Pedrógão Grande: Governo contactou serração de Castanheira de Pera e há disponibilidade para suporte

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Circunferência

O Governo, que ainda que estão disponíveis 25 milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, refere , com financiamento de 85% a fundo perdido, havendo a chance de execução de adiantamentos de 25%, declarou hoje que contactou os donos da serração de Castanheira de Pera afetada pelo incêndio que iniciou em junho em Pedrógão Grande e demonstrou “total disponibilidade” para dar suporte na candidatura da companhia aos fundos europeus disponíveis. Em comunicado mandado hoje à agência Lusa, fonte doagsalinhado ministro do Planeamento e Infraestruturas explicou que a presidente do programa Centro 2020, Ana Abrunhosa, “contactou hoje, novamente, os pdonosda ecompanhia e “mdemonstroutotal disponibilidade para fornecer asuporteadministrativo na candidatura da ecompanhiaaos fundos europeus disponíveis”.Jorge Tomás Alves declarou hoje na agência Lusa que quase dois meses depois do fogo que lhe arruinou a companhia e toda a maquinaria, numa perda que está orçado em quatro milhões de euros, “a assistência é zero”. Jorge Tomás Alves é o dono da serração Progresso Castanheirense. empresário adiantou que se até ao próximo mês não chegar qualquer assistência de fora, “tem mesmo que fechar e mandar o pessoal para o desemprego”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Contudo, a tutela explica que a presidente e os técnicos do Centro 2020 já se reuniram várias vezes com esta e com outras companhias da região e adianta que, desde 21 de julho, “está disponível um concurso específico do Centro 2020 destinado exclusivamente à recuperação destas ecompanhias.”Este sistema já está em funcionamento. Se exibiram candidaturas e esta semana já foram feitos os primeiros pagamentos “, enfatizou a mesma fonte.

Duas pessoas morreram hoje ao serem colhidas por uma avioneta que aterrou de emergência na praia de São João na Costa de Caparica, em Almada, disse à Lusa fonte da Autoridade Marítima Nacional.”Temos a confirmação que duas pessoas que foram colhidas pela avioneta e faleceram no local. As vítimas são um homem e uma criança, de oito anos”, do sexo feminino, declarou à Lusa o comandante Pedro Coelho Dias, porta-voz da Autoridade Marítima Nacional .Segundo a mesma fonte, os dois tripulantes da avioneta saíram ilesos da ocorrência e já estão a ser escutados pelas autoridades, não existindo registo de mais feridos.No local estão quatro ambulâncias, uma viatura de suporte e elementos da Polícia Marítima, com o comandante Pedro Coelho Dias a referir que também já foi contactado o Centro de Busca e Salvamento Aéreo.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.AYLO incêndio que deflagrou na quarta-feira em Oura, Chaves, distrito de Vila Real, ficou dominado hoje de madrugada, de com a Autoridade Nacional de Proteção Civil .Pelas 00:15, o fogo tinha duas frentes ativas e estava a ser lutado por 333 operacionais e 109 veículos, mas a evoluir favoravelmente.Este incêndio tinha tido começo às 14:15 de quarta-feira.Às 06:21, a ANPC não tinha registo de nenhum fogo ativo.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.A Linha Nacional de Emergência Social disponibilizará novas funcionalidades para apoiar e encaminhar as populações afetadas pelos incêndios da região centro, anunciou hoje o Governo.O Governo adianta, em comunicado, que a linha, que funciona 24 horas por dias, através do número 144, “vai funcionar como ponto central de suporte e de encaminhamento” a estas populações.Através das novas funcionalidades do serviço “vai ser possível às populações afetadas pelos incêndios obter acompanhamento social, ssubvençõeseventuais, encaminhamento para resposta social, prestações sociais ou asuportessociais específicos”, adianta.As populações poderão ainda obter através deste serviço suporte psicológico e encaminhamento para cuidados de saúde, adianta o comunicado conjunto dos ministérios do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, da Saúde e da Justiça.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Nesta linha é ainda possível encaminhar os interessados para procedimentos de registos relativos ao óbito, heranças e partilhas, renovação de documentos perdidos, certidões ou segunda via do documento único automóvel, e obtenção de informação sobre o cancelamento de veículos ardidos.O Governo adianta que “estas medidas procuram dar permanência às ações imediatamente tomadas pelos diferentes ministérios, para apoiar as populações afetadas pelos incêndios”.O Governo relata ainda no comunicado o suporte prestado às populações no âmbito dos três ministérios.”A partir da identificação dos veículos ardidos feita pelas autoridades hábeis”, o ministério da Justiça desenvolveu “um dispositivo especial” para simplificar os atos relativos a veículos ardidos .Este dispositivo dispensa procedimentos e taxas e possibilita o cancelamento oficioso de matrículas e registos destes veículos, sem necessidade de um pedido dos interessados e quaisquer deslocações às Conservatórias ou ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes.O comunicado explica: “O envolvimento da Autoridade Tributária vem evitar que os titulares morridos ou os familiares recebam notificações para liquidação do Imposto Único de Circulação”.Através dos serviços de Segurança Social são atribuídos subvenções de personalidade eventual, de concessão única ou de manutenção, de suporte às pessoas que se encontrem em situação de cescassezou perda de rendimento e que necessitem de proceder a despesas necessárias à sua subsistência ou à aquisição de bens imediatos e inadiáveis.A nível do Ministério da Saúde está a ser prestado suporte psicológico nos três concelhos mais afetados.As equipas de Saúde Pública estão a realizar um estudo que visa avaliar os conseqüência na saúde da população exposta ao incêndio de Pedrógão.Nos centros de saúde de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, os recursos humanos têm sido adaptados à pdemandaQuanto aos doentes internados, o comunicado informa que cinco estão no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, dois no Hospital de Santa Maria, um no Hospital de S. João e outro no Hospital de La Fé, em Valência.Hoje vai ter alta hospitalar a doente internada no Centro Hospitalar de Leiria com transferência programada para a Unidade de Cuidados Continuados de Figueiró dos Vinhos.O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no dia 17 de junho, no distrito leiriense, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e se o deu só como extinto uma semana depois.

