Conab negocia suporte para 2,5 mi t de milho em dez operações de subsidiozito

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Brasão de Mato Grosso

– Faz 1 mês, a Companhia Nacional de Abastecimento negociou em este subsidiozito para o transporte de pouco mais de 850 mil toneladas de milho, aumentando para um total de cerca de 2,5 milhões de toneladas o volume apoiado em dez leilões realizados por o governo desde o começo de maio com o objetivo de sustentar os custos diante de uma colheita recorde. Nos leilões de PEP e Pepro desta quinta-feira, em novas operações direcionadas exclusivamente para produtores de Mato Grosso, Conab negociou suporte para 267 mil toneladas e 589,6 mil toneladas de milho, respectivamente, de acordo com dados da estatal. Os participantes nos leilões de PEP e Pepro disputam nos leilões um prêmio para viabilizar o escoamento do produto. Se destina uma parte importante de os volumes envolvidos em esses programas em a exportação.Para receber o subsidiozito, o arrematante, que pode ser uma trading no caso do PEP, deve comprovar o pagamento do custo mínimo ao produtor e confirmar o escoamento do produto. No caso do Pepro, o governo paga ao produtor a diferença entre o custo de sua venda ao mercado e o custo mínimo, caso o valor esteja abaixo do mínimo. O governo realizou ainda nesta quinta-feira mais um leilão de contratos de alternativa de venda, no qual negociou contratos equivalentes a 200 mil toneladas. Faz 1 mês, em os outros quatro leilões de contratos de alternativa, realizados também desde o começo o governo negociou o equivalente 800 mil toneladas, em programas que visam também garantir os custos mínimos. Caso o custo de mercado esteja baixo, por meio deste instrumento de alternativa, os produtores de Mato Grosso arrematantes podem vender milho ao governo federal até 15 de setembro, pelo custo de 17,87 real a saca de 60 kg e os incentive a exercer o direto de venda. Apesar dos leilões, os custos pagos os produtores estão abaixo dos valores mínimos garantidos pelo governo em várias praças de Mato Grosso, em meio a uma colheita recorde. Faz 1 mês, a Agroconsult aumentou em esta sua previsão para a segunda colheita de milho brasileira a 68,8 milhões de toneladas, ante previsão de 67 milhões de toneladas em maio, em meio a chuvas favoráveis que garantiram produtividades recordes em importantes produtores como Mato Grosso.

– A safra 2016/17 de milho no Brasil terá que superar pela primeira vez o nível de 100 milhões de toneladas, com as lavouras favorecidas por boas condições climáticas, avaliaram nesta segunda-feira analistas do Banco Pine e da consultoria Céleres. O Pine, que tem importante parcela de clientes no agronegócio, estimou a colheita de milho brasileira em 102,2 milhões de toneladas, ampliação de quase 10 milhões de toneladas ante a previsão anterior, o que encarna “incremento brutal” de 55 por cento na comparação com a temporada anterior, fortemente afetada pela seca. A maior colheita brasileira até este ano havia sido colhida na temporada 2014/15, quando o país obteve 84,7 milhões de toneladas. Na atual temporada, a grande produção se dá principalmente pelo crescimento da segunda colheita, agora estimada pelo Pine em 70,7 milhões de toneladas, ante 62,6 milhões na projeção anterior. Já previsão da colheita de verão passou de 30,4 milhões para 31,5 milhões de toneladas. “Como percebemos nos últimos anos, chover até a segunda quinzena de abril é um marco importante na produtividade do milho, mas algumas chuvas em maio são o selo de garantia da produtividade no Centro-Oeste do Brasil”, declarou o Pine em relatório assinado pelo analista Lucas Brunetti. Ele recordou que no Sul e no sul de Mato Grosso do Sul ainda existem alguns fatores que podem diminuir a produção, como chuvas excessivas e eventuais geadas. “No caso do Paraná , a produtividade final é ainda mais dependente das condições finais até o final da colheita, como a geada e as chuvas na safra. Então é necessário um acompanhamento atencioso por mais algumas semanas neste Estado”, declarou. Já a consultoria Céleres estimou a safra total brasileira em 100,7 milhões de toneladas, mencionando que o clima regular beneficiou a segunda colheita. Alegou: “Se concretizada tal produtividade, o Brasil irá colher uma segunda colheita recorde, devendo alcançar 66,9 milhões t em 2016/17, 48 por cento acima do observado na colheita passada”. A Céleres alegou ainda que, até o dia 2 de junho, os produtores já tinham colhido 1,8 por cento da área de milho inverno, ante 1,9 por cento na mesma época do ano passado. 2018 Com a consolidação de uma colheita recorde, adicionou o analista do Pine, e uma coerente queda significativa nos custos, “já entrevemo uma diminuição da área semeia de milho verão em 2018″. “Dessa forma, regressaremos a tendência de longo prazo de queda na área de milho verão no Brasil. Assim, acreditamos que a ampliação de área observado nessa colheita vai migrar para outras culturas na próxima, principalmente soja”, alegou ele, realçando que a segunda colheita deverá ter área igual ou maior. “Isso se deve ao fato de que depois de o produtor escolher áreas adequadas a duas colheitas e dimensionar seus equipamentos para isso, dificilmente ele irá abandonar as áreas complementares.” No entanto, os custos menores do milho no mercado doméstico vão ter reflexos na tecnologia adotada pelos produtores, que terá que ser de menor preço no ano que vem.

