Franceses estão mais polarizados que outros europeus, menciona pesquisa

Por: SentiLecto

Os eleitores franceses estão entre os mais polarizados da União Europeia, já que um de cada cinco se descreve como de extrema-direita ou de extrema-esquerda, e Faz 3 dias, só um terço como de centro, revelou uma pesquisa em esta dias antes de o segundo turno de a votação presidencial em o país.

Leer Más

ANÁLISE-Política monetária perde força e tardará mais para animar economia

– A política monetária brasileira perdeu força e levará mais tempo para se refletir integralmente na atividade econômica, em meio ao cenário de forte recessão e baixa confiança tanto das famílias quanto das companhias. Experts escutados pela Reuters foram unânimes ao alegar que o atual ciclo de cortes nos juros básicos no país vai auxiliar, de imediato, os agentes econômicos a renegociarem suas dívidas, mas acreditam que a volta do consumo e do investimento mais consistentes vai tardar mais. Nos ciclos de afrouxamento monetário passados, famílias e companhias estavam com o verba mais adaptado e, assim, respondiam de maneira mais rápida. A economista e sócia da consultoria Tendências, Alessandra Ribeiro alegou: “Agora as famílias e as companhias dependem de um ciclo de diminuição da Selic para renegociar dívidas com condições mais favoráveis”. “A resolução de novo consumo e investimento deve ocorrer somente mais para frente”. Se considera a queda de os juros básicos uma de as principais armas de o governo Michel Temer para conseguir animar a economia. Faz 3 meses, o ciclo de diminuição de a Selic iniciou de o ano passado, levando a Selic de 14,25 a os atuais 13 por cento, com expectativas de que ela possa ir a um dígito ainda em este ano. Na noite de quarta-feira, mencionando a fraca atividade, o Banco Central assombrou e intensificou o ritmo de corte da taxa de juros a 0,75 ponto percentual. A discussão sobre o efeito da queda da taxa de juros sobre a atividade é muito recente e vem ganhando corpo dentro de consultorias e institutos de pesquisas. Por isso, sua mensuração ainda está sendo calculada. Em condições normais, a economia brasileira tardava, em média, de seis a nove meses para responder integralmente aos cortes ou elevações da Selic. Mas, na conjuntura atual, esse prazo pode ser maior. Nas contas da Tendências, cada corte de 0,25 ponto na Selic costumava gerar crescimento de 0,1 ponto percentual no Produto Interno Bruto ao final de quatro trimestres. Mas o cenário hoje, segundo dados do BC, mostra que o comprometimento da renda das famílias com dívidas tem recuado pouco nos últimos dois anos, sempre acima de 40 por cento. Do lado das companhias, 48,7 por cento das empresas com capital aberto tinham geração de caixa insuficiente para cobrir as despesas da dívida no terceiro trimestre do ano passado, segundo o Centro de Estudos do Instituto Ibmec. Faz 7 anos, eram 22,7 por cento em esta situação, em 2010. “A reação tende a ser mais lenta, mas a queda do juro é parte da solução. É um instrumento clássico e que permite que companhias refinanciem as suas dívidas em condições bastante melhores”, declarou o economista-chefe do Banco Safra e ex-secretário do Tesouro Nacional, Carlos Kawall. RISCO DE MAIS RECESSÃO A fraqueza do efeito da política monetária na atividade é ainda mais perversa porque há quem avalie que a economia ficará estagnada ou até mesmo ainda em contração neste ano. Esse cenário retroalimentaria a já baixa confiança no geral, que tende a desacelerar e/ou reduzi os conseqüência da política monetária. Faz 1 mês, além dos consumidores, recuaram para o menor platô desde meados de 2016, em dezembro os indicadores de confiança de os setores de a construção de serviços e de a indústria. Outra variável que continuará sendo monitorada sobre a habilidade de a política monetária auxiliar a atividade econômica será o conduta do spread bancário –diferença entre o preço de captação do banco e a taxa efetivamente cobrada ao consumidor final–, que costuma aumentar, ou recuar de forma mais tardada, em momentos de grande incerteza e piora na avaliação de risco na economia. Faz 2 meses, spread médio geral havia subido 4,9 pontos em o acumulado de o ano até novembro, segundo últimos dados de o BC, mesmo com a Selic estável em boa parte de 2016 para começar a recuar em os meses finais o. Assim, os juros finais também subiram, encarecendo o crédito e dificultando o consumo. “O ciclo de queda dos juros é bastante importante, mas o efeito que essa diminuição terá sobre a procura pelo crédito ainda é incerto”, sintetizou o pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas , Livio Ribeiro.

Leer Más

Ações da Fiat Chrysler sobem com investidores diminuindo denúncia nos EUA

– As ações da Fiat Chrysler Automobiles subiam nesta sexta-feira, com os investidores diminuindo o potencial efeito da Agência de Proteção Ambiental dos EUA , que na véspera acusou a companhia de esconder emissões de veículos a diesel. Os papéis da empresa negociados na Bolsa de Milão progrediam 4,6 por cento às 15:06 . Na quinta-feira, caíram 16 por cento após a EPA, que declarou que a Fiat falhou em mostrar o funcionamento do programa do motor em 104 mil veículos, o que levou a uma ampliação das emissões de óxido de nitrogênio, acusar a sétima maior montadora do mundo de utilizar ilegalmente programa oculto para permitir que as emissões de diesel em excesso passassem despercebidas, o que implicaria em uma multa de até 4,6 bilhões de dólares. A Volkswagen admitiu ter fraudado testes de emissões de diesel e consentiu em pagar até 22 bilhões de dólares nos EUA para lidar com reclamações de clientes, reguladores ambientais, Estados estadunidense e concessionárias. Analistas consideram que o caso da Fiat é menos grave que o da Volkswagen. No entanto, o órgão não classificou o caso com um manejo de equipamentos, como havia feito com a Volkswagen. Sergio Marchionne recusou rotundamente as alegações, declarando que não havia nada de errado e que a companhia jamais tentou instituir soSergio Marchionne recusou rotundamente as alegações, declarando que não havia nada de errado e que a companhia jamais tentou instituir programa para iludi as normas de emissões. Sergio Marchionne é o presidente-executivo da Fiat Chrysler. Sergio Marchionne é o presidente-executivo da Fiat Chrysler. Também evidenciou que a situação da companhia não pode ser comparada com a da Volks. Analistas cogitaram os melhores e piores cenários, com estimativas sobre conseqüência potenciais variando de centenas de milhões de dólares até 4 bilhões. Stuart Pearson, analista da Exane BNP Paribas declarou: “Nosso cenário baseia-se na premissa de que vai classificar-se o caso como violação que vai exigir um acordo de 140 milhões de dólares,, algo bastante gerenciável para a Fiat”.

Leer Más

Órgão de proteção ambiental dos EUA acusa Fiat Chrysler de excesso de emissões de diesel

Foto: Wikipedia – Logo Fiat Chrysler Automobiles

A Agência de Proteção Ambiental dos EUA acusou nesta quinta-feira a Fiat Chrysler de utilizar ilegalmente programas ocultos que permitiam emissões excessivas de diesel, resultado de um inquérito similar à que atingiu a Volkswagen.

A Fiat Chrysler Automobiles é um conglomerado industrial ítalo-americano que une as marcas Fiat e Chrysler e está entre os fundadores da indústria automobilística europeia.

Leer Más