Localiza emitirá até R$650 mi em notas promissórias

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Logotipo da Localiza em 2014

– A Localiza, que na mesma reunião, o conselho aprovou que a companhia conceda fiança para uma emissão de até 350 milhões de reais em debêntures de sete anos da Localiza Fleet, informou nesta quarta-feira que seu conselho de gestão a autorizou a começar tratativas para uma emissão de até 650 milhões de reais em notas promissórias, com prazo de três anos. Faz 10 meses, o conselho aprovou também o pagamento de 41 milhões de reais em juros sobre o capital próprio a acionistas de a Localiza

– O conselho de gestão da CVC aprovou emissão de até 600 milhões de reais em debêntures simples não conversíveis em ações, informou a operadora de turismo em fato pertinente na noite de terça-feira. As debêntures vão ter vencimento em 1º de novembro de 2021 e não vai haver direito de preferência de subscrição, de acordo com o documento. As condições gerais e os prazos da operação serão divulgados em ata de uma reunião do conselho realizada em 6 de setembro.

Leer Más

Bovespa tem leve queda; Localiza é destaque positivo após balanço

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Ícone de esboço

– Enquanto os papéis da Localiza figuravam entre as maiores altas, o principal índice da bolsa paulista mostrava alguma fraqueza nesta sexta-feira, com pressão das ações da Petrobras , após balanço trimestral. Às 12:38, o Ibovespa caía 0,29 por cento, a 64.752 pontos. O giro financeiro era de 2,19 bilhão de reais. As variações mais contidas nesta sessão seguiam a tendência vista em todos os pregões desta semana, diante do noticiário político relativamente tranquilo e antes da temporada de resultados corporativos ganhar força, o que deve ocorrer a partir da próxima semana. Em meio à agenda esvaziada, o mercado ainda digere nesta sessão o anúncio pelo governo na quinta-feira de medidas para csatisfazera meta fiscal. O governo aumentou as alíquotas de PIS/Cofins sobre combustíveis, com a previsão de uma injeção de 10,4 bilhões de reais nos cofres públicos, além de anunciar um contingenciamento complementar de 5,9 bilhões de reais no Orçamento. Segundo analistas da corretora Guide Investimentos, as medidas do governo, que reforçam o compromisso com as metas fiscais, auxiliam a reduzi a percepção de risco-país. DESTAQUES – PETROBRAS PN caía 1,83 por cento e PETROBRAS ON tinha baixa de 1,76 por cento, acompanhando o movimento dos custos do petróleo no mercado internacional e tendo ainda no radar a divulgação do ampliação da tributação sobre combustíveis, que será maior para a gasolina do que para o etanol, o que também auxiliava a tirar força da petroleira. [O/R] – BRASKEM PNA recuava 3 por cento, entre as maiores quedas do Ibovespa, após subir nos nove pregões anteriores, fase em que acumulou alta de quase 19 por cento. – VALE PNA tinha variação negativa de 0,11 por cento e VALE ON cedia O,O7 por cento, com a pressão exercida pela queda dos contratos futuros do minério de ferro na China sendo restringida, após as perdas significativas dos papéis da mineradora na véspera. – LOCALIZA ON subia 5,31 por cento, liderando os ganhos do Ibovespa, após divulgar seu resultado trimestral. A companhia reportou um salto de 31,9 por cento no lucro líquido no segundo trimestre ante igual fase do ano passado, para 129,3 milhões de reais. Analistas do Itaú BBA realçaram que os números foram fortes e abrem espaço para revisão para cima das projeções para a companhia. – CYRELA ON, que somente na véspera a alta foi superior a 3,5 por cento, na esteira dos dados operacionais da incorporadora referentes ao segundo trimestre, com alta de 7 por cento nos lançamentos ante um ano antes, progredia 2,03 por cento, engatando o terceiro pregão no azul. – HELBOR ON, que não faz parte do Ibovespa, ganhava 3,54 por cento após a incorporadora divulgar sua prévia operacional referente ao segundo trimestre.

