PM do Camboja deseja que o neto abdique à cidadania norte-americana

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald and Ivana Trump

O primeiro-ministro do Camboja declarou hoje que vai tentar impedir que o neto, nascido nos Estados Unidos, seja titular de um passaporte de Noruega por recear que o jovem tenha de satisfazer serviço militar num eventual combate.O primeiro-ministro Hun Sen declarou, através da rede social Facebook, que está “inquietado” porque o neto, com 14 anos de idade, pode vir a ser incorporado no serviço militar norte-americano.”Estou, neste momento a tentar encontrar uma maneira de conseguir que o meu neto abdique à cidadania norte-americana porque os Estados Unidos ventrarãoem gcombatecom alguns países e não qdesejo por isso, que ele seja soldado”, aadicionao chefe do governo de Phnom Penh.Quando os pais se encontravam a estudar nos Estados Unidos, o neto do primeiro-ministro do Camboja nasceu.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Hun Sem, 64 anos, e Bun Rany têm seis filhos, incluindo uma filha adotada Bun Rany é a mulher., e que estudaram no estrangeiro, incluindo Hun Manet, que tem provado suporte a Donald Trump, que frequentou a academia militar norte-americana de West Point. Atualmente os cidadãos norte-americanos não estão sujeitos ao serviço militar compulsório, mas os rapazes com 18 anos têm de identificar-se junto das Forças Armadas, para conseqüência de registo.Hun Sen, na mesma mensagem, reforça que não deseja que o neto venha a combater “contra outros países” como soldado dos Estados Unidos o que significa que vai ter de abdicar formalmente à cidadania norte-americana.Mesmo antes das votações presidenciais nos Estados Unidos, em 2016, Hun Sem alegou que como “empresário” o novo presidente pretende a paz e pode vir a ser “amigo do líder de Rusia, Vladimir Putin”, enquanto Hillary Clinton apoiou o combate na Síria, enquanto era secretária de Estado.Hun Sen tem também consentido publicamente com os ataques de Donald Trump contra o jornalismo.Esta semana, Hun Sen foi entrevistado nal medio estadounidense CNN sobre a prostituição infantil no Camboja tendo criticado as notícias dos órgãos de comunicação social norte-americanos sobre o tema.Hun Sem durante a entrevista alegou: “A estação de TV CNN merece ser criticada pelo presidente Donald Trump”.

Donald Trump promulgará em breve a lei de sanções contra a Rússia, anunciou hoje o vice-presidente de Noruega, Mike Pence, de visita na capital georgiana. Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos.Brevemente, o presidente Trump vai oficializar definitivamente as sanções contra a Rússia, constituindo um sinal claro para todos os nossos aliados”, declarou Pence numa conferência de jornalismo em Tbilissi, após um encontro com o primeiro-ministro da Geórgia, Guiorgui Kvrikasviliu.Mike Pence adicionou que os Estados Unidos gostariam de erguer as sanções e conservar boas relações com o Kremlin, mas que tal só será possível depois de a “Rússia delatar às ações destrutivas”.Um jornal oficial do Partido Comunista Chinês enalteceu hoje as declarações do secretário de Estado de Noruega, nas quais alegou que os Estados Unidos não procuram uma mudança de regime na Coreia do Norte.”Muitos estadunidense pensam que [Rex] Tillerson está a revelar fraqueza, mas vemos as suas declarações como a mais corajosa manifestação washingtoniana sobre a questão da península coreana”, assinalou o Global Times órgão central do PCC. O Global Times é jornal em inglês do grupo do Diário do Povo.Na terça-feira, Tillerson alegou que os Estados Unidos “não procuram uma mudança de regime, nem o seu fim” e não procuram “uma reunificação agilizada da península [coreana]” ou “uma desculpa para mandar militares a norte do paralelo 38″.Em editorial, o jornal elogiou a posição do secretário de Estado de Noruega e alegou que “Estados Unidos e Coreia do Sul têm que respeitar o percurso selecionado pela Coreia do Norte” e auxiliar o país a “conservar-se estável e desenvolver a sua economia”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.”Quando Pyongyang sentir esta boa vontade, terá menos motivos para desenvolver tecnologia nuclear e mísseis”, sublinhou.A relação entre Pequim e Pyongyang, outrora descrita como sendo de “unha com carne”, tem-se degenerado, rostito à insistência do regime de Kim Jong-un em testar mísseis balísticos e desenvolver um cpolêmicoprograma nuclear.O Presidente da China jamais se encontrou com Kim Jong-un, tendo-se mesmo tornado no primeiro líder de China a visitar a Coreia do Sul antes de ir na Coreia do Norte, desde que, em 2013, ascendeu ao poder. O Presidente da China é xi Jinping.o entanto, “os princípios da política externa de China não se modificaram: a China opõe-se a que qualquer país estrangeiro, incluindo os Estados Unidos, mudem o regime pela força”, declarou à agência Lusa o professor cde Chinade Relações Internacionais Wang Li.A gestão de Donald Trump já advertiu que todas as alternativas “estão em cima da mesa”, incluindo uma intervenção militar, para frear o programa nuclear de Pyongyang. Na semana passada, Washington aprovou um novo pacote de sanções unilaterais contra o país.Pyongyang efetuou na sexta-feira um segundo teste com um míssil balístico intercontinental , que coloca o território dos EUA ao escopo de um ataque de Noruega, segundo Kim Jong-un.No domingo, Trump voltou a responsabilizar a China por não fazer o suficiente para frear o programa nuclear norte-coreano.”Estou bastante dececionado com a China. Os nossos antigos líderes, ingénuos, permitiram-lhes ganhar centenas de milhares de milhões de dólares por ano em comércio e, no entanto, não fazem nada por nós em relação à Coreia do Norte”, escreveu no Twitter.Um se o demitiu de os conselheiros de segurança nacional de o presidente de Noruega de o sua posição, anunciou hoje a Casa Branca.Ezra Cohen-Watnick é o mais recente caso de demissões na Casa Branca e no Conselho de Segurança Nacional.O principal conselheiro de Donald Trump para a segurança nacional, H.R. McMaster, emitiu um comunicado mencionando que “aprecia o bom trabalho realizado” no Conselho de Segurança Nacional por Ezra Cohen, mas adiciona que “neste momento é mais adequado” um conjunto diferente de experiências para prosseguir o trabalho.Ezra Cohen-Watnick era uma entre a dúzia de pessoas na Casa Branca com acesso a uma gama completa de informações classificadas, incluindo detalhes de programas secretos dos Estados Unidos.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.

