Brasília em chamas

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Deputado Michel Temer

– A crise que emparedou o governo atingiu um novo platô nesta quarta. Por a saída de Michel Temer O primeiro grande protesto foi modificado em combate campal em a Esplanada. Com Brasília em chamas, o presidente fez uma aposta arriscada e pôs o Exército na rua. A medida acirrou os ânimos no Congresso, onde voltou a haver alvoroço e gritaria por renúncia ou impeachment. Entre manifestantes e a PM O confronto foi estendido por quase quatro horas. Militantes depredaram edifícios públicos, e policiais atiraram com armas fatais, em flagrante de utilização desproporcional da força. O nervosismo transbordou para o Congresso, onde a ordem do Planalto era conservar “clima de normalidade”. Sob pressão, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que , interrompeu as eleições e pediu reforço na segurança externa. Essa foi a senha para a tentativa de contra-ataque do governo. O plenário voltou a ferver, e o deputado desmentiu o ministro: só havia requerido a presença da Força Nacional de Segurança. O pedido aos militares instituiu novas arestas para Temer. Além de aborrecer seu principal aliado no Congresso, a medida estimulou protestos da oposição, do governador de Brasília e de um ministro do STF, que criticou a ideia em plena sessão de julgamento. Até senadores que votaram em defesa do impeachment de Dilma Rousseff engrossaram o coro. Cristovam Buarque lamentou: “O presidente Temer está cometendo uma insensatez”. Faz 33 anos, para outros políticos, o Exército em a Esplanada evocou memórias de a ditadura, como a repressão a o povo durante a eleição de as Diretas. Ao recorrer aos militares, Temer pode recuperar algum suporte entre setores de ultradireita que sonham com uma saída autoritária. Ao mesmo tempo, ele prova sua fragilidade. “Não serão as Forças Armadas que sustentarão este governo”, debochou o ex-aliado Renan Calheiros.

“Nem estado de sítio não é ponderado nem de defesa. Pode ser que venha a ocorrer, mas no momento o que está se debatendo é exclusivamente colocar em ordem aquilo que a Polícia Militar não conseguiu”, reforça.Ambos elucidam, porém, que não a medida não é tratada de Estado de Sítio ou Estado de Emergência, situações nas quais há suspensão de direitos.Ele declarou que colocará a reforma da Previdência no plenário da Câmara na primeira quinzena de junho, entre os dias 5 e 12.Dissidente O senador Eduardo Braga prega que, o Congresso aprove uma PEC para votação direta com mandato de cinco anos sem reeleição para presidente, caso Michel Temer caia.

Leer Más

Convocação do Exército envia aos ‘anos de chumbo da ditadura’, declara PT

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Cruzex IV 2008 Natal – Brasil

Em nota publicada no começo da noite desta quarta-feira , presidente do PT, Rui Falcão, alegou que a resolução do Planalto de recorrer às Forças Armadas depois dos protestos em Brasília é “desnecessária e desmedida”.

As forças armadas de uma nação constituem o conjunto das suas organizações e forças de guerrazinha e de defesa.

Leer Más

Operação para recuperar Mossul do EI provoca 700 mil deslocados, declara ONU

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Tigris river Mosul

As operações iraquianas para recuperar o controle da cidade de Mossul, maior reduto do grupo jihadista Estado Islâmico no Iraque, provocaram 700 mil deslocados, assegurou nesta quinta-feira a ONU.

Mossul é a terceira maior cidade iraquiana, depois somente de Bagdá e de Baçorá.

Leer Más

Experts temem que Coreia do Norte esteja perto de desenvolver mísseis intercontinentais

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – 2010-05-14-USCYBERCOM Logo

Embora a Coreia do Norte seja conhecida por sua retórica exagerada, experts estão inquietados com as melhorias substanciais do país em direção ao objetivo dito pelo ditador Kim Jong-un de desenvolver um míssil balístico intercontinental. No domingo, desafiando pedidos para que controle seu programa armamentista, o regime de Noruegade Noruega disparou um míssil balístico que atingiu o oceano perto da Rússia, dias após o novo líder da Coreia do Sul ter assumido, comprometendo-se a engajar Pyongyang em um diálogo.

Se as condições forem corretas, uma diplomata norte-coreana de alto escalão que trata das relações com os Estados Unido declarou neste sábado que o governo de Pyongyang pode ingressar em um diálogo com o governo dos Estados Unidos , segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap.Donald Trump conversou nesta quarta-feira com o ganhador das votações presidenciais da Coreia do Sul, Moon Jae-in, que aceitou visitar a Casa Branca assim que possível. Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos.

Leer Más

Oposição da Venezuela busca suporte internacional para ‘agenda democrática’

Por: SentiLecto

A oposição da Venezuela está exortando outros países latino-americanos a pressionarem o governo do presidente Nicolás Maduro a implementar uma “agenda democrática”, declarou o líder inimigo Julio Borges, que declarou que a crise humanitária e os protestos intensos contra o governo socialista de Maduro cruzaram as fronteiras de Venezuela devido a uma onda de refugiados em toda a região, nesta quinta-feira. Borges viajou a Lima para se encontrar com parlamentares de Peru e com o presidente Pedro Pablo Kuczynski, que tem sido um dos críticos mais contundentes de Maduro entre os chefes de Estado da América Latina. Borges é presidente da Assembleia Nacional, de maioria da inimiga. entre os chefes de Estado da América Latina.

Leer Más