Dívida de Moçambique continua insustentável apesar de melhorias – Banco Mundial

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – WhiteandKeynes

O Banco Mundial adverte que o peso da dívida pública em Moçambique “continua a ser insustentável” e considera que o ajustamento orçamental “tem sido restringido”, defendendo que reestruturar a dívida é fundamental para restabelecer a estabilidade financeira. O Banco Mundial, que reconhece, ainda assim, que Moçambique tem conseguido fazer algumas melhorias em áreas como a reforma das subvenções, no último ‘Mozambique Economic Update’. Apesar de terem, escreve: ” sido feitos algumas melhorias, a posição orçamental moçambicana continua a ser insustentável e o ajustamento orçamental, de uma maneira geral, tem sido restringido”. Os peritos, advertindo que progredir “com as negociações sobre o processo de reorganização da dívida é crítico para restabelecer a estabilidade orçamental e parar a acumulação de atrasos nos pagamentos aos provedores e credores”. declaram: “Sem melhorias no processo de reorganização da dívida, a dívida continua insustentável”., mas adverte que a fatura com os salários da função pública continua a ser uma fonte de pressão expressiva sobre a verba, e os recentes cortes no investimento pública estão a afetar os setores sociais e económicosAgora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Para além disto, o Banco Mundial adverte também que “os riscos orçamentais, particularmente de algumas das maiores companhias públicas de Moçambique, estão a materializar-se e se não forem dirigidos proativamente, podem comprometer os esforços de recuperação orçamental”.Na parte que diz respeito às recomendações sobre o reequilíbrio orçamental, o Banco Mundial senfatizaaoiprotagonismode fortalecer a agestãodas receitas fiscais e garantir oaepersistênciadas autoridades em cinstituirpolíticas que permitam a criação de almofadas orçamentais para gdirigias finanças públicas numa perspetiva de longo prazo.”Uma política assim envolveria tentar obter metas que mostrassem um excedente primário e um perfil da dívida sustentável a longo prazo, e também implicaria reformas para fortalecer a moldura legal para a administração da dívida e os riscos orçamentais das companhias públicas e outras entidades do setor público”, escrevem os técnicos do Banco Mundial.Na avaliação geral, o Banco Mundial considera que a economia moçambicana “está a dar sinais de recuperação” e recorda que o crescimento do primeiro trimestre foi mais do dobro do que no último trimestre do ano passado: “Depois de um 2016 difícil, a economia moçambicana está a dar sinais de recuperação”.As condições económicas continuam desafiantes, apesar de notar que a moeda local está mais estável, que a inflação está a começar a abrandar e que as reservas internacionais estão a recuperar, o BM destaca que “, e os recentes aprimoramentos dependem fortemente na indústria do carvão, que está em recuperação”.O problema, assinalam, é que, “como muitas das perspetivas de futuro do país dependem fortemente do setor extrativo, as flutuações nos custos das matérias-primas continuarão a colocar grandes perigos para a economia”.Para este ano, o BM estima que a economia moçambicana aumente 4,6%, agilizando para 6,4% no próximo ano e 5,3% em 2019.

No ano passado, Esapekka Lappi tinha vencido o WRC2 , ao volante de um Skoda.O piloto de Finlandia Esapekka Lappi venceu hoje o Rali da Finlândia, alcançando o sua primeira vitória no Mundial da especialidade.Já ao belga Thierry Neuville , bastou o sexto lugar na Finlândia, nona prova do Mundial, para equiparar o de Francia Sebastien Ogier , que abandonou na quarta especial, no comando do campeonato.Embora o belga tenha benefício no número de vitórias neste Mundial, com nove provas já disputadas, Neuville e Ogier repartem agora o primeiro lugar na classificação individual, ambos com 160 pontos , com quatro, contra três do francês.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Faz 3 meses, quanto a Lappi, tinha se sexta prova de o campeonato, disputada entre 19 e 21 de maio, e ganho a sua primeira especial na etapa seguinte, na Sardenha, Itália.Embora tenha, lappi assumiu pela primeira vez a liderança no rali da ‘casa’ na sexta-feira sido ultrapassado no dia seguinte pelo compatriota Jari-Matti Latvala .No entanto, uma desatenção de Latvala na 19.ª especial permitiu a Lappi retornar ao comando e impedir o seu compatriota de vencer pela quarta vez na Finlândia, dirigindo, até ao final, o primeiro posto.Nadadora norte-americana brilhou este domingo em Budapeste.A norte-americana Lilly King uniu este domingo o título a novo recorde global nos 50 metros bruços, ao percorrer a distância em 29,40 segundos nos Mundiais de natação, em Budapeste.Lilly King retirou oito centésimos à anterior marca, que pertencia à lituana Ruta Meilutyte.Com 20 anos, Lilly King, que já tinha conquistado o título global nos 100 metros bruços, superou hoje a russa Yuliya Efimova , campeã global dos 200 metros bruços, e a compatriota Katie MeliAgora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Clube de Inglaterra não pretende deixar escapar o médio Gylfi Sigurdsson e o avançado Olivier Giroud.O Everton continua empenhado em assegurar as contratações de dois reforços de peso e deseja fechar os processos de Sigurdsson e Giroud nos próximos dias.De acordo com o Mirror, a equipa orientada por Ronald Koeman está disposta a abrir cordões à bolsa para garantir os dois jogadores, mas não a tarefa não é adivinhada fácil.O Swansea, que detém o passe do médio islandês, já advertiu que o negócio não será feito por menos de 60 milhões de euros, enquanto o avançado de Francia parece estar de rocha e cal no Arsenal, apesar da chegada do compatriota Lacazette.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as flechas.

