Dois executivos da JBS são possíveis candidatos a trocar presidente, declaram fontes

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Friboi jbs

– Dois executivos da JBS são tidos dentro da companhia como possíveis candidatos a trocar o presidente-executivo, Wesley Batista, que foi preso na véspera, declararam duas fontes a par do tema à Reuters. Um desde que se uniu na JBS em 2013, é Gilberto Tomazoni um executivo próximo de Wesley. Gilberto Tomazoni é chefe de operações.Faz 8 anos, ele já foi vice-presidente de a unidade brasileira de a Bunge e diretor de a Sadia, antes de a fusão que instituiu a BRF. Outro candidato é o presidente do conselho da JBS, Tarek Farahat, ex diretor da Procter & Gamble para a América Latina. Ele se uniu à JBS há dois anos para liderar o mercado de alimentos processados. Tomazoni e Farahat se rejeitaram a comentar o tema. Na véspera, o conselho da JBS se reuniu após a prisão de Wesley, mas deixou o debate sobre sucessão no comando para uma reunião posterior, declarou uma fonte familiarizada com a companhia. Os advogados de Wesley e de seu irmão Joesley pediram habeas corpus nesta quinta-feira. Se acusa ambos de insider trading, utilização de informação privilegiada para lucrar em o mercado financeiro. Faz 4 meses, se acusou ambos que não desejou comentar sobre o tema, antes de um acordo de leniência em o qual confessaram subornar políticos. Essa confissão derrubou as ações da companhia. As ações da JBS subiam 5,3 por cento às 14h51, maior alta do papel em três semanas, com investidores apostando que as prisões dos irmãos Batista rvão reforçaras tentativas do banco de desenvolvimento BNDES para strocaros agerentes O braço de investimento do banco, a BNDESPar, que detém 21 por cento da JBS, vem pleiteando um novo presidente com suporte de outros minoritários, defendendo que a família Batista, que detém 42 por cento da JBS, seja impedida de votar sobre o assunto em assembleia de acionistas. Faz 13 dias, se mandou a disputa em a arbitragem.

