‘A força do desejar': Caio procura Rubinho na prisão e ele mente para advogado

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Caio Millennium BRT, Viação Campo Belo

A relação transparente que Caio costuma ter com os seus clientes em “A força do desejar” não vai ocorrer com Rubinho . A pedido de Bibi , o advogado procura o traficante para conversar sobre o crime que está sendo acusado. Mas ao invés de contar a verdade a Caio, Rubinho mente. “Vamos começar a nos compreender aqui… A única coisa que eu não posso, como seu advogado, é ser assombrado, por alguma outra coisa que venha a aparecer contra você. Pra lhe defender bem, eu devo saber exatamente onde estou pisando. Portanto… declarar, a hora é essa!”, fala ele, se você tem alguma coisa pra me.

Caio é tão bondoso que deixará Bibi visitar o marido fingindo ser sua assistente. Mas antes de aceitar a causa, Caio joga na cara dela toda a sua mágoa pela traição do passado. Bibi chora e se desculpa. Ele responde: “Você não precisa me culpar nem se desculpar de nada”.

Leer Más

‘Pega pega': João Villa vai ser Jeferson, um mensageiro fofoqueiro

Por: SentiLecto

Depois de algumas participações em novelas da Globo, João Villa, de 24 anos, que , que também dança jazz moderno e streed dance, já participou de alguns trabalhos como dançarino, encara seu primeiro personagem em “Pega pega”. Na nova novela das sete, que estreia dia 6, o ator é Jeferson principal cenário da trama. Jeferson é mensageiro do hotel Carioca Palace. Jeferson é trabalhador e a princípio um fofoqueiro do bem, que vai agitar os corredores do hotel.

Leer Más

Trump toca un globo terráqueo en Arabia Saudita e internet enloquece

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Saudi Arabia population density 2010

Arabia Saudita ha puesto ha desplegado una alfombra roja para el presidente de EE.UU. Donald Trump en su viaje inaugural en el extranjero, pero un momento que involucra una esfera brillante ha hecho que muchos tenía observadores se rascasen la cabeza pretendiendo comprender qué sucedía. Trump, que se encontraba en Arabia Saudí en la primera fase de su primera gira en el extranjero, que también incluye detenidas en Israel, el Vaticano, Bélgica e Italia en los próximos días, ha asistido el domingo a la inauguración del Centro Mundial de Lucha en contra de la Ideología Extremista al lado de su anfitrión, el rey saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud , y el presidente de Egipto Abdel Fattah el Sisi, comunicó la Agencia de Prensa Saudita.

El sábado, no obstante, ninguna de las mujeres en la delegación que acompaña a Trump se ha cubierto el cabello, y parecía haber poca inquietud de los muchos hombres de Saudi Arabia que les han dado la bienvenida en el aeropuerto.se ha recibido a Trump después de llegar con una escolta de militares a caballo, en la corte con las notas del himno nacional de Estados Unidos.Varias líderes femeninas hicieron a un lado el pañuelo en años recientes, incluyendo la primera ministra de Reino Unido, Theresa May la exprimera dama Laura Bush y la canciller de Alemania, Angela Merkel. Theresa May es la exsecretaria de Estado de Estados Unidos Hillary Clinton.