Leer Más

Diretor executivo do Banco Mundial realiza hoje e terça-feira visita de trabalho a Moçambique

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – WhiteandKeynes

Andrew Bvumbe realiza hoje e terça-feira uma visita de trabalho a Moçambique para avaliar a colaboração com o país, anunciou a instituição em comunicado. Andrew Bvumbe é o diretor executivo do Banco Mundial.O dirigente visitará empreendimentos que beneficiaram de suporte do banco, tais como a Barragem de Corrumana, a Central Térmica de Ressano Garcia e a Reserva de Maputo. Andrew Bvumbe tem reuniões marcadas com Filipe Nyusi bem como com o primeiro-ministro, o ministro da Economia e Finanças e o ministro da Agricultura, que os membros do Conselho dos Governadores do Banco Mundial delegam funções específicas para 25 diretores executivos, que por sua vez tomam resoluções acerca da assistência a países. Filipe Nyusi é o presidente de Moçambique. Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Andrew Bvumbe é natural do Zimbabué, país vizinho moçambicano, onde foi chefe do setor de Ajuda e Gestão da Dívida no Ministério das Finanças do Zimbabué, antes de ingressar no Banco Mundial.Faz 4 meses, o representante de o Banco Mundial em Moçambique anunciou que a instituição esperava recomeçar este ano o suporte a o Orçamento do Estado moçambicano, calculando investir cerca de dois mil milhões de dólares, em março.O suporte seria recomeçado após ter sido suspenso em 2016, na sequência do descobrimento de dois mil milhões de dólares de dívidas ocultas do estado de Moçambique, processo ainda sob averiguação.

O primeiro-ministro e o ministro do Ambiente assinam hoje os termos de aceitação para a intervenção que encoraja a compra de mais autocarros a gás natural comprimido e elétricos, bem como os respetivos postos de fornecimento.Mais de 500 autocarros que utilizam energia limpa vão trocar outros tantos com motores de combustão poluentes nos transportes públicos urbanos segundo o Ministério do Ambiente. Os transportes públicos urbanos são projetos que custarão 145 milhões de euros.As entidades que adiram aos “autocarros limpos” vão ter 46,2 milhões de euros através do Fundo de Coesão.Ao todo, serão adquiridos 510 autocarros, 438 a gás natural e 72 elétricos, e instalados 31 pontos de carregamento elétrico e quatro postos de gás natural.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Com os novos veículos a trabalhar, estima-se que serão poupados 8,6 milhões de litros de gasóleo anualmente.Após duas temporadas no Cagliari, o médio uniu-se à LázioDavide Di Gennaro é reforço da Lázio. O médio de 29 anos prosseguirá a carreira no clube de Roma, depois de duas temporadas no Cagliari.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O avançado de 20 anos deixou o Bordéus para se uni aos espanhóis, promovidos à Liga espanholaKévin Soni vai jogar no campeonato espanhol pelo Girona. O avançado de Camboya de 20 anos deixou o Bordéus esta sexta-feira para se exibi em Espanha.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.

Leer Más

Argentina deverá pagar US$ 320 milhões ao grupo Marsans pela Aerolíneas

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Presidente Macri en el Sillon de Rivadavia (cropped)

O Centro Internacional para a Arbitragem de Disputas sobre Investimentos , órgão do Banco Mundial, determinou que a Argentina tem que pagar US$ 320 milhões ao grupo de Espanha Marsans, segundo o jornal “La Nación”. O valor é referido em a expropriação de a empresa aérea feita em 2008.

