Minoritários pedem arbitragem na B3 contra Petrobras em ação coletiva

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Petrobrasbolivia2006

– Um grupo de acionistas protocolou nesta quinta-feira um pedido de arbitragem contra a Petrobras, que como a ação é coletiva, ela permite a adesão de mais acionistas, adicionou, PETR4. SA> por informações supostamente falsas prestadas pela empresa nos últimos anos, informou nesta quinta-feira o escritório de advocacia Modesto Carvalhosa, sem dar mais detalhes. Uma fonte a par do tema revelou à Reuters que o pedido submetido à Câmara de Arbitragem da B3 envolve fundos de pensão, fundos de investimento e “um número siexpressivoe investidores pessoa física”. Segundo a fonte, que pediu para não ser identificada, o interesse pela arbitragem aumentou após a Petrobras ter feito acordos com investidores nos Estados Unidos, aceitando pagar milhões de dólares em indenizações pela desvalorização provocada nas ações devido ao escândalo de corrupção revelado pela operação Lava Jato. A fonte declarou: “Houve uma indignação imensa de investidores com os acordos feitos pela Petrobras nos Estados Unidos para acabar com as class actions”. A Petrobras tem que divulgar um fato pertinente ao mercado na sexta-feira formalizando que se impetrou um pedido de arbitragem de minoritários contra a companhia em a Câmara da B3. Na semana passada, a estatal informou que fez novos acordos para concluir ações nos EUA, aumentando o total de provisões estimado para 448 milhões de dólares para dirimir as disputas com acionistas da empresa no país. Fonte isse: “Esse dinheiro está saindo do caixa da empresa, indenizando alguns investidores às custas de outros”,.

– A petroquímica Braskem deve exibi nos próximos dias o 20-F, formulário com informações detalhadas do balanço que companhias com papéis negociados em bolsas dos Estados Unidos entregam ao órgão regulador do mercado de capitais do país, declarou à Reuters uma fonte a par dos atemasda ecompanhia A fonte, que pediu anonimato declarou: “Isso faz parte do processo de limpeza pós-Lava Jato”. A entrega do 20-F tem que ser feito até novembro, para evitar o risco da bolsa de valores de Nova York interromper as negociações com recibos de ações da empresa. Nas últimas semanas, a Braskem divulgou os resultados auditados de 2016 e dos dois primeiros trimestres deste ano. Na semana passada, fechou acordo para por fim a uma ação coletiva de investidores que demandavam indenização por perdas padecidas no valor das ações devido àosiinquéritosda Lava Jato, envolvendo suas controladoras Odebrecht e Petrobras. De acordo com a fonte, o balanço do terceiro trimestre, calculado para o começo de novembro, já tem que ser entregue com aval dos auditores independentes. – A Petrobras PETR4.SA> precificou 2 bilhões de dólares em títulos emitidos em duas tranches no mercado internacional, definindo rendimentos finais de 5,3 por cento para os papéis com vencimento em 2025 e de 6 por cento para 2028, informou a estatal em comunicado na noite de segunda-feira. A finalização da operação está calculada para 27 de setembro deste ano e os recursos obtidos com as emissões serão destinados “prioritariamente” ao pré-pagamento de dívidas existentes, de acordo com a petroleira. A renegociação do contrato da Cessão Onerosa entre governo e Petrobras PETR4.SA> ainda não tem prazo para ser definida, alegou nesta quarta-feira o CEO da petroleira estatal em Nova York. O CEO da petroleira estatal é pedro Parente.

