Pedágio em rodovias que estenderem prazo de obras vai cair após duplicações, declara secretário

Por: SentiLecto

– Gerentes de rodovias concedidas que aderirem ao plano de alongamento de prazo para entrega de duplicações poderão ter tarifas de pedágio diminuídas exclusivamente após a finalização das obras, declarou nesta terça-feira o secretário de Fomento e Parcerias do Ministério dos Transportes, Dino Antunes, que admitiu que a postergação da diminuição das tarifas, mesmo com o alongamento do prazo para a entrega das obras, torna os contratos de concessão menos favoráveis aos usuários. O governo federal publicou nesta terça Medida Provisória que aumenta de 5 para até 14 anos o prazo para finalização das obras de duplicação exigidas principalmente nas rodovias concedidas durante o governo Dilma Rousseff. Antunes, em teleconferência com o jornalismo declarou: “Se fizesse a aplicação imediata ia piorar demais a viabilidade financeira do projeto”. Além da diminuição de tarifas, o reequilíbrio poderá acontecer por meio da redução do prazo do contrato de concessão ou de uma combinação das duas medidas. “Estamos trabalhando com o menos pior. Seria preferível pagar a tarifa repleta e ter as obras em cinco anos, mas esse cenário não é executável”, declarou. Ele explicou que se as rodovias fossem recomeçadas para execução de novos leilões, haveria uma boa possibilidade de as tarifas e os prazos para as obras ficarem ainda maiores. Com o agravamento da crise econômica nos últimos anos, a utilização das rodovias licitadas frustou expectativas dos concessionários. Além da queda nas receitas, tiveram obstáculos para obter financimentos. A crise nas concessões já levou a Invepar, controladora da concessão da BR-040 no trecho entre Brasília e Juiz de Fora , a anunciar na semana passada o começo da devolução negociada para futura relicitação da rodovia. Segundo o texto da MP, as rodovias que aderirem ao programa de alongamento de prazo das obras não poderão aderir também à devolução negociada do contrato. Pelas normas da MP 800, editada nesta terça, vai caber à Agência Nacional de Transportes Terrestres aassinalarquais trechos devem ser duplicados primeiro nas rodovias que aderirem ao alongamento do prazo. Antunes declarou que a regulamentação com detalhes para a aplicação da MP deverá ser deduzida em breve pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

Leer Más

Buenos Aires quer Jogos Olímpicos em 2032

Por: SentiLecto

Buenos Aires deseja receber os Jogos Olímpicos de 2032. O presidente divulgou a informação de o Comitê Olímpico Argentino em entrevista a o jornal de Brasil ” Folha de S. Paulo ” , durante sessão de o Comitê Olímpico Internacional , em Lima. O Comitê Olímpico Argentino é gerard Werthein.

Leer Más

Sob vigilância, levantamento de peso tem de se adaptar para Jogos de 2024

Por: SentiLecto

A federação internacional de levantamento de peso terá de exibi argumentos “satisfatórios” ao COI se desejar continuar no programa dos Jogos Olímpicos de Paris-2024.

Leer Más

Scheidt admite erro no Rio 2016 e calcula obstáculos com Tóquio 2020

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Scheidt robert sac

Robert Scheidt é um dos velejadores de Brasil mais vitoriosos em Olimpíadas e poderia ter conquistado a sua sexta medalha no maior acontecimento do mundo durante o Rio 2016, entretanto concluiu na quarta colocação apesar de ter vencido a medal race. Em entrevista à Gazeta Esportiva, o adesportistade 44 anos admitiu que poderia ter conseguido ter conquistado uma medalha no ano passado, entretanto se declarou cumprido com sua performance.

Robert Scheidt é um velejador brasileiro, bicampeão olímpico e 15 vezes campeão global de iatismo, 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2013 e tricampeão na classe Star: 2007, 2011, 2012).

Leer Más

Custo médio de aluguel residencial no país cai 0,33% em agosto sobre julho, declara FipeZap

Por: SentiLecto

– Faz 8 meses, o custo médio de o aluguel residencial em 15 cidades de Brasil caiu 0,33 por cento sobre julho, pressionado por recuos acentuados em o Rio de Janeiro e em Niterói, mostrou o índice FipeZap divulgado nesta sexta-feira. No mês passado, o valor médio do metro quadrado de imóveis residenciais para locação foi de 28,46 reais, assinalou o levantamento feito com base em anúncios publicados na Internet. O indicador acumula variação nominal negativa de 0,08 por cento em 2017 e de 0,51 por cento em 12 meses até agosto. Descontando a inflação, a queda real é de 1,67 por cento no ano e de 2,90 por cento em 12 meses. Faz 8 meses, a pesquisa ainda mostrou que 8 de os 15 municípios pesquisados registraram queda em o valor médio de o aluguel residencial, com destaque para Rio, Niterói e Santos. Por outro lado, Belo Horizonte e Salvador, que são Paulo aparece como a cidade com o aluguel mais caro em agosto, com custo médio de 35,76 reais por metro quadrado, seguida por Rio de Janeiro , Distrito Federal , Santos e Recife , registraram as maiores altas no mês, de 0,72 e 0,36 por cento, respectivamente. Na outra ponta, Goiânia e Fortaleza tinham o metro quadrado mais barato para locação, de 14,80 e 16,23 reais em média, respectivamente, informou o FipeZap.

Leer Más