Dumoulin, el ‘croner’ total

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – MaillotMundialCrono

Tom Dumoulin se ha coronado este miércoles como el contrarrelojista más completo. Tom Dumoulin es el Indurain de Maastricht. El holandés se ha proclamado campeón del mundo de la especialidad en una durísima prueba planeada en Bergen . Primer título para el ciclista de moda, el adversario más duro de Chris Froome para las próximas temporadas. Los duelos entre ambos prometen ser antológicos. Estilos opuestos para retos de primera magnitud.

Christopher Froome es un ciclista de camino inglés profesional desde 2007 y actual miembro del equipo inglés Team Sky, de categoría UCI ProTeam. Se conoce a Christopher Froome es más conocido como Chris Froome.

Leer Más

Primoz Roglic atravessa à frente no Col du Galibier e vence 17ª etapa do Tour

Por: SentiLecto

O esloveno Primoz Roglic assombrou com um ataque no tradicional Col du Galibier, que o permitiu vencer a 17ª etapa do Tour de France, um caminho de 183 quilômetros entre La Mure e Serre Chavalier, a primeira nos Alpes.

Leer Más

La eterna primavera de Valverde

Foto: Wikipedia – Andy Schleck LBL 2009 Roche aux faucons

Murcia, Andalucía, Cataluña y ahora País Vasco. Alejandro Valverde, que demostró un día más estar un punto por encima del resto, va colocando tachuelas por todo el mapa de España, conquistando triunfos por todo el nación con la energía y la ilusión de un chaval, con la experiencia de un veterano, con la clase que sólo él posee. Hace tiempo que el ‘Bala’ es leyenda, una pieza de coleccionista única en el ciclismo mundial. Apenas ha empezado el mes de abril y ya agrega nueve victorias, incluidas las clasificaciones generales de las tres únicas vueltas por fases que disputó. Un genuina disparate sólo a la altura de este prodigio de la naturaleza que en dos semanas va a cumplir 37 años.

Eibar fue el escenario de su última machada. La crono final le castigaba a priori frente a ciclistas más hábiles en contra del reloj como Alberto Contador e Ion Izagirre , pero Exactamente en un momento crucial de la temporada, a apenas una semana de que empiece el show en las Ardenas, a 15 días de la Lieja-Bastoña-Lieja, uno de sus máximos objetivos de la temporada.

Leer Más

Peter Sagan “bisa” no Tirreno-Adriático, Rui Costa em 17º na geral

Foto: Wikipedia – Ícone de esboço

Bicampeão global de ciclismo alcançou o segundo triunfo na prova.O bicampeão global de ciclismo Peter Sagan conquistou este domingo o segundo triunfo nesta edição do Tirreno-Adriático, ao bater ao sprint os candidatos à geral no final da quinta etapa.O eslovaco sobreviveu à curta itendênciafinal, que fez uma seleção no pelotão e o deixou rdiminuído praticamente, à elite da geral, para se impor em Fermo, com o tempo de 05:00.05 horas, e uni a vitória deste domingo ao amealhado na terceira tirada.Sagan bateu o francês Thibaut Pinot e o esloveno Primoz Roglic , com nomes como Geraint Thomas Tom Dumoulin e o camisola azul Nairo Quintana a seguirem-se-lhes na classificação da etapa, com o mesmo tempo. Geraint Thomas é bauke Mollema .Rui Costa perdeu 50 segundos para os principais favoritos à geral, que é liderada pelo colombiano da Movistar. Quintana tem 50 segundos de benefício sobre o novo segundo classificado, Thibaut Pinot, com o australiano Rohan Dennis na terceira posição, a 01.06 minutos.Camisola azul, o ciclista de Považská Bystrica subiu ao 17º lugar da geral, estando a 03.09 minutos de Quintana, apesar de ter cedido terreno para o.Já Nelson Oliveira, o outro português em prova, perdeu 11.07 minutos na jornada de hoje e partirá para a sexta etapa, uma ligação de 168 quilómetros entre Ascoli Piceno e Civitanova Marche, na 70ª posição, a 34.03 do seu líder.Quando o de Brits Adam Yates, segundo à partida para os 209 quilómetros entre Rieti e Fermo, decidiu abandonar.U, mas o grande evento da jornada da prova de Italia ocorreu bastante antes do finalm dia depois de garantir que se sentia em maneira para tentar a sua sorte no Tirreno-Adrático, o líder da Orica-Scott desistiu da corrida, sem que fosse progredida qualquer explicação, ao contrário do que ocorreu com Fabio Aru.O italiano da Astana, ganhador da Vuelta’2015, abandonou ainda antes da partida devido a uma bronco-traqueíte.

