Ibovespa tem leve alta de 0,21% e dólar opera estável

Por: SentiLecto

– Os mercados atuam nesta quarta-feira à espera da dresoluçãode política monetária nos Estados Unidos. O Ibovespa, principal índice de ações da B3 , tem leve alta de 0,21%, aos 76.134 pontos, e o dólar comercial opera praticamente estável, com leve queda de 0,09%. A moeda de America é cotada a R$ 3,134. No exterior, o dólar também opera perto da estabilidade. O “dollar index”, que mede a conduta da divisa de America frente a uma cesta de dez moedas, tem leve variação negativa de 0,04%. “O Fed anunciará a sua resolução nesta tarde e não deverá aumentar os juros. Por outro lado, a instituição poderá divulgar o seu plano de diminuição do seu gigantesco balanço patrimonial de US$ 4,5 trilhões. No mercado internacional de cotação o dólar perde levemente de seus pares e da maioria das divisas emergentes e ligadas às commodities”, explicou Jefferson Luiz Rugik, analista da Correparti Corretora de Câmbio. A taxa de juros nos Estados Unidos está de 1% a 1,25% ao ano e deve ser conservada. Com inflação baixa e sem sinais de aquecimento mais forte da economia, economistas acreditam que uma nova alta tem que ficar para o ano que vem. Já em o mercado de ações , os papéis sustentam a alta de estatais. As preferenciais da Petrobras operam em alta de 0,39%, cotadas a R$ 15,20, e as ordinárias sobem 0,44%, a R$ 15,85. No caso da Eletrobras, as PNs sobem 1,07% e as ONs, 2,04%. Por outro lado, a Vale, que as preferenciais cai 0,76% e as ordinárias, 0,70%, perde força nesta quarta-feira. Os bancos, de maior peso na composição do índice, estão com conduta mista. As do Itaú Unibanco e do Bradesco caem 0,18% e 0,74%, respectivamente. Já no caso do Banco do Brasil, o papel sobe 1,01%.

Leer Más

Intenção de consumo das famílias recua em setembro, assinala CNC

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Sacfeira

A despeito da reação do consumo no segundo trimestre observada no resultado do Produto Interno Bruto , a intenção de consumo das famílias teve performance fraca em setembro, com queda de 0,7% frente a agosto. Faz 1 mês, o indicador de a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo chegou a 76,8 pontos, frente a 77,3 pontos ainda abaixo dos 100 pontos, o que menciona insatisfação com a situação.