Leer Más

Considera-se Brasil o 6º país mais vulnerável a vírus

Por: SentiLecto

E RIO – Cerca de 250 companhias brasileiras foram afetadas pelo ataque mundial de hackers do último dia 12, que espalhou o vírus WannaCry para sequestrar informações de computadores de companhias e instituições em mais de uma centena de países. O número consta de levantamento da MalwareTech, que mostra o setor de telecomunicações como o mais afetado no país. A companhia considera O Brasil de segurança Kaspersky o sexto país mais vulnerável a vírus de a espécie ramsonware que bloqueia os arquivos de um computador até o pagamento de um resgate — — atrás de Rússia , Ucrânia , China , Índia e México. No ano passado, o país teria padecido 64,2 mil tentativas de invasão por dia, segundo dados da Symantec, platô quase três vezes maior em relação ao ano anterior. A previsão é que o número aumente ainda mais neste ano. Do total de ataques, 80% foram espécies de vírus que surgiram no ano passado, realçou André Carraretto, estrategista em cibersegurança da Symantec. Com mais vírus por aqui, o Brasil também tem se tornado o ponto de origem de ataques à rede, como o que oaconteceusemana passada. Se em 2015, o país representava 2% da origem dos ataques em todo o mundo, no ano passado, esse número subiu para 14%. NO BRASIL, companhias TÊM ATITUDE REATIVA Para Carraretto, essa progressão é reflexo da falta de investimento. Segundo ele, à exceção dos bancos, o atemanão costuma ser ddebatidono âmbito do Conselho de Administração das cempresas — No Brasil há uma postura reativa. As companhias precisam ter uma estratégia em segurança. Hoje, os setores mais expostos a vírus no país são varejo, agricultura e indústrias. As pequenas e médias são os principais alvos dos hackers — realçou. As estimativas de investimento de companhias de Brasil em segurança digital variam de US$ 200 milhões a US$ 1 bilhão por ano, mas analistas são unânimes em alegar que as companhias teriam que destinar mais recursos para evitar dor de cabeça. A estimativa da Kaspersky é que as empresas invistam de 0,5% a 0,6% da verba da empresa em segurança da informação. Nos EUA e na Europa, o indicador chega a 3% ou 4% por ano. — O investimento é pequeno. As companhias se comportam como usuários caseiros e veem segurança como commodity. Há companhias que utilizam programas gratuitos para quase todos os funcionários e colocam um sistema de segurança maior em alguns equipamentos. Isso cria uma falsa sensação de segurança. O WannaCry chegou ao Brasil em uma hora e meia — alega Roberto Rebouças, gerente-geral da Kaspersky. Os pagamentos em bitcoins em todo o mundo no ataque do último dia 12 somaram US$ 95 mil, segundo a Kaspersky. O valor é baixo, analisa a Stefanini Rafael, joint-venture entre a brasileira Stefanini e a estatal israelense de defesa cibernética Rafael, se comparado ao potencial de perda que essa espécie de ação causa à imagem das ecompanhias E mais ainda quando se considera a suposição de paralisação das atividades para evitar o alastramento da contaminação. clínicas ESTÃO ENTRE OS MAIS VISADOS Uma indústria paulista que foi alvo dos hackers no dia 12 e teve seu IP bloqueado pela Secretaria da Fazenda de São Paulo, por exemplo, ficou impedida de emitir notas fiscais e deixou de faturar R$ 3 milhões naquele dia. — Estimativas mencionam que uma companhia tem que aplicar de 5% a 15% do que investem em tecnologia da informação na segurança digital. No Brasil, não é assim. São investidos em média de 2% a 3% — declara Carlos Alberto Costa, diretor geral da Stefanini Rafael. Experts assinalam que o ataque do WannaCry colocou muitas companhias em estado de alerta. A demanda por consultoria e novas soluções de segurança deve ampliar em 30% o volume de negócios das companhias que fornecem soluções como antivírus. Para Marco Ribeiro, da consultoria mundial Protiviti, o baixo investimento no setor está associado à recessão. — Não investimos o suficiente. Em média, uma pessoa leva 200 dias para identificar que foi atacada. Com o ataque mundial, pode haver uma mudança de percepção. Esperamos ampliação de 30% na busca por consultorias e novos serviços — adicionou. Segundo o professor do curso de Cibersegurança do Centro Universitário Salesiano de São Paulo , em Campinas, Paulo Brito, o novo vírus fez as