Leer Más

São Tomé adverte que aeronave despenhada pode ser dificuldade na pista do aeroporto

Por: SentiLecto

As autoridades são-tomenses comunicaram hoje a várias empresas aéreas, incluindo a TAP, que o trânsito no aeroporto internacional de São Tomé não está condicionado, mas a aeronave despenhada pode ser uma dificuldade à aterragem e descolagem.”O tráfico não está condicionado, mas por questões de segurança precisamos comunicar aos nossos parceiros e congéneres que existe esta situação”, declarou a Lusa fonte da Empresa Nacional de Segurança Aérea , na sequência da queda hoje pelas 11:00 locais de uma aeronave cargueira de Rusiade Rusia, que provocou cinco feridos.A aviãozinho – Antonov 72 – encontra-se mergulhada no final da pista, numa pequena ribanceira com pelo menos três metros, mas segundo técnicos da aviação civil são-tomense “a sua cauda pode constituir uma ameaça para os aviõezinhos que aterram e erguem voos”.A fonte dando conta de uma resolução governamental no sentido de “remover a dificuldade”, nesse caso “cortar a cauda da aeronave ou arrastá-lo para bem mais longe da pista” explicou: “Por questões de segurança, temos queacalmarr a pista onde houve acidente”..Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.A resolução saiu esta tarde de uma reunião realizada nas instalações do Instituto Nacional de Aviação Civil com o ministro das Infraestruturas, Recursos Naturais e Ambiente, Carlos Vila Nova, poucas horas depois do acidente com a aeronave de Rusia. O diretor geral da Empresa de São Tomé and Príncipe de segurança aérea , Hélder Paquete, que a aeronave padeceu “prejuízos materiais apreciáveis”, transportava seis passageiros, dois dos quais tripulantes, tendo cinco ficado feridos, sendo um quando a aeronave se preparava para descolar no aeroporto internacional de São Tomé, deles submetido a uma intervenção cirúrgica na principal clínica tomarense, Ayres de Menezes, declarou aos jornalistas que o acidente aconteceu. Hélder Paquete declarou: “A aeronave estava num processo de descolagem, houve algum problema e o comandante tentou abortar a descolagem e a aeronave despenhou-se na pista”.A reunião entre a ENASA, Aviação Civil e Governo determinou ainda a criação de uma delegação composta por quatro membros para analisar as causas do acidente.Trata-se de uma delegação autónoma sem prazo definido para exibi o relatório. Nos próximos dias terão que chegar ao país uma equipa da companhia a que pertence o aviãozinho para analisarem as caixas negras dos aparelhos.

