Vai ser difícil aprovar privatização da Eletrobras e reoneração da folha neste ano, declaram fontes da equipe econômica

Por: SentiLecto

– A privatização da Eletrobras e a reoneração da folha de pagamentos dificilmente serão aprovadas pelo Congresso Nacional neste ano, avaliaram duas fontes da equipe econômica escutadas pela Reuters nesta terça-feira, referindo-se a dois importantes projetos da pauta econômica eleita como prioritária pelo governo após jogar a toalha em relação à reforma da Previdência. Faz 1 mês, a desistência de a reforma veio por conta da intervenção federal em a segurança pública em o Rio que impede mudanças em a Constituição que também afeta mudanças em a norma de ouro fiscal., e que também afeta mudanças na norma de ouro fiscal. “É difícil, mas não inimaginável “, alegou uma fonte da equipe econômica, que pediu anonimato. “Talvez deva abrir mão de alguns outros . Agora é que eles vão começar a ver quais são fáceis e quais terão resistência”, adicionou a fonte sobre a lista, que inclui medidas como autonomia do Banco Central e criação de cadastro positivo. Na noite passada, o governo do presidente Michel Temer desistiu de votar a reforma da Previdência agora e exibiu um conjunto de medidas econômicas, boa parte delas já em tramitação no Congresso, em uma tentativa de reafirmar o compromisso com o equilíbrio fiscal. A privatização da Eletrobras enfrenta franca resistência no Congresso e calendário apertado de realização. Por isso, o próprio governo decidiu bloquear despesas no Orçamento deste ano para o caso dos 12,2 bilhões de reais estimados com a operação não se concretizarem. O projeto de reoneração da folha, com o qual o governo esperava originalmente ganho fiscal de 8,8 bilhões de reais neste ano, está há tempos tramitando no Congresso. O relator da proposta na Câmara dos Deputados, deputado Orlando Silva , já sinalizou que vai abrir espaço para que mais companhias continuem com a vantagem fiscal, diminuindo os ganhos para os cofres públicos com a medida. Uma segunda fonte da equipe econômica também reconheceu que estes dois projetos são de aprovação difícil e recordou que a reoneração enfrenta ainda a oposição de segmentos empresariais, que têm que pressionar os parlamentares em ano eleitoral. Faz 1 mês, norma de ouro a intervenção em o Rio também afastou eventual mudança constitucional em a norma de ouro segundo a qual o governo não pode, se endividar para pagar despesas correntes, como salários de servidores. Membros do governo já mencionaram que há um buraco de até 200 bilhões de reais para o cumprimento da norma em 2019. Inicialmente, o governo ergueu a suposição de mudar a Constituição com a implementação de normas de autoajustamento em caso de superação dos limites. Agora, a tendência é que o governo peça a benção dos parlamentares ainda neste ano, via projeto de lei orçamentária de 2019, para que concedam-se créditos extraordinários em o ano que vem, o que permitirá o enquadramento do Orçamento na norma de ouro, assinalou a segunda fonte da equipe econômica. No meio político, a avaliação também é de que algumas matérias podem enfrentar obstáculos para ser aprovadas, como a reoneração da folha de pagamentos, recordou uma vice-liderança do governo na Câmara dos Deputados. , adicionando que a reforma do PIS/COFINS e a privatização da Eletrobras também não vão ter acolhimento fácil alegou: “Você já deu o doce e agora deseja tirar”.

Leer Más

Chanceler de Colombia vem ao Brasil com questão venezuelana na agenda

Por: SentiLecto

María Ángela Holguín vai vir a Brasília nesta quarta-feira, uma visita que vai incluir em sua agenda uma análise da situação gerada pelo êxodo maciço de venezuelanos, informaram nesta terça-feira fontes oficiais. María Ángela Holguín é a ministra das Relações Exteriores da Colômbia.

Leer Más

Câmara dos Deputados aprova intervenção na segurança do Rio de Janeiro

Por: SentiLecto

A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta terça-feira por 340 votos a favor, 72 contra e uma abstenção, o decreto do Executivo que determina uma intervenção na segurança do Rio de Janeiro, que fica sob responsabilidade do Exército até o final do ano.

Leer Más

REEDIÇÃO-Petrobras passa a divulgar custos; aumenta valores do diesel e gasolina

Por: SentiLecto

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO – A Petrobras anunciou que a partir desta segunda-feira passará a divulgar em seu site os custos médios de gasolina e diesel, sem tributos, comercializados em suas refinarias e terminais no Brasil, em busca de mais clareza à composição do valor final dos combustíveis.

Leer Más