O banco defende que o Conselho mencione um interino e que, em paralelo, a companhia comece um processo para escolha de um substituto definitivo. Isso poderia ser feito por meio de uma companhia de head hunter ou uma escolha de quadros internos. De uma maneira ou de outra, o BNDES avalia que a resolução deve passar pelo Conselho e defende que a família Batista não interfira nesta questão, por conflito de interesse.o BNDES de Wesley recebeu com certa surpresa a prisão. Mas a percepção entre diretores do banco é que a detenção corrobora a posição que a instituição vinha defendendo, de afastar a família do dia a dia da JBS. Por isso, o banco avalia que não tem que mudar de estratégia e, sim, insistir no seu principal ponto: a proposta de que a própria JBS mova ação contra seus controladores.As ações da JBS operam com queda de 0,86% nesta quarta-feira, apesar de a Polícia Federal ter prendido o sócio e diretor-executivo Wesley Batista, irmão de Joesley Batista. A Bolsa, após ter batido seu lembre histórico na segunda-feira e ter registrado nova alta ontem, hoje opera perto da estabilidade, aos 74.512 pontos. Na cotação, o dólar comercial registra alta de 0,25%, cotado a R$ 3,137 para venda.- O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social , maior acionista individual da JBS, defendeu em nota que um gerente interino seja mencionado pelo Conselho de Administração da companhia, após a prisão do empresário Wesley Batista, presidente da JBS. Segundo analistas escutados pelo GLOBO, a detenção do empresário joga mais gasolina na briga que o banco de fomento vem frear contra a família Batista. O banco em nota declara: “Com a prisão nesta manhã do CEO da JBS, o Conselho de Administração da empresa é a instância adaptada para selecionar um gerente interino nos termos da Lei 6.404/76 “. Para o BNDES, declara o texto divulgado pelo banco, qualquer que seja o desenrolar destes fatos, seria o melhor para o interesse da empresa, e para a sua conservação e sustentação, que houve o começo de uma renovação de seus quadros, inclusive com a abertura de um processo seletivo para a escolha de um novo CEO para a companhia em personalidade definitiva. Procurada, a JBS não comenta o caso. Segundo os analistas escutados pelo GLOBO, em tese, a detenção de Wesley corrobora com a tese do BNDES de que ele deve ser processado e destituído da posição por provocar perdas à ecompanhia – A prisão por crime financeiro vai de encontro ao argumento que o BNDES usa para pedir a saída de Wesley da presidência. Com informações privilegiadas, eles manipularam o mercado, vendendo ações da empresa e adquirindo dólares, trazendo perda aos acionistas – declara uma fonte que acompanha a disputa entre BNDES e a família Batista. O crime está calculado no artigo 27-D da Lei 6.385/76, que regula o mercado de valores mobiliários. A pena calculada é de um a cinco anos de prisão, além de multa de até três vezes do valor que lucraram com as transações. A assembleia extraordinária de acionistas ocorreria no último dia 1 de setembro, mas a Justiça protelou o encontro por 15 dias e determinou que um tribunal de arbitragem decida se a família Batista pode ou não votar no encontro. Os Batista detêm o controle da companhia com 42% do capital e certamente teriam força para se conservar no comando, segundo uma fonte que acompanha a disputa. Junto com a Caixa Econômica Federal, o BNDES teria 26% das ações ordinárias e precisaria aglutinar o voto de outros minoritários. Se a marcou a data de a assembleia ainda não . Na prática, declara uma fonte próxima à ecompanhia o futuro da JBS estava nas mãos de Wesley com a prisão de seu irmão Joesley. Foi ele pessoalmente quem negociou com os bancos a rolagem de R$ 17 bilhões de dívidas de curto prazo da empresa. O empresário deu a garantia aos bancos que parte do dinheiro das vendas seria utilizado para amortizar as dívidas com os credores. Com mandado até 2018, ele teria tempo para deduzi o plano de desinvestimento divulgado pela empresa, que calcula arrecadar R$ 6 bilhões. Sua prisão preventiva atrapalha este plano. – Neste momento, a presença da família no comando da companhia acaba sendo ruim. O efeito para as ações da empresa, no curto prazo, é negativo e gera grande volatilidade – declara Shin Lai, estrategista da Upside Investor. Os analistas preveem mais lances na Justiça. O BNDES informou que recorreu da resolução que protelou a assembleia. Em nota divulgada, o banco avalia que a assembleia deve ocorrer o quanto antes e sem o conflito de interesses que seria caracterizado pelo voto dos controladores. “Dessa maneira, as resoluções poderão ser tomadas na assembleia de acordo com o melhor interesse da empresa, em plena observância do que determina a legislação em forcita. O BNDES conserva integralmente a sua intenção de voto na assembleia .”, declara a nota divulgada pelo banco. O advogado Ricardo Gama declara que os tribunais de arbitragem, onde deverá ser debatido o conflito de acionistas, podem levar até dois anos para dar uma resolução. O advogado Ricardo Gama é sócio da área de determinação de conflitos do Veirano Advogados. Mas o advogado recorda que uma das partes poderia requerer um Juiz de emergência para decidir questões urgentes. — Pode ser requerido um Juiz de emergência para decidir sobre questões mais urgentes. Mas isso precisa estar calculado no regulamento da companhia e, mesmo assim, quando o tribunal for formado, sua resolução pode ser revista — declara Gama.

Leer Más

Como a empatia com o cliente assistência na venda de viagens

Por: SentiLecto

– A inovação abre o ciclo de apresentações do Next Fortaleza. Em mais uma apresentação, Alexandre Cordeiro sobe ao palco do acontecimento para desmistificar a ideia de que investir no cliente solicita milhões e milhões de reais. Alexandre Cordeiro é o fundador da Travel Tech Hub. Segundo ele, as companhias têm que voltar seu olhar e sua atenção ao seu cliente antes de pensar em todo um maquinário tecnológico. Em outros vocábulos, o profissional de viagens deve ter empatia e buscar compreender quais são as reais necessidades do seu passageiro fidelizado ou eventual cliente. “Para quem [cliente] não está contente, procure compreender por que ele não adquiriu com vocês, agentes de viagens. Escute o seu cliente mais ‘reclamão’ que perdeu um voo”, exemplificou. Ele, em alusão às ochancessurgidas por meio esse olhar ddistinguido. declarou: “A resposta dele não pode trazer medo, ali está o ouro para vocês”.Para reforçar a concepção de personalização, Cordeiro realça que o agente de viagens tem que ficar cada vez mais longe do balcão de vendas, ou seja, não competir por custo. De acordo com ele, quem entra nesse embate acaba por perder em fidelização, satisfação e até mesmo lucratividade. O palestrante acredita também que para modificar sua companhia em um player distinguido não é preciso estar no Vale do Silício, a meca da inovação de empresas de todo mundo avaliadas em bilhões de dólares. “A indústria de turismo é repleta de chance e problema. A inovação pode vir de qualquer lugar”, concluiu. O Next Fortaleza é um acontecimento realizado pela PANROTAS Editora e tem o patrocínio de Avianca, Cep Transportes, Gran Marquise Hotel, Iberostar Hotels & Resorts, Noruega, Rextur Advance e Transamérica Hospitality Group

