Amazon cumple 20 años en la bolsa: sus acciones han incrementado 638% en dos decenios

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Gráfica de Beneficios de Amazon

Cuando en apariencia ya lo tiene, ¿Qué le regalas a alguien por su vigésimo aniversario todo?

Hace 20 años, el gigante minorista en línea Amazon se ha vuelto público.

Leer Más

Apoio do BNDES aos negócios da JBS geraram perda de R$ 1,2 bi, declara PF

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Friboi jbs

— As possíveis fraudes investigadas pela Operação Bullish, da Polícia Federal, que suspeita, ainda, que os desembolsos dos recursos públicos tiveram tramitação mais rápida que a média do banco após a companhia contratar a Projeto, consultoria do ex-ministro petista Antônio Palocci — que está preso em Curitiba na Operação Lava Jato, , envolvendo aportes concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social , através BNDESPar ao frigorífico JBS, teriam gerado perdas de R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos. BNDESPar é braço de participações do banco. Os desembolsos, realizados de 2007 a 2011, tinham como objetivo a aquisição de companhias do ramo de frigoríficos, no valor total de R$ 8,1 bilhões. A suspeita é que o BNDES tenha favorecido a JBS de forma irregular. Há indícios, por exemplo, segundo os investigadores, da compra de ações da JBS supostamente por custo superior à média da Bolsa de Valores. Os inquéritos assinalam, segundo a resolução da Justiça, anormalidades na compra de ações da JBS pelo BNDES por custo superior à média da Bolsa de Valores; perdas em operações com debêntures; anormalidades na compra pela JBS da grupo Bertin; e do “exíguo” prazo de análise das operações financeiras complicadas e ausência de relatórios de diligências. Faz 10 anos, segundo a PF a companhia tentou adquiri o frigorífico National Beef, em uma ação de R $ 8 bilhões. embora a transação não tenha, se devolveu o dinheiro se concretizado, não prontamente a o banco. Em laudo pericial, a PF argumenta que “o entendimento de que a JBS precisava de folga de caixa por causa da crise financeira, exibido como fundamento para a resolução de conservar na investida os recursos aportados e não usados no fim inicialmente pactuado não é compatível com a autorização para que a companhia empregasse esses recursos em outras aquisições”. O juiz Ricardo Leite autorizou a operação , de a Justiça Federal do Distrito Federal. Na resolução, o juiz assinala ainda para anormalidades encontradas pela PF na compra de ações da JBS por custo superior à média pcogitadapraticada na Bolsa de Valores, em pperdasuperior a R$ 30 milhões. Investiga-se a compra de o frigorífico Bertin também pela JBS, outra operação realizada com empréstimos de o BNDES. A suspeita da Polícia Federal é que houve favorecimento ilegal à ecompanhia pois os empréstimos não eram feitos com as devidas garantias e com juros menores. O juiz Ricardo Leite autorizou a mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva dos sócios fundadores da companhia, os irmãos Joesley e Wesley Batista. Os proprietários da JBS também estão impedidos de fazer mudanças societárias na companhia, além de não poder instituir outras empresas no Brasil e no exterior. O ex-presidente do banco Luciano Coutinho também é alvo da operação.

