Mais de 70 funcionários de universidades detidos por golpismo em Istambul

Por: SentiLecto

Faz 1 ano, a polícia de Turquia deteve 72 funcionários de duas universidades de Istambul por suspeita de ligações a o movimento de o eclesiástico Fethullah Gülen, acusado por o governo de impeli o golpe militar falhado de julho de 2016.A operação concentrou-se na Universidade do Bósforo e na Universidade Medeniyet de Istambul, mas não revelaram os suspeitos os nomes e funções desempenhadas , informou o diário turco Hürriyet.Cerca de 140.000 funcionários públicos, entre os quais 7.000 académicos, perderam os seus postos de trabalho mediante decretos, na sequência de uma purga posta em passeata depois de ter sido decretado o estado de emergência no país há quase um ano, devido à tentativa fracassada do golpe militar de julho do ano passado.O social-democrata Kemal Kiliçdaroglu maior formação da oposição no parlamento do país, delatou no domingo a perseguição da qual os académicos de Turquia foram alvo, numa manifestação em Istambul. O social-democrata Kemal Kiliçdaroglu é dirigente do Partido Republicano do Povo.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Faz 10 dias, o político declarou : ” Após o golpe de Estado, muitos académicos e funcionários públicos que não tinham ligação com a tentativa de golpe ou com a organização por detrás de este, foram despojados de os seus direitos básicos, exclusivamente porque eram vistos como dissidentes “.O líder da oposição de Turquia deduziu no domingo a Marcha pela Justiça começada em Ancara a 15 de junho, em protesto contra a detenção de um deputado do partido, condenado a 25 anos de prisão, por ter fornecido no jornalismo informações confidenciais. Justiça é uma caminhada de 450 quilómetros.

Leer Más

Passeata pela Justiça chega ao fim perto de Istambul

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Istambul and Bosporus big

Centenas de a oposição de Turquia receberam o líder de milhares de pessoas , em Istambul , em o fim de a Marcha pela Justiça , começada em Ancara a 15 de junho , em protesto por a detenção de um elemento de a sua formação.

Em causa, a chamada Marcha Pela Justiça, que iniciou dia 15 de julho, coordenada pelo líder do CHP. O objetivo é queixar-se contra a detenção de um deputado.

Leer Más

El Partido Socialista de Francia se modifica de nombre en la Asamblea y se va a llamar Nueva Izquierda

Por: SentiLecto

“Su grupo parlamentario en la Asamblea Nacional se va a llamar “Nouvelle Gauche” , con lo que, por primera vez desde la instauración de la V República en 1958, abandona toda alusión al socialismo en su nombre”, comunicó partido hoy.

Leer Más

Manuel Valls deja el Partido Socialista

Por: SentiLecto

El ex primer ministro Manuel Valls comunicó este martes su determinación de abandonar formalmente el Partido Socialista en el que hizo su carrera política. El paso, comunicado en una entrevista con la emisora RTL, se produce a pocas horas de la inauguración de la nueva Asamblea Nacional de Francia, en la que Después de que se rechazase su propósito de inscribir su candidatura por el movimiento del presidente Emmanuel Macron, En Marcha, valls es diputado independiente pese a haber lo respaldado durante la campaña. Una determinación que profundizó la brecha con el PS que ahora se consolida con un paso formal y hasta esperado, pero no por ello menos significativo.

Leer Más

“Deja el Partido Socialista francés tras 37 años de militancia”, comunica Manuel Valls.

Por: SentiLecto

El ex primer ministro de Francia Manuel Valls, reelegido el pasado día 18 en las elecciones legislativas, ha comunicado que deja el Partido Socialista tras 37 años de militancia y que se ubica en la mayoría parlamentaria del nuevo presidente, Emmanuel Macron.

Leer Más