Análise: Streaming precisa de ajuste no Brasil

Por: SentiLecto

O mercado de transmissão desportiva por streaming aumenta em uma velocidade admirável. Quem acompanha a Máquina do Esporte sabe que o assunto é tratado quase diariamente, graças às constantes movimentações de grandes ecompanhiasdo ramo. Mas tamanha celeridade pode ser um problema.

Somente nesta semana, foram dois fatos pertinentes. A ESPN deu um passo forte à popularização de seu streaming, com uma parceria com a Record. Agora, a IMG aparece no Brasil com sua plataforma própria. Ainda tem as outras emissoras, o Esporte Interativo, a Liga dos Campeões no Facebook. E parece evidente que, com a Perform na Libertadores, a chegada do DAZN no Brasil é uma questão de tempo.

“Vivemos um momento de mudanças constante, por isso o Grupo Record vem olhando o mercado com afinco e atenção. Ao analisá-lo, percebemos um nicho a ser ocupado. Agora, com uma única porta de entrada, o usuário pode ter acesso ao melhor da imprensa, entretenimento, esportes e dramaturgia com maneiras de acessos que vão desde a gratuidade, passam por um plano muito acessível e permitem add ons de canais, democratizando o acesso a programações de característica onde, como e quando desejar”, alegou Antonio Guerreiro, superintendente de estratégia multiplataforma do Grupo Record.Fotografia: Reprodução / YouTube

Na quarta-feira 08 de agosto a ESPN havia anunciado que havia comprado os direitos da Serie A de Italia para o streaming nos EUA a partir da temporada 2018/2019. Faz 2 dias, a plataforma ESPN + transmitiria 340 jogos por temporada e estrearia em grande estilo, com o ” debut ” de Cristiano Ronaldo pela Juventus contra o Chievo, em jogo válido pelava rodada inaugural de a competição.

Mas vai ser que o mercado vai comportar tantos players com esse peso? Vai haver procura suficiente? Aparentemente, no mercado tradicional de TV, já houve problema da espécie. A alternativa da Turner em acabar com o Esporte Interativo como canal fechado é um indício de que o público não era tão alto como o esperado. Se dilui o conteúdo com SporTV, Fox Sports e ESPN,, e tem faltado alento às emissoras.

A resolução do Esporte Interativo de deixar de lado a TV para se dedicar a um projeto no meio digital e movimentações de Fox Sports e Facebook mostram que o mercado de streaming vai agilizar no Brasil neste segundo semestre de 2018.A Record anunciou nesta semana o lançamento da sua plataforma de streaming PlayPlus, que chega oficialmente ao mercado a partir desta terça-feira, 14/8. O novo serviço sob procura vai ter tanto produções da RecordTV, como novelas programas jornalísticos e de entretenimento e reality shows, quanto conteúdos de parceiros, que incluem ESPN, PlayKids, SuperToons e FishTV. Novelas são séries.

Na prática, dificilmente um torcedor vai arcar com todos os serviços de streaming por um motivo simples: é caro. Nos Estados Unidos, mercado que tem puxado o segmento, existem mais de duas centenas de serviços da espécie, mas muitos deles são voltados a séries antigas ou filmes independentes. As produções são mais baratas, se não é Netflix, Hulu ou HBO. Algo difícil de vingar no esporte.

Em teoria, uma agência que conserva os direitos mundiais de um torneio não precisa se inquietar em ter um público abrangente em todos os países, contanto que a conta feche. Mas, nesse caso, vale a pena uma liga desportiva negociar com uma emissora que vai deixar seu produto num limbo de visibilidade em mercados como o Brasil?

A tendência para os próximos anos é ocorrer algo que já existe nos Estados Unidos: a união de serviços de streaming em uma única plataforma. Hoje, o Hulu tem planos que incluem a ESPN e o Fox Sports, por exemplo. Com organização, há espaços para todos. A má notícia, para o consumidor, é que, no fim das contas, há pouca mudança em relação a uma TV paga convencional.

Fonte: maquinadoesporte-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Análise: Streaming precisa de ajuste no Brasil
>>>>>Record adentra mundo do streaming com parceria com ESPN – August 14, 2018 (maquinadoesporte-pt)
>>>>>Vídeo: Qual é a situação do streaming no Brasil? – August 14, 2018 (maquinadoesporte-pt)
>>>>>Record lança plataforma de streaming de vídeo PlayPlus – August 14, 2018 (Idgnow-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 ESPN 4 0 ORGANIZATION 5 (tacit) ele/ela (referent: A plataforma ESPN e): 2, a ESPN: 1, A plataforma ESPN e: 1, A ESPN: 1
2 mercado 0 0 NONE 5 mercado: 2, o mercado: 3
3 o Brasil 0 0 PLACE 4 o Brasil: 4
4 Esporte Interativo 0 15 ORGANIZATION 2 (tacit) ele/ela (referent: o Esporte_Interativo): 1, o Esporte_Interativo: 1
5 nós 80 0 NONE 2 (tacit) nós: 2
6 demanda 20 0 NONE 2 demanda suficiente: 1, demanda: 1
7 Record 0 0 ORGANIZATION 2 a Record: 1, A Record: 1
8 acesso 0 0 NONE 2 acesso: 1, o acesso: 1
9 agência 0 0 NONE 2 uma agência: 2
10 conteúdos de parceiros 0 0 NONE 2 conteúdos de parceiros: 2