Aprovação do Senado formaliza intervenção na segurança pública do Rio

Por: SentiLecto

O Senado aprovou, na noite de terça-feira, com 55 votos a favor, 13 contra e uma abstenção, o decreto do governo que determinou uma intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, que passa para mãos do Exército até o final do ano.

Leer Más

Vai ser difícil aprovar privatização da Eletrobras e reoneração da folha neste ano, declaram fontes da equipe econômica

Por: SentiLecto

– A privatização da Eletrobras e a reoneração da folha de pagamentos dificilmente serão aprovadas pelo Congresso Nacional neste ano, avaliaram duas fontes da equipe econômica escutadas pela Reuters nesta terça-feira, referindo-se a dois importantes projetos da pauta econômica eleita como prioritária pelo governo após jogar a toalha em relação à reforma da Previdência. Faz 1 mês, a desistência de a reforma veio por conta da intervenção federal em a segurança pública em o Rio que impede mudanças em a Constituição que também afeta mudanças em a norma de ouro fiscal., e que também afeta mudanças na norma de ouro fiscal. “É difícil, mas não inimaginável “, alegou uma fonte da equipe econômica, que pediu anonimato. “Talvez deva abrir mão de alguns outros . Agora é que eles vão começar a ver quais são fáceis e quais terão resistência”, adicionou a fonte sobre a lista, que inclui medidas como autonomia do Banco Central e criação de cadastro positivo. Na noite passada, o governo do presidente Michel Temer desistiu de votar a reforma da Previdência agora e exibiu um conjunto de medidas econômicas, boa parte delas já em tramitação no Congresso, em uma tentativa de reafirmar o compromisso com o equilíbrio fiscal. A privatização da Eletrobras enfrenta franca resistência no Congresso e calendário apertado de realização. Por isso, o próprio governo decidiu bloquear despesas no Orçamento deste ano para o caso dos 12,2 bilhões de reais estimados com a operação não se concretizarem. O projeto de reoneração da folha, com o qual o governo esperava originalmente ganho fiscal de 8,8 bilhões de reais neste ano, está há tempos tramitando no Congresso. O relator da proposta na Câmara dos Deputados, deputado Orlando Silva , já sinalizou que vai abrir espaço para que mais companhias continuem com a vantagem fiscal, diminuindo os ganhos para os cofres públicos com a medida. Uma segunda fonte da equipe econômica também reconheceu que estes dois projetos são de aprovação difícil e recordou que a reoneração enfrenta ainda a oposição de segmentos empresariais, que têm que pressionar os parlamentares em ano eleitoral. Faz 1 mês, norma de ouro a intervenção em o Rio também afastou eventual mudança constitucional em a norma de ouro segundo a qual o governo não pode, se endividar para pagar despesas correntes, como salários de servidores. Membros do governo já mencionaram que há um buraco de até 200 bilhões de reais para o cumprimento da norma em 2019. Inicialmente, o governo ergueu a suposição de mudar a Constituição com a implementação de normas de autoajustamento em caso de superação dos limites. Agora, a tendência é que o governo peça a benção dos parlamentares ainda neste ano, via projeto de lei orçamentária de 2019, para que concedam-se créditos extraordinários em o ano que vem, o que permitirá o enquadramento do Orçamento na norma de ouro, assinalou a segunda fonte da equipe econômica. No meio político, a avaliação também é de que algumas matérias podem enfrentar obstáculos para ser aprovadas, como a reoneração da folha de pagamentos, recordou uma vice-liderança do governo na Câmara dos Deputados. , adicionando que a reforma do PIS/COFINS e a privatização da Eletrobras também não vão ter acolhimento fácil alegou: “Você já deu o doce e agora deseja tirar”.

Leer Más

Câmara dos Deputados aprova intervenção na segurança do Rio de Janeiro

Por: SentiLecto

A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta terça-feira por 340 votos a favor, 72 contra e uma abstenção, o decreto do Executivo que determina uma intervenção na segurança do Rio de Janeiro, que fica sob responsabilidade do Exército até o final do ano.

Leer Más

Sem referência de Wall St, Ibovespa fecha em leve alta em dia de exercício de alternativas