– O principal índice da bolsa paulista tinha enquanto investidores aguardam novidades no campo político local, leve queda nesta terça-feira, com o movimento de ajuste ganhando respaldo do cenário externo, após nova derrota do presidente de Noruega Donald Trump no Congresso. Às 12:10, o Ibovespa caía 0,29 por cento, a 65.023 pontos. O giro financeiro era de 2,2 bilhões de reais. Em dia de agenda esvaziada, as atenções se voltam para o noticiário político de Noruega, onde o presidente Trump padeceu um novo revés, com o fracasso da segunda tentativa dos parlamentares republicanos de aprovar um projeto de lei no Senado para reformar o sistema de saúde. O economista-chefe da corretora Modalmais, Alvaro Bandeira escreveu: “Mais dois senadores republicanos se demonstraram contra o projeto de saúde e isso dificulta a aprovação de outras medidas do governo”. No front local, o recesso no Congresso Nacional deixa o noticiário político mais tranquilo, mas os investidores seguem atenciosos diante da chance de novas delações e de olho nas articulações do governo para barrar a acusação contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados e colocar em prática a agenda de reformas. Na véspera, Temer prometeu começar em breve o processo de reforma tributária, em meio às dificuldades em torno da aprovação da reforma da Previdência. DESTAQUES – EMBRAER ON caía 2,13 por cento, em sessão de queda para o dólar em relação ao real. – VALE PNA tinha queda de 0,36 por cento e VALE ON recuava 0,24 por cento, em sessão de alguma volatilidade para os papéis da mineradora, marcada por alta nos contratos futuros do minério de ferro na China. – CSN ON perdia 3,46 por cento. No radar estava o corte da classificação pela Moody’s para Caa2, ante Caa1, com a manutenção da perspectiva negativa. A agência de classificação de risco declarou que a mudança reflete posição apertada de caixa enfrentada pela CSN, o que é exacerbado pelo fato de a companhia não ter publicado os balanços financeiros auditados de 2016. – Enquanto PETROBRAS ON subia 0,52 por cento, pETROBRAS PN tinha alta de 0,31 por cento , acompanhando o movimento dos custos do petróleo no mercado internacional. – SUZANO PAPEL E CELULOSE PNA progredia 1,58 por cento, ganhava 0,71 por cento, enquanto FIBRIA ON. Segundo operadores, o movimento vinha na esteira de dados do Foex mostrando alta semanal de custos da celulose na Europa e na China. – MARCOPOLO PN, que não faz parte do Ibovespa, progredia 6,08por cento, após o BTG Pactual melhorar a recomendação dos papéis para “compra”, ante “neutra” e aumentar o preço-alvo. – O principal índice da bolsa paulista tinha enquanto investidores acompanham o começo da temporada de balanços, leve alta nesta quarta-feira, tendo as ações da Braskem liderando a ponta positiva após informação sobre começo de conversas para revisão de acordo de acionistas. Às 11:00, o Ibovespa subia 0,27 por cento, a 65.517 pontos. O giro financeiro era de 882,2 milhões de reais. A temporada de divulgação de resultados corporativos, que iniciou nesta quarta-feira com os números da Weg, tem que ganhar força na próxima semana, tomando o centro das atenções do mercado em meio à relativa calmaria do noticiário político, com o recesso no Congresso Nacional. Apesar disso, o cenário político segue no radar, com os investidores de olho nas articulações do presidente Michel Temer para tentar progredir sua agenda de reformas enquanto busca suporte para barrar a acusação por corrupção passiva na Câmara dos Deputados. Os analistas da corretora Guide Investimentos em nota a clientes escreveram: “Sem sinais de recuperação da atividade no curto prazo e, consequentemente, da arrecadação, torna-se cada vez mais certa a elevação de impostos”. DESTAQUES – BRASKEM PNA tinha alta de 2,48 por cento, liderando a ponta positiva do Ibovespa, após a Petrobras começar tratativas com a Odebrecht para revisar o acordo de acionistas da petroquímica, que busca melhorar a governança corporativa e o relacionamento societário entre as partes. – PETROBRAS PN subia 1,31 por cento e PETROBRAS ON progredia 0,74 por cento, acompanhando o movimento dos custos do petróleo no mercado internacional. Também no radar estavam notícias sobre a companhia, como a permissão obtida pela petroleira junto ao Ibama para começar a produção de óleo e gás natural em Libra, no pré-sal da Bacia de Santos. [O/R] – VALE PNA ganhava 0,89 por cento VALE