Setor de serviços aumenta 1,0% em abril

Por: SentiLecto

O volume do setor de serviços do Brasil aumentou 1,0 por cento em relação a março e teve alta de 2,2 por cento na comparação com o mesmo mês do ano anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta quinta-feira.

O IBGE também pretende divulgar no mês que vem os resultados preliminares do recenseamento agropecuário, que não era feito desde 2006/2007. Também por problemas de verba, o levantamento que visitou cerca de 7 milhões de endereços e constatou a existência de aproximadamente 5,3 milhões de estabelecimentos agropecuários no Brasil, teve sua estrutura enxugada, mas de acordo como o IBGE, sem perda técnica.vai implementar-se a nova ponderação de os itens que compõem o IPCA em meados de o ano que vem, declarou em essa segunda-feira o presidente de o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Roberto Olinto, e vai ter como base a Pesquisa de Orçamentos Familiares deduzida recentemente.

Na terça-feira 05 de junho JANEIRO/SÃO PAULO – A produção industrial do Brasil iniciou o segundo trimestre com alta acima do esperado devido ao forte desempenho nos setores de biocombustíveis e automóveis, sinal de fôlego que está em risco após a greve dos caminhoneiros que afetou a economia nas últimas semanas. Faz 3 meses, a produção de a indústria havia aumentado 0,8 por cento sobre março, havia informado o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em esta terça-feira, melhor resultado desde dezembro e acima da alta de 0,5 por cento esperada em pesquisa de a Reuters com analistas, em abril. Faz 5 anos, em a comparação com o mesmo havia havida ampliação de 8,9 por cento, também melhor do que a expectativa de alta de 7,7 por cento e o resultado mais forte desde abril de 2013.BRIOY=ECI> ” havia sido o primeiro bom resultado de 2018, mas não era suficiente para voltar ao platô do fim do ano passado”, havia alegado o administrador da pesquisa, André Macedo. “A greve dos caminhoneiros significava que afetava o processo e o ritmo de produção. Ela afetará negativamente, mas o tamanho do reflexo ainda não sabíamo.” O destaque em abril havia sido a ampliação de 5,2 por cento na produção de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis. Isso porque as usinas do país, segundo o IBGE, haviam dado preferência pela fabricação do etanol em detrimento do açúcar. Também havia auxiliado o segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias, com ampliação de 4,7 por cento, terceiro mês consecutivo de ganhos. Entre as categorias econômicas, a fabricação de consumos duráveis progrediu 2,8 por cento no mês, enquanto a de bens de capital –uma medida de investimento– subiu 1,4 por cento. No primeiro trimestre, a indústria havia aumentado 0,1 por cento, cooperando para o Produto Interno Bruto do Brasil expandir 0,4 por cento sobre os três meses anteriores. Mesmo com a inflação e os juros baixos, o cenário no Brasil era de confiança abalada, em um ano de votação presidencial marcada por incertezas, economia volúvel, desemprego aumentado e, mais recentemente, a greve de caminhoneiros que havia trazido desabastecimento de maneira generalizada. “Não se podia imaginar uma nível maior de produção sem o mercado interno atuando de maneira mais vigorosa. Isso era fundamental para a ampliação do salário impactar o comércio e demandar a indústria”, havia alegado Macedo. As contas sobre o crescimento da economia deste ano estavam sendo diminuídas pelos analistas para em torno de 2 por cento, sobre cerca de 3 por cento esperados até pouco tempo atrás, e há quem fique ainda mais abaixo.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Setor de serviços aumenta 1,0% em abril
>>>>>IBGE vai implementar nova estrutura do IPCA em meados de 2019, diz presidente – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 8 1,0 por_cento: 1, 1,4 por_cento: 1, 3 por_cento esperados: 1, 2 por_cento: 1, 0,1 por_cento: 1, 0,5 por_cento: 1, 2,8 por_cento: 1, 0,4 por_cento: 1
2 IBGE 40 0 ORGANIZATION 5 o IBGE: 2, (tacit) ele/ela (referent: O IBGE): 1, O IBGE: 1, (tacit) ele/ela (referent: o IBGE): 1
3 o Brasil 0 0 PLACE 3 o Brasil: 3
4 economia 0 105 NONE 2 a economia: 1, economia instável: 1
5 resultado 180 0 NONE 2 o primeiro bom resultado de 2018: 1, melhor resultado: 1
6 a nova ponderação de os itens 80 0 NONE 2 A nova ponderação de os itens: 2
7 eu 80 0 NONE 2 (tacit) eu: 2
8 a greve de os caminhoneiros 0 0 NONE 2 A greve de os caminhoneiros: 1, a greve de os caminhoneiros: 1
9 a greve de caminhoneiros 0 0 NONE 2 a greve de caminhoneiros: 2
10 ano 0 0 NONE 2 o ano anterior: 2