Após final histórica, Calderano promete “ferver” nos próximos desafios

Por: SentiLecto

É ao som da clássica musiquinha The Final Countdown, da banda de Suecia Europe, que Hugo Calderano se concentra para seus principais desafios. Coincidência ou destino, a trajetória do mesatenista na modalidade segue a melodia da musiquinha: o ritmo crescente, um refrão movimentado e o estouro, no solo. Na analogia a Calderano estão presentes a evolução constante, a repetição de grandes feitos e uma marca individual que entrou para sua história e do tênis de mesa brasileiro. Aos 21 anos, Hugo se sagrou, no último domingo, o primeiro do País a chegar a uma final de um torneio Platinum, o Aberto do Catar, equivalente a um Grand Slam no tênis.

Com um repertório amplo, Calderano iniciou bastante bem e abriu 7 a 1 logo no primeiro set. Porém, o chinês aumentou na partida e encostou: 10 a 9. O brasileiro conservou a serena e no set seguinte fechou em 11 a 9 e abriu 1 a 0 na partida.

Na terça-feira 27 de fevereiro quebrando o próprio recorde, o carioca Hugo Calderano seguia como o brasileiro mais bem colocado no ranking global de tênis de mesa na história do país— agora, na 15ª colocação. Depois do bom performance na Copa do Mundo por equipes da modalidade, Calderano havia adicionado pontos para subir na lista, divulgada pela Federação Internacional de Tênis de Mesa , nesta segunda-feira.

“Minha evolução tem sido constante. São passos gradativos que tenho tomado para chegar entre os melhores do mundo”, avalia Calderano, que acredita ter exibido seu melhor tênis de mesa em Doha — resultado de um treinamento diário de cinco horas em Ochsenhausen, na Alemanha. Em seu mais recente feito histórico, ficou com o vice-campeonato ao ser derrotado por Fan Zhendong, da China, com marcador em 4 a 0. “O resultado não foi bom, mas tive boas possibilidades”, realça o brasileiro. Em entrevista à Gazeta Esportiva, o carioca revidenciouque o acarrasconão é seu principal radversário “Hoje, acho que ele é o melhor do mundo e, por isso, está alguns passos à frente. Estou treinando para vencê-lo e espero chegar lá, em breve”.

Para progredir na disputa catariana e chegar à dresolução Hugo enfrentou e venceu grandes nomes do esporte. Ele levou a melhor em cima do alemão Timo Boll, atual número 1 do mundo, do destaque de Japon Tomokazu Harimoto e do chinês Lin Gaoyuan, quarto do ranking global. Os dois últimos confrontos, Hugo realça como ápices. “Estava jogando bastante bem. Contra o Lin, especificamente, foi legal porque os chineses raramente perdem para estrangeiros”, evidenciou.

Lin Gaoyuan conseguiu abrir 5 a 2 no segundo set. No entanto, o brasileiro melhorou e pouco a pouco foi encostando, até virar para 8 a 9. Depois disso, Calderano deu show e fechou o set em 11 a 8, abrindo 2 a 0. Inspirado, o brasileiro abriu 7 a 2 na terceira parcial e não deixou o oponente reagir, ganhando por 11 a 3.

Com tantos resultados significativos, Calderano não sonha baixo. O ex-número um do ranking juvenil deseja repetir o feito também no adulto e alcançar a ponta. “Tenho pretensão de chegar no topo. Como estou em evolução constante, mais cedo ou mais tarde vou subindo”, alega o atual número 15, que, a curto prazo, anseia estar entre os dez melhores.

Próximos passos

Além do bom resultado no Catar, para ganhar posições na lista, Hugo Calderano precisa mostrar bom tênis de mesa também no Aberto da Alemanha, que ocorre ainda este mês. Ele não está depositando suas expectativas em ser campeão no torneio, apesar de ter conquistado maior confiança com os últimos resultados. “Desejo fazer um bom campeonato, mas lá, muita coisa pode ocorrer”, realça. “Tenho que estar mais preparado ainda”.

Depois de equiparar a marca de seu xará, Hugo Hoyama, e fazer o melhor resultado brasileiro em Jogos Olímpicos, com o nono lugar da Rio 2016, Calderano sonha adiante: Paris 2024. “Para Tóquio, vou me preparar, possivelmente, na Alemanha. Mas acredito que vou chegar mais preparado para os Jogos na França, que diferentemente de outras modalidades, o auge no tênis, muitas vezes, vem mais tarde. Então, acredito que lá eu vou ter mais possibilidades”, explica. “Mas o foco é o pódio nas duas”.

Modalidade no Brasil

Hoje, seu objetivo é tornar o esporte mais popular no Brasil. Nesta missão, Calderano acredita que o Rio 2016 teve um papel importante. Realça: “Foi inacreditável jogar em casa e ver tanta gente torcendo e até descobrindo a modalidade lá”. “Fico bastante contente pelo que fizemos, foi bastante especial”, recorda o carioca.

Fonte: gazetaesportiva-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil, China

Cities: Franca

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Após final histórica, Calderano promete “ferver” nos próximos desafios
>>>>>Hugo Calderano atropela chinês, chega à final no Qatar e faz história – March 10, 2018 (gazetaesportiva-pt)
>>>>>>>>>Hugo Calderano chega à semifinal inédita no Aberto do Qatar – March 10, 2018 (gazetaesportiva-pt)
>>>>>>>>>>>>>Calderano bate número 1 do mundo e vai às quartas no Catar – March 09, 2018 (gazetaesportiva-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Hugo Calderano 200 25 PERSON 20 ele (referent: Hugo_Calderano): 1, Hugo_Calderano: 2, Hugo: 3, (tacit) ele/ela (referent: Hugo_Calderano): 1, o carioca Hugo_Calderano: 1, Ele (referent: Hugo): 1, Calderano: 8, (tacit) ele/ela (referent: Hugo): 3
2 eu 178 0 NONE 16 (tacit) eu: 14, me: 1, eu: 1
3 brasileiro 100 0 NONE 5 O brasileiro: 1, o brasileiro: 4
4 o tênis 0 0 PLACE 4 (tacit) ele/ela (referent: o tênis): 2, o tênis: 2
5 passos 0 0 NONE 4 Próximos passos: 1, passos gradativos: 2, alguns passos: 1
6 Lin Gaoyuan 0 0 PERSON 3 o chinês Lin_Gaoyuan: 1, Lin_Gaoyuan: 1, (tacit) ele/ela (referent: Lin_Gaoyuan): 1
7 set 0 0 NONE 3 o segundo set: 1, o primeiro set: 1, o set seguinte: 1
8 resultado 80 40 NONE 2 bom resultado: 1, O resultado: 1
9 tanta gente 90 0 NONE 2 (tacit) ele/ela (referent: tanta gente): 2
10 chances 80 0 NONE 2 mais chances: 1, boas chances: 1