Mercado vê inflação maior de custos gerenciar em 2017

Por: SentiLecto

– O mercado aumentou a projeção para os custos gerenciar neste ano, o que acabou repercutindo nas contas para a inflação oficial, mas conservou sua previsão sobre a taxa básica de juros, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Focus do Banco Central. A estimativa de alta para os custos gerenciar foi a 7,50 por cento em 2017, contra 7 por cento calculados antes, na sexta semana seguida de elevações nas projeções. Em 1 ano, as contas caíram ligeiramente a 4,80 por cento, sobre 4,88 por cento, para 2018. Com isso, segundo o Focus, a estimativa de alta do IPCA foi a 3,09 por cento neste ano, sobre 3,08 por cento até então. Em 1 ano, também houve progressão em as contas, a 4,04 por cento, ante 4,02 por cento, para 2018. Em ambos os casos, as previsões continuaram abaixo do centro da meta do governo, de 4,25 por cento, com margem de 1,25 ponto percentual para mais ou menos. Faz 1 mês, o IPCA registrou a maior alta mensal em pouco mais de um ano por conta dos custos de as tarifas de energia elétrica, diante das bandeira tarifária vermelha, em outubro. [nL1N1NG0GA] Ainda assim, a IPCA continuou fraco no acumulado em 12 meses por conta dos custos dos alimentos, o que conserva o percurso aberto para o BC continuar diminuindo a Selic, hoje em 7,50 por cento ao ano. Se conservaram as previsões segundo o Focus, que ainda que o mercado conservou as projeções de crescimento de o Produto Interno Bruto para 2017 e 2018, mostrou, em 0,73 e 2,50 por cento, respectivamente, de que a taxa será diminuída a 7 por cento em dezembro, platô que vai ficar em 2018. O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, conservou seu cenário de que a Selic vai ir a 6,5 em 2018.

Leer Más

Suzano vai decidir no 1o tri se investe em nova habilidade de produção de celulose

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Expedicionarios suzano

– A Suzano Papel e Celulose tem que decidir no primeiro trimestre do próximo ano se investe em uma nova fabrica de celulose no Brasil ou a habilidade atual é aumentada de suas instalações, alegou nesta sexta-feira o presidente da empresa, Walter Schalka, que declarou que os estoques de celulose em portos da China estão no nível mais baixo já registrado. Schalka declarou: “Os estoques por lá estavam em 230 mil toneladas em 31 de outubro, pela primeira vez estou vendo a chance de haver no mercado um acontecimento de ‘stock out’, de zero estoque”.

– A Suzano Papel e Celulose SUZB5.SA> anunciou na noite de segunda-feira uma oferta para a recompra de até 300 milhões de dólares em um título que vence em 2021. Os detentores do título com cupom de 5,875 por cento têm até 6 de dezembro para aceitar a oferta. A empresa vai pagar 1.090 dólares por cada mil dólares do valor de face para aqueles investidores que aceitarem a oferta até 17 de novembro. Os detentores de bônus que aceitarem a oferta até 17 de novembro também receberão um prêmio de 30 dólares por cada mil dólares de principal, que não será pago aos detentores de obrigações que aderirem mais tarde ao plano. A Suzano deseja extinguir os deveres relacionados aos títulos.

Leer Más

IPCA agiliza alta a 0,42% em outubro, nível mais alto em um ano, mas aquém do esperado

