MRV deseja investir R$50 bi e entregar 500 mil unidades até 2028

Por: SentiLecto

– A MRV tem que investir 50 bilhões de reais nos próximos 10 anos, como parte dos planos de expandir sua participação no mercado e entregar 500 mil unidades até 2028, declararam nesta terça-feira executivos da maior construtora de imóveis econômicos do país. Se materializado, o investimento da companhia tem potencial de gerar 41 bilhões de reais para o Produto Interno Bruto , 6 bilhões de reais em arrecadação tributária e 94,6 mil postos de trabalho direta e indiretamente no Brasil, de acordo com cálculos da maior construtora de imóveis econômicos do país. “Nossa estrutura já nos permite arremessar 50 mil unidades por ano, então 500 mil unidades em 10 anos é executável, vai haver procura e a MRV trabalhará para entregar isso”, comentou Rafael Menin que . Rafael Menin é o copresidente da empresa. Considerando o valor médio de 150 mil reais por unidade, a MRV poderia atingir um Valor Geral de Vendas bruto de 7,5 bilhões de reais já em 2018. Na avaliação do também Eduardo Fischer o risco principal para satisfazer a meta para 2018-2028 é a disponibilidade de financiamento. Eduardo Fischer é copresidente.“A parte operacional cobrimos bastante bem, então 90 por cento do risco vem do funding”, comentou Fischer. Dentro do investimento calculado para a próxima década, a MRV tem que desembolsar anualmente 50 milhões de reais em soluções de tecnologia que garantam maior eficiência operacional, incluindo inteligência artificial, e Sobre a linha premium média renda, atendendo famílias com renda mensal de 5 mil a 10 mil reais, os executivos realçaram que os primeiros lançamentos devem acontecer entre o primeiro e o segundo trimestre de 2018. A expectativa deles é de que este segmento não ultrapasse 5 por cento do mix de vendas no próximo ano. O produto premium tem que ter como fonte de financiamento o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo , a linha pró-cotista e a tão aguardada Letra Imobiliária Garantia . Segundo o diretor executivo de Finanças da MRV, Leonardo Côrrea, a empresa já está em conversas com bancos privados e públicos interessados em financiar os empreendimentos de média renda.

Leer Más

Fusões e aquisições dominam negociações nos mercados acionários europeus; setor de petróleo registra ganhos

Por: SentiLecto

Enquanto a força das ações de petróleo após o encerramento de um oleoduto auxiliou a impulsionar um índice referencial da região para a máxima em cinco semanas, fusões e aquisições dominaram o mercado acionário europeu nesta terça-feira.

Leer Más

Reajuste anual dos servidores em debate na Prefeitura do Rio

Por: SentiLecto

Os debates sobre a aplicação de reajuste dos servidores aqueceram na Prefeitura do Rio. De um lado, a Secretaria municipal de Fazenda advertiu o prefeito Marcelo Crivella de que a concessão da ampliação anual colocaria em risco a meta de responsabilidade fiscal. Por outro, aliados e conselheiros declaram que há espaço para a recomposição salarial do funcionalismo por causa da expectativa de elevação da arrecadação, após a aprovação do projeto que modifica normas de cobrança da IPTU; e a chance de alta na contribuição do ISS, se a economia do Rio reagir em 2018; além da negociação das dívidas e dos pagamentos ao BNDES.

Leer Más

Negociação entre Rio e União de empréstimo para pagar servidores completa um mês

Por: SentiLecto

As negociações para a liberação do empréstimo de R$ 2,9 bilhões já completaram um mês desde a execução do pregão — as negociações começaram a partir do dia 2 de novembro. Deu-se um prazo de lá para cá, , foi desrespeitado e a norma agora é não ter previsão quanto a data em que os servidores terão seus salários quitados. Faz 1 dia, o ministro de a Fazenda, Henrique Meirelles declarou que o Rio precisa se compreender com o Banco Mundial para ter o aval para o acordo, ontem por exemplo.

Leer Más

Bolsa progride 1,1% com articulações do governo para aprovar Previdência

Por: SentiLecto

As negociações do governo para tentar aprovar a reforma da Previdência estimularam o mercado nesta segunda-feira e a Bolsa de Brasil conseguiu sustentar a segunda alta seguida. O dólar perdeu força em relação ao real, na contramão da valorização da moeda de America ante a maioria das divisas do mundo.

Leer Más