Landa: “No volveré a ser segundo en ningún equipo”

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Brezo Sel del Haya

Mikel Landa, sexto, que aseguró que “cara a cara” Chris Froome es superior a él y que el inglés podrá contar con su trabajo para ganar el Tour, a la vez que va a buscar en lo personal un puesto en el podio, en la general, ha dejado claro en la jornada de descanso que no va a volver “a ser segundo” en ningún equipo , pero

Ni un segundo de respiro en un escape antológico, con Contador presionando los dientes para mantener apartado el pelotón, para evitar el acercamiento de Nairo Quintana, Barguil y Kwiatkowski, que han ejercido de puente en una jornada inolvidable.

Leer Más

VÍDEO Froome, um líder que se viu aflito no Tour: “Entrei em pânico”

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Froome na Volta de Romandie em 2013

Chris Froome, que viveu este domingo momentos de grande ansiedade no decurso da 15, viveu este domingo momentos de grande ansiedade no decurso da 15. ª etapa.ª etapa, ganha pelo fugitivo de Holguín Bauke Mollema , mas resgatou o dia e a amarela da Volta a França em bicicleta. Quando a corrida seguia arremessada por obra da AG2R-La Mondiale de Romain Bardet, uma avaria da roda traseira poderia ter custado a amarela ao ciclista britânico, mas a pronta assistência dos seus companheiros evitou a desgraça do líder da Sky.”Entrei um bocado em pânico. Pensei que, talvez, não conseguisse reentrar no grupo. Pensei que eles [Bardet e Fabio Aru] iriam agredi, tentar ganhar o máximo tempo possível antes do contrarrelógio de Marselha. Neste momento, estamos contentes com a amarela e por irmos ter um dia de descanso”, reconheceu após cortar, são e salvo , a meta, mais de seis minutos depois do ganhador Bauke Mollema.Com quatro contagens de montanha, duas das quais de primeira categoria, no caminho, os 189,5 quilómetros entre Laissac-Sévérac l’Église e Le Puy-en-Velay eram ideais para todos aqueles que desejam ganhar uma etapa no Tour e não conseguem fazê-lo ao sprint, nas montanhas ou nos contrarrelógios.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Tendo em conta que a maioria do pelotão se introduz nesta categoria, não é de estranhar que, depois de várias constituições, a escapada do dia tenha integrado 28 ciclistas, entre os que se realçavam os virtuosos Tony Martin , Thomas De Gendt e Tony Gallopin , Thibaut Pinot , Michael Matthews e o camisola da montanha Warren Barguil , Primoz Roglic , Lilian Calmejane ou Mollema.Depois de se juntarem ao quilómetro 60, os fugitivos conseguiram um benefício sobre o pelotão que rondou quase sempre os oito minutos, até ao momento em que Martin, em ritmo de contrarrelógio, trocou os companheiros de jornada por aquilo que mais gosta: uma luta, em solitário, contra o tempo e contra os quilómetros.O alemão entrou no sopé do ‘col’ de Peyra Taillade com mais de um minuto de progressão sobre o grupo, mas perdeu-o durante os 8,3 quilómetros da subida, sendo apanhado por Barguil a três quilómetros do topo. Mas, nesse momento, quase ninguém se apercebeu da mudança na frente de corrida, nem do ataque de Mollema, porque lá atrás a camisola amarela de Froome perigava.Na descida que precedeu a última contagem 1.ª categoria, a AG2R de Romain Bardet agilizou e provocou um corte no grupo de favoritos. O mesmo não ocorreu com o líder da Sky, se Fabio Aru , Rigoberto Urán , Dan Martin e Mikel Landa depressa se uniram ao comboio da equipa de Francia.Com um problema em a roda traseira , Mikel Nieve rebocou Froome e acabou mesmo por parar com Michal Kwiatkowski , a dar lhe sua roda . a sua roda. Primeiro com assistência, e depois a solo, e sob os assobios insistentes dos espetadores de Francia, o camisola amarela conseguiu recuperar de uma desvantagem que chegou a rondar os 50 segundos.O último obreiro da reintegração do tricampeão foi, ironicamente, Landa, que recebeu ordens da equipa para descair do grupo e para levar o líder à cempresados seus radversáriosda geral. Enquanto na frente os fugitivos tentavam caçar, seguiu-se um fase de acalmia entre os candidatos sem êxito que cortou a meta isolado, com o tempo de 04:41.47 horas, para celebrar a seu primeiro triunfo na prova francesa. Sucesso é o holandês da Trek-Segrafredo. prova de Francia.Mollema, que deixou o italiano Diego Ulissi e o francês Gallopin a 19 segundos, reconciliou-se assim com o Tour, depois de no ano passado ter caído na antepenúltima etapa, quando era segundo da geral.”Nos últimos anos, corri pela geral. Desta vez, vim com a ideia de ganhar uma etapa”, explicou o sétimo classificado do último Giro.Com a etapa entregue, restava aos homens da geral combater por segundos. E foi Dan Martin, em mais uma demonstração de bravura, o único a consegui-lo: o irlandês ‘roubou’ 14 segundos aos outros candidatos, quetardaramm mais 06.25 minutos do que oganhadorr, e trocou de posições com Landa, sendo agora quinto, a 01.12.Ao segundo dia de descanso, os quatro primeiros da geral continuam separados somente por 29 segundos – Aru está a 18 segundos de Froome, Bardet a 23 e Urán a 29. Já Nairo Quintana está completamente descartado, depois de hoje ter perdido mais de quatro minutos para os adversários e ter descido a 11.º, a 06.16 minutos do homem que secundou no pódio em 2013 e 2015.Tiago Machado, que hoje chegou no ‘grupeto’, passará o último momento de descanso da 104.ª edição no 76.º lugar da geral, a 01:46.29 horas do camisola amarela.