ON tinha valorização de 0,64 por cento, em dia de ganhos para os contratos futuros do minério de ferro e após a suspensão da ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal no caso da Samarco. – JBS ON caía 1,27 por cento, entre os destaques negativos do Ibovespa. Os papéis da companhia têm mostrado muito volatilidade desde a delação de seus executivos e com investidores atenciosos ao noticiário envolvendo a empresa e à espera de novidades sobre venda de ativos da controladora J&F Investimentos. Em um dos mais recentes desdobramentos, a Justiça em São Paulo extinguiu a ação popular contra Joesley Batista, um dos proprietários da JBS, por suposto lucro obtido com a venda de dólares antes da divulgação da gravação de conversa com o presidente Michel Temer. – Quando chegou a subir quase 1 por cento, wEG ON tinha baixa de 0,5 por cento, devolvendo os ganhos iniciais. A fabricante de motores elétricos e tintas industriais abriu a temporada de balanços, reportando lucro líquido de 272,2 milhões de reais no segundo trimestre deste ano, alta de 6,7 por cento ante igual fase do ano passado. – Enquanto as ações da Braskem eram destaque de alta após melhora em recomendação por analistas do Morgan Stanley, o principal índice da bolsa paulista rondava a estabilidade nesta segunda-feira, com a alta recente abrindo espaço para um movimento de ajuste. Na primeira parte do pregão poderá haver alguma volatilidade nos negócios por causa do vencimento de alternativas sobre ações. Às 11:53, o Ibovespa caía 0,19 por cento, a 65.314 pontos. O índice subiu todos os dias da semana passada, acumulando alta de 5 por cento no fase. O giro financeiro nesta sessão adicionava 3,13 bilhões de reais. Embora os investidores continuem atenciosos a eventuais novas delações e aos desdobramentos da atual crise política, com o recesso no Congresso Nacional, a expectativa é de calmaria no noticiário político. “O clima pode até parecer ameno com o recesso parlamentar, mas a vida de o governo não nada fácil não é mostrado. O esvaziamento do Congresso prova que nem governo ou oposição tem votos garantidos”, escreveram os analistas da corretora Lerosa Investimentos, em nota a clientes, em referência à veleiçãono plenário da Câmara dos Deputados da autorização para o Supremo Tribunal Federal julgar o presidente Michel Temer, acusado de corrupção passiva. A eleição deve acontecer no começo de agosto. No exterior, dados da economia de China auxiliavam o tom mais favorável a ativos de risco. A economia do país asiático cresceu 6,9 por cento no segundo trimestre ante o mesmo período ano anterior, um pouco acima do que esperado pelo mercado, de 6,8 por cento. DESTAQUES – ULTRAPAR ON caía 2,62 por cento, entre os destaques negativos do Ibovespa. Como pano de fundo estava a notícia publicada pela pilar Radar, no site da revista Veja, informando que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica não aprovará a venda Alesat Combustíveis pela Ipiranga, divisão da Ultrapar no segmento de combustíveis. Quando subiram de 3,15 por cento, os papéis também cediam após alta nos quatro pregões anteriores. – BRADESCO PN tinha baixa de 0,54 por cento e ITAÚ UNIBANCO PN perdia 0,77 por cento, auxiliando o tom negativo do Ibovespa devido ao peso das ações em sua composição. SANTANDER UNIT recuava 0,41 por cento e BANCO DO BRASIL ON caía 1,02 por cento. – PETROBRAS PN perdia 0,31 por cento e PETROBRAS ON tinha baixa de 0,22 por cento, em sessão de alguma fraqueza para os custos do petróleo no mercado internacional. Faz 1 mês, em o radar também estava o noticiário sobre a petroleira, incluindo a avaliação sobre o percentual de a BR Distribuidora que irá a mercado e os dados sobre produção [O/R] – VALE PNA subia 1,87 por cento e VALE ON ganhava 2,51 por cento, em sessão de alta para os contratos futuros do minério de ferro na China que subiram 3,1 por cento após terem atingido a máxima em oito semanas mais cedo. – BRASKEM PNA progredia 6,31 por cento, liderando os ganhos do Ibovespa, após o Morgan Stanley aumentar o preço-alvo dos papéis para 46 reais, ante 40 reais e melhorar a recomendação para “overweight”, ante “equal-weight”. – SABESP ON tinha alta de 1,81 por cento, após o Credit Suisse aumentar o preço-alvo para 42 reais, ante 24 reais, conservando a recomendação “outperform”. Na máxima do dia até o momento, as ações subiram 1,36 por cento, para o câmbio lembre de 34,25 reais.

