La cena de gala, el encuentro con el príncipe Harry… Así va a ser el viaje de los Reyes a Reino Unido

Por: SentiLecto

Paulatinamente vamos conociendo más detalles del viaje de Estado que harán los reyes  Felipe y Letizia a Reino Unido los días 12, 13 y 14 de julio. Y es que queda justo una semana para que se produzca la que, sin incertidumbre, es una visita de lo más esperada, ya que se trata de la primera de máximo nivel que la Monarquía española va a emprender al nación inglés en 30 años, tras el que efectuaron los reyes Juan Carlos y Sofía en abril de 1986. Hace 19 años, mientras que el Príncipe de Gales y la Duquesa de Cornualles visitaron nuestro nación en 2011, por su parte, la reina Isabel y su conyuge, el Duque de Edimburgo, han realizado una visita de Estado a España.

Leer Más

Función de teatro para un rey hijo

Por: SentiLecto

Esta semana quiero invitarles al teatro. Al María Guerrero, donde se representa Inconsolable. Como es mi caso, es una función muy apropiada para los que perdieron a su papá. Y, en general, para reflexionar sobre la muerte y sobre la figura paterna. Por eso también se la recomiendo al Rey Felipe VI.

Leer Más

Príncipe Harry admite que planejou “sair” da família real

Por: SentiLecto

O príncipe Harry, quinto na linha de sucessão ao trono do Reino Unido, confessou que no passado planejou “sair” da família real para viver como um cidadão habitual, em uma entrevista publicada neste domingo no jornal “Mail on Sunday”.

Leer Más

Japão aprova lei que vai permitir abdicação do imperador Akihito

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Unibicameral Map

A Câmara Alta do parlamento do Japão aprovou nesta sexta-feira a proposta legislativa que vai permitir ao imperador Akihito ceder o trono a seu filho naquela que vai ser a primeira abdicação neste país em 200 anos. Seu filho é o príncipe herdeiro Naruhito.

– O Parlamento do Japão aprovou nesta sexta-feira uma lei que permite que o imperador Akihito renuncie, abrindo percurso para a primeira abdicação de um monarca de Japon em quase dois séculos e para a ascensão de seu filho, o príncipe Naruhito, possivelmente no final do ano que vem. Akihito, que tem 83 anos e passou por uma cirurgia cardíaca e um tratamento de câncer na próstata, declarou no ano passado, em observações públicas raras, que teme que a idade lhe dificulte continuar no cumprimento de suas tarefas. De fala suave, Akihito, o primeiro imperador que se o considerou jamais divino, trabalhou em casa e no exterior durante décadas para sanar as feridas da Segunda Guerra Mundial. Ele combateu em nome de seu pai, Hirohito, e será sucedido por Naruhito, de 57 anos. Em uma eleição transmitida ao vivo pela TV pública NHK, a câmara alta do Parlamento aprovou o projeto de lei, também endossado pela câmara baixa na semana passada. O primeiro-ministro de Japon, Shinzo Abe, a repórteres após a eleição. declarou: “A abdicação irá ocorrer pela primeira vez em 200 anos, recordando-me mais uma vez como este tema é importante para a fundação de nossa nação, sua longa história e seu futuro”. Agora o governo deve decidir os detalhes da abdicação, inclusive sua ocasião, mas reportagens declararam que deve ocorrer no final de 2018, o que marcaria três décadas de presença de Akihito no trono Crisântemo. A abdicação, a primeira desde 1817, parece ter o suporte da população geralmente, que a vê como um sinal da mudança dos tempos. Masayoshi Matsumoto, animador de 47 anos declarou: “Essencialmente o imperador está abdicando, o que sinto ser uma questão de foro íntimo”. O governo também deve assegurar a permanência de uma monarquia vitimada pela falta de herdeiros homens e um número cada vez menor de membros da família imperial. As mulheres não têm licença de herdar o trono e deixar a família ao se casarem, uma questão que ganhou relevo no mês passado com o anúncio de que a neta mais velha do imperador vai ir se casar com um homem do povo.

Leer Más

Família real está disposta a colaborar em crise, declara trineto de talento Pedro 2º

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Deputado Michel Temer

A profunda crise política do governo de Michel Temer ganhou a observação de um personagem que questiona a própria existência da posição de presidente da República.

O país tem ‘amortecedores robustos’ e por isso está menos vulnerável a choques internos ou externos, alegou o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn nesta sexta-feira , em reunião-almoço na sede do banco Santander, em São Paulo.O presidente do BC também realçou a ação conjunta com o Tesouro, que programou leilões extras de títulos públicos para garantir a estabilidade do mercado.

Leer Más