Leer Más

Primeiro voo direto entre Pequim e Lisboa aterra hoje de manhã

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Rock in Rio Lisboa entrada

O primeiro voo direto entre Pequim e Lisboa, que , com paragem em Pequim, arranca na quarta-feira, aterra hoje de manhã, pelas 07:30, em Lisboa, depois de ter deixado a capital china às 18:10 de terça-feira . A primeira ligação aérea direta entre a capital de China e Lisboa saiu do Aeroporto Internacional de Pequim às 18:10 de terça-feira, , sendo que o ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, evai estarnas cerimónias da chegada do voo, pelas 07:30.Dois dias antes da inauguração da ligação direta entre os dois países, que é operada pela empresa aérea de China Capital Airlines, os primeiros quatro voos diretos entre a China e Portugal estavam “praticamente esgotados”, segundo a empresa aérea chinesa.Já no sentido inverso – entre Portugal e a China – a taxa de profissão “ronda os 75%”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O voo, que terá três frequências por semana – quarta-feira, sexta-feira e domingo – entre a cidade de Hangzhou, na costa leste da China, eO voo entre Pequim e Lisboa tardará cerca de 13 horas e, no sentido inverso, tardará 12 horas. A atual ligação mais rápida entre a capital dos dois países tarda 14 horas, com escala em Frankfurt, na Alemanha.A empresa aérea vai abrir também um voo entre Macau e a capital de Chinade China, que vai coincidir com a ligação a Lisboa, de forma a servir também os 15.000 portugueses que vivem no território outrora gerenciar por Portugal.O embaixador de Portugal em Pequim, Jorge Torres-Pereira, alegou que Portugal pode ter como objetivo chegar a um milhão de turistas chineses por ano.A China é já o maior emissor global de turistas e, segundo estatísticas oficiais, 135,1 milhões de chineses viajaram para fora da China continental, em 2016, numa ampliação de 12,5% em relação ao ano anterior.A Capital Airlines é uma das subsidiárias do grupo chinês HNA através do consórcio Atlantic Gateway e da empresa de Brasil Azul. HNA é acionista da TAP.

Mais de 15,6 milhões de pessoas visitaram Macau no primeiro semestre do ano, mais 5,4% em relação ao mesmo fase de 2916, de acordo com dados oficiais hoje divulgados.Segundo os Serviços de Estatísticas e Censos, a maioria dos visitantes veio da China , seguindo-se Hong Kong e Taiwan , encarnando ampliações anuais de 6,1%, 1,9% e 0,1%.Faz 1 ano, a maior subida registou se entre os visitantes de a Coreia do Sul, 433.492, mais %38,7 queO fase de continuidade dos visitantes situou-se em 1,2 dias, idêntico ao do semestre anterior, mencionaram os mesmos dados.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Faz 1 mês, só chegaram a Macau 2,4 milhões de visitantes, o que encarna uma ampliação de %0,9 em termos anuais e um decréscimo de %7,5 em termos mensais.Faz 1 mês, a maioria de os visitantes chegou por via terrestre. Os restantes chegaram por via marítima e por via aérea .O vento forte que está a afetar a zona do Aeroporto Internacional da Madeira obrigou hoje ao cancelamento de três voos com destino a Lisboa e Porto, segundo uma fonte aeroportuária.De acordo com a mesma fonte, foram cancelados três voos da TAP, dois com destino a Lisboa e um para o Porto.Na segunda-feira, as operações estiveram condicionadas devido ao vento forte, o que obrigou ao cancelamento de 22 voos. Oito divergiram para outros aeroportos.Do total de 54 voos, somente 24 conseguiram aterrar no aeroporto da Madeira.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Ataque ao jogador de Argentina de 20 anos já iniciou com a apresentação de uma proposta de nove milhões de euros, patrocinada por um grupo de empresários liderado por Jorge MendesSantiago Ascacíbar, de somente 20 anos, está encaminhado para ser mais uma jovem habilidade do futebol argentino a rumar ao futebol europeu, com o Benfica a exibi-se como o destino mais provável do médio-defensivo, cujo futuro já está a ser debatido em Lisboa. Um dos seus empresários, e ao mesmo tempo intermediário do Estudiantes, chegou à capital pde Portugalno final da última semana para negociar os termos de um eventual entendimento com os encarnados.Pascual Caiella, que não fecha a porta na transferência do internacional sub-20 argentino que já utilizou a braçadeira de capitão da sua seleção e também do próprio clube. Pascual Caiella, que não fecha a porta na transferência do internacional sub-20 argentino é um vice-presidente do Estudiantes. Pascual Caiella, que não fecha a porta na transferência do internacional sub-20 argentino é um vice-presidente do Estudiantes.”Um representante do jogador viajou há três dias para Portugal com o objetivo de negociar com o Benfica. Veremos quais são os contornos da oferta para depois tomarmos uma resolução”, alegou o dirigente.