Leer Más

Crescimento do PIB é resultado de maior previsibilidade da economia, declara Meirelles

Por: SentiLecto

No Rio para a posse do novo presidente do BNDES, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles declarou que “o momento é bastante importante para o Brasil, que já aumentou 1% no primeiro trimestre, ”, em referência ao resultado do PIB, que aumentou 1% em relação ao último trimestre. Segundo Meirelles, as políticas adotadas pelo governo Temer tornaram o país mais resistentes aos inevitáveis choques, em um “círculo de reforço e de estabilidade”.

Leer Más

Justiça determina bloqueio de R$ 800 mi das contas de Joesley Batista

Por: SentiLecto

– A Justiça Federal no Estado de São Paulo determinou, em personalidade liminar um dos controladores do frigorífico JBS, de acordo com comunicado nesta quinta-feira. Personalidade liminar é o bloqueio de 800 milhões de reais das contas de Joesley Batista. A soma é referente ao afirmado lucro obtido pelo empresário com a venda de dólares pouco antes da divulgação da gravação com o presidente Michel Temer, em 17 de maio. O juiz federal proferiu a resolução Tiago Bitencourt De David , de a 5ª Vara Cível Federal de São Paulo , baseada em uma ação popular interposta por dois cidadãos. O juiz na resolução declarou: “A legitimidade passiva justifica-se pela relação com o patrimônio público de quem recebeu empréstimos do BNDES, pela condição de player do mercado capaz de desestabilizar o mercado de ações e de moedas”. O pedido inicial pediu o bloqueio de 10 bilhões de reais das contas “de pessoa jurídica dos réus”, de acordo com a resolução, onde constam, além de Joesley e a JBS, a holding J&F e o irmão Wesley Batista, assim como diretores das companhias. Os autores alegaram que houve crime de “insider trading” dos envolvidos para a compra de 1 bilhão de dólares “às vésperas” da divulgação dos áudios de uma gravação de uma conversa de Joesley com o presidente Michel Temer. Em 10 meses, Pesa também a denúncia de terem, época em que já cooperavam com os inquéritos. O juiz decidiu, no entanto, bloquear somente os valores de Joesley Batista referentes ao suposto lucro obtido com a venda de dólares. “Tiago Bitencourt considerou a necessidade de adotar-se a medida adequada e necessária menos restritiva possível, especialmente diante dos empregos e da aparente solidez das empresas rés”, disse a nota da Justiça. Os autores da ação popular desejam que condene-se os réus a pagar 15 bilhões de reais ao todo. Na terça-feira, o Ministério Público Federal e a J&F anunciaram terem fechado um acordo de leniência que calcula o pagamento de multa lembre no valor de 10,3 bilhões de reais por atos praticados por companhias controladas pela holding. Por meio de nota, a J&F declarou que “não tem conhecimento sobre o processo e que se a mencionou também não . Ainda que tem como política e prática a uso de instrumentos de proteção financeira visando, a empresa elucida , exclusivamente, diminuir os seus riscos cambiais e de commodities provenientes de sua dívida, recebíveis em dólar e de suas operações”.

Leer Más

Google libera Developer Preview do Android 7.1 para os seus smartphones

Foto: Wikipedia – Googlelogoi

O Google satisfez sua promessa e liberou nesta quinta-feira, 20/10, o Developer Preview do novo Android 7.1. A versão de preview para desenvolvedores do novo update do Android traz diversas novidades mostradas no Pixel, mas é claro que o Google Assistant ainda continua exclusivo do novo smartphone da gigante.

O intrigante projeto de smartphones modulares do Google, chamado de Ara, prometia que os usuários poderiam montar um aparelho a partir de componentes habituais de hardware como processadores, telas e câmeras, e partes de substituição de entradas para tornar os upgrades bastante mais simples do que eles são hoje. Começado em 2013 após a compra da Motorola pelo Google, o Ara teve seu fim confirmado, mas não explicado, pelo Google.

Leer Más