Leer Más

Brasken sugere pagar US 10 milhões a investidores para concluir ação nos EUA

Por: SentiLecto

PAULO. Se o compartilha a petroquímica Braskem, cujo controle entre Petrobras e Odebrecht, informou em esta que assinou uma proposta de acordo com o autor líder de a ação coletiva movida por investidores em a Justiça dos Estados Unidos quinta-feira. As chamadas “class actions” são ações habituais nos Estados Unidos por meio das quais investidores reivindicam ressarcimento por perdas decorrentes do comportamento das companhia. No caso da Brasken, cobram indenização pela desvalorização padecida pelas ADRs decorrentes do envolvimento da companhia nos escândalos de corrupção da Lava Jato. De acordo com comunicado da Brasken, na proposta de acordo assinada com os autores da ação a companhia se sugere a pagar US$ 10 milhões “para concluir todas as procuras dos portadores de suas ADRs, negociadas no fase entre 15 de junho de 2010 e 11 de março de 2015, oriundas ou relacionadas ao objeto da Class Action, exceto pelos pleitos eventualmente formulados pelos adquirentes que venham a requerer a sua exclusão do acordo”. Se a vai submeter agora em a aprovação preliminar de a Corte em que tramita o processo, a proposta, observa ainda a Brasken.Companhia no comunicado onclui: “A Proposta de Acordo está sujeita a diversas condições, inclusive à homologação judicial”,.

Leer Más

Coreia do Norte dispara míssil de Pyongyang para leste, declaram militares sul-coreanos

Por: SentiLecto

A Coreia do Norte disparou um míssil não identificado no começo da sexta-feira , do distrito de Sunan, na capital Pyongyang, em direção ao leste, segundo as Forças Armadas da Coreia do Sul.

Leer Más

Custos do petróleo sobem para máxima de 5 meses por dólar fraco

Por: SentiLecto

Os contratos futuros do petróleo subiram nesta quinta-feira, com o Brent fechando na máxima de cinco meses, à medida que o dólar se enfraqueceu e depois de uma série de relatórios pcalculandoqque o mercado seria apertado com a dprocurade combustível aampliando

Leer Más

¿Amenaza? EE.UU. detecta actividad submarina “altamente infrecuente” de Corea del Norte

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald Trump star Hollywood Walk of Fame

Según le comunicó un funcionario de defensa al medio estadounidense CNN este lunes, el Ejército de Estados Unidos detectó “niveles muy infrecuentes y sin antecedentes” de actividad submarina por parte de Corea del Norte, así como la evidencia de una “prueba de eyección”, durante los días siguientes al segundo lanzamiento intercontinental de misiles balísticos que Pyongyang ha realizado este mes.

Según comunicó hoy el ministro de Defensa de Japón, ha desplegado hoy bombarderos estratégicos B-1B respecto de la península coreana como contestación al misil intercontinental lanzado por Corea del Norte el viernes , nación que participó en estas maniobras aéreas. Según ha detallado en rueda de prensa el titular de Nipani de Defensa, en los ejercicios han tomado parte al lado de los dos bombarderos de Estados Unidos cacerías japoneses F-2 , Fumio Kishida. No es la primera vez que el Pentágono acuerda desplegar estos aviones, estacionados en su base aérea de Andersen en la isla de Guam, para exhibir músculo militar como contestación ante lo que estima provocaciones por parte norcoreana. Ya los ha enviado a las cercanías de la península coreana tras el misil intercontinental que después de que Pyongyang disparara un proyectil de corto alcance, ha lanzado el pasado 4 de julio el régimen de Kim Jong-un y a finales de mayo. Hace 2 meses, Washington lo ha desplegado también tras el anuncio de la muerte del alumno de Estados Unidos Otto Warmbier que murió después de ser enviado de vuelta a Estados Unidos en estado comatoso tras pasar 17 meses detenido en Corea del Norte,. El despliegue de Estados Unidos de hoy intenta contestar al lanzamiento el pasado viernes de un ICBM, el segundo que prueba con éxito en su historia Corea del Norte. El misil, un Hwasong-14, ha volado 998 kilómetros durante unos 47 minutos y ha alcanzado una altitud máxima de 3.724,9 kilómetros antes de caer en el Mar de Japón . Corea del Norte estimó un éxito la prueba y ha asegurado que puede alcanzar cualquier parte de Estados Unidos con este arma. No obstante los especialistas dudan que Pyongyang pueda equipar aún cabezas nucleares en los misiles o conseguir que éstos efectúen correctamente la reentrada en la atmósfera . Las continuas pruebas de armas de Pyongyang -la del viernes ha sido la decimocuarta en lo que va de año- han aumentado la tensión en la península coreana y endurecido la retórica de la Administración Trump, que insinuó la posibilidad de realizar ataques preventivos en contra de Corea del Norte.

Leer Más