Leer Más

STF fixa limite para indenização por extravio de bagagem e atraso em voo internacional

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Luís Roberto Barroso

– O Supremo Tribunal Federal decidiu que a norma para indenização de passageiros de voos internacionais que tiveram bagagens extraviadas ou perdidas, e também para quem teve o voo atrasado, é a fixada pelas convenções internacionais das quais o Brasil participa, e não a pelo Código de Defesa do Consumidor. Na prática, isso significa perda aos passageiros. Pelo código de Brasil, a empresa deve reembolsar o cliente no valor dos objetos que estavam na mala, mediante comprovação. Os atrasos só são indenizados mediante a comprovação da perda. Já as normas internacionais têm limites pré-fixados. As Convenções de Varsóvia e de Montreal estabelecem um limite para a indenização por mala perdida ou extraviada. Esse valor hoje é de, no máximo, 1.200 euros por mala. As convenções também estabelecem a indenização máxima de 5 mil euros para passageiros que tiveram o voo atrasado. A resolução tem repercussão geral – se obriga os juízes e tribunais de todo o país ou seja, a aplicar entendimento em processos sobre o tema. Se exibiu o recurso julgado em o plenário em o STF pela Air France contra resolução de o Tribunal de Justiça do Rio que determinou a indenização de o passageiro por o extravio de bagagem nos termos do Código de Defesa do Consumidor de Janeiro. Se julgou um recurso de a Air Canada também em esta quinta-feira contra resolução de a justiça paulista que aplicou, o mesmo código para condenar a companhia a o pagamento de indenização em o valor de R 6 mil prejuízos morais a uma passageira, por atraso de 12 horas em voo internacional . $ 6 mil prejuízos morais a uma passageira, por atraso de 12 horas em voo internacional. A Air Canadá argumentou que a indenização não teria que ser paga, porque a passageira teria entrado com a ação na justiça fora do prazo calculado em lei. Pelas convenções internacionais, esse prazo é de dois anos. Pelo Código de Defesa do Consumidor, é de cinco anos. Como o tribunal estabeleceu as convenções como norma, a passageira perdeu o direito à indenização. Esse prazo deverá ser adotado a todos os processos que tramitam sobre o tema no país. Ou seja , se atraso prejudicou alguém em voo , vai ter somente dois anos para entrar com a ação em a Justiça. Em seu voto, o ministro Gilmar Mendes a Constituição Federal calcula a observância aos acordos internacionais. O ministro Gilmar Mendes é relator de um dos processos. O ministro Luís Roberto Barroso consentiu. O ministro Luís Roberto Barroso é relator do outro caso. A maioria dos ministros do STF consentiu com os relatores. Somente Marco Aurélio e Celso de Mello discordaram. Para ele, como as empresas aéreas realizam atividades qualificadas como prestação de serviços, a relação era de consumo – e, portanto, deveria ser aplicado o Código de Defesa do Consumidor.

A Heinz Brasil informou que havia fragmentos de pelo de roedor acima do limite de tolerância em Molho de Tomate com Pedaços Tradicional, embalagem stand up pouch , de 340g, para a qual foi convidado o recall no dia 12 de maio. Produzidas em 25 de janeiro de 2016, com numeração de o lote é L25 20:54 M3-1, se os colocaram segundo a fabricante em o mercado 22 mil unidades que têm vencimento em 25 de julho de este ano,.Anvisa tolera até 20 insetos em orégano; veja limites de ‘matérias insólitas’ em alimentos

Leer Más

Petrobras não vê sentido em eventual pedido da Opep para outros produtores de petróleo

É bastante difícil que países não membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo aceitem um possível pedido do cartel para diminuir a produção de petróleo, alegou à Reuters uma fonte da Petrobras nesta sexta-feira.

Leer Más

EUA acusam formalmente hackers russos por ciberataques políticos

Em 1 mês, o governo norte-americano acusou formalmente a Rússia em esta por uma campanha de ciberataques contra organizações de o partido democrata durante a corrida presidencial para a votação de 8 de novembro.

Leer Más

Plantio da soja no Brasil alcança 11% da área estimada, declara AgRural

– O plantio da soja da colheita 2016/17 no Brasil alcançou, até 6 de outubro, 11 por cento da área total estimada, ante 5 por cento na semana passada e 8 por cento no mesmo fase em 2015, informou a consultoria AgRural nesta sexta-feira. Em Mato Grosso, principal Estado produtor de grãos do país, o plantio atingiu 19 da área total calculada, ante 6 por cento na última semana e 5 por cento no mesmo mês de 2015. No Paraná, o plantio saltou para 29 por cento da área calculada, ante 17 por cento na última semana e 30 por cento no mesmo fase do ano passado, informou a consultoria.

Leer Más