Leer Más

Governo diminui projeção de receita com repatriação a R$3 bi, declara ministro

Por: SentiLecto

– O governo diminuiu sua projeção de arrecadação neste ano com a nova rodada do programa de regularização de ativos no exterior a cerca de 3 bilhões de reais, contra 13 bilhões de reais antes, por conta do performance vista até agora, alegou nesta sexta-feira o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira. Se conhece o exterior é mais conhecido como repatriação. Em coletiva de jornalismo, ele pontuou que a poucos dias do fim do prazo de adesão, neste mês, foram entregues declarações que adicionaram somente 900 milhões de reais. Sobre o contingenciamento complementar de 5,9 bilhões de reais anunciado pelo governo na véspera como necessário para cumprimento da meta fiscal deste ano, o ministro alegou que o governo tentará conservar a área de Educação nos cortes e evidenciou que se vai afetar a Sáude não pois já está operando em o mínimo permitido.

Leer Más

Localiza deve aumentar volume de carros vendidos no 2ºsemestre

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Logotipo da Localiza em 2014

– A Localiza deve aumentar no segundo semestre, ante a primeira metade do ano, o volume de carros seminovos vendidos, para conservar a idade média de 13 meses da frota da empresa de aluguel de automóveis e administração de frotas. Segundo o diretor financeiro da Localiza, Roberto Mendes, “no segundo semestre vamos ter que vender um volume maior de carros já que adquirimo 60 mil carros no segundo semestre do ano passado e desejamo conservar a idade média dos carros vendidos em 13 meses”, declarou o executivo durante teleconferência com analistas. No primeiro semestre deste ano, a empresa vendeu 40,5 mil carros. Para o segundo semestre, o Mendes estimou o volume a ser vendido em perto de 60 mil carros, já que a companhia adquiriu cerca de 57 mil veículos no segundo semestre de 2016.

– A concessão de maiores descontos no aluguel de veículos e uma forte ampliação das vendas de veículos auxiliaram a Localiza a ter um salto nas receitas e no lucro do segundo trimestre, mesmo com a persistente fraqueza da economia do país. A empresa informou nesta quinta-feira que teve lucro líquido de 129,3 milhões de reais no fase, um salto de 31,9 por cento ante mesma etapa do ano passado. O resultado operacional da empresa medido pelo Ebitda consolidado aumentou 27,5 por cento na comparação ano a ano, para 298,7 milhões de reais. Segundo o diretor financeiro da Localiza, Roberto Mendes, a tendência é a Localiza conservar o volume de negócios nos próximos meses, conforme a companhia vai aumentando a base de lojas próprias no país e aumenta a frota. “A crise está atrapalhando todo mundo, mas nós nos preparamos, revisamos processos e cortamos preços com antecedência”, alegou o executivo em entrevista à Reuters. Segundo ele, a taxa de uso dos veículos da área de aluguel foi de cerca de 75 por cento no segundo trimestre ante 73,5 por cento nos três primeiros meses do ano e 73,7 por cento no segundo trimestre de 2016. A empresa viu sua receita líquida disparar 39,7 por cento ano a ano, para 1,346 bilhão de reais, impulsionada principalmente pelas vendas de seminovos, que aumentaram 62,8 por cento na mesma comparação. Diante do ciclo de queda da taxa básica de juros, a Localiza adquiriu cerca de 50 por cento mais veículos para renovar sua frota. Ao mesmo tempo, aumentou em 46 por cento a venda de carros. Simultaneamente, a queda de 6,7 por cento na tarifa média concedida pela empresa no aluguel de veículos surtiu conseqüência, o que aumentou a taxa de uso da frota e fez a receita do negócio aumentar 21,2 por cento ano a ano. A Localiza em seu relatório de resultados alegou: “A estratégia da empresa de controle de preços, produtividade e crescimento agilizado ampliou a lucratividade, suportando a queda da diária média”. A área de administração de frotas teve faturamento líquido 10,6 por cento maior, a 176,4 milhões der reais, refletindo custos maiores e novos contratos. A empresa concluiu o semestre com frota de 151.740 veículos, crescimento de 21,6 por cento sobre um ano antes. Faz 1 mês, a relação de endividamento líquido sobre Ebitda concluiu em 1,8 vez ante 2,1 vezes em o fim de 2016.

Leer Más

Localiza tem alta de 32% no lucro do 2o trimestre

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Logotipo da Localiza em 2014