– O Tribunal de Contas da União informou nesta sexta-feira que encontrou indícios de anormalidades no suporte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social que permitiu à JBS cadquiria norte-americana Swift em 2007. O TCU considerou as operações do BNDES como irregulares e a avaliação serviu de subvenção para a deflagração da operação Bullish, da Polícia Federal, nesta sexta-feira. “Não foram observados benefícios econômicas para o país. A equipe técnica do BNDES não considerou, ainda, o fato de a companhia comprada pela frigorífica ter, na época, patrimônio líquido negativo”, alegou o TCU em comunicado àoijornalismo Segundo o relator do caso no TCU, ministro-substituto Augusto Sherman Cavalcanti BNDESPar, padeceu perda de cerca de 70 milhões de reais com as operações. Ministro-substituto Augusto Sherman Cavalcanti é o braço de participações do BNDES. — O Tribunal de Contas da União investigará junto com a Polícia Federal a administração dos recursos públicos disponibilizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ao Grupo JBS/Friboi. Antes da PF deflagrar a Operação Bullish, o TCU já havia considerado irregulares operações realizadas pela instituição com o Grupo JBS para a compra da norte-americana Swift. A subsidiária BNDESPar que comprou ações de a companhia de Brasil para viabilizar o negócio de R 1,13 bilhão , realizou a operação , $ acontecido em 2007. A Polícia Federal investiga a compra de ações da JBS pelo BNDES por custo superior à média pcogitadana Bolsa de Valores, pperdasem operações com debêntures, mudança na percepção do BNDES sobre o risco do aporte de capital no grupo Bertin, a dispensa de garantias na subscrição de debêntures da JBS, o exíguo prazo de análise das operações financeiras ccomplicadase ausência de relatórios de diligências. Os ministros do TCU avaliaram que o BNDESPar usou recursos superiores ao necessário, sem análise da viabilidade econômica do investimento, numa operação que “encarnou risco de investimento para o BNDES e preço zero para a JBS”. Para o TCU, os técnicos do BNDES não avaliaram os aspectos sociais envolvidos nos projetos apoiados pelo banco e nem observaram benefícios econômicas para o Brasil. Nota da Corte de contas declara: “A equipe técnica do BNDES não considerou, ainda, o fato de a companhia comprada pela frigorífica ter, na época, patrimônio líquido negativo”. O Tribunal de Contas da União também questiona o tempo “curtíssimo” da operação. Segundo o tribunal, o tempo médio para processamento de um pedido de suporte financeiro é de 210 dias. Processou-se a operação investigada por a PF ” foi integralmente processada em 22 dias úteis “. “O prejuízo estimado se refere ao valor pago a maior em relação ao valor das ações em bolsa de valores sem justificações razoáveis, redundando em perda próxima a R$ 70 milhões para o BNDESPar, e não a eventual resultado advindo da operação”, declarou no seu relatório o ministro do TCU Augusto Sherman Cavalcanti.- A Polícia Federal arremessou nesta quinta-feira o quarto período da operação Lama Asfáltica, envolvendo mandados de busca e apreensão na produtora de celulose Eldorado Brasil e em uma unidade da companhia de alimentos JBS em Campo Grande. A operação apura desvio de recursos públicos por meio licitações viciadas, superfaturamento de obras, compra fictícia ou ilícita de produtos e corrupção de agentes públicos. Segundo a PF, o período dos inquéritos arremessada nesta quinta-feira envolveu 3 mandados de prisão preventiva, 9 de condução coercitiva, 32 de busca e apreensão, além do sequestro de valores nas contas bancárias de pessoas físicas e companhias. Os mandados aconteceram nas cidades de Campo Grande, Nioaque, Porto Murtinho e Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul; São Paulo e Curitiba . Cerca de 270 policiais federais, servidores da Controladoria Geral da União e da Receita Federal participaram da operação. Segundo a PF, a perda causada pelo grupo foi de 150 milhões de reais. Procurada, a Eldorado alegou “está segura de que elucidará-se a questão e alega que todas as suas atividades são realizadas dentro da legalidade. A companhia se conserva à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos acomplementares. No ano passado, a Eldorado foi alvo de duas operações da PF, uma no âmbito da Lava Jato e outra envolvendo a operação Greenfield. As operações acabaram fazendo a companhia protelar a divulgação de resultados de 2016. Já a JBS alegou também em comunicado que “as informações sobre a empresa são públicas e que prestou todos os esclarecimentos e dados requeridos. A companhia se conserva à disposição das autoridades”. Nquanto o Ibovespa tinha alta de 0,5 por cento, as ações da empresa de alimentos apresentavam queda de 0,35 por cento, às 15h18, e.Tanto Eldorado quanto JBS integram a holding de empresas J&F Investimentos, da família Batista.

Leer Más

Mobius alega que estudaria compra da Odebrecht se companhia cotasse na bolsa

Foto: Wikipedia – Bolsa Mexicana de Valores

O presidente-executivo do grupo de mercados emergentes Templeton alegou que se a construtora brasileira cotasse na bolsa, estudaria a compra da Odebrecht. Templeton é o de America Marck Mobius.

O juiz declarou: “Se diz inaceitável o procedimento de homologação utilizado pelo Ministério Público e Odebrecht em virtude de que o instituto jurídico da conciliação, no qual fundamenta suas quando os fatos que são relativos correspondem, se o concebeu ambições, por os legisladores para resolver conflitos entre denunciantes vítimas, querelantes e querelados quando os fatos que são relativos correspondem, vítimas, querelantes e querelados a violações, infrações de ação privada, assassinato culposo “.A medida é parte do inquérito realizado pela promotora Ximena Chong sobre a também de Brasil OAS por um suposto financiamento ilícito a políticos chilenos, incluindo a campanha presidencial de Marco Enríquez-Ominami, em 2013.Desde que estourou em dezembro do ano passado, apesar do revoo provocado por este caso quando os Estados Unidos divulgaram a informação dos subornos, Medina não tinha feito nenhuma referência até segunda-feira passada, quando aproveitou seu primeiro discurso de prestação de contas de seu segundo mandato para assegurar que “não vai haver espaço para a impunidade”.

