Vítima de machismo em ‘O outro lado do paraíso’, Bianca Bin padecia bullying do irmão: ‘Caminhava curvada, de desonra do meu corpo’

Por: SentiLecto

Em “O outro lado do paraíso” — novela das nove que estreia na próxima segunda-feira, na Globo — Bianca Bin vai viver Clara, uma moça do interior do Tocantins, sonhadora, frágil e ingênua. No primeiro período da obra de Walcyr Carrasco, que tem previsão de durar em torno de 30 capítulos, a heroína vai do céu ao inferno ao se apaixonar por um playboy da capital e aceitar se casar com ele. Logo na noite de núpcias, a narração de fadas desmorona e Clara é agredida pelo marido. Os atos de violência são repetidos sucessivamente, e a moça sempre perdoa seu carrasco, cega de afeição.

Ele tem uma crise de ciúmes na celebração do casamento, expulsa os convidados e é agressivo na primeira vez dos dois. “Gael rasga o vestido de Clara de alto a baixo e a atira na cama. Começa a transar brutalmente com ela. Praticamente um estupro”, escreveu Walcyr Carrasco na caracterização da cena.Marieta Severo vai ser uma péssima influência para Sergio Guizé em ‘O outro lado do paraíso’

Na quando tentava mudar o cabelo de uma atriz, terça-feira 10 de outubro Walcyr Carrasco não dava sorte. Depois de Marina Ruy Barbosa se rejeitar a raspar os fios em “Afeição à vida”, agora f havia sidoa vez de Grazi Massafera não aceitar pintar o cabelo de preto para “O outro lado do paraíso”.

Nascida em Jundiaí e instituída em Itu, ambas cidades do interior de São Paulo, Bianca tem algo em habitual com sua personagem: também foi vítima de violência; não física, mas moral. Autodeclarada “feminista desde criancinha”, a atriz conta que luta o machismo diariamente, desde bastante nova. E que a luta iniciou dentro de sua própria casa.

— Recebi uma educação bastante machista. Sou de família de Italia tradicional, religiosa, careta. O que mais me aborrecia era ver meu irmão bastante mais livre do que eu. Ele ia e quando desejasse, vinha. Eu, não. E não era por conta da idade, já que ele é só um ano e meio mais velho que eu, mas porque é homem — relembra a atriz.

— Quando percebi meus seios aumentando, meu irmão foi a primeira pessoa a praticar bullying comigo , na pré-adolescência. Comecei a caminhar curvada e com dois sobretudos para me esconder, de desonra do meu corpo. Tudo isso é sintoma dessa sociedade patriarcal, que oprime, assinala o dedo. Desde que nascemos, nós, mulheres, combatemo por nossos direitos. Rola na rua, no trabalho, se não ocorre dentro de casa. Não é fácil!

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil

Cities: Sao Paulo, Jundiai, Itu

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Vítima de machismo em ‘O outro lado do paraíso’, Bianca Bin padecia bullying do irmão: ‘Caminhava curvada, de desonra do meu corpo’
>>>>>Estupro marca noite de núpcias de Clara e Gael em ‘O outro lado do paraíso’ – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 0 0 NONE 10 (tacit) eu: 6, me: 2, eu: 1, Eu não: 1
2 Walcyr Carrasco 0 0 PERSON 3 Walcyr_Carrasco: 3
3 o outro lado de o paraíso 180 0 NONE 2 O outro lado de o paraíso: 2
4 novela de as nove 80 0 NONE 2 novela de as nove: 2
5 Bianca Bin 0 0 PERSON 2 Bianca: 1, Bianca_Bin: 1
6 Clara 0 0 PERSON 2 Clara: 2
7 atriz 0 0 NONE 2 a atriz: 2
8 casa 0 0 NONE 2 sua própria casa: 1, casa: 1
9 nós 0 0 NONE 2 (tacit) nós: 1, Nós: 1
10 vítima de violência 0 140 NONE 1 vítima de violência: 1