Com nova proposta do governo, venezuelanos estendem negociações

Por: SentiLecto

O governo de Nicolás Maduro e a oposição decidiram estender as negociações para buscar uma solução para a crise no país com uma nova proposta na mesa neste sábado , na República Dominicana.

Leer Más

Gilmar Mendes pede suspensão da Venezuela de organismos eleitorais da América

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Mapa Venezuela Topografico

– Na condição de presidente do Tribunal Superior Eleitoral , o ministro Gilmar Mendes requereu a suspensão da Venezuela da Associação de Organismos Eleitorais da América do Sul e da União Interamericana de Organismos Eleitorais. Se encaminhou o documento com o pedido a José Thompson Jiménez, secretário executivo de as duas entidades. Segundo Gilmar, há graves acusações de manejo pelo governo de Venezuela nas votações de 30 de julho para a asssembleia encarregada de elaborar uma nova constituição. “conhecem-se os fatos por todos. A Venezuela passa por um longo processo de diminuição do espaço democrático, incluindo a suspensão de votações constitucionalmente agendadas, prisões políticas, a repressão de manifestações pacíficas, entre outras violações dos direitos humanos e aos suspeitos do Estado de direito. O rompimento da ordem democrática já havia sido constatada pelo Mercosul e por outros membros da comunidade internacional”, escreveu Gilmar em profissão escrita em espanhol. Segundo o ministro, que também é integrante do Supremo Tribunal Federal, o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela “perdeu sua independência e sua habilidade de garantir votações livres, justas e credíveis”. Assim, “deixou de ser uma instituição para garantia da democracia para se tornar um fiador de conservar um grupo no poder, em violação da soberania popular e do Estado de direito”.

– No mesmo tom da nota divulgada pelo Itamaraty no domingo, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministro do Supremo Tribunal Federal , Gilmar Mendes, utilizou as redes sociais para condenar, nesta segunda-feira a ilegalidade da votação na Venezuela que elegeu ontem uma Constituinte que pode perpetuar o presidente Nicolás Maduro no poder. A Constituinte eleita , sem data para concluir, pode protelar as votações gerais calculadas para o ano que vem. “A constituinte de Venezuela confirma rompimento da ordem constitucional. Urge interromper-la ecomeçarr diálogo efetivo”, defendeu o ministro Gilmar Mendes em sua página no Twitter. Faz 1 dia, em nota divulgada a noite, a eleição de a Assembleia Constituinte de Venezuela, marcada por a violência, foi enfaticamente condenada por o Itamaraty. O Ministério das Relações Exteriores alegou que “lamenta profundamente” a resolução do governo de Caracas de ignorar pedidos da comunidade internacional e instou a suspensão da instalação do novo órgão. De acordo com o Itamaraty, “a iniciativa do governo de Nicolás Maduro viola o direito ao sufrágio universal, desrespeita o princípio da soberania popular e confirma o rompimento da ordem constitucional na Venezuela”. Na contramão dos países que condenaram e pediram a suspensão da nova Constituinte, Diosdado Cabello anunciou que ela deverá ser instalada em 72 horas. Diosdado Cabello é o vice presidente da Venezuela.Liderado pelo Brasil, o Mercosul deve interromper a Venezuela de Nicolás Maduro. Os chanceleres dos países do bloco vão se reunir neste sábado em São Paulo para tomar a resolução. O Brasil assumiu há duas semanas a presidência provisória do Mercosul e está na linha de frente da negociação para aplicar uma penalização ao país vizinho. A intenção é aplicar a chamada “cláusula democrática” contra o país vizinho pela votação de uma Constituinte promovida pelo governo Maduro com o objetivo de esvaziar a Assembleia Nacional, comandada pela oposição. Pesa na resolução também a prisão de líderes da oposição durante a semana, mostrando que o governo não está disposto a um diálogo. O Brasil tinha modificado o tom diplomático nas últimas semanas tentando incentivar um diálogo entre os dois lados, mas a avaliação é de que mais uma vez a estratégia fracassou. O Uruguai era quem mais resistia à aplicação da sanção, mas o país teria sido persuadido de que não há mais espaço para negociação. Se utilizou a cláusula democrática a ” cláusula democrática ” recentemente para interromper o Paraguai após o impeachment de Fernando Lugo. Foi com aquele país suspenso que se aprovou a entrada da Venezuela no bloco. Uma vez que o congresso de Paraguay se rejeitava a aprovar a adesão, a suspensão foi vista naquela ocasião justamente como uma forma de conseguir aprovar o ingresso da Venezuela.Os chanceleres do Mercosul se vão reunir no próximo sábado no Brasil para tomar uma resolução “definitiva” sobre a Venezuela com base no Protocolo de Ushuaia, que inclui a cláusula democrática, que pode significar a suspensão política de um país-membro do bloco, declarou nesta quarta-feira o chanceler do Paraguai, Eladio Loizaga.

Leer Más

OEA exclui Venezuela de reunião interamericana de autoridades eleitorais

Por: SentiLecto

Faz 10 meses, Luis Almagro anunciou em esta que convidará se o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela não em a Reunião Interamericana de Autoridades Eleitorais de Cartagena, em a Colômbia, em outubro. Luis Almagro é o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos .

Leer Más