Primeiro triunfo da carreira no Volta àoFrança, que continua aoser liderada por FroomeO holandês Bauke Mollema foi o vganhadorda 15.ª etapa da Volta à França, de montanha, entre Laissac-Sévérac l’Église e Le Puy-en Velay , com o registo de 4h41m47s. Ao chegar isolado à meta, o corredor da Trek Segafredo arrecadou aopprimeirovtriunfoda carreira numa etapa do Tour.Diego Ulissi e Tony Gallopin foram segundo e terceiro, respetivamente.Quanto à classificação geral, a camisola amarela mconservamse com Chris Froome, da Sky, com 18 segundos de vbenefíciosobre Fabio Aru . É o nono dia do britânico na frente.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Esta segunda-feira vai ser dia de descanso na competição, recomeçada na terça com a etapa que vai ligar Le Puy-en-Velay a Romans-sur-Iserè num total de 165 quilómetros, tendo uma chegada ao sprint.O camisola amarela não estava à espera de voltar já à liderança da Volta a França, enquanto o veganhadora 14.ª etapa parece estar a viver um sonho”Foi uma bonita surpresa, jamais pensei que poderia recuperar a amarela numa etapa como esta. Obrigada aos meus colegas, o [Michal] Kwiatkowski fez um trabalho fabuloso, é a ele que devo esta camisola”, referiu Chris Froome no final da 14.ª etapa, ganha por Michael Matthews , mas que não chegou para roubar a camisola amarela ao homem da Sky.Se bem me recordo, já Michael Matthews, após a vitória em Rodez, recordou, com humor: ” a última vez que chegámos aqui, há dois anos, tinha quatro costelas partidas e falta de pele em quase todo o corpo. Agora, voltar ao mesmo final e ganhar assim, é um sonho tornado realidade.”Em sinopse, a 14.ª etapa, entre Blagnac e Rodez, num total de 181,5 quilômetro, ditou o fim do reinado de Fabio Aru no Tour, que durou somente dois dias, com o italiano a dar-se mal com a pronunciada rampa até Rodez, onde Matthews celebrou o sua segunda vitória em etapas na prova de Francia, e a devolver a amarela ao britânico.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O de Holguín Bauke Mollema foi o grande ganhador da 15ª etapa da Volta da França. Neste domingo, o ciclista superou os oponentes e completou a distância de 189,5 quilômetro, entre Laissac-Sévérac l’Église e Le Puy-en-Velay, em 4h41m47s.

Leer Más

Contador y Landa se quedan sin premio en un escape memorable en los Pirineos

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Nairo Quintana Giro 2014

Alberto Contador y Mikel Landa fugados, metiendo tralla a 70 kilómetros de la meta, con tres puertos de primera por delante. La cabalgada soñada por el aficionado de España. Homenaje al ciclismo épico de antiguamente, al de héroes forjadores de aventuras lindas.

Mikel Landa Meana es un ciclista de España, miembro del equipo inglés Team Sky.

Leer Más

La ‘traición’ de Landa a Froome que le ha recriminado el equipo Sky

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – MaillotMundialCrono

Y Chris Froome ha hincado la rodilla. La primera fase en los Pirineos ha dejado a un espectacular Romain Bardet atravesando la línea de meta, solo seguido por Urán y Fabio Aru en la dura rampa de 400 metros del altipuerto de Peyragudes. El italiano se ha colocado líder de la general. La primera vez que el inglés cede el maillot amarillo. Nunca previamente había vivido esa percepción y podría no haberla experimentado si Mikel Landa no hubiera ido a disputar la fase, quedándose para ayudar al tres veces ganador del Tour. [Relato de la fase 12] [Clasificación]

Christopher Froome es un ciclista de camino inglés profesional desde 2007 y actual miembro del equipo inglés Team Sky, de categoría UCI ProTeam. Se conoce a Christopher Froome es más conocido como Chris Froome.

Leer Más

Los adversarios de Fabio Aru tomaron nota

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Chat web

Un Tour impresionante, con unos corredores magníficos y unas fases espectaculares. Todos los días hay sorpresas, que es lo mejor que le puede ocurrir a la carrera y a los aficionados. Lo sucedido este domingo se va a recordar durante mucho tiempo. Ha sido una fase demoledora, una consecuencia de la increíble jornada de deterioro del sábado. Ya lo comunicaban los técnicos y los propios ciclistas

Como ocurrió el pasado viernes con el apretadísimo sprint de Marcel Kittel, la jornada inolvidable de hoy, después de siete puertos, se ha resuelto con la fotografía finish. Cuando Barguil festejaba su triunfo, el ojo de halcón, rectificó a todos y otorgó la victoria al colombiano Rigoberto Urán. Lágrimas de rabia para el francés, que ha rubricado una fase pletórica, escapado durante todo el día, al lado de un extenso grupo de aventureros.

Leer Más