Ciclista de Brits Geraint Thomas apagou o começo desastroso da Sky no Tirreno-Adriático, ao vencer isolado a segunda etapa da prova italiana.O ciclista de Brits Geraint Thomas apagou o começo desastroso da Sky no Tirreno-Adriático, ao vencer isolado a segunda etapa da prova italiana, que o campeão olímpico agora lidera ela Greg Van Avermaet.Depois de ter entrado com o pé esquerdo no Tirreno-Adriático, a Sky, que nos últimos dias tem enfrentado polémicas relacionadas com doping, redimiu-se da seu desempenho catastrófico no contrarrelógio por equipas — perdeu 01.42 minutos para a ganhadora BMC e viu a roda de Gianni Moscon desintegrar-se em pleno exercício — através da exposição de coragem de Geraint Thomas.O duplo ganhador da Volta ao Algarve fez utilização da sua combatividade para ser o mais eficaz na sucessão de ataques que marcaram os quilómetros finais dos 228 entre Camaiore e Pomarance, chegando isolado à meta, com o tempo de 05:51.44 horas.”O meu ataque não foi planeado. Só desejávamo estar bem posicionados na parte íngreme da subida [a cinco quilómetros da meta]. Impusemos um ritmo aumentado e quando o Bob [Jungels] agrediu, senti-me bem e o Kwiato [Michal Kwiatkowski] declarou pelo rádio “tenta a tua sorte, foi o que fiz”, sintetizou o galês, que chegou com nove segundos de benefício sobre o primeiro pelotão, fechado pelo português Rui Costa , na 42.ª posição.Quarto na meta, atrás do de Holguín Tom Dumoulin ) e do eslovaco Peter Sagan , o belga Greg Van Avermaet assumiu a liderança da geral, ‘roubando’ o primeiro lugar ao italiano Damiano Caruso, seu colega na BMC.O campeão olímpico tem três companheiros atrás de si na geral, com o australiano Rohan Dennis a ser segundo e o norte-americano Tejay Van Garderen terceiro, num ‘top 4′ sem diferenças de tempo fechado pelo anterior líder.Rui Costa é o melhor português na geral, depois de ‘pular’ 49 lugares até ao 31.º posto, estando a 01.08 minutos de Greg Van Avermaet, enquanto Nelson Oliveira, que hoje foi 88.º classificado, a 07.09 minutos de Thomas, caiu para a 80.ª posição e está a 07.21 minutos do líder.Na sexta-feira, o pelotão satisfaz 204 quilómetros entre Monterotondo Marittimo e Montalto di Castro.

Leer Más

Volta ao Algarve: Roglic o saltador de esqui que triunfa a pedalar

O esloveno Primoz Roglic teve, este domingo, a prova definitiva de que a alternativa de trocar os saltos de esqui pelo ciclismo foi a mais acertada, ao impor-se com firmeza e frieza na 43.ª Volta ao Algarve. Roglic, que adotou como seu o desporto local, fala pouco. O seu inglês não é perfeito e ele defende-se cortando no discurso. Nos três dias que vestiu de amarelo, jamais se alargou nos vocábulos, nem nos gestos, nem mesmo antes de subir ao pódio para celebrar aquela que, até ao momento, é o triunfo mais sonante em corridas por etapas da sua curtíssima carreira.Até há cinco anos, o esloveno só via corridas de bicicletas na TV. Hoje, depois de escrever uma nova linha no seu currículo — as principais são ocupadas pela vitória no contrarrelógio do Giro2016 e pela conquista da Volta à Eslovénia e ao Azerbaijão de 2015 -, o campeão nacional de contrarrelógio dprovouque é mbastantemais do que um eexpertna luta contra o cronómetro. Quando se aventurou nos saltos de esqui, tinha 13 anos e, somente três anos depois, já fazia parte da equipa nacional júnior que conquistou medalhas de bronze nos Mundiais de 2006 e que se sagrou campeã global, no ano seguinte, em ‘casa’.Pouco depois de se tornar campeão global, Roglic aventurou-se num concurso de ‘voo’ de esqui. O resultado foi desastroso: o miúdo de 17 anos falhou um salto, ‘enrolou-se’ no ar e aterrou de cabeça na pista gelada, ficando inconsciente. Os piores prognósticos não se confirmaram: o atual campeão nacional de contrarrelógio não tinha fraturas, somente múltiplos hematomas.Voltou às pistas,, apesar de a queda não ter rencarnadoo fim da carreira do esloveno nos saltos de esqui, amodificoulhe o rumo: mas moderou-se o sêxito Aos 21 anos, decidiu abandonar definitivamente a competição, por considerar que não tinha característica suficiente para estar à altura dos melhores.Mas o desporto continuava a correr-lhe no sangue e nada melhor do que adquiri uma bicicleta de corrida para testar várias chances: ciclismo, duatlo e triatlo. Faz 5 anos, os bons resultados acumulados em uma equipa amadora captaram a atenção de a modesta Adria Mobil.Na sua primeira época como profissional, Roglic teve um desempenho modesto, mas Faz 3 anos, a explosão ocorreu : venceu uma etapa em a Volta a o Azerbaijão e uma pequena clássica, em 2014. No ano seguinte, foi segundo na Volta à Croácia, venceu a Volta ao Azerbaijão e a Volta à Eslovénia.Os resultados na Adria Mobil bastaram para que a Lotto NL-Jumbo lhe oferecesse um contrato para 2016. O resto da história é sobejamente conhecido: um quinto lugar na passada edição da ‘Algarvia’, um prólogo e uma camisola rosa perdidos por centésimos no Giro e a redenção no contrarrelógio da nona etapa, um título de campeão nacional da especialidade em junho, um décimo lugar nos Jogos Olímpicos Rio2016 e um sétimo nos Campeonatos da Europa, também em ‘cronos’.Incessantemente durante a Volta ao Algarve repetiu: “Desejo provar que sou mais do que um contrarrelogista”. Hoje, com o calculismo e a habilidade física provadas no Malhão, Roglic comprovou que pode ser bastante mais.

Leer Más