Leer Más

Incêndios: Governo espera resposta de Bruxelas “em agosto ou setembro”

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Retrato oficial Pedro Marques

O Governo espera uma resposta de Bruxelas “em agosto ou setembro” sobre a candidatura submetida na segunda-feira para suportes para as regiões do Centro afetadas pelos incêndios de junho, perspetivou hoje o ministro do Planeamento e das Infraestruturas.Pedro Marques à questão ouando espera respostas da Comissão Europeia., bre q à respondeu: “Tenho a expectativa de que a resposta sobre o Fundo de Solidariedade possa ocoacontecer agosto ou em setembro, admito que em setembro, devido ao perfase que nos encontramos”. margem de uma conferência sobre o novo aeroporto, na Assembleia da República, o ministro lembrou que desde que os incêndios na região centro foram dados como controlados, em 21 de junho, começou a ser feito o levantamento de perdas, o que “era absolutamente essencial para fazer a reprogramação dos fundos comunitários e o pedido para o Fundo de Solidariedade [à Comissão Europeia]”.Seguiu-se trabalho técnico e o levantamento total das perdas até que fosse entregue, esta segunda-feira, o pedido de suporte a Bruxelas, referiu.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Aos jornalistas explicou: “Esperamos no caso da candidatura ao Fundo de Solidariedade que seja entregue um orçamento entre 10 e 12 milhões de euros, o valor máximo que pode ser atribuído”.O pedido refere que as perdas ascendem a 496,8 milhões de euros – 193,3 milhões referem-se a perdas diretas e os restantes 303,5 milhões a medidas de prevenção e relançamento da economia.O ministro informou que ainda esta semana vai ser entregue a reprogramação do programa operacional do Centro para auxiliar à recuperação das ecompanhiase das infraestruturas municipais.Pedro Marques mencionou que a recuperação das habitações já iniciou, havendo obras em cinco casas e estando agendadas reuniões esta semana com as pessoas afetadas para que “mais famílias possam iniciar as suas obras, sem que tenham de estar à espera de qualquer aprovação” para trabalhos até 25 mil euros.Também esta semana decorrem reuniões com as companhias para a apresentação de candidaturas para a recuperação da sua maquinaria e das suas instalações, com o ministro a admitir que o Estado adiante até 25% do valor que estiver em causa, antes das aprovações da reprogramação dos fundos comunitários.Pedro Marques enfatizou o protagonismo do acionamento de seguros, já que seguem, quando estes não forem suficientes-se suportes dos fundos, como os nacionais, uma vez que na segunda-feira foram ainda assinados protocolos com a União das Misericórdias, Fundação Gulbenkian e com a Cáritas de Coimbra.A região fustigada pelos fogos vai ter uma “mudanças estrutural” nomeadamente através do “ordenamento da floresta e alargamento e diversificação das atividades económicas, num trabalho que vai para o terreno a partir de amanhã [quarta-feira]”, informou ainda.Na quarta-feira, António Costa vai arremessar a “segundo período de reconstrução estrutural”. António Costa é o primeiro-ministro.Faz 1 mês, dois grandes incêndios iniciaram em Pedrógão Grande e Góis, tendo o primeiro provocado 64 mortos e mais de 200 feridos. Se os extinguiram uma semana depois.Estes fogos vão ter afetado aproximadamente 500 habitações, 169 de primeira habitação, 205 de segunda e 117 já devolutas. Quase 50 companhias foram também afetadas, assim como os empregos de 372 pessoas.Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos na guerrazinha às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta.

