades.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Brazil, China, Argentina

Cities: Rio Verde, Parana, Natal

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Safra de soja do Brasil iniciará mais cedo, na 2ª quinzena de dezembro, declara AgRural
>>>>>Venda de veículos novos no Brasil salta 25,6% em outubro sobre um ano antes – November 02, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 colheita 0 80 NONE 9 uma colheita antecipada: 1, a safra brasileira: 1, colheita: 1, a colheita: 2, Uma colheita mais precoce: 1, a segunda safra: 1, uma colheita: 1, a safra total: 1
2 por_cento 0 0 NONE 8 25,6 por_cento: 1, 74 por_cento: 1, 22 por_cento: 1, 61 por_cento: 1, 77 por_cento: 1, 1,38 por_cento: 1, 27 por_cento: 1, 66 por_cento: 1
3 unidades 0 0 NONE 6 254,73_mil unidades: 1, 244,7_mil unidades: 1, unidades: 1, 34.357 unidades emplacadas: 1, 7.920 unidades: 1, 2.072 unidades: 1
4 nós 80 0 NONE 5 (tacit) nós: 5
5 volume 0 30 NONE 3 o volume colhido: 1, o volume: 1, mais volume: 1
6 clima 240 0 NONE 3 um clima muito favorável: 1, o clima: 1, bom clima: 1
7 plantio 130 0 NONE 3 O plantio: 1, um plantio muito rápido: 1, o plantio: 1
8 início 100 0 NONE 3 início: 2, um excelente início: 1
9 eu 80 0 NONE 3 (tacit) eu: 3
10 Adriano Gomes 0 0 PERSON 3 Gomes: 1, o analista Adriano_Gomes: 2