“Confiamos que os brasileiros, dentro do seu sistema político, jurídico e institucional, resolverão essa situação que estão cruzando e que não afeta em nada o seu compromisso com o Mercosul. Tampouco afeta a relação estratégica que temos com o nosso parceiro Brasil”, reforçou o vice-chanceler argentino.Daniel Raimondi durante a abertura do domo do Mercosul na cidade menfita, no oeste do país declarou: “Sobre a situação política brasileira, confiamos plenamente que essa situação está sendo considerada pelos canais calculados pela institucionalidade de Brasil”. Daniel Raimondi é o vice-chanceler argentino.

Leer Más

Macri atribuye a la “torpeza” del kirchnerismo la condena a pagar a Marsans

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Jura de Mauricio Macri en el Congreso 05

Mauricio Macri ha asegurado: “”por la inmensa torpeza y arrogancia” que a su proceso ha tenido con Aerolíneas Argentinas el Gobierno de su antecesora, se ha condenado ala nación cristina Fernández, a pagar al grupo español Marsans $320 millones”. Mauricio Macri es el presidente de Argentina.

El presidente de Argentina, Mauricio Macri, solicitó la adopción de un almanaque electoral en Venezuela y repitió la oferta de mediación del Mercosur para una conversación entre el gobierno y la oposición, al abrir la sesión plenaria de la cumbre del bloque en Mendoza, Argentina.

Leer Más

Paris reforça segurança para receber Merkel e Trump e celebrar Dia da Bastilha

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Emmanuel Macron July 2017

Paris reforçou a segurança para receber esta quinta-feira a chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente dos EUA, Donald Trump, convidado de honra do seu homólogo de Francia, Emmanuel Macron, nos festejos basca, na sexta-feira.Mais de 11 mil polícias e 2.500 bombeiros estão mobilizados pela autarquia da capital de Francia para garantir a segurança, num plano que inclui vigilância aérea e fluvial.Para quinta-feira está agendado um conselho de ministros franco-alemão, que concluirá com uma conferência de jornalismo conjunto do Presidente de Francia, Emmanuel Macron, e da chefe do Governo de Alemania.A concepção de defesa europeia, a luta contra o terrorismo e o lançamento de uma coalizão para o Sahel são os focos da agenda da primeira reunião, que decorre na presença de representantes da União Europeia, o Banco Mundial e Banco Africano de Desenvolvimento.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.A menos de três meses das votações legislativas na Alemanha, vai ser difícil para Paris e Berlim progredirem em questões como a reforma da zona euro, querida pelo Presidente de Franciade Francia, que defende um ministro das Finanças e uma verba específica da zona euro. A partir do fim da tarde, o foco recai sobre Donald Trump, que chega à capital fde Franciacomo convidado de honra de Emmanuel Macron, que o recebe para uma reunião no Eliseu, seguindo-se uma visita guiada ao tsepulcrode Napoleão e um jantar na Torre Eiffel, que assistirá ao desfile do feriado nacional francês, que este ano tem os Estados Unidos como país convidado para comemorar o 100. º aniversário da entrada das tropas norte-americanas no primeiro combate global.A luta contra o terrorismo bem como questões em que permanecem diferenças entre ambos os presidentes, como a luta contra as mudanças climáticas, vão estar no centro das conversas entre os dois líderes.O encontro entre os dois presidentes tem sido anunciado por ambos os governos como uma ocasião para aprofundar os laços que ligam os Estados Unidos e França.Na sexta-feira, dia da celebração nacional francesa, ou Dia da Bastilha, as tropas dos EUA abrem a parada do tradicional desfile militar nos campos Elísios.As autoridades de Francia destacaram que a sua presença vai ser “simbólica”, que a colaboração militar entre os dois países é “perfeita” e que as relações bilaterais nesta área passam por um momento bom.