A liberação dos recursos do FGTS auxiliou, mas a volta do consumo das famílias veio para ficar e é o que tem que sustentar o crescimento do Produto Interno Bruto neste período inicial da recomeçada. Movimento que vai esquentar a venda de produtos e serviços, geralmente de menor valor agregado, mais rápido do que era esperado no começo do ano. A expectativa é de que o nível de consumo das famílias regresse ao platô de 2014 até 2019. Parece distante, mas o fato é que ninguém calculava a recomeçada a esse platô antes de 2020. — Achávamos que a retomada seria liderada pelos investimentos, mas isso não vai ocorrer porque a ociosidade está aumentada. O que veremos é uma recuperação gradual com os investimentos das famílias à frente. O FGTS auxiliou, mas temos de fato uma ampliação da renda disponível das famílias devido ao recuo da inflação, queda dos juros e uma tendência de alta da confiança — explica Rodolfo Margato, economista do banco Santander. O resultado é que se anima as companhias de os segmentos mais beneficiados em esse processo a adotar estratégias em o ano que vem . mais pró-ativas: abertura de lojas, novos turnos de produção nas indústrias voltadas a bens de consumo e contratações são algumas das ações que têm que ficar mais evidentes até o fim do ano e, principalmente, no ano que vem. O Santander projeta crescimento de 0,8% no consumo das famílias neste ano, acima da previsão para a expansão do PIB, de 0,7%. Para o ano que vem, a previsão é de que o consumo aumente 3,5% — número que não repõe o tombo de 8% acumulado entre 2015 e 2016. Para Igor Velecico, economista do Bradesco, o medo do desemprego fez o consumidor se retrair bastante a partir do final de 2015. — Isso é positivo porque o consumo voltando mostra aos empresários que as coisas não estão tão ruins e de fato estamos saindo da recessão. A dúvida é o ritmo dessa recomeçada — declara o economista. VESTUÁRIO E CALÇADOS JÁ SE RECUPERAM A recuperação do varejo já começou a aparecer nos segmentos que comercializam bens de menor valor. Enquanto o comércio de uma maneira geral aumenta somente 1,1%, dados da Pesquisa Mensal de Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostram que no ano, até julho, as vendas do segmento de calçados e vestuário aumentam 7,1% ao ano. Crescimento similar registra itens de eletrodomésticos, que progridem 7,2% no ano. Entrevendo a disseminação desse movimento, Magazine Luiza e a Farmais, por exemplo, já anunciaram planos de abertura de novas lojas. Essa é uma das maneiras de conquistar parte dessa procura de consumo reprimida. O segmento impulsiona o cenário de eletroeletrônicos que se beneficiou de a liberação de as contas inativas FGTS e de o desligamento de o sinal analógico em algumas regiões ,. No entanto, já há sinais de melhora em outros segmentos, como os produtos de linha branca, que engloba geladeiras e fogões APOSTA NA DEMANDA REPRIMIDA Sergei Epof, diretor de marketing da Panasonic no Brasil, alega que a companhia conseguiu conservar o crescimento nos últimos anos — em parte, pela saída de concorrentes que deveram fechar as portas. No entanto, reconhece que há a consolidação de uma retomada da procura neste ano. — Os consumidores conseguiram saldar algumas dívidas com os recursos do FGTS . Dessa maneira, voltaram a consumir. Neste ano, em julho, abrimos um segundo turno na fábrica de Extrema — declarou. Uma das razões para esse otimismo está relacionado ao tombo no setor. Ou seja, depois da queda, a tendência é melhorar. Em TV, por exemplo, as vendas saíram de um platô de 12 milhões de unidades ao ano para 8 milhões. Outras categorias tiveram diminuição similar. — A crise provocou um grande represamento no consumo e isso voltará. O país tem um grande potencial. O mais importante para este ano é que parou de cair e agora já vemos o crescimento em algumas linhas — alegou. Raphael Galante recorda que, com a queda dos juros, o crédito está voltando, o que também auxilia o consumidor a tomar resoluções de compras Raphael Galante é economista da Oikonomia Consultoria., mas alguns setores, que exigem desembolsos maiores das famílias e que não são considerados essenciais, devem demorar um pouco mais a reagir. — O brasileiro se apertou porque passou a ganhar menos, o PIB per capita caiu. Agora que ele vê uma melhora, o racional é fazer primeiro o que é mais urgente, como o pacto de saúde ou colocar o filho de volta na escola particular. Itens de maior valor, como a venda de veículos, vão aumentar em uma velocidade menor — avaliou.

Leer Más

Trabalhador que sacou FGTS até 31 de dezembro não recebeu dividendos

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Brasilia Congresso Nacional 05 2007 221

A Medida Provisória 763/2016, a mesma que autorizou o saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço , permitiu a distribuição de dividendos do fundo para os trabalhadores que tinham saldo na conta até 31 de dezembro de 2016. Segundo o governo, 88 milhões de brasileiros receberam o benefício, depositado em agosto, pela Caixa Econômica Federal , com repasses proporcionais aos valores de cada conta. Se calculou esse valor com índice de rendimento de %1,93 de o saldo existente em a conta em o último dia de o ano. Ou seja, uma pessoa que tinha R$ 1 mil depositados recebeu R$ 19,30 extras. Quem tinha R$ 10 mil recebeu R$ 193. Se os depositaram cerca de R $ 7,8 bilhões em as contas.

Muitos trabalhadores, no entanto, que contavam com essa grana extra tiveram a esperança frustrada ao consultar o extrato no site da Caixa Econômica. Se os admirou por isso, eles retiraram o dinheiro da conta do FGTS até um dia antes do último dia do ano, da data estipulada pelo governo e não com o rendimento.

Leer Más

Fábrica de caminhões abre 300 vagas de emprego no Rio

Por: SentiLecto

Faz 1 dia, a companhia MAN Caminhões que está contratando 300 funcionários para sua fábrica em Resende informou,, em o Sul Fluminense. O anúncio foi feito durante o lançamento de sua nova linha de veículos, desenvolvidos no centro de engenharia da fábrica de Brasil. A nova família de caminhões, batizada de Delivery, chega ao mercado com versões de 3,5 a 13 toneladas de habilidade de carga, que são utilizadas para a distribuição urbana de produtos.

Leer Más

Circuitos Digitais: as fraudes e golpes na internet e como se proteger

Por: SentiLecto

A tecnologia viabiliza progressões em diversas áreas de conhecimento, mas também acaba sendo o motor para a aplicação de golpes on-line, ataques cibernéticos e para a proliferação de links maliciosos, que levam as pessoas a serem enganadas na web. As fraudes e os golpes aplicados na internet foram assunto do painel que concluiu a segunda edição do Rio Circuitos Digital, nesta quarta-feira.

Leer Más