O líder do PSD respondeu hoje às adenúnciasde “aproveitamento político” do primeiro-ministro, ddeclarandoque António Costa está a instrumentalizar os incêndios de Pedrógão Grande para não prestar contas do está a fazer.”Não podemos permitir que o Governo vá instrumentalizando, que é o que vem ocorrendo, o que aconteceu de trágico [nos incêndios de junho], para depois não estar disponível para prestar contas sobre aquilo que faz, mas sobretudo o que não faz”, declarou Pedro Passos Coelho, à entrada para convenção autárquica distrital do PSD de Viana do Castelo, em Valença.Para Passos Coelho, o Governo “talvez preferisse não ter oposição”, nem que estes temas sejam debatidos publicamente, acusando ainda o executivo de “estar bastante lento a responder às necessidades das pessoas” afetadas pelos incêndios que fizeram 64 mortos e mais de 250 feridos.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Faz 1 mês, Catarina Martins responsabilizou o Governo em a distribuição rápida de as assistências, europeia e de solidariedade de os portugueses, em as populações afetadas por os incêndios de junho, em Pedrógão Grande. Catarina Martins é a coordenadora do Bloco de Esquerda.A solidariedade europeia, mas também a de todo o país, deve chegar o mais depressa possível às populações”, aalegouCatarina Martins na apresentação do candidato bloquista à câmara de Odivelas nas autárquicas de 01 de outubro, Paulo Sousa.Na véspera de se indicar um mês sobre o incêndio de Pedrógão Grande, que fez 64 mortos e mais de 250 mortos, a líder bloquista admitiu que “o Estado não pode fazer tudo”.A isse.: “Mas cabe ao Governo a responsabilidade de acelerar, pedir clareza, de falar com as instituições privadas que receberam essa solidariedade de todo o país, para termos a certeza que chega da melhor forma, da forma mais justa às populações afetadas”,.gora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O Presidente da República agradeceu hoje a solidariedade demonstrada pelos portugueses após os incêndios na região Centro e insistiu que é preciso uma “resposta rápida e exaustiva às iindagaçõessobre factos e responsabilidades”.Numa nota colocada no ‘site’ da Presidência da República, quando passa um mês sobre o incêndio de Pedrógão Grande que fez 64 mortos e mais de 250 feridos, Marcelo Rebelo de Sousa “agradece as sugestões, opiniões, vocábulos de solidariedade e votos de afliçãozinha que lhe os Portugueses conduziram eles” e apela ao apuramento rápido de responsabilidades.”Depois de termos vivido uma dor sem medida perante uma calamidade quase sem precedente na história portuense, aguardamos pela resposta rápida e exaustiva às iindagaçõessobre factos e responsabilidades”, lê-se na nota.Mas, ao mesmo tempo, prossegue Marcelo Rebelo de Sousa, deve-se “louvar a almazinha nacional de entreajuda e de reconstrução, que bastante tem contribuído para que seja mais rápida a recuperação das pessoas e comunidades atingidas pela calamidade”, referindo-se aos donativos conseguidos, no valor de 13,3 milhões de euros.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O Presidente, que se encontra no México em visita de Estado deduziu: “Tudo com a visão nacional, sempre provada pela nossa pátria, ao longo dos séculos, perante as adversidades mais pesadas e complicadas”.Faz 1 mês, os incêndios começados em Pedrógão Grande provocaram 64 mortos e mais de 200 feridos e consumiram mais de 53 mil hectares.Os fogos da região Centro afetaram aproximadamente 500 habitações, quase 50 companhias e os empregos de 372 pessoas.As perdas diretas dos incêndios ascendem a 193,3 milhões de euros, estimando-se em 303,5 milhões o investimento em medidas de prevenção e relançamento da economia.