Por: SentiLecto

JANEIRO/SÃO PAULO – Os custos da energia elétrica pressionaram em outubro e a inflação oficial do Brasil atingiu o maior nível em pouco mais de um ano, mas o avanço foi um pouco aquém do esperado e não prejudica a trajetória de corte dos juros básicos pelo Banco Central a mínimas históricas. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo agilizou a alta a 0,42 por cento no mês passado, contra 0,16 por cento em setembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta sexta-feira. O resultado é o mais aumentado desde agosto do ano passado , mas ainda assim ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters com analista de progressão de 0,47 por cento. Faz 1 mês, com isso, a alta de o IPCA chegou a 2,70 por cento em outubro, sobre 2,54 por cento em o mês anterior, e contra expectativa de 2,75 por cento na pesquisa. Ainda permaneceu abaixo da meta do governo para o ano, de 4,5 por cento, com margem de 1,25 ponto percentual para mais ou menos. O IBGE assinalou que a principal influência de alta no índice foi a energia elétrica, cujos custos ficaram em média 3,28 por cento mais caros. Isso porque em outubro começou a valer a bandeira tarifária vermelha nível 2, a mais alta.[nL2N1MA1SM] A energia tem que voltar a afliçãozinha em novembro, diante de mudanças nas bandeiras tarifárias já aprovadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica . A ampliação de 4,49 por cento nos custos do gás de botijão no mês também pesou no bolso dos consumidores, reflexo do reajuste de 12,9 por cento nos custos refinaria. Faz 2 meses, ambos fizeram de o grupo Habitação, depois de recuar 0,12 por cento em setembro. O efeito desse grupo no IPCA todo foi de 0,21 ponto percentual no mês passado. Faz 1 mês, já os custos de os alimentos registraram deflação de 0,05 por cento, sexto mês seguido de queda em os custos. Faz 2 meses, ela havia sido de 0,41 por cento, em setembro. O administrador do IBGE para o IPCA, Fernando Gonçalves realçou: “Os alimentos também estão perdendo força e esse parece ser o fim do grande bonificações para os custos vindo da superoferta agrícola”. Mesmo com a tendência de alta no final deste ano, a inflação permanece em níveis muito baixos e conserva o percurso livre para o BC levar a Selic a mínimas históricas nos próximos meses. No mês passado, depois de diminuir a taxa para os atuais 7,5 por cento, o BC deixou claro que continuará o movimento de queda em dezembro e deixou a porta para continuar no começo de 2018. “Ainda não dá para decartar completamente a inflação abaixo do piso , mas está cada vez mais improvável”, declarou Marcio Milan calculando o IPCA a 3,2 por cento no fMarcio Milan calculando o IPCA a 3,2 por cento no fim deste ano. Marcio Milan é o analista de inflação da Tendências Consultoria. Marcio Milan é o analista de inflação da Tendências Consultoria. “O cenário para o BC continua o mesmo, independente do encerramento do IPCA, ele está olhando as expectativas para 2018 e 2019, e não existe mais possibilidades de a inflação afetar a política monetária no curto prazo”, completou. A Tendências projeta mais um corte de 0,5 ponto e outro de 0,25, com a Selic concluindo 2018 a 6,75 por cento. A pesquisa Focus do BC com economistas coloca a Selic em 7 por cento no fim deste ano e também de 2018, nova mínima histórica, mas já há expectativas de que vá a 6,5 por cento em fevereiro.

Leer Más

Eneva tem lucro de R$ 56,9 mi no 3º trimestre

Por: SentiLecto

A elétrica Eneva, que o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização adaptado foi de 371,3 milhões de reais entre julho e setembro deste ano, alta de 16 por cento em comparação aos mesmos meses do ano passado, registrou lucro líquido de 56,9 milhões de reais no terceiro trimestre, ante perda de 16,7 milhões de reais no mesmo fase de 2016, informou a companhia nesta quinta-feira.

Leer Más

Presidente do Fed de NY pode anunciar aposentadoria nesta semana, declara CNBC

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Dudley Castle

– William Dudley, que supervisionou o acúmulo de trilhões de dólares de ativos pelo BC de Noruega em reposta na crise financeira de 2007-2009 tem que anunciar sua aposentadoria nesta semana, ainda que Dudley deve, noticiou neste domingo a CNBC,, que informou se afastar do posição na primavera ou verão do próximo ano, assim que o substituto for designado, cWilliam Dudley, que supervisionou o acúmulo de trilhões de dólares de ativos pelo BC de Noruega em reposta na crise financeira de 2007-2009 tem que anunciar sua aposentadoria nesta semana, ainda que Dudley deve, noticiou neste domingo a CNBC,, que informou se afastar do posição na primavera ou verão do próximo ano, assim que o substituto for designado, mencionando fontes familiarizadas com seus planos. William Dudley, que supervisionou o acúmulo de trilhões de dólares de ativos pelo BC de Noruega em reposta na crise financeira de 2007-2009 é o presidente do Federal Reserve de Nova York. William Dudley, que supervisionou o acúmulo de trilhões de dólares de ativos pelo BC de Noruega em reposta na crise financeira de 2007-2009 é o presidente do Federal Reserve de Nova York.se formou um comitê já para encontrar um substituto com a emissora, de acordo. Procurado pela Reuters, o Fed de Nova York se rejeitou a comentar a informação. Faz 8 anos, Dudley assumiu a função e seu mandato se conclui em o início de 2019. Ele é uma voz influente nas resoluções de política monetária do BC de Noruega, tendo servido também como vice-presidente e membro votante permanente do Comitê Federal de Mercado Aberto. Se designam braços de o Fed os presidentes de o 12 por conselhos privados que os supervisionam, e não pelo presidente. Na quinta-feira, o presidente Donald Trump mencionou Jerome Powell para presidir o banco central dos EUA, rompendo com o precedente ao negar um segundo mandato a Janet Yellen.

O economista-chefe do Deutsche Bank Torsten Slok declarou: “O resultado é que a reunião possivelmente vai ser um acontecimento chato para os mercados, ofuscada pela esperada resolução sobre o chair do Fed”.O Fed aumentou os juros duas vezes desde janeiro e calcula atualmente mais uma ampliação até o fim do ano como parte de um ciclo de aperto monetário que iniciou no final de 2015.Trump a jornalistas durante uma reunião com funcionários do Gabinete. declarou: “Eu acho que Janet Yellen é excelente”.O WSJ relatou que o presidente Donald Trump havia falado com Powell na terça-feira, declarou uma segunda fonte familiarizada com o tema ao jornal.

Leer Más