Atirador de Louisiana emboscou e visou policiais, declara polícia

ROUGE, EUA – O ex-fuzileiro naval negro que matou três policiais a tiros na capital do Estado norte-americano da Louisiana os tinha como alvos específicos, declarou a polícia nesta segunda-feira, enquanto os Estados juntados se recuperam do episódio mais recente de violência envolvendo negros e agentes da lei. Após o tiroteio de domingo, policiais de Baton Rouge adotaram medidas para reforçar sua própria segurança. Sargento Don Coppola declarou: “Normalmente caminhamo sozinhos. Sargento Don Coppola é o porta-voz da corporação local. Estamos caminhando em duplas agora”. A cidade foi cenário de manifestações repetidas contra a violência da polícia depois da morte a tiros de Alton Sterling, um negro, do lado de fora de uma loja de conveniência no dia 5 de julho. Se identificou o atirador de Baton Rouge como Gavin Long, de 29 anos, residente de Kansas City, em o Missouri que atuou como fuzileiro naval durante cinco anos,, tendo sido enviado a o Iraque em 2008. Matou-se Long que modificou seu nome legalmente para Cosmo Ausar Setepenra vestido de preto e armado com um rifle, ,, de acordo com registros de o Condado de Jackson, em o Missouri, a tiros em a manhã de domingo em uma troca de disparos com a polícia. Os nervosismos raciais estão particularmente altas no país desde que um ex-reservista do Exército dos EUA matou a tiros cinco policiais de Dallas que patrulhavam uma manifestação estimulada pela morte de Sterling e de outro negro em Minnesota, ambas provocadas por policiais. John Bel Edwards ao canal de TV MSNBC nesta segunda-feira declarou: “A situação aqui está bastante dura, um ataque ao próprio tecido da sociedade”. John Bel Edwards é o governador de Louisiana. Tenente J.B. Slaton declarou ao jornal New York Times nesta segunda-feira que um inquérito preliminar mostra que o atirador de Baton Rouge “sem dúvida emboscou aqueles policiais”. Tenente J.B. Slaton é o porta-voz da Polícia Estadual de Louisiana.

Leer Más

Policial negro está entre vítimas de atirador de Baton Rouge

Foto: Wikipedia – Official portrait of Barack Obama

ROUGE, EUA — Um policial negro está entre as vítimas do atirador de Baton Rouge, no estado estadunidense de Louisiana. Montrell Jackson, que escreveu no Facebook que os acontecimentos o haviam deixado esgotado física e emocionalmente, tinha 32 anos, era veterano de dez anos no setor de Polícia da cidade e pai de um filho de quatro meses. O suposto autor do ataque Gavin Eugene Long, de 29 anos, matou ainda neste domingo outros dois policiais, identificados como Brad Garafola, de 45 anos, e Matthew Gerald, de 41 anos. “Juro por Deus que amo esta cidade, mas gostaria de saber se esta cidade me ama”. “Com uniforme recebo desagradáveis olhares de Animosidade e, sem uniforme, algumas pessoas me consideram uma ameaça… Por favor, não deixem que a Animosidade contagie seu coração. Esta cidade tem que ser e vai ser melhor”, escreveu Jackson. Jackson padeceu lesões e recebeu tratamento por inalação de fumaça em 2007, depois que entrou em um edifício em chamas em uma tentativa fracassada de resgatar um menino pequeno, segundo jornal local The Advocate. A cidade de Baton Rouge vive em alta tensão após policiais brancos terem matado a tiros Alton Sterling, um homem negro de 37 anos, cuja morte comoveu os EUA. Na internet, o suposto autor da carnificina deixou um rastro digital onde criticava como policiais brancos tratavam negros. O presidente Barack Obama condenou a “ação covarde” e exigiu o fim dos ataques contra agentes da lei.

ROUGE, Estados Unidos – Três policiais foram mortos a tiros e diversos outros ficaram feridos neste domingo em Baton Rouge, Louisiana, Estados Unidos, declarou o prefeito da cidade, em um momento em que o país ainda está tenso com os casos de homens negros baleados por policiais e pela morte de cinco policiais em Dallas. Os policiais em Baton Rouge estavam respondendo a uma ocorrência com tiros quando padeceram uma emboscada por pelo menos um atirador, declarou o prefeito Kip Holden à NBC News. Matou-se um suspeito e a polícia verifica a cena de o tiroteio com um robô para assegurar que não há explosivos em o local, declarou o porta-voz de a polícia de Baton Rouge, L’Jean Mckneely. A polícia declarou a repórteres que as autoridades estão caçando mais um suspeito e declararam que a população tem que ficar em casa e atenciosa a pessoas vestindo roupas pretas e carregando armamento longo. Se os levou para clínicas locais, um outro porta-voz da polícia, por email declarou: “Diversos policiais padeceram ferimentos e “. Uma onda de protestos contra violência policial eclodiu em Baton Rouge e outros cidades depois que se matou Alton Sterling a tiros por policiais em 5 de julho. Alton Sterling é um homem negro de 37 anos.- O presidente dos Estados juntados, Barack Obama, condenou fortemente neste domingo o ataque em Baton Rouge que matou três policiais e feriu outros três, declarando que “não há justificativa” para a violência. “Ainda não é possível saber os motivos deste ataque, mas eu desejo ser claro: não há nenhuma justificação para violência contra policiais. Nenhuma. Estes ataques são o trabalho de covardes que não falam em nome de ninguém”, declarou Obama em um comunicado. Obama adicionou que oferecer “suporte total do governo federal” ao governador da Louisiana, ao prefeito de Baton Rouge e às polícias locais. O presidente alegou: “Justiça será feita”. O três policiais que morreram após serem emboscados por um atirador em Baton Rouge, na Louisiana, nos Estados Unidos, foram identificados, nesta segunda-feira. Entre eles está Brad Garafola, de 45 anos, que estava na corporação há mais de 20. Quando o atirador baleou ele, ele estava em seu último plantão antes das férias. As informações são do jornal “The New York Daily News”.

Leer Más

Governo cancela férias de servidores na Turquia

O fase anual de férias de todos os funcionários turcos foi cancelado até novo aviso, de acordo com uma resolução do primeiro-ministro Binali Yildirim publicada no Jornal Oficial nesta segunda-feira, três dias depois de uma tentativa de golpe de Estado fracassado.

Leer Más

Soldado do EI, autor de atentado em Nice era bissexual e utilizava aplicativo para encontros sexuais

Mohamed Lahouaiej Bouhlel, de 31 anos, autor do atentando em Nice, no Sul da França, que matou mais de 80 pessoas, era bissexual e utilizava um aplicativo para samrtphones para ter encontro sexuais com homens e mulheres. Detalhes da vida pessoal do motorista franco-tunisiano, que era divorciado e tinha três filhos, foram divulgadas, na noite deste domingo, três dias após seu celular ter sido apreendido. As informações são do jornal “Daily Mail”.

Leer Más