Produtores de soja atrasam comercialização de nova colheita por custos baixos

Por: SentiLecto

Quando a comercialização já estava aquém das médias de longo prazo, produtores de soja de Mato Grosso venderam até agora um menor volume da nova colheita na comparação com o ano passado, pois estão no aguardo de custos mais atrativos à frente.

Leer Más

Governo instituirá delegação com prazo de 60 dias para debater cessão onerosa, declara Parente

Por: SentiLecto

– O governo tem que editar em breve uma portaria para instituir uma delegação de negociação da chamada “cessão onerosa” junto à PetrobrasPETR4.SA>, com prazo de 60 dias para desfecho das tratativas, declarou a jornalistas nesta terça-feira o presidente da petroleira estatal, Pedro Parente. Após reunião com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o executivo alegou que tanto governo quanto companhia pretendem “agilizar” as conversas sobre o tema. “Fui informado, não tenho certeza porque não vi, que o governo está para editar uma portaria compondo uma delegação de negociação e que nessa portaria se estabelece um prazo de 60 dias. Se for menos do que isso, até melhor. A Petrobras está preparada para fazer esse debate o mais cedo possível”, alegou. Pelo contrato da cessão onerosa, assinado em 2010, a Petrobras, que mas o acordo já calculava uma renegociação dos valores envolvidos depois da declaração de comercialidade das áreas, que já ocorreu, ganhou o direito de buscar áreas do pré-sal sem licitação em troca de um pagamento bilionário ao governo. Questionado por repórteres, Parente também reforçou que a empresa avalia ser credora em uma renegociação do contrato com a União. “A Petrobras tem direitos a receber em relação a esse acordo”, defendeu, sem mencionar números. ACORDO NOS EUA Parente também declarou a jornalistas que a PetrobrasPETR4.SA> fechou um acordo bilionário para concluir ação de investidores contra a empresa nos EUA porque foi “obrigada”, devido aos enormes riscos envolvidos nos processos, e evidenciou que negociações semelhantes junto a outros países não estão em cogitação. “Não temos qualquer disposição de fechar acordo em outras jurisdições, a menos que as respectivas legislações, e depois de um processo longo como o que ocorreu nos Estados Unidos, venham a demandar da companhia. Se isso ocorrer e ela for forçada a isso, sim, mas disposição da companhia de fazer outros acordos não existe”, alegou. A estatal anunciou em 3 de janeiro que um acordo para pagar 2,95 bilhões de dólares em troca do fechamento de uma ação coletiva nos EUA, decorrente das perdas provocadas pelo envolvimento da companhia nos desvios revelados pela operação Lava Jato, da Polícia Federal. Parente participou nesta terça-feira de uma reunião com o Tribunal de Contas da União sobre o acordo com os acionistas norte-americanos. Após o encontro, ele defendeu que a reação positiva das ações da petroleira no Brasil após a negociação nos EUA mostra que os investidores geralmente gostaram do desfecho do caso. “O mercado foi bastante bem recebido o acordo… o custo da ação da Petrobras desde o anúncio do acordo tem tido uma performance bastante positiva”, declarou. Ainda que valores recuperados na Justiça pela Petrobras após desvios revelados pela Lava Jato têm beneficiado os investidores de Brasil da petroleira, ele reforçou.

Leer Más

Carrefour Brasil tem alta de 5,3% nas vendas no 4º tri

Por: SentiLecto

A rede de supermercados e atacarejo nesta terça-feira informou mesmo fase de 2016,: – O Carrefour Brasil, que alegou no relatório que o resultado da área de supermercados ficou basicamente estável, “mesmo considerando o cenário de forte deflação de alimentos no fase, que foi mais acentuada do que no terceiro trimestre”. Pelo concepção mesmas lojas, a venda total do grupo no fase, em que a companhia abriu 29 novas lojas, subiu 1,4 por cento, segurada pela bandeira de atacarejo Atacadão, que teve expansão de 2,2 por cento. Já a bandeira de supermercados Carrefour padeceu queda nas vendas mesmas lojas de 0,1 por cento. Divulgaram-se os dados um dia após o adversária GPA divulgar crescimento de vendas brutas de 7 por cento em o quarto trimestre, impulsionadas por expansão de 27,7 por cento em a bandeira de atacarejo Assaí. Enquanto as vendas das outras bandeiras da área alimentar do GPA recuaram 0,1 por cento, na base mesmas lojas, o Assaí teve expansão de 11 por cento. A empresa mencionou que as vendas de não-alimentos nos supermercados do grupo, em especial de produtos eletrônicos, subiram dois dígitos no trimestre, aumentando participação nas vendas totais. Faz 1 ano, como um todo, o grupo de varejo teve alta de 7,2 por cento em as vendas brutas em o país, para 49,65 bilhões de reais, em 2017. O Carrefour Brasil concluiu 2017 com 634 lojas no país, das quais 103 hipermercados, 146 de atacarejo, 119 de conveniência e 126 drogarias. Faz 2 anos, a maior expansão foi em a área de atacarejo, com 11 lojas a mais que além da área de conveniência que ampliou a base em 49 lojas em o ano passado., que ampliou a base em 49 lojas no ano passado.

Leer Más

Energisa vai pagar R$442,9 mi para ampliar fatia em distribuidora no MT após OPA

Por: SentiLecto

– A elétrica Energisa, que controla 13 distribuidoras de energia, desembolsará 442,9 milhões de reais para adquiri ações de minoritários em sua controlada Energisa Mato Grosso, após um leilão de oferta pública de aquisição dos papéis realizado nesta terça-feira. Em fato pertinente, a empresa declarou que sua oferta foi aceita por titulares de cerca de 12 milhões de ações ordinárias e quase 39,5 milhões de ações preferenciais. Após a oferta, a Energisa aumentará a fatia na distribuidora do Mato Grosso de 11 para 39,34 por cento. Outros 49,9 por cento da Energisa Mato Grosso pertencem à Rede Energia Participações, que foi acompradapela Energisa em 2014, após uma crise financeira.

Leer Más

Adesão da Opep a cortes aumenta em dezembro com menor produção da Venezuela

Por: SentiLecto

– Faz 1 mês, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo aumentou o nível de cumprimento de seu acordo para cortes de oferta, auxiliada por uma diminuição em a produção de a Venezuela e por maiores cortes de exportadores de o Golfo, segundo uma pesquisa de a Reuters. O resultado assinala para um forte compromisso do cartel em satisfazer os cortes mesmo em meio a preços mais altos do petróleo no mercado internacional. Faz 2 meses, a aderência a o convênio aumentou para 128 por cento, ante 125 por cento segundo a pesquisa. A Opep tem diminuído sua produção em cerca de 1,2 milhão de barris por dia como parte de um acordo que envolveu também a Rússia e outros países de fora do grupo, em um convênio que tem que durar até o final de 2018. O petróleo atingiu máximas desde maio de 2015 nesta semana, sustentado por estoques em queda, demanda em alta e pela adesão dos países da Opep aos cortes prometidos. A Arábia Saudita, maior exportadora, cortou a produção em 60 mil bpd, segundo as fontes da pesquisa, indo para bem abaixo de sua meta. Já a produção da Venezuela, onde a indústria petroleira padece com falta de recursos em meio à crise financeira do país, caiu abaixo da meta da Opep, segundo a pesquisa. Tanto as exportações quanto as operações de refinarias do país foram mais baixas em dezembro.

Leer Más