Leer Más

Incêndios: Governo submete pedido de ativação do Fundo Europeu de Solidariedade

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Regional 5719, Faro a 2012

O Governo de Portugal submeteu hoje à Comissão Europeia o pedido de ativação do Fundo Europeu de Solidariedade na sequência dos incêndios que atingiram a região Centro em junho, ddeclarouà Lusa fonte do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.Segundo a fonte da salinha do ministro Pedro Marques, o pedido foi feito hoje à tarde, por via eletrónica, tendo o secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza, emandadotambém uma carta formal à Comissão Europeia dando conta da submissão.O pedido refere que as perdas ascendem a 496,8 milhões de euros – 193,3 milhões referem-se a perdas diretas e os restantes 303,5 milhões a medidas de prevenção e relançamento da economia. Há uma semana, no dia 11, a comissária europeia para a Política Regional, Corina Cretu, que agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo, declarou que aguardava ainda o pedido portuense para recorrer ao Fundo de Solidariedade Europeu. “As autoridades de Portugal pediram-nos para agilizar o processo, mas não podemos sequer iniciá-lo porque não recebemos nenhum pedido” formal,enfatizouu a comissária, em conferência dejornalismoa.No mesmo dia, fonte do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas mencionou que o Governo e a Comissão Europeia deduziriam nessa semana os contactos relativos à ativação do fundo, seguindo o pedido formal após esse processo.Faz 1 mês, dois grandes incêndios iniciaram em Pedrógão Grande e Góis, tendo o primeiro provocado 64 mortos e mais de 200 feridos. Se os extinguiram uma semana depois.Estes fogos vão ter afetado aproximadamente 500 habitações, 169 de primeira habitação, 205 de segunda e 117 já devolutas. Quase 50 companhias foram também afetadas, assim como os empregos de 372 pessoas.Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos na guerrazinha às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta.