companhias de Brasil atentarem para o fato de que o risco de perda de dados é grande. Ele realçou os problemas acontecidos no sistema do INSS, no Tribunal de São Paulo, além de grandes empresas terem desligado seus sistemas. Segundo ele, isso acontece porque o Brasil não tem uma lei que obrigue a divulgação de informações sobre o vazamento de dados, como acontece nos Estados Unidos. — Como as companhias no Brasil não são obrigadas a divulgar essas informações, tendemos a achar que está tudo bem. Os ataques vão ampliar — avalia. Os setores mais bem preparados em segurança digital no país, segundo Costa, da Stefanini, são o financeiro, o de telecomunicações e o de comércio eletrônico. Mesmo assim, uma das companhias mais afetadas pela ofensiva do WannaCry no Brasil e no mundo foi a Telefónica. Se orientou a unidade de Brasil com a invasão de computadores de sua sede em a Espanha, a não ligar os computadores para evitar o alastramento de o vírus. A chance de as hacker desencadearem a contaminação de computadores sem que o usuário deva acionar um link foi outra novidade descoberta na semana passada sobre a ofensiva do WannaCry, segundo Fábio Assolini, analista da Kaspersky. Segundo ele, até a quinta-feira da semana passada, não se conhecia versão do ransomware capaz de começar a contaminação sem que o usuário da máquina desse um clique no arquivo ou link malicioso. — Todos os ransomware conhecidos até então dependiam de iludi uma vítima. O WannaCry, para se espalhar numa rede, agora, não solicita interação humana alguma, basta encontrar uma porta para se disseminar. Por isso, a abrangência foi tão grande — explicou. Entre os setores que menos investem em segurança digital realça-se o de saúde, observou o diretor da Stefanini Rafael. Agrediu-se O prestigiado clínica Sírio Libanês, em São Paulo, e, segundo um funcionário que pediu para não se identificar, todo o sistema em o qual os exames e protocolos de pacientes são armazenados ficou fora de o ar até domingo. Os atendimentos eram feitos por fichas preenchidas manualmente. Durante todo o fim de semana, os pacientes não conseguiram agendar exames. Em nota, a clínica informou que “se afetaram alguns de seus sistemas” pelo ciberataque, adicionando que não houve interrupção de processos assistenciais ou perda de informações relativas a pacientes. — As clínicas gastam milhões em equipamentos complicados, que são conectados à rede e que também podem ser invadidos, como os tomógrafos por exemplo, mas não aplicam milhares de reais na segurança digital — alegou Costa, da Stefanini. FALTA DE LEGISLAÇÃO DIFICULTA CONTROLE Wolmer Godoi, diretor de cibersegurança da Cipher, classifica o brasileiro como um “anestesiado digital”. Segundo ele, o fato de não existir uma legislação no Brasil para a divulgação de vazamento de informação e perda de dados faz com que não se tenha registros sobre esses problemas. — É preciso uma legislação para mudar isso. Por isso, não se fica sabendo dos problemas que acontecem com os hackers no Brasil em companhias privadas. O investimento está aquém do necessário. Ainda temos o problema cultural, de achar que o problema não vai chegar aqui — alegou Godoi, realçando que também vem registrando maior demanda de companhias após o ataque mundial.

Leer Más

Temer assina MP com mais um Refis para companhias

Por: SentiLecto

– Tentando conservar uma agenda positiva em meio ao caos político, o presidente Michel Temer assinou, nesta sexta-feira, uma medida provisória que cria um programa de parcelamento para companhias com dívidas não tributárias. Esse novo Refis permite que os contribuintes parcelem débitos junto a autarquias, fundações públicas federais e à Procuradoria-Geral Federal. São dívidas decorrentes de créditos não tributários inscritos ou não em dívida ativa. Segundo integrantes da equipe econômica, a medida deve redundar numa arrecadação extra de R$ 3,5 bilhões. Esse dinheiro já entrará no segundo relatório bimestral de avaliação de receitas e despesas, que será publicado na segunda-feira. Isso deve auxiliar o governo a liberar uma parte das despesas que foram contingenciadas no Orçamento de 2017. De acordo com os técnicos, o parcelamento “contribuirá para a manutenção ou reestabelecimento do acesso ao capital por parte das companhias que aderirem ao programa”.

Leer Más