Leer Más

Em 2 meses, contas de luz vão ficar sem cobrança extra até fim, declara Aneel

Foto: Wikipedia – Eletrobras

– As contas de luz deverão conservar a bandeira tarifária verde, que não implica em preços extras para os consumidores, Faz 10 meses, ao menos até o fim projetou ontem o diretor-geral de a Agência Nacional de Energia Elétrica, Romeu Rufino. As bandeiras amarela e vermelha, que são acionadas quando há uma menor oferta de energia no sistema, geram a cobrança de um valor extra por cada kilowatt-hora consumido. “Até o final do fase úmido, não entrevejo cenário que possa acionar bandeira amarela. No fase seco, a partir de maio, depende de como fecharmos o fase úmido, não dá para fazer essa previsão agora”, alegou Rufino, após participar de acontecimento em São Paulo. Faz 2 meses, o diretor também descartou necessidade de alguma revisão. Naquele mês havia sido acionada a bandeira amarela, mas o custo, após a revisão, mencionou que o mês teria que ter sido de bandeira verde. Se a repassa em as distribuidoras de eletricidade conforme necessário, segundo Rufino, não vai haver devolução desses recursos aos consumidores, porque a arrecadação gerada com a bandeira fica em uma conta e para custear a compra de energia de termelétricas que têm a geração mais cara as usinas hídricas,que têm a geração mais cara que as usinas hídricas: — Ela já é devolvida. Se a utiliza para cobrir o acionamento, a bandeira na verdade é uma arrecadação que fica em uma conta e. Todo ano definimos a verba da bandeira para o ano que vem. O primeiro item que o compõe é o saldo , se tem sobra ou insuficiência . Segundo a Reuters, levantamento da consultoria TR Soluções mostra que as tarifas de energia elétrica terão que ter uma diminuição média de 1,56% este ano, se considerado o conseqüência dos reajustes e revisões calculados. Enquanto outras têm que ter uma diminuição de quase 15%, há distribuidoras que poderão ter alta de até 20%. A tendência, de acordo com a TR Soluções, é que predominem diminuições tarifárias nas distribuidoras que passam por reajuste ou revisão no primeiro semestre e elevação naquelas que vão ter a mudança nas contas na segunda metade do ano. Enquanto Eletrobras Alagoas, Eletrobras Piauí e CEEE devem exibi os maiores reajustes para cima, na projeção da consultoria, as tarifas de Ampla , CPFL Paulista e Energisa Mato Grosso terão que ter as maiores diminuições, de quase 15% , de mais de 15%. Enquanto a Cemig tem que ter diminuição de 12% e a Eletropaulo, para a Light, a previsão é de alta de cerca de 10% , uma queda de cerca de 2%.