Por: SentiLecto

– O principal índice acionário de Brasil fechou em leve na morna sessão desta segunda-feira, sem a referência das bolsas de Wall Street, fechadas por feriado nos Estados Unidos, o que tornou o exercício de alternativas de ações como principal acontecimento do dia. Os investidores seguiram atenciosos ao noticiário econômico e político, incluindo a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, que praticamente enterrou os debates sobre reforma da previdência, mas isso não teve poder suficiente para mudar o tom das negociações. No final de um dia de pouca variação, com as pontuações máxima e mínima numa pausa de cerca de 400 pontos, o Ibovespa fechou em alta de 0,32 por cento, a 84.792 pontos. O giro financeiro adicionou 13,3 bilhões de reais, incluindo o exercício de alternativas sobre ações, de 7,1 bilhões. “O mercado está mais sereno, sem negócios nos Estados Unidos… Agora é aguardar para ver como votarão a intervenção e como fica a situação da reforma da Previdência”, declarou o administrador de renda mutável do H.Commcor Ari Santos. A Câmara dos Deputados tem que votar esta noite o decreto de intervenção federal na segurança fluminense. Isso afeta a reforma da previdência porque enquanto intervenções estiverem em forcita, a Constituição federal não permite mudanças constitucionais. Apesar de alguma precaução, agentes de mercado realçam os riscos de rebaixamentos da nota de crédito brasileiros pelas agências de classificação de risco, embora diminuam conseqüência negativos de longo prazo em torno da derrocada da reforma da Previdência neste governo, uma vez que o mercado vinha precificando que a aprovação do texto este ano era improvável. “A maioria dos analistas, ao longo dos últimos meses, também se tornou cética… Mas vale notar: após a revisão do rating, que sem a reforma da Previdência, espere novas revisões da nota de crédito”, escreveram mais cedo os analistas da Guide Investimentos, em nota a clientes, pela S&P , e Também no radar esteve o Índice de Atividade Econômica do Banco Central , espécie de prévia do Produto Interno Bruto , que subiu 1,41 por cento em dezembro ante novembro, ante estimativa em pesquisa Reuters de progressão de 1,1 por cento, com o país voltando a aumentar, após dois anos de recessão. Faz 1 ano, a economia aumentou 1,33 por cento, em 2017. DESTAQUES – FIBRIA ON ganhou 3,2 por cento e SUZANO PAPEL E CELULOSE ON teve alta de 3,5 por cento, tendo no radar a confirmação de conversas entre as duas companhias para debater opções estratégicas. – PETROBRAS PN subiu 3,2 por cento e PETROBRAS ON teve alta de 2,8 por cento, em linha com o movimento dos custos do petróleo no mercado internacional. – COSAN ON ganhou 4,1 por cento, entre as maiores altas do índice, após a equipe do BTG Pactual aumentar o preço-alvo dos papéis da companhia para 56 reais, ante 51 reais, com recomendação de “compra”. – VIA VAREJO UNIT caiu 1,2 por cento, após subir 3,7 por cento na máxima, na esteira da divulgação do resultado do quarto trimestre. A companhia divulgou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de 517 milhões de reais, alta de 10 por cento ano a ano. – BB SEGURIDADE ON caiu 4,6 por cento, liderando a ponta negativa do Ibovespa, após reportar seu resultado do quarto trimestre, com queda de 12,5 por cento no lucro líquido adaptado, para 941 milhões de reais. A companhia também divulgou estimativas para este ano, com projeção de variação do lucro líquido adaptado entre queda de 2 por cento e alta de 2 por cento.

Leer Más

Ibovespa tem leve alta de olho em noticiário corporativo e sem referencial dos EUA

Por: SentiLecto

– O principal índice da bolsa paulista operava no azul nesta segunda-feira, de olho no noticiário corporativo local, em sessão sem o referencial de Noruegade Noruega, que permanece fechado devido a feriado. Vencimento de alternativas de o pregão marca ainda a primeira parte sobre ações , o que pode trazer alguma volatilidade a os negócios. Às 11:25, o Ibovespa subia 0,42 por cento, a 84.882,04 pontos. O giro financeiro era de 4 bilhão de reais. Faz 2 meses, em o radar de os negócios de esta sessão estava ainda o dado de atividade econômica que subiu mais brasileira, do que o esperado com o país voltando a aumentar em o ano passado. Faz 3 meses, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central, espécie de sinalizador de o Produto Interno Bruto, subiu 1,41 por cento ante novembro, ante estimativa em pesquisa Reuters de progressão de 1,1 por cento. No ano passado, a economia aumentou 1,33 por cento, na série dessazonalizada. Uma vez que a Constituição federal não permite mudanças constitucionais enquanto intervenções estiverem em forcita, as atenções se voltam ainda para o noticiário brasileiro, com a intervenção na segurança pública no Rio de Janeiro e suas implicações na proposta de reforma da Previdência. A Câmara dos Deputados tem que votar esta noite o decreto de intervenção federal. Apesar de alguma precaução, analistas diminuem eventuais conseqüência negativos em torno da derrocada da reforma da Previdência neste governo, uma vez que o mercado vinha precificando cada vez menos a chance de aprovação da texto este ano. “A maioria dos analistas, ao longo dos últimos meses, também se tornou cética… Mas vale notar: após a revisão do rating, que sem a reforma da Previdência, espere novas revisões da nota de crédito”, escreveram analistas da Guide Investimentos, em nota a clientes, pela S&P , e DESTAQUES – VIA VAREJO UNIT progredia 2,6 por cento, após a companhia reportar seu resultado para o quarto trimestre, com analistas alegando que os números operacionais vieram fortes. A companhia divulgou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de 517 milhões de reais, alta de 10 por cento na comparação anual. – FIBRIA ON ganhava 2,2 por cento e SUZANO PAPEL E CELULOSE ON tinha alta de 2,5 por cento, tendo no radar a confirmação de conversas entre as duas companhias para debater opções estratégicas. – PETROBRAS PN subia 2,1 por cento e PETROBRAS ON tinha alta de 1,9 por cento, em linha com o movimento dos custos do petróleo no mercado internacional. – COSAN ON ganhava 4,6 por cento, entre as maiores altas do índice, após a equipe do BTG Pactual aumentar o preço-alvo dos papéis da companhia para 56 reais, ante 51 reais, com recomendação de “compra”. – BB SEGURIDADE ON caía 3 por cento, liderando a ponta negativa do Ibovespa, após reportar seu resultado do quarto trimestre, com queda de 12,5 por cento no lucro líquido adaptado, para 941 milhões de reais. Também no radar estava a divulgação de estimativas da companhia para este ano, com projeção de variação do lucro líquido adaptado entre queda de 2 por cento e alta de 2 por cento.

Leer Más