O líder do PSD respondeu hoje às adenúnciasde “aproveitamento político” do primeiro-ministro, ddeclarandoque António Costa está a instrumentalizar os incêndios de Pedrógão Grande para não prestar contas do está a fazer.”Não podemos permitir que o Governo vá instrumentalizando, que é o que vem ocorrendo, o que aconteceu de trágico [nos incêndios de junho], para depois não estar disponível para prestar contas sobre aquilo que faz, mas sobretudo o que não faz”, declarou Pedro Passos Coelho, à entrada para convenção autárquica distrital do PSD de Viana do Castelo, em Valença.Para Passos Coelho, o Governo “talvez preferisse não ter oposição”, nem que estes temas sejam debatidos publicamente, acusando ainda o executivo de “estar bastante lento a responder às necessidades das pessoas” afetadas pelos incêndios que fizeram 64 mortos e mais de 250 feridos.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O Ministério da Agricultura declara que o processo de reflorestação da região Centro vai ter que obedecer à legislação em vforcita imencionandoque esta é “condição indispensável” à obtenção de apsuporteor parte dos prdonosfetados pelos incêndios.Agência Lusa fonte da salinha do ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.Em arantiu: “O Ministério da Agricultura está e sempre esteve atencioso às florestações e reflorestações que aprovou, apoiando exclusivamente projetos que respeitam integralmente as rnormasde gadministraçãoe ordenamento florestal”,. relação ao processo de reflorestação da região Centro, apesar de a floresta afetada pelos incêndios de junho na região Centro ser “100% de domínio privado”, o Governo realizou “um estrito processo de levantamento das perdas que afetaram os produtores agrícolas e os produtores florestais”, do qual redundou um conjunto de medidas de suporte que estão já a ser implementadas, nomeadamente medidas integradas no PDR2020 – Programa de Desenvolvimento Rural.Ministério da Agricultura, reforçando ue “o processo de reflorestação deverá obedecer à legislação em vforcita bem como aos planos de ordenamento a que a floresta está sujeita, condição indispensável à obtenção de apsuporteAgo ndicou: “No que se refere à florestação ou reflorestação, existem asuportespúblicos que ssubvencionamaté 90% dos cpreçosde investimento para os privados e até 100% para as entidades públicas, incluindo municípios”,.ra pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Pedrógão Grande, um dos principais concelhos afetados pelos incêndios da região Centro, ddeclarouque o processo de reflorestação “está a acaminharem força”, defendendo um projeto “com cabeça, tronco e membros”.O autarca Valdemar Alves demonstrou “inteira confiança nos culpados do Governo que estão em cima do evento” e assegurou que “não é verdade que não se tenham mexido”.”Têm-se mexido e bem”, referiu.O trágico incêndio em Pedrógão Grande é “uma chance única” para construir uma floresta diferente na região, fazendo satisfazer a legislação, nomeadamente em relação às faixas de gadministraçãode combustível, aalegouo autarca.”Ou é agora ou jamais mais é, isso tem que ser satisfeito, doa a quem doer”, defendeu.Neste sentido, os donos das áreas florestais que não arderam “já caminham a cortar pinheiros à volta das casas”, porque têm receio da fiscalização ao cumprimento das faixas, revelou Valdemar Alves.Questionado sobre como é que os agricultores podem conseguir financiamento para progredir com a reflorestação, a salinha do ministro da Agricultura informou que “a maior área de repovoamento redundará da regeneração natural, que deverá ser tecnicamente governada para que a nova floresta seja ordenada”.Relativamente às operações de reflorestação, os asuportesvão ser atribuídos “mediante a apresentação de candidaturas a concursos que já se encontram abertos e a outros que entretanto vabrirão.Sobre o suporte à atividade agrícola, a tutela informou que, “além do asuporteà reposição do potencial produtivo dearruinadoexistem apsuportesara novos investimentos nas explorações no âmbito do PDR2020″.Deseja florestal”, mencionou a tutela, uma vez que a floresta afetada pelos incêndios é propriedade privada, “é aos donos que vai caber tomar resoluções e fazer alternativas empresariais deseja no domínio agrícola.O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural estimou em “cerca de 20 milhões de euros as perdas do setor na região”, garantindo a disponibilização, através do PDR2020, dos meios necessários para apoiar todos os agricultores atingidos pelos incêndios, de acordo com as normas nacionais e comunitárias.Neste âmbito, estão já a ser desencadeados os concursos de acesso aos suportes.”O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural concede suportes financeiros e vai definir as normas de aplicação dessas suportes por maneira a obter uma floresta ordenada e bem dirigida, com minimização do risco de incêndio”, adicionou a salinha.Sobre o desordenamento da floresta de Portugal, o Ministério da Agricultura assegurou que os problemas, “em qualquer região do país, não se prendem com falta de atenção do ministério”, mas “redundam da existência de áreas florestais bastante antigas e desordenadas, da plantação ilegal ou do desamparo de algumas zonas florestais”.Há um mês, o incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande, no distrito leiriense, provocou 64 mortos e mais de 200 feridos, e consumiu, em conjunto com o fogo de Góis, no distrito coimbrão, mais de 53.000 hectares.Faz 1 mês, Catarina Martins responsabilizou o Governo em a distribuição rápida de as assistências, europeia e de solidariedade de os portugueses, em as populações afetadas por os incêndios de junho, em Pedrógão Grande. Catarina Martins é a coordenadora do Bloco de Esquerda.A solidariedade europeia, mas também a de todo o país, deve chegar o mais depressa possível às populações”, aalegouCatarina Martins na apresentação do candidato bloquista à câmara de Odivelas nas autárquicas de 01 de outubro, Paulo Sousa.Na véspera de se indicar um mês sobre o incêndio de Pedrógão Grande, que fez 64 mortos e mais de 250 mortos, a líder bloquista admitiu que “o Estado não pode fazer tudo”.A isse.: “Mas cabe ao Governo a responsabilidade de acelerar, pedir clareza, de falar com as instituições privadas que receberam essa solidariedade de todo o país, para termos a certeza que chega da melhor forma, da forma mais justa às populações afetadas”,.gora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.

Leer Más