– A Agência Nacional de Energia Elétrica negou pedido da Eletrobras e conservou a resolução que obriga a elétrica federal a devolver mais de 600 milhões de reais a fundos do setor elétrico a partir de julho de 2017, segundo despacho do diretor-geral do órgão regulador, Romeu Rufino, no Diário Oficial desta segunda-feira. Faz 1 mês, a diretoria de a Aneel havia publicado ainda um despacho que obriga a companhia a realizar a devolução referente a indenizações devidas em a estatal que acabaram pagas com recursos de os fundos setoriais em valores maiores o devido., queo devido. Em um pedido de conseqüência suspensivo dessa resolução, a Eletrobras tentou protelar o começo dos pagamentos até que um pedido de reconsideração feito junto à Aneel fosse analisado. A estatal também desejava diminuir a correção incidente sobre os valores. Mas Rufino considerou que “os argumentos exibidos pela Eletrobras não são suficientes”, principalmente ao considerar que a devolução dos recursos só ocorrerá a partir de 2017. “A devolução se vai dar de maneira parcelada, cujos valores poderão ser posteriormente adaptados na eventualidade de mudança da resolução”, declarou o diretor-geral. – A Agência Nacional de Energia Elétrica negou pedido da Eletrobras e conservou a resolução que obriga a elétrica federal a devolver mais de R$ 600 milhões a fundos do setor elétrico a partir de julho de 2017, segundo despacho do diretor-geral do órgão regulador, Romeu Rufino, no Diário Oficial desta segunda-feira. Faz 1 mês, a diretoria de a Aneel havia publicado ainda um despacho que obriga a companhia a realizar a devolução referente a indenizações devidas em a estatal que acabaram pagas com recursos de os fundos setoriais em valores maiores o devido., queo devido. Em um pedido de conseqüência suspensivo dessa resolução, a Eletrobras tentou protelar o começo dos pagamentos até que um pedido de reconsideração feito junto à Aneel fosse analisado. A estatal também desejava diminuir a correção incidente sobre os valores. Mas Rufino considerou que “os argumentos exibidos pela Eletrobras não são suficientes”, principalmente ao considerar que a devolução dos recursos só ocorrerá a partir de 2017. — A devolução se vai dar de maneira parcelada, cujos valores poderão ser posteriormente adaptados na eventualidade de mudança da resolução — declarou o diretor-geral.- A Agência Nacional de Energia Elétrica terá que abrir uma audiência pública para avaliar possíveis mudanças nas normas que atualmente definem em que ocasiões pode haver republicação do custo spot da eletricidade, ou Preço de Liquidação das Diferenças , declarou à Reuters o presidente da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia . No final de 2016, a agência reguladora anunciou uma revisão no PLD de novembro e das três primeiras semanas de dezembro que chegou a diminuir os custos em até 62 reais por megawatt-hora, após encontrar inconsistências em informações usadas para calcular os índices. Uma vez que teve efeitos financeiros relevantes em operações realizadas pelas companhias que atuam no mercado de comercialização de eletricidade, mas a resolução provocou polêmica. Reginaldo Medeiros declarou que participou na última semana de reunião com o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, que teria adiantado que a agência pretende abrir um debate sobre a norma que permite a republicação dos custos. Reginaldo Medeiros é o presidente da Abraceel. Atualmente, essa norma autoriza a revisão do PLD no caso de erros de inserção de dados, código fonte ou sistema, e desde que as operações envolvidas ainda não tenham, a republicação pode ocorrer sido alvo de chamada de garantias financeiras pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica . “Tivemos uma reunião com o diretor-geral. Ela reverá a regra, rediscutir se vale a pena republicar ou não… colocará em audiência pública”, declarou Medeiros à Reuters. Procurada por meio da assessoria de jornalismo, a Aneel não comentou imediatamente. Faz 2 meses, após a revisão de o PLD agentes de mercado ameaçaram entrar com ações judiciais contra a resolução. Companhias também entraram com um recurso administrativo para tentar derrubar a medida. A Aneel vai analisar o pleito em reunião de diretoria em a próxima terça-feira. A própria Abraceel debateu o tema entre seus associados, mas optou por não ir aos tribunais por enquanto. “Tomamos a resolução de não judicializar acreditando que a Aneel já reverá essa regra… é um voto de confiança na Aneel e no governo.” A posição da Abraceel é que eventuais erros no PLD devem ser adaptados, mas sem conseqüência retroativos sobre as operações dos agentes. “Não faz sentido você republicar o PLD… As transações não podem ser refeitas. Isso provoca uma série de prejuízos”, argumentou Medeiros. Ele declarou que eventuais republicações deveriam ocorrer somente em casos em que ficasse confirmado que houve intenção de algum agente em manipular os custos. “Em caso de dolo, é importante que se apure os culpados… deve responsabilizar”, alegou.

Leer Más

José Mujica: México es “víctima de la droga del otro lado”

Foto: Wikipedia – Dilma e Lula no PAC

No te pierdas este martes la segunda parte de la entrevista a las 10pm México El expresidente de Uruguay José ‘Pepe’ Mujica, que “Tiene que robarle el mercado al narcotráfico”, estima que “el péndulo de la historia oscila demasiado hacia la derecha”, un fenómeno evidente —en su parecer—en América Latina en naciones como Brasil. Mujica ha presentado su libro Una oveja negra al poder en una entrevista con Carmen Aristegui paral medio estadounidense CNN en Español y ha analizado la destitución de Dilma Rousseff, el plebiscito de paz en Colombia, la dependencia del petróleo de Venezuela y la dificultad del narcotráfico en México.

Dilma Vana da Silva Rousseff, conocida como Dilma Rousseff, es una economista y política brasileña que ha ocupado la presidencia de su nación desde el 1 de enero de 2011 hasta el 31 de agosto de 2016.

Leer Más