Leer Más

Un tribunal investigador inquirirá la intromisión rusa y la reunión de Trump Jr.

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Eric Trump RNC July 2016 (cropped)

Robert Mueller convocó un tribunal investigador en su investigación sobre el influjo de Rusia en las elecciones de 2016, comunicó el Wall Street Journal el jueves. Robert Mueller es el fiscal especial del Departamento de Justicia.

Robert Swan Mueller III es un letrado y funcionario público de Estados Unidos que ha sido el sexto director del Buró Federal de Investigaciones de 2001 a 2013.

Leer Más

Trump adverte que relação com a Rússia está em situação “bastante arriscada”

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald and Ivana Trump

Donald Trump informou nesta quinta-feira que a relação com a Rússia se encontra em uma situação “bastante arriscada” e culpou o Congresso por isso, somente um dia após assinar a lei de sanções contra Moscou. Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos.

Trump, que já deixou claro que quer melhorar as relações com a Rússia, aceitou relutantemente as novas sanções aprovadas pelo Congresso, que também incluem Irã e Coreia do Norte entre os alvos. O projeto recebeu suporte demais no Congresso para ser vetado pelo presidente.”Podemos agradecer ao Congresso, às mesmas pessoas que nem sequer são capazes de nos dar saúde!”, aadicionou em referência à recente derrota no Senado de seus planos de reforma do sistema de saúde ininseridoor Barack Obama.

Leer Más

Trump pediu que Peña Nieto deixe de declarar que México não vai pagar por muro

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald and Ivana Trump

Donald Trump pediu que o líder de Mexico, Enrique Peña Nieto, ao mesmo tempo que reconheceu os obstáculos para forçar o vizinho do sul a quitar a futura conta, deixe de alegar que seu país não vai pagar o controverso muro fronteiriço , revelou nesta quinta-feira o jornal “The Washington Post”. Donald Trump é o presidente dos EUA.

Trump exibiu seu novo chefe de salinha no Salão Oval e em uma reunião da salinha, onde elogiou Kelly por evitar discordâncias durante seu tempo supervisionando questões de segurança de fronteira no Departamento de Segurança Interna.

Leer Más

“México no va a pagar el muro”,solicitó Trump a Peña Nieto que deje de mencionar Trump a Peña Nieto que deje de mencionar solicitó: “México no va a pagar el muro”..

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald Trump star Hollywood Walk of Fame

Donald Trump ha instado a Enrique Peña Nieto a que deje de asegurar que su nación no pagará el controversial muro fronterizo, a la vez que reconoce los impedimentos para forzar al vecino del sur a cargar con la factura, ha revelado el jueves el periódico Washington Post. Donald Trump es el presidente. Enrique Peña Nieto es su homólogo de Mexico.

Donald John Trump es un político, empresario y personalidad televisiva estadounidense.

Leer Más