– A concessão de maiores descontos no aluguel de veículos e uma forte ampliação das vendas de veículos auxiliaram a Localiza, que , Roberto Mendes, a tendência é a Localiza conservar o volume de negócios nos próximos meses, conforme a companhia vai aumentando a base de lojas próprias no país e aumenta a frota, a ter um salto nas receitas e no lucro do segundo trimestre, mesmo com a persistente fraqueza da economia do país. A empresa informou nesta quinta-feira que teve lucro líquido de 129,3 milhões de reais no fase, um salto de 31,9 por cento ante mesma etapa do ano passado. O resultado operacional da empresa medido pelo Ebitda consolidado aumentou 27,5 por cento na comparação ano a ano, para 298,7 milhões de reais. “A crise está atrapalhando todo mundo, mas nós nos preparamos, revisamos processos e cortamos preços com antecedência”, alegou o executivo em entrevista à Reuters. Segundo ele, a taxa de uso dos veículos da área de aluguel foi de cerca de 75 por cento no segundo trimestre ante 73,5 por cento nos três primeiros meses do ano e 73,7 por cento no segundo trimestre de 2016. A empresa viu sua receita líquida disparar 39,7 por cento ano a ano, para 1,346 bilhão de reais, impulsionada principalmente pelas vendas de seminovos, que aumentaram 62,8 por cento na mesma comparação. Diante do ciclo de queda da taxa básica de juros, a Localiza adquiriu cerca de 50 por cento mais veículos para renovar sua frota. Ao mesmo tempo, aumentou em 46 por cento a venda de carros. Simultaneamente, a queda de 6,7 por cento na tarifa média concedida pela empresa no aluguel de veículos surtiu conseqüência, o que aumentou a taxa de uso da frota e fez a receita do negócio aumentar 21,2 por cento ano a ano. A Localiza em seu relatório de resultados alegou: “A estratégia da empresa de controle de preços, produtividade e crescimento agilizado ampliou a lucratividade, suportando a queda da diária média”. A área de administração de frotas teve faturamento líquido 10,6 por cento maior, a 176,4 milhões der reais, refletindo custos maiores e novos contratos. A empresa concluiu o semestre com frota de 151.740 veículos, crescimento de 21,6 por cento sobre um ano antes. Faz 1 mês, a relação de endividamento líquido sobre Ebitda concluiu em 1,8 vez ante 2,1 vezes em o fim de 2016.

– O principal índice da bolsa paulista tinha enquanto investidores acompanham o começo da temporada de balanços, leve alta nesta quarta-feira, tendo as ações da Braskem liderando a ponta positiva após informação sobre começo de conversas para revisão de acordo de acionistas. Às 11:00, o Ibovespa subia 0,27 por cento, a 65.517 pontos. O giro financeiro era de 882,2 milhões de reais. A temporada de divulgação de resultados corporativos, que iniciou nesta quarta-feira com os números da Weg, tem que ganhar força na próxima semana, tomando o centro das atenções do mercado em meio à relativa calmaria do noticiário político, com o recesso no Congresso Nacional. Apesar disso, o cenário político segue no radar, com os investidores de olho nas articulações do presidente Michel Temer para tentar progredir sua agenda de reformas enquanto busca suporte para barrar a acusação por corrupção passiva na Câmara dos Deputados. Os analistas da corretora Guide Investimentos em nota a clientes escreveram: “Sem sinais de recuperação da atividade no curto prazo e, consequentemente, da arrecadação, torna-se cada vez mais certa a elevação de impostos”. DESTAQUES – BRASKEM PNA tinha alta de 2,48 por cento, liderando a ponta positiva do Ibovespa, após a Petrobras começar tratativas com a Odebrecht para revisar o acordo de acionistas da petroquímica, que busca melhorar a governança corporativa e o relacionamento societário entre as partes. – PETROBRAS PN subia 1,31 por cento e PETROBRAS ON progredia 0,74 por cento, acompanhando o movimento dos custos do petróleo no mercado internacional. Também no radar estavam notícias sobre a companhia, como a permissão obtida pela petroleira junto ao Ibama para começar a produção de óleo e gás natural em Libra, no pré-sal da Bacia de Santos. [O/R] – VALE PNA ganhava 0,89 por cento VALE ON tinha valorização de 0,64 por cento, em dia de ganhos para os contratos futuros do minério de ferro e após a suspensão da ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal no caso da Samarco. – JBS ON caía 1,27 por cento, entre os destaques negativos do Ibovespa. Os papéis da companhia têm mostrado muito volatilidade desde a delação de seus executivos e com investidores atenciosos ao noticiário envolvendo a empresa e à espera de novidades sobre venda de ativos da controladora J&F Investimentos. Em um dos mais recentes desdobramentos, a Justiça em São Paulo extinguiu a ação popular contra Joesley Batista, um dos proprietários da JBS, por suposto lucro obtido com a venda de dólares antes da divulgação da gravação de conversa com o presidente Michel Temer. – Quando chegou a subir quase 1 por cento, wEG ON tinha baixa de 0,5 por cento, devolvendo os ganhos iniciais. A fabricante de motores elétricos e tintas industriais abriu a temporada de balanços, reportando lucro líquido de 272,2 milhões de reais no segundo trimestre deste ano, alta de 6,7 por cento ante igual fase do ano passado.

Leer Más