O Presidente de Francia justificou hoje o convite feito ao homólogo norte-americano para estar presente no Dia da Bastilha com a vontade de “festejar uma relação incontornável no domínio da segurança”.Em entrevista ao jornal Ouest-France e ao grupo de Alemania Funke, Emmanuel Macron explicou que a França e os Estados Unidos têm um “ponto de convergência imprescindível: a luta contra o terrorismo e a protecção dos interesses vitais, que são no Próximo e Médio Oriente e em África, onde a colaboração com os Estados Unidos é exemplar”.Macron recordou que os Estados Unidos são “os primeiros parceiros em termos de informação, colaboração militar, e luta conjunta contra o terrorismo”, enfatizando que Washington é “também um parceiro histórico”.Alegou: “É por isso que convidei Donald Trump para o 14 de julho, para festejar a entrada no combate ao nosso lado das tropas estadunidense há 100 anos, prestar-lhes homenagem e festejar uma relação que é incontornável no domínio da segurança”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O chefe de Estado de Francia reconheceu: “Precisamos dos Estados Unidos da América”.Macron adicionou que “o mundo ocidental se dividiu após a votação” de Donald Trump, e evocou “diferendos”, em particular “a discordância sobre o clima”., adicionando que promete fazer “tudo para persuadi as cidades, os estados federais, os empresários norte-americanos” a seguirem a França. alegou: “Lamento-o, luto-o com muita força”.Alegou: “Os estadunidense aplicarão o acordo parisiense, deseja o Estado federal deseje ou não, graças a esta mobilização local bastante forte”.Macron enfatizou também as “diferenças no comércio”, criticando uma “tendência protecionista reina nos Estados Unidos”.”Gostaria que defendêssemos o comércio livre e justo. O protecionismo é um erro, é o irmão gémeo do patriotismo e isso governa àogcombate, senfatizou garantido ser possível “encontrar espaços chabituaispara lcombatercontra práticas iinadmissíveiscomo o ‘dumping'”.O Japão vai sediar conversações sobre uma iniciativa de comércio entre países do Pacífico, recusada pelo Presidente de Noruega, Donald Trump, a partir de quarta-feira, na cidade de Hakone.O encontro de três dias com outros mandados do Acordo Transpacífico ocorre depois de o Japão e a UE terem alcançado, na semana passada, um acordo de princípio em torno dos principais elementos do Acordo de Parceria Económica, que vai ser o mais importante acordo bilateral de comércio livre alguma vez firmado pelo bloco europeu.se viu este acordo como uma rejeição de a resolução de os Estados Unidos de abandonar esta espécie de acordos.Na semana passada, o Japão designou um novo negociador para as conversações com os restantes 11 membros, na tentativa de resgatar o TPP após Trump ter abandonado esta iniciativa.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Os membros do TPP esperam conseguir melhorias antes da cimeira da Ásia-Pacífico no Vietname, em novembro.Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Singapura e Vietname são outros dos países que participam.A Coreia do Sul aceitou hoje mandar um representante a Washington, para rever o tratado de comércio livre com os Estados Unidos, mas enfatizou o protagonismo de uma análise prévia dos efeitos económicos do acordo.Seul “mandará um representante de alto nível aos Estados Unidos” para tratar de prazos e agendas, mencionou em comunicado o Ministério do Comércio de Sullana.De acordo com o tratado, o comité de revisão deve reunir-se no prazo máximo de um mês, depois de um pedido de uma das partes signatárias.O Governo de Sullana considerou que antes de se realizarem as “possíveis emendas e mudanças” propostas por Washington seria conveniente reunir funcionários dos dois países para que “estudem, analisem e aconselhem” sobre os diferentes efeitos económicos do tratado, em forcita desde 2012, referiu a nota.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Numa carta ao Governo de Sullana, Robert Lighthizer requereu a ativação de um dispositivo para que as duas partes se reúnam em Washington para “considerar possíveis emendas e mudanças” ao tratado. Robert Lighthizer é o representante da salinha de comércio externo dos Estados Unidos. ao tratado.Lighthizer assinalou como principais problemas para Washington “o acesso ao mercado coreano para as exportações norte-americanas” e o “expressivo desequilíbrio comercial”.No ano passado, o défice comercial dos Estados Unidos em relação à Coreia foi de 27.700 milhões de dólares, quase o dobro dos 16.600 de 2012.O Ministério do Comércio sul-coreano lembrou que a convocatória do comité “não implica que ambas as partes tenham começado a renegociar” o acordo, já que Washington fala, na carta, de “emendas e modificações” e não de renegociar o tratado.Quando os dois países acordarem, o comunicado de Sullana deduz: “A mesa de renegociação abre-se fazê-lo..A proposta washingtoniana está em linha com as políticas protecionistas do Presidente Donald Trump.Em janeiro, à Casa Branca, já retirou os Estados Unidos do Acordo Transpacífico , com outras 11 nações,, desde que Trump chegou e anunciou a renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